Ronaldo Jacaré afia as presas para Gegard Mousasi
ago08

Ronaldo Jacaré afia as presas para Gegard Mousasi

Sexta-feira, 8 de agosto de 2014 às 17h50   Brasileiro faz a luta principal do UFC Fight Night 50, que acontece no próximo dia 5 de setembro, em Los Angeles. Vitória o colocará em rota de colisão com o detentor do cinturão dos pesos médios do evento. Falta menos de um mês para o próximo desafio de Ronaldo Jacaré no MMA. No próximo dia 5 de setembro, o brasileiro enfrentará o iraniano radicado na Holanda Gegard Mousasi, na luta principal do UFC Fight Night 50, que acontece em Los Angeles, na Califórnia. O capixaba de Cariacica ocupa o quarto lugar no ranking do evento. Caso vença a disputa contra Gegard, Ronaldo estará apto a desafiar o campeão da categoria dos pesos médios (84kg), que sairá do combate entre o norte-americano Chris Weidman e o brasileiro Vitor Belfort, que acontece em dezembro.     “Primeiro a gente tem que trabalhar para depois reivindicar alguma coisa. Meu foco é treinar para chegar forte na luta contra Gegard. Tenho certeza que vencerei essa disputa e depois vou buscar o cinturão, porque ninguém vai me parar nessa categoria. Será um combate muito importante para a minha carreira”, observa Ronaldo Jacaré. Segundo a assessoria do lutador, o Brasil é reconhecidamente uma fábrica de talentos de MMA e a produção continua a todo vapor. Uma nova safra de lutadores vem ganhando espaço, principalmente dentro do UFC e o nome de Ronaldo de Souza se destaca como um dos mais sérios candidatos a títulos dentro do evento. Pentacampeão mundial de jiu-jitsu, bicampeão do ADCC (evento de submission – jiu-jitsu sem quimono), Jacaré é um exímio finalizador. Com 20 vitórias no cartel e apenas três derrotas, uma delas para Mousasi, em 2008. Ronaldo afirma não pensar na luta como uma revanche. ‘’O jornal de ontem ninguém quer ler, só serve para embrulhar peixe, não é? Então, não me importo com o passado. Olho apenas para o futuro e nele só vejo vitória. A minha preparação é para estar cem por cento em tudo. O Gegard é um lutador completo, especialista em muay thai. Estou pronto para todo tipo de combate, tenho treinado muito o boxe, o judô e a luta livre, para chegar lá e surpreender meu oponente, mas não dá para negar as minhas origens. Minha especialidade sempre será o jiu-jitsu’’, lembra o Capixaba. A rotina de treinos vem sendo pesada. Comandada pelo técnico Josuel Distak, pelo preparador físico Rogério Camões e por Sylvio Behring, mestre de Jiu-jitsu, Jacaré ainda conta com os valiosos conselhos de ex-campeões como Pedro Rizzo e Anderson Silva....

Leia mais
Venom GT – o carro mais rápido do mundo
ago08
Leia mais
Eleições 2014, conheça todos os candidatos
ago08

Eleições 2014, conheça todos os candidatos

Sexta-feira, 8 de agosto de 2014 às 12h19   As eleições batem à porta, é hora de estudar, de conhecer, se aprofundar na política. Escolher os governantes chamados majoritários, que aceitem ser responsabilizados e responsabilizá-los por mais um fracasso ou então pelas reais mudanças progressistas e ao mesmo tempo sustentáveis que levem o país ao reconhecimento mundial de plena e grande Nação. Lugar jamais ocupado pelo gigante da América do Sul. Vale lembrar: O 1º turno das eleições irá ocorrer no dia 5 de outubro e o 2º turno no dia 26 de outubro de 2014. O pleito vai eleger o presidente e vice-presidente da República, deputados federais, senadores, governadores e vice-governadores, deputados estaduais; o governador e vice-governador do Distrito Federal e os deputados do Distrito Federal. Saiba mais sobre as eleições acessando o site: Eleições 2014. Neste site você pode conhecer todos os candidatos ao pleito de 2014 e os partidos aos quais estão filiados. No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o eleitor também encontrará outros...

Leia mais
Sonegômetro versus Impostômetro?
ago08

Sonegômetro versus Impostômetro?

Sexta-feira, 8 de agosto de 2014 às 09h23 – Atualizado às 12h01   Gerson Soares O Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz) mostra o sonegômetro em Brasília – DF, enquanto a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) expõe há muito mais tempo o impostômetro no centro da capital paulistana. O primeiro mostra o quanto é sonegado em impostos no país enfatizando toda sua indignação. Por sua vez, o segundo mais ainda se indigna diante do que é cobrado e o quanto é oferecido em troca de tão altas taxas de impostos, as mais altas do mundo, além de toda a burocracia que as envolve. Na balança o governo leva vantagem, já que com sua volúpia arrecada três vezes mais do que lhe é sonegado, se compararmos os 978.612 bilhões do impostômetro contra os 304 bilhões do sonegômetro, exibidos no final da tarde de ontem. Por outro lado, nada disso precisaria estar sendo mostrado, nem tampouco deveriam os painéis servir para a inevitável comparação, diante da iniciativa do Sinprofaz. A proposta do sindicato, que tem como base a reforma tributária e o combate à sonegação, pode levar a outras iniciativas que mostrarão números espantosos se forem criados os corruptômetro, surrupiômetro (até de merenda escolar e verbas hospitalares!), vergonhômetro, malandrômetro e finalmente o roubômetro. A soma de todos, criaria o privilegiômetro que daria origem ao impunetrômetro. A ideia dos procurados da Fazenda Nacional é meritória, e chama atenção também para a falta de organização e gestão eficiente. Faz lembrar que o motivo da existência desses tipos de painéis é uma arrecadação injusta, desequilibrada, indistinta aos vários extratos sociais, níveis de salários e lucros, já que de pobres a ricos no Brasil, todos pagam os mesmos impostos quando vão ao supermercado, por exemplo. No centro da questão está a classe média que paga a conta e também mereceria a correta cobrança de impostos de acordo com os ganhos e não pela sua posição na pirâmide econômica. Se todos pagassem a justa contribuição, os sonegadores deveriam ser punidos como querem os procuradores e seria correto. Mas não é o que acontece, quem pode sonega mais e quem recebe na folha de pagamento não tem para onde escapar. Os informais se esgueiram e no final da contabilidade quem perde é o Brasil como um todo. Enquanto os governos eleitos não tomarem as rédeas da justiça social de forma abrangente, encarando o país como uma Nação e não como um cofre, um saco sem fundo, de onde brotam malandragens e fortunas para os bolsos dos desonestos, não haverá progresso e continuaremos perdendo tempo, patinando na história das intermináveis décadas em que promessas se...

Leia mais