Torre Eiffel
jul17
Leia mais
Não esmoreça com prevenção à dengue
jul17

Não esmoreça com prevenção à dengue

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 12h54   Cerca de 70% dos 14.551 casos confirmados se concentram entre o fim de março e início de maio. Em relação à semana passada, o número de confirmações subiu 6,37%. As informações são da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo. Os dados foram publicados no último dia 10 deste mês. O levantamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde mostra que o total de casos de dengue confirmados na cidade de São Paulo neste ano chegou a 14.551. Esse número é 6,37% maior que na semana passada. Mais de dois terços dos casos acumulados do ano (68,35%) se concentra no período de seis semanas entre março e maio*. Com isso, a taxa de incidência (acumulada) da cidade é de 129,3 (casos para cada 100 mil habitantes), considerada média de acordo com o Ministério da Saúde. Como o número de notificações (registros não confirmados) já começa a apresentar queda, desde a semana passada a Secretaria Municipal de Saúde não está fazendo mais a classificação de distritos por estágio de transmissão de dengue. Esta classificação estava sendo feita a partir da incidência acumulada no ano, e não reflete mais a situação atual de baixa transmissão da doença no município. Os números consideram as notificações recebidas nas primeiras 27 semanas epidemiológicas e variam na medida em que os casos registrados pelas unidades de saúde públicas e privadas são confirmados. Apesar do crescimento de casos confirmados nas últimas semanas, o número de notificações começou a desacelerar, e já é possível concluir que o pior período da dengue neste ano já está superado. Isso de acordo com as informações da Prefeitura, porém fica difícil não contestá-lo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dez óbitos por dengue foram registrados na cidade neste ano (um em fevereiro e nove em abril). Conforme tabela fornecida pela SMS, para o cálculo que engloba as primeiras 27 semanas, a incidência da doença em 2010 foi de 5.799 casos, em 2011 de 4.090, 2012 com 1.066, 2013 foram 2.499 e em 2014 os números chegam a 14.551, até agora, beirando seis vezes mais doentes do que no ano passado. Ações de combate Até ontem (16 de julho), novas ações de combate à dengue estavam programadas nas regiões leste, centro-oeste e sul da cidade. Segundo a programação da SMS, na zona leste, mais de 200 agentes nas subprefeituras de Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo, Guaianases, Itaim Paulista, Itaquera, São Mateus e São Miguel Paulista visitarão imóveis para bloqueio de criadouros e nebulizações, além disso, eles também distribuirão toucas para caixas d’água. Na região centro-oeste, as ações serão nas subprefeituras da Lapa e Pinheiros,...

Leia mais
Presidente da China visita o Brasil
jul17

Presidente da China visita o Brasil

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 12h33 Em visita ao Congresso, presidente da China diz que mundo deve buscar multipolaridade. Marcos Magalhães / Agência Senado A promoção da multipolaridade e a democratização das relações internacionais devem estar, neste momento, no centro da agenda global, disse nesta quarta-feira (16) o presidente da República Popular da China, Xin Jinping, em sessão solene no Congresso Nacional. Xi Jinping definiu como prioridades mundiais o desenvolvimento sustentável e a “salvaguarda da diversidade cultural”.     O mundo, segundo o presidente da China, passa por “profundas e complexas mudanças”. O poder dos países emergentes, a seu ver, cresce a cada dia, e a correlação de forças internacionais “evolui para uma direção mais favorável à salvaguarda da paz mundial”. No entanto, advertiu, o mundo ainda está longe de ser tranquilo e sofre as repercussões profundas da crise financeira internacional, além do desequilíbrio de desenvolvimento global, do “crescimento de hegemonia” e do que classificou de “neointervencionismo”. Para enfrentar essa situação, recomendou Xin, China e Brasil – como maiores países em desenvolvimento do Oriente e do Ocidente – devem “cumprir ativamente suas responsabilidades internacionais” para promover o desenvolvimento da ordem internacional em uma direção “mais justa e razoável”. “Devemos reforçar a coordenação e a colaboração nos mecanismos internacionais como a ONU, a OMC, o G-20, o Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e o Basic (Brasil, África do Sul, Índia e China), reunir forças dos países em desenvolvimento e participar ativamente da governança global, a fim de procurar mais direitos institucionais e a voz para países em desenvolvimento”, defendeu Xin Jinping. Brics O presidente chinês esteve no Congresso Nacional depois de participar de dois dias de reuniões do Brics, em Fortaleza e Brasília. Durante o encontro, ficou acertada a criação do Banco de Desenvolvimento do Brics, uma instituição financeira comandada pelos principais países emergentes do mundo que servirá como espécie de contrapartida ao Banco Mundial, sempre comandado pelas principais potências ocidentais. O novo banco terá sede em Xangai, capital financeira da China. Em Brasília, o líder chinês tem encontros previstos com presidentes da América Latina e do Caribe e também faz uma visita de Estado para celebrar os 40 anos do estabelecimento de relações diplomáticas entre Brasília e Beijing. No Salão Verde da Câmara dos Deputados, a poucos metros de onde o presidente chinês fez seu pronunciamento, há uma exposição sobre as relações bilaterais nas últimas quatro décadas, com fotos de encontros como o do então presidente José Sarney com o líder chinês Deng Xiao Ping e do próprio Xin Jinping com a presidente Dilma Rousseff. Em seu pronunciamento, o presidente chinês afirmou que...

Leia mais
Supersimples para todos
jul17

Supersimples para todos

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 12h19 Aprovada ampliação do Supersimples a todo o setor de serviços O Plenário aprovou projeto que amplia o Supersimples a todo o setor de serviços, abrangendo atividades como advocacia, corretagem, medicina e odontologia. A proposta vai a sanção da presidente Dilma. A informação é da Agência Senado.  ...

Leia mais
Propostas sobre empregados domésticos
jul17

Propostas sobre empregados domésticos

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 12h20 Câmara reduz contribuição de patrão e empregado doméstico para o INSS Reportagem – Marcello Larcher Edição – Marcelo Oliveira A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou hoje (15), em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 7082/10, do Senado, que reduz para 6% a alíquota da contribuição previdenciária paga por patrões e empregados domésticos. Atualmente, o índice é de 12% para os empregadores e varia de 8% a 11% para os domésticos, de acordo com o salário. A proposta agora poderá seguir para a sanção da presidente da República, Dilma Rousseff, a menos que haja recurso para que seja votada também em Plenário. É bem provável que seja apresentado recurso, porque o texto vinha sendo colocado em pauta pela CCJ há algumas semanas, mas sem conseguir ser apreciado porque o governo é contrário e tem uma proposta alternativa. Alternativa O líder do PSB, deputado Beto Albuquerque (RS), lembrou, durante a discussão da matéria, que está pronto para ser analisado pelo Plenário o PLP 302/13, que regulamenta os direitos dos domésticos após a aprovação da Emenda Constitucional 72, responsável por estender à categoria benefícios assegurados aos demais trabalhadores. “O Colégio de Líderes está negociando a votação do PLP, que é mais completo, e não deveríamos ter duas propostas sobre o mesmo tema”, disse Albuquerque. A proposta do PLP é reduzir para 8% a contribuição paga pelos empregadores, mas dentro do total de encargos de 20% sobre o salário do trabalhador, incluindo INSS, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e seguro por acidente de trabalho. Como contrapartida, o patrão não será responsável pela multa do FGTS caso venha a demitir o doméstico. O Instituto Doméstica Legal, que reúne patrões e empregados em defesa do emprego doméstico, apoia a medida. O presidente da entidade, Mário Avelino, que estava presente na votação de hoje, lembra que o atraso na regulamentação dos direitos trabalhistas dos domésticos tem aumentado a insegurança dos empregadores e provocado demissões. Guia de Recolhimento Relatora na CCJ, a deputada Sandra Rosado (PSB-RN) votou pela constitucionalidade do PL 7082/10. Entre outros dispositivos, o projeto prevê também a instituição da Guia de Recolhimento de Previdência Social de Doméstico (GPSD), com a inclusão da identificação do empregador domestico. Isso vai permitir à Previdência localizar o patrão, que é quem desconta o INSS do empregado e é responsável pelo recolhimento, facilitando assim o processo. Dedução do IR O mesmo texto retira a possibilidade de o empregador deduzir a contribuição previdenciária no Imposto de Renda. O argumento é que essa dedução beneficia apenas os patrões de maior renda,...

Leia mais
MPF e MPEduc juntos em Juína
jul17

MPF e MPEduc juntos em Juína

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 10h39 MPF e MPE iniciam projeto pela melhoria na educação no município mato-grossense de Juína MPEduc – Duas escolas do município de Juína, distante 750 quilômetros de Cuiabá (MT), receberam a visita do projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc). Os trabalhos foram conduzidos pela procuradora da República Talita de Oliveira e pelo promotor de Justiça Thiago Scarpellini Vieira. Ao longo do dia 23 de maio, os membros do Ministério Público conversaram com a direção e a coordenação da Escola Municipal Padre Anchieta e da Escola Estadual 9 de Maio para apresentar o projeto em prol da melhoria da educação pública.     “O MPEduc é um projeto que reúne dois ramos do Ministério Público, o Federal e o Estadual, para dialogar com toda a comunidade escolar, diretores, pais e alunos, identificar os problemas, as deficiências existentes e exigir melhorias para a educação pública. É nesse momento que o Ministério Público utilizará das ferramentas de atuação que dispõe para cobrar das secretarias municipais ou estaduais e do Governo Federal providências para que o direito à educação pública de qualidade seja, de fato, garantido aos estudantes”, explicou a procuradora da República Talita de Oliveira. O primeiro local visitado em Juína foi a Escola Municipal Padre José de Anchieta. Fundada há 21 anos, em 1998, a escola tem 300 alunos matriculados do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, abrigados em uma estrutura de 12 salas de aula, além de refeitório, quadra poliesportiva, biblioteca, salas de professores e outras dependências de uso comum. Grande parte da escola é feita numa base de alvenaria de cerca de um metro de altura e o restante de madeira, que é bastante utilizada no município por ser uma região madeireira. As paredes e o telhado dão sinais de que precisam de manutenção. Na reunião com os membros do MP, a direção e professores da escola relataram a dificuldade para cumprir a carga horária obrigatória imposta a partir da mudança para o período integral. “A obrigatoriedade de inserir novas matérias e atividades na grade curricular não veio acompanhada de recursos, instrução e nem de capacitação adequada aos professores”, relatou a direção da escola. Um exemplo é a precariedade dos banheiros para atender os alunos que precisam tomar banho na escola. Para atender os 300 alunos, cada banheiro tem apenas cinco duchas plásticas. O piso irregular que empossa a água e um ralo pequeno não dão conta de escoar o volume de água. Por causa do banheiro alagado, alunos deixam de tomar banho. Outro problema é a falta de cobertura na área de recreação onde estão os balanços e outros brinquedos para...

Leia mais
MPEduc é vencedor do II Prêmio da República
jul17

MPEduc é vencedor do II Prêmio da República

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 10h55 O projeto Ministério Público Pela Educação (MPEduc) é vencedor da 2ª edição do Prêmio República de Valorização do Ministério Público Federal, promovido pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). O projeto concorreu com outras oito iniciativas na categoria direitos do cidadão.     A cerimônia de premiação ocorreu na Sala Juca Chaves do Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, em Brasília (DF), em 3 de junho. Foram escolhidas sete ações que se destacaram em cada categoria na defesa da justiça, da cidadania, dos direitos humanos e do estado democrático de direito. Na ocasião, o presidente da ANPR, Alexandre Camanho, destacou a qualidade das iniciativas enviadas pelos colegas e revelou que isso dificultou, de certa forma, o trabalho dos jurados na decisão. O prêmio foi recebido pelo procurador da República em Volta Redonda (RJ) Eduardo El Hage, que inscreveu o projeto para concorrer ao prêmio. MPEduc O Ministério Público pela Educação é um projeto desenvolvido para ser executado em conjunto entre o Ministério Público Federal e o Ministério Público dos Estados, tendo como característica marcante a intenção de estabelecer o Direito à Educação Básica de qualidade como tema prioritário na atuação dos Procuradores da República e Promotores de Justiça. Por meio de um site desenvolvido exclusivamente para esse fim, dados das escolas públicas são colhidos e, de posse desse diagnóstico, providências extrajudiciais são tomadas com o intuito de, em parceria com o gestor publico, implementar melhorias nas políticas públicas na área da educação.     Escolha dos vencedores – Compuseram a Comissão Julgadora o presidente da ANPR, Alexandre Camanho; o diretor de Comunicação da Associação, Alan Mansur; o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; a fundadora da organização Escola de Gente, Cláudia Werneck; o secretário de Reforma do Judiciário, Flávio Crocce Caetano; o ministro do Superior Tribunal de Justiça Herman Benjamin; e o senador Vital do Rêgo...

Leia mais
Manifestação é direito do cidadão
jul17
Leia mais
Menino supera dificuldades e é guia no Guarujá
jul17

Menino supera dificuldades e é guia no Guarujá

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 8h20 Jovem com deficiência visual é guia turístico na Mata Atlântica. “Eu sinto a trilha quando estou na bicicleta, o mar quando surfo, a bola vindo em minha direção no futebol. Não sei explicar como. É um dom”. É assim que Miguel Almeida Flávio, de 15 anos (de azul na foto acima), define a sensação de viver. Ele é o único monitor deficiente visual do Brasil, e seu trabalho é guiar turistas para uma viagem sensorial, em meio à Mata Atlântica, sejam eles deficientes ou não. Um programa de capacitação da Prefeitura de Guarujá, no Litoral paulista cuidou do treinamento de Miguel.     A resposta desse ineditismo está na inclusão, tanto de Miguel, como de turistas que apresentem deficiências sensoriais, mas também atinge outros turistas que queiram viver uma experiência diferente: sentir a natureza e captar sons e sensações táteis. Deficiência visual Miguel é praticamente cego desde os primeiros meses de vida. Hoje tem apenas 5% da visão esquerda e 10% da direita. Ele mora na comunidade da Prainha Branca, próxima à trilha. As marcações No acesso à trilha, Perto do Rio Bertioga, tem uma escada de 500 metros. A trilha em si tem 25 metros, onde há uma corda com nós, que serve de orientação. Cada nó é uma parada, onde Miguel descreve o local; é um ponto de observação, onde ele explica o que existe ali. Por exemplo, o solo tem uma camada orgânica, onde os turistas são convidados a tocar o solo, sentir o cheiro da terra… Neste local, ele explica a composição das folhas que se transformam em sementes e matérias orgânicas. A lição desse trecho é de que a natureza não morre, mas é transformada em novas sementes e árvores, onde a vida nasce de novo. No próximo nó, algumas pedras e folhas de tipos diferentes, onde fica uma toca de tatu… E mais uma vez, as pessoas podem tocar nas pedras, folhagens e até dentro da toca.     Recepção Os turistas são recebidos por Miguel e pela mãe dele. As turmas são de até cinco pessoas e o dinheiro arrecadado é do Miguel – a prefeitura não fica com nada. O projeto Foi em 2009 que a Prefeitura de Guarujá ofereceu o curso de monitor local a 25 moradores da Prainha Branca e Serra do Guararu. Miguel, que na época tinha 12 anos e 40% da visão (hoje tem apenas 5%), optou por fazer parte da turma durante 2 meses. O curso contou com a parceria das Forças Armadas, Governo do Estado, ONGs, Sebrae e agências de ecoturismo. A ideia foi garantir a qualificação...

