Esperando pelo CEU
abr30

Esperando pelo CEU

Enquanto o CEU não chega, o C.E.E. Brigadeiro Eduardo Gomes cobre o sol com a peneira. Diretor tenta maquiar estado decadente em que se encontra o clube.

Leia mais
Após dois dias de trabalho e quebradeira, PDE é aprovado em 1ª votação
abr30
Leia mais
Conselho de Ética aprova investigação sobre André Vargas
abr30

Conselho de Ética aprova investigação sobre André Vargas

Iolando Lourenço – Repórter da Agência Brasil Edição: Carolina Pimentel Brasília – Na noite de ontem, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara aprovou, por unanimidade, o parecer preliminar do deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que permite a continuidade do processo disciplinar contra o deputado André Vargas (sem partido-PR), que era vice-presidente da Câmara. Ele renunciou ao cargo após denúncias de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, que foi preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato. O processo pode levar à cassação do mandato de André Vargas. Com a aprovação da admissibilidade do processo, o Conselho de Ética dá início à fase de investigação com a tomada de depoimentos de testemunhas a serem indicadas pelo deputado André Vargas e pelo relator do processo, realização de diligências e abertura de prazo para a defesa do acusado. A representação foi apresentada ao conselho pelos partidos de oposição na Câmara. A votação do parecer pela admissibilidade do processo deveria ter ocorrido na tarde de hoje, mas em função de instrumentos protelatórios foi adiada para após as sessões ordinárias da Câmara. Os integrantes do conselho chegaram a aprovar o parecer no início da noite, mas a votação foi anulada pela Mesa da Câmara, uma vez que ocorreu durante sessão deliberativa da Casa. Por pressão da direção do PT, Vargas que se encontra licenciado do mandato parlamentar, também se desfiliou do partido na semana passada....

Leia mais
Festa junina da Mãe Doca
abr30
Leia mais
A volta de Lula
abr30

A volta de Lula

Gerson Soares As movimentações entre os partidos pela volta de Lula só ratificam o que escreveu Guzzo, na Veja da semana passada. O PT teme por ficar na berlinda, sem os privilégios que conquistou, inclusive para os companheiros mais fieis. Estar no poder durante 11 anos e apresentar o que apresentou, sendo ele, o PT, um partido que clamava por conquistas dos trabalhadores, esqueceram-se dos hospitais, da educação tão decantada nos tempos de oposição, como sendo a solução e da segurança, entre outros inúmeros itens que implicam na governança de uma nação. Os hospitais do país aplicam soro no banheiro, um lugar privilegiado, pois pela falta de lugares a alternativa seria o chão. E isso acontece no Nordeste também, onde se transpõe um rio sobre um enxame de protestos ambientalistas, mas não há esparadrapo para as ataduras. O Brasil das rendas assistencialistas, que significam criança na escola onde falta até giz ou parentes nas cadeias hiperlotadas, é muito diferente daquele país que sai para trabalhar quando a situação fica difícil, cortando o assistencialismo a quem pode exercer um posto de trabalho e dando a quem realmente precisa. Adotando medidas impopulares, porém planejadas por homens imbuídos de brio e patriotismo, como acontece na Inglaterra. Lá o primeiro-ministro vai trabalhar de metrô, aqui um governador tem a audácia de seguir de helicóptero num trajeto menor. Para Dirceu a cadeia foi até reformada, para os outros companheiros a injeção é com agulha torta. A segurança mudou, para pior. Hoje o policial tem medo do bandido, o cidadão precisa se encolher para dar lugar à bandidagem, alguns carregam uma quantia para entregar ao marginal que os interpelar por dinheiro, já que a vida vale menos do que um celular ou tênis de marca. O país vive um momento criado por uma cultura de perda de valores, onde o bom é ruim e o ruim não passa de engano. As ruas estão mostrando ao PT que os tempos estão mudando. A base aliada clama pela volta do guru. Perder as mordomias, nem pensar. É muita mamata conseguida a troco de nada. Apenas pela amizade com o rei ou a rainha. Sendo da corte já está bom. Viver sem patriotismo, sem motivo que valha não é fácil. Mas também não deve ser difícil para muita gente. O amor pelo chão, pela Pátria deveria ser a engrenagem motriz da política, mas não é isso o que acontece no Brasil, caso contrário, não estaríamos vendo tanta corrupção por tantos anos, décadas. “Verás que um filho teu não foge à luta”, é uma frase esquecida, pois a luta com canhões já não existe por aqui. Atualmente essa parte...

Leia mais