Buraco negro na Via Láctea
set17

Buraco negro na Via Láctea

  Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 21h25 Astrônomos usando dados do Telescópio Espacial Hubble da NASA e da observação do solo encontraram um objeto improvável em um lugar improvável: um buraco negro monstro escondido dentro de uma das galáxias mais ínfimas já conhecidas.     O buraco negro tem cinco vezes a massa do centro da nossa galáxia, a Via Láctea. Está inserido numa das galáxias mais densas conhecidas até agora – a galáxia anã M60-UCD1 composta por 140 milhões de estrelas dentro de um diâmetro de cerca de 300 anos-luz, que é de apenas 1/500 do diâmetro da nossa galáxia. O buraco negro no centro da Via Láctea tem a massa de quatro milhões de sóis. A imagem foi captada no dia 10 de setembro de 2014, mas só foi divulgada hoje...

Leia mais
Semana da Mobilidade Urbana
set17

Semana da Mobilidade Urbana

  Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 20h49 Faixas exclusivas aumentam velocidade dos ônibus e economizam tempo de usuários Desde o início do ano passado, a Prefeitura implementou 357,5 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus em toda a cidade. Dois estudos da CET apontam melhora significativa da velocidade dos coletivos e economia de tempo para os usuários. SECOM – A criação de faixas exclusivas para ônibus aumentaram a velocidade dos coletivos e economia de tempo para usuários do sistema na cidade de São Paulo, segundo estudos realizados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Atualmente, São Paulo conta com mais de 440 quilômetros de vias segregadas à direita, sendo que desde janeiro do ano passado, com a operação “Dá Licença para o Ônibus”, foram implantados 357,5 quilômetros. O transporte coletivo é um dos temas em discussão na Semana da Mobilidade 2014 Um estudo divulgado no início de dezembro do ano passado pela CET apontou que, em um universo de 291 quilômetros de faixas implementadas até então, a velocidade média dos ônibus havia crescido em 45,1%, saltando de 14,2 km/h para 20,6 Km/h. O segundo levantamento da CET divulgado no início de setembro mostrou que a velocidade média dos ônibus que circulam por 66 trechos de faixas exclusivas implantados neste ano aumentou em 68,7%, passando de 12,4 Km/h para 20,8 Km/h. O levantamento apontou melhora da velocidade em todos os trechos pesquisados. A menor alteração foi o aumento de 7,8% da velocidade na Avenida Orlando Garcia de Oliveira, na zona oeste, e as maiores na Rua Voluntários da Pátria, com melhora de 269,4%, e na ponte do Jaguaré, com 317,3%. A economia média é de 38 minutos por dia, chegando a mais de quