Governo e Prefeitura de SP investem nas linhas do Metrô
mar14

Governo e Prefeitura de SP investem nas linhas do Metrô

Governo firma convênio com município para investimento nas linhas 15 e 17 do Metrô. Ações conjuntas serão destinadas à execução das obras de adequação viária e demais serviços necessários à implantação do Monotrilho. As informações são do portal do O Governo do Estado de São Paulo. Foi firmado nesta sexta-feira, 14, convênio com a prefeitura do município para a execução das obras do Monotrilho das linhas 15-Prata e 17-Ouro do Metrô. Na ocasião, a prefeitura anunciou investimento de R$ 360 milhões para utilização do Governo do Estado nas duas linhas. As ações conjuntas serão destinadas à execução das obras de adequação viária e demais serviços necessários à implantação. Quando inaugurada, a Linha 15-Prata será o primeiro Monotrilho do Brasil e o de maior capacidade no mundo. “Hoje estamos dando um importante passo com duas linhas do Monotrilho. É um trabalho importante e é um grande desafio à mobilidade urbana”, anunciou o governador Geraldo Alckmin. Monotrilho A Linha 15-Prata terá 26,6 km de extensão em vias elevadas e ligará o bairro do Ipiranga à Cidade Tiradentes. Contará com 18 estações e atenderá cerca de 500 mil passageiros por dia. A primeira viagem-teste entre a futura Estação Oratório e o Pátio Oratório foi feita em janeiro deste ano. A linha terá integração com a Linha 2-Verde do Metrô e com a Linha 10-Turquesa da CPTM. Já a Linha 17-Ouro terá 17,6 km e ligará o aeroporto de Congonhas ao bairro do Morumbi. Contará também com 18 estações e terá conexão com a Linha 1-Azul, Linha 4-Amarela e Linha 5-Lilás do Metrô e Linha 9-Esmeralda da...

Leia mais
Trabalho e Saúde
mar14
Leia mais
CET no seu bairro – 2ª etapa
mar14
Leia mais
Brasileiro faz a reconstrução facial de Santo Antônio em 3D
mar14

Brasileiro faz a reconstrução facial de Santo Antônio em 3D

Busto em tamanho real será impresso no Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI/MCTI), em Campinas (SP) Portal Brasil – O rosto de uma das mais populares figuras do cristianismo passa por uma revisão com base numa tecnologia recente que vem acumulando aplicações. Um busto de Santo Antônio produzido em gesso com uma impressora tridimensional (3D), com traços destoantes dos que costumamos ver, será apresentado em Pádua (Itália), neste ano, oito séculos depois da morte do religioso. “As feições serão mais robustas que aquelas com as quais estamos acostumados”, adianta o artista incumbido da reconstrução facial, o mato-grossense Cícero Moraes. “A primeira coisa que vimos foi que o nariz não era fino nem pequeno. Além disso, os lábios eram grandes. Isso se afasta do usual em imagens religiosas, que costumam ser de traços finos, muitas vezes andróginos, infantis.” O rosto em tamanho real será impresso no Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI/MCTI), em Campinas (SP). Um estudo já foi gerado e, após alterações, a peça definitiva deve estar concluída nas próximas semanas. A entrega ao Museu da Universidade de Pádua está marcada para 13 de junho, dia do santo, e a exibição ao público está prevista para novembro. “A impressão propriamente dita é relativamente rápida. Um busto assim leva um dia para ficar pronto”, destaca o coordenador da Divisão de Tecnologias Tridimensionais (DT3D) do CTI, Jorge Vicente Lopes da Silva. “É como se você imprimisse centenas de folhas com as bordas coloridas.” As cores básicas, que se combinam, são vermelho, verde e azul (RGB, na sigla em inglês usada pelas gráficas em geral). Modelagem Cícero Moraes foi convidado para o projeto pelo grupo italiano de arqueologia Arc-Team, com o qual já colaborava e que recebeu a encomenda do museu. “O pessoal da Itália me mandou o crânio digitalizado. A imagem digital foi gerada a partir de fotos da réplica em bronze do crânio, produzida em 1981”, conta. “Aí, fui criando os músculos, fazendo a modelagem anatômica com o programa computacional Blender.” Ele explica que esse preenchimento parte de tabelas de profundidade de tecido baseadas em numerosos padrões étnicos – no caso, foram usadas as medidas de caucasianos europeus – que, por sua vez, compilam medições feitas em cadáveres desde o fim do século 19. Para a pele e a indumentária, pinturas e relatos foram as referências. A barba rala se baseou em quadros do pintor Giotto, que nasceu algumas décadas depois da morte do santo. Santo Antônio de Lisboa Um dos principais nomes do catolicismo, Santo Antônio de Lisboa (ou de Pádua) nasceu na capital portuguesa em 1191 ou 1195, e seu nome de batismo era...

Leia mais
CET no seu bairro – 1ª etapa
mar14
Leia mais
Diretor do INPE abre evento internacional sobre água
mar14
Leia mais