Leia mais
A revolução silenciosa das energias renováveis
jul17

A revolução silenciosa das energias renováveis

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 7h10 Ricardo Abramovay Grandes saltos tecnológicos estão derrubando drasticamente custos da geração eólica e solar. Mas mega-corporações resistem às fontes limpas e decentralizadas. A renovação do Protocolo de Quioto não pode ser o objetivo dos países em desenvolvimento nas duas próximas conferências do clima, a que acontece em dezembro deste ano em Lima e a de 2015, em Paris, onde se espera um novo acordo global. A afirmação é chocante, uma vez que Quioto apoia-se em dois princípios aparentemente incontestáveis, sob o ângulo da justiça ambiental. O primeiro é que embora as responsabilidades pela redução nas emissões de gases de efeito estufa sejam comuns, elas devem ser diferenciadas: quem mais emite hoje e mais emitiu no passado deve obter as menores possibilidades de continuar lançando na atmosfera os gases que respondem pelo aquecimento global. Se há lugar remanescente para emissões este deve ser preenchido pelos países cuja ocupação do espaço carbono foi, até aqui, relativamente baixa. Disso decorre o segundo princípio que distingue países que historicamente mais emitiram (os do Anexo I, no jargão da diplomacia do clima) e os outros (não Anexo I). Os países do Anexo I deveriam, pelas regras de Quioto, ter responsabilidades legalmente obrigatórias de reduzir as emissões, enquanto que para os demais os compromissos seriam bem mais tênues.       Até recentemente, estes princípios e a diferenciação deles decorrente poderiam ser defendidos sobre a base da constatação de que as formas predatórias de acesso à energia eram as mais baratas: carvão, petróleo, gás e hidrelétricas construídas em situações que comprometem os serviços ecossistêmicos correspondiam à maneira mais acessível de garantir o direito à energia elétrica a populações pobres. E é sobre a base deste argumento que se intensifica a pressão sobre as áreas de reserva na Amazônia, bem como para novos empreendimentos em petróleo, gás e carvão, no mundo todo e em particular na América Latina. O que fica cada vez mais evidente, a partir do início da atual década é que este argumento vai deixando de ser verdadeiro. O avanço recente nas energias renováveis modernas (solar, eólica, biomassa e geotérmica) está superando as mais otimistas expectativas. E parte decisiva deste avanço ocorre acoplada à própria revolução digital, dando lugar a um processo inédito e altamente promissor de descentralização na maneira como, desde o início do século XX, a energia foi gerida. *Ricardo Abramovay é professor Titular do Departamento de Economia da FEA/USP Fonte: Rebia – original em Outras...

