Veículos apreendidos serão compactados
fev18

Veículos apreendidos serão compactados

Publicado em 18 de fevereiro de 2014 Alckmin inicia compactação de veículos apreendidos na capital. Liberação dos pátios permitirá a melhora da logística da apreensão e, consequentemente, a fiscalização de veículos. “Fizemos um leilão para a empresa que fará a compactação de 13.500 veículos, dos quais 62% já estão liberados. E temos uma licitação aberta para mais 32 mil. Chegaremos a 45 mil veículos”, afirmou Alckmin. O governador destacou que essa medida se soma à Lei dos Desmanches, que combate o roubo de veículos, pois quebra a cadeia econômica em torno do crime ao endurecer as exigências para a venda de peças usadas. Na Argentina, lei semelhante reduziu em 50% os roubos de carros e motos. “Isso tem dupla importância para a segurança pública, pois inibe o roubo de carros para tirar peças e o latrocínio. Por outro lado, libera os pátios para a polícia poder fazer uma ação vigorosa e recolher carros e motos que estejam irregulares. E também é bom para o meio ambiente porque nos permite separar óleos, fluidos, catalisadores, baterias, pneus e dar a tudo isso o encaminhamento correto”, disse o governador. O roubo de veículos tem forte vínculo com os latrocínios: 50% dos casos ocorrem numa tentativa do ladrão de roubar um carro ou uma moto. A medida é o primeiro passo para resolver um passivo de mais de 25 anos de veículos apreendidos criminalmente, que foi causado por entraves judiciais que impediam a liberação desses veículos dos pátios. Em maio do ano passado, a Justiça autorizou que fossem realizados leilões dos 45 mil veículos apreendidos em pátios na cidade de São Paulo, atendendo a um pedido da Secretaria da Segurança Pública (SSP). O leilão dos veículos apreendidos no Pátio Santo Amaro aconteceu no dia 16 de janeiro. Os veículos foram arrematados por R$ 808.839,35, em lote único, pela empresa Trufer Comércio de Sucatas Ltda., responsável pela descontaminação, compactação e trituração das carcaças. A empresa vencedora tem autorização para vender o material para reciclagem. Não há custo para a SSP para a realização do processo. Após a autorização para a realização do leilão, também é necessária a autorização de cada juiz responsável pelos processos a que os veículos estão vinculados para que seja feita a compactação. A permissão é necessária pois esses veículos são provenientes de apreensões criminais, ou seja, resultam de ocorrências de roubo, furto, estelionato etc. O processo total está previsto para acontecer em 180 dias. Para preservar o meio ambiente, o processo segue exigências de órgãos reguladores e fiscalizadores do setor, inclusive descontaminando as áreas onde os veículos estão apreendidos. A iniciativa é a primeira etapa do projeto para desocupar os...

Leia mais
Nutricionistas do Consea falam sobre  o novo Guia Alimentar
fev18

Nutricionistas do Consea falam sobre o novo Guia Alimentar

O novo Guia Alimentar da População Brasileira (edição 2014) elaborado pelo Ministério da Saúde (MS) orienta os brasileiros sobre os cuidados com a saúde e como manter uma alimentação saudável e balanceada: a recomendação é pelo consumo de alimentos frescos, de procedência conhecida e utilizando como base da dieta alimentos in natura (de origem vegetal e animal), como carnes, verduras, legumes e frutas. O manual também recomenda que as pessoas optem por refeições caseiras e evitem a alimentação em redes de fast food (refeições prontas). A iniciativa de rever o Guia Alimentar para a População Brasileira é bem vinda e necessária, avalia a nutricionista Elisabetta Recine, conselheira do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). Documentos desta natureza precisam atualizar suas recomendações à medida que a realidade muda. E isto certamente aconteceu em relação à alimentação. Do ponto de vista populacional tivemos mudanças profundas na estrutura de renda e consumo e, por outro lado, a alimentação tem ocupado espaços importantes na mídia em geral com informações, em grande parte das vezes, limitadas, simplistas e que expressam poderosos conflitos de interesses , diz a conselheira, que é professora da Universidade de Brasília (UnB). Articular a dimensão individual com a coletiva, propor recomendações que também articulem o espaço do indivíduo com os fatores de determinação social da alimentação, diferenciar-se de uma revista ou reportagem descartável são vocações de um Guia Alimentar , complementa. O manual foi elaborado em linguagem acessível e destina-se tanto ao cidadão como a educadores e profissionais de saúde. O documento foi formulado com o apoio do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (USP) e da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS). Para Anelise Rizzolo, que também é conselheira e professora da UnB, o Guia Alimentar é o parâmetro norteador das diretrizes alimentares brasileiras. Nele devem estar contempladas as múltiplas relações e condições que envolvem as escolhas alimentares, visando propor alternativas saudáveis, éticas, economicamente viáveis e sustentáveis para o sistema agro-alimentar. É fundamental que o Guia dialogue com problemáticas geradoras de insegurança alimentar e nutricional, como o uso abusivo de agrotóxicos e a regulação da propaganda de alimentos ultraprocessados, sinalizando o papel das políticas públicas para seu enfrentamento . O guia também recomenda a utilizar com moderação óleos, gorduras, sal e açúcar. Produtos industrializados devem dar lugar aos alimentos in natura. Isso porque os produtos processados têm adição de sal ou açúcar para torná-los mais duráveis, palatáveis e atraentes. De acordo com a presidenta do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do Piauí (Consea-PI), Norma Sueli Alberto, o Guia Alimentar da População Brasileira...

Leia mais
Governo lança novo Guia Alimentar
fev18

Governo lança novo Guia Alimentar

Ministério da Saúde recomenda o consumo de produtos naturais e que brasileiro avalie a procedência dos alimentos. Novo guia orienta evitar produtos industrializados prontos para o consumo. População poderá enviar sugestões até 7 de maio Essas são as principais recomendações do novo Guia Alimentar da População Brasileira (edição 2014), que está sendo elaborado pelo Ministério da Saúde. A publicação orienta os brasileiros sobre os cuidados com a saúde e como manter uma alimentação saudável e balanceada: a recomendação é pelo consumo de alimentos frescos, de procedência conhecida e utilizando como base da dieta alimentos in natura (de origem vegetal e animal), como carnes, verduras, legumes e frutas. O manual também recomenda que as pessoas optem por refeições caseiras e evitem a alimentação em redes de fast food (refeições prontas). A população poderá contribuir com a elaboração do novo guia, que encontra-se em consulta pública até o dia 7 de maio, acessando o endereço eletrônico www.saude.gov.br/consultapublica. As contribuições serão avaliadas pelo Ministério da Saúde e poderão constar do documento final. “O guia é uma fonte segura para orientar os brasileiros para uma alimentação saudável, com base em evidências científicas e com recomendações debatidas com diferentes especialistas e setores da sociedade”, afirma o ministro da Saúde, Arthur Chioro. “A intenção é promover a saúde da população e contribuir para a prevenção de doenças como a obesidade, diabetes e outras doenças crônicas relacionadas à alimentação”, enfatiza. O manual foi elaborado em linguagem acessível e destina-se tanto ao cidadão como a educadores e profissionais de saúde. O documento foi formulado com o apoio do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (USP) e da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS). Por Fabiane Schmidt, da Agência...

Leia mais