Alckmin dá início às obras da PPP que aumentará a oferta de água para a Grande São Paulo
abr13

Alckmin dá início às obras da PPP que aumentará a oferta de água para a Grande São Paulo

Novo sistema vai tratar 4.700 litros por segundo e abastecer 1,5 milhão de moradores de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista. O governador Geraldo Alckmin anunciou, nesta quinta-feira 10, o início das obras da PPP (Parceria Público-Privada) do Sistema Produtor de Água São Lourenço, em Vargem Grande Paulista. A obra vai ampliar a capacidade de produção de água tratada para a Região Metropolitana de São Paulo em 4.700 litros por segundo. Atualmente, a Sabesp tem capacidade instalada para produzir 73 mil litros de água tratada a cada segundo. Com a entrada do sistema São Lourenço, esse volume chegará a 77.700 L/s. Serão beneficiados diretamente 1,5 milhão de moradores de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista. A iniciativa também trará benefícios indiretos para toda a Região Metropolitana de São Paulo, já que o novo sistema produtor aumentará a oferta de água e será interligado a outros sistemas existentes. “Hoje nasce um novo sistema produtor de abastecimento de água que será importante para toda a metrópole, porque vai aliviar o Sistema Cantareira. Para chegar até aqui, foram mais de dois anos e meio de trabalho, com planejamento, projeto funcional, projeto executivo, outorgas, audiências públicas, licenciamento, preparação da PPP, assinatura de contrato e agora o início das obras”, afirmou Alckmin durante o evento. O investimento de R$ 2,21 bilhões será feito integralmente pela empresa vencedora da licitação. Batizada de Sistema Produtor São Lourenço S.A., ela é uma parceria entre as construtoras Camargo Correa e Andrade Gutierrez. A expectativa é que sejam criados 2.000 empregos diretos e indiretos. A entrada em operação do sistema está prevista para 2017. Com o investimento, a Sabesp vai captar água na represa Cachoeira do França (Ibiúna), que é formada pelo rio Juquiá. É uma obra de grande porte e complexa. Um dos pontos principais é o bombeamento da água para superar o desnível de 300 metros da Serra de Paranapiacaba. A tubulação que levará a água até as residências inclui ainda um túnel de 1.100 metros pela serra e uma passagem por baixo da rodovia Raposo Tavares, por meio de método não destrutivo. Ou seja, não será necessário interromper o tráfego para a execução dessa travessia. Em parte do trajeto, os tubos chegam a ter 2,10 metros de diâmetro. Serão instalados também uma Estação de Tratamento de Água, estações de bombeamento, 83 km de adutoras (grandes tubulações), além de reservatórios para armazenar um total de 110 milhões de litros de água. A nova água vai abastecer o oeste e sudoeste da Grande São Paulo, onde mais cresce a população na metrópole. Serão beneficiados condomínios residenciais...

Leia mais
Abastecimento de água em São Paulo
abr13

Abastecimento de água em São Paulo

Política O governador Geraldo Alckmin nomeou na última quarta-feira, 9, o novo secretário de Saneamento e Recursos Hídricos. O engenheiro Mauro Arce substitui Edson Giriboni, que estava à frente da pasta desde 2011. Com longa dedicação ao serviço público, Mauro Arce tem carreira destacada na Companhia Energética de São Paulo (CESP), onde ocupava a presidência desde 2011. Antes, foi secretário de Estado entre 1998 e 2010, tendo comandado as pastas de Energia, Saneamento e Recursos Hídricos (1998 a 2006) e dos Transportes (2007 a 2010). Também ocupou a presidência da Sabesp entre novembro de 2002 e maio de 2003.   Política O governador Geraldo Alckmin nomeou na última quarta-feira, 9, o novo secretário de Saneamento e Recursos Hídricos. O engenheiro Mauro Arce substitui Edson Giriboni, que estava à frente da pasta desde 2011. Com longa dedicação ao serviço público, Mauro Arce tem carreira destacada na Companhia Energética de São Paulo (CESP), onde ocupava a presidência desde 2011. Antes, foi secretário de Estado entre 1998 e 2010, tendo comandado as pastas de Energia, Saneamento e Recursos Hídricos (1998 a 2006) e dos Transportes (2007 a 2010). Também ocupou a presidência da Sabesp entre novembro de 2002 e maio de 2003. Ministério Público MPE investigará gestão hídrica em São Paulo. Sistema Cantareira passa pela pior crise desde 1970. Promotores do Meio Ambiente decidiram instaurar um inquérito civil para investigar a responsabilidade do governo paulistano pela atual crise hídrica do sistema Cantareira, que ameaça mais de 14 milhões de pessoas de racionamento na Grande São Paulo e na região de Campinas. O Ministério Público Estadual quer apurar também como a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) fez uso da outorga renovada em 2004 para captar água do principal manancial paulista e distribuir na Região Metropolitana. De acordo com reportagem do Estadão, o inquérito foi distribuído para o promotor José Eduardo Ismael Lutti, que já havia manifestado interesse em esclarecer se a Sabesp ou o governo podem ser responsabilizados pela pior seca dos cinco reservatórios que formam o Cantareira. Fonte: Direito...

Leia mais