Leia mais
Problemas renais em crianças
jul17

Problemas renais em crianças

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 6h49 Identificadas mutações relacionadas com o tumor de Wilms Por Karina Toledo Agência FAPESP – Em uma pesquisa com resultados publicados na edição de junho da revista Nature Communications, pesquisadores do A.C. Camargo Cancer Center identificaram um conjunto de mutações relacionado ao desenvolvimento do tumor de Wilms – a neoplasia renal mais frequente em crianças. A descoberta abre caminho para o desenvolvimento de novas terapias e novos métodos para diagnosticar a doença mais precocemente. “Atualmente, o diagnóstico só é possível quando já há uma massa tumoral palpável. Mas, se conseguirmos meios para identificar a neoplasia em uma etapa mais inicial, a intensidade do tratamento e dos efeitos colaterais poderá ser significativamente reduzida”, disse Dirce Maria Carraro, líder do Laboratório de Genômica e Biologia Molecular do A.C. Camargo Cancer Center e coordenadora da pesquisa apoiada pela FAPESP. De acordo com Carraro, esse tipo de câncer acomete uma em cada 10 mil crianças no mundo – a maioria na faixa etária de 2 a 4 anos. O tumor pode aparecer em qualquer parte de um dos rins e, em 5% dos casos, é bilateral. O tratamento geralmente envolve uma cirurgia para a retirada do órgão afetado, além de quimioterapia e – em casos mais avançados – radioterapia. A intensidade do tratamento quimioterápico depende da extensão da lesão. “O prognóstico costuma ser bom, com taxas de cura em torno de 80%. Mas muitos pacientes sofrem com os efeitos tardios do tratamento. Os mais comuns são distúrbios cardíacos, perturbações musculoesqueléticas e desenvolvimento de um segundo tumor. Por esse motivo, muitas pesquisas buscam marcadores que permitam saber quando, de fato, é necessário intensificar o tratamento”, contou Carraro. Biogênese de microRNA Antes do estudo recém-publicado pela equipe do A.C. Camargo, mutações genéticas relevantes haviam sido identificadas em apenas 30% dos tumores de Wilms estudados, principalmente nos genes WT1, WTX e beta-catenina. “Isso significa que em 70% dos casos não havia sido encontrada nenhuma alteração genética que justificasse o aparecimento do tumor”, disse Carraro. Com o objetivo de encontrar novas mutações somáticas (presente apenas no tumor e não nas linhagens germinativas dos pacientes) relacionadas à doença, o grupo realizou o sequenciamento completo do exoma (parte do genoma onde estão os genes codificadores de proteínas) do tumor de um paciente atendido no hospital. Também foram sequenciados o exoma dos leucócitos do sangue da criança e dos pais. “O objetivo era identificar mutações presentes apenas no tumor, ou seja, aquelas mutações adquiridas durante o processo de formação do tumor”, disse Carraro. Chamou a atenção dos pesquisadores uma mutação observada em um domínio importante da proteína codificada pelo gene DROSHA, que tem...

Leia mais
Medalhas de Matemática
jul17

Medalhas de Matemática

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 6h08 Equipe brasileira conquista cinco medalhas na Olimpíada Internacional de Matemática Agência FAPESP – O Brasil ganhou medalhas pelo menos em uma competição internacional no último fim de semana. Foi na 55ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO), realizada na Cidade do Cabo, África do Sul, com a conquista de cinco medalhas.     Murilo Corato Zanarella (16 anos), Rodrigo Sanches Ângelo (18 anos), de São Paulo, e Daniel Lima Braga (16 anos), do Ceará, ficaram com medalhas de prata. Victor Oliveira Reis (17 anos), de Pernambuco, e Alexandre Perozim de Faveri (17 anos), de São Paulo, voltaram com bronze. Alessandro de Oliveira Pacanowski (18 anos), do Rio de Janeiro, recebeu uma menção honrosa. As provas foram realizadas na University of Cape Town. Os estudantes tiveram 4 horas e 30 minutos, em cada dia, para resolver três problemas de matemática com valor de sete pontos cada. Os problemas da prova, resolvidos individualmente, foram selecionados a partir de diferentes áreas da matemática do ensino médio, como álgebra, combinatória, geometria e teoria dos números. As provas da olimpíada são sempre definidas dessa forma para que todas essas áreas estejam representadas. A Olimpíada Internacional de Matemática é realizada desde 1959 no mês de julho, cada ano em um país, e envolve a participação de jovens estudantes com até 19 anos e que não tenham ingressado na universidade. Este ano o evento foi disputado pela primeira vez no continente africano registrando um recorde de participantes. Ao todo foram 560 estudantes de 101 países. Com as cinco medalhas, o Brasil ficou na 34ª posição. A olimpíada de 2015 será realizada em Chiang Mai, na Tailândia. Desde 1979, o Brasil conquistou um total de 110 medalhas, sendo 9 de ouro, 33 de prata e 68 de bronze, o que o torna o país latino-americano com o melhor retrospecto na história da competição. A escolha dos estudantes que representam o Brasil na IMO 2014 foi feita a partir dos vencedores da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Mais informações:...

Leia mais
FAPESP e MIT lançam nova chamada de propostas
jul17

FAPESP e MIT lançam nova chamada de propostas

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 6h09 Agência FAPESP – A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, lançam nova chamada de propostas para intercâmbio de pesquisadores. É a quinta chamada no âmbito do acordo de cooperação entre as instituições.     Podem participar pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior ou pesquisa, públicas ou privadas, no Estado de São Paulo, que sejam pesquisadores responsáveis ou pesquisadores principais de auxílios apoiados pela FAPESP e vigentes nas modalidades Auxílio à Pesquisa – Regular, Auxílio à Pesquisa – Projetos Temáticos, Apoio a Jovens Pesquisadores ou Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID). Pelo lado do MIT, podem participar pesquisadores vinculados ao instituto de acordo com os critérios de elegibilidade do MIT Brazil Seed Fund Program. A chamada está aberta a propostas em todas as áreas do conhecimento. As propostas serão recebidas pela FAPESP até o dia 22 de setembro de 2014. A execução de cada proposta deverá ocorrer no período de janeiro de 2015 a agosto de 2016. FAPESP e MIT apoiarão as propostas selecionadas com recursos combinados de até US$ 30 mil por projeto (US$ 20 mil para pesquisadores e pós-doutorandos e US$ 10 mil para graduados ou estudantes de graduação), durante a vigência estabelecida na concessão, destinados necessariamente e exclusivamente a despesas de mobilidade (passagens, diárias e seguro-saúde) e nos termos do acordo entre as instituições. As propostas devem ser apresentadas simultaneamente pelo pesquisador do Estado de São Paulo à FAPESP e pelo seu colaborador nos Estados Unidos ao MIT. Cada uma das partes efetuará a seleção das propostas segundo sua sistemática de análise. Somente as propostas aprovadas por ambas as partes serão financiadas. Mais informações sobre a chamada:...

Leia mais
EESC-USP terá laboratório sobre exploração do pré-sal
jul17

EESC-USP terá laboratório sobre exploração do pré-sal

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 5h57 Agência FAPESP – A Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP) vai inaugurar, no dia 4 de setembro, o Laboratório de Escoamentos Multifásicos Industriais (Lemi). Com financiamento da Petrobras, o laboratório desenvolverá tecnologias para soluções de exploração e produção com aplicações no pré-sal.     O laboratório pretende viabilizar a simulação de processos que envolvam escoamentos multifásicos em alta pressão – fase da produção em que há mistura de petróleo e bolhas de gás dióxido de carbono denso. A intenção é reproduzir os métodos da indústria petrolífera, utilizando técnicas que se aproximem das dimensões físicas da produção industrial Novos equipamentos com tecnologia de ponta também serão adquiridos para o laboratório, como um Particle Image Velocimetry, para medição de fluxo, uma câmera filmadora de alta velocidade e um anemômetro por laser Doppler (LDA, na sigla em inglês), que realiza medições locais instantâneas e precisas de velocidade do escoamento. Um densitômetro de raios gama dual source também está sendo importado para fazer medições de propriedades do escoamento por meio de técnicas nucleares. Dois novos projetos em processo de formalização, envolvendo a Petrobras e a British Gas, produtora de gás natural, devem inaugurar as atividades do Lemi. Apesar de a Petrobras ter financiado o projeto do laboratório, não há contrato de exclusividade com a empresa e demandas de outras empresas também poderão gerar pesquisas. Os convênios firmados serão de cooperação para desenvolvimento de pesquisa tecnológica e inovação e contarão com a participação de alunos de pós-graduação. O prédio do Lemi, de 2 mil metros quadrados, localizado no campus 2 da USP de São Carlos, está em fase de...

Leia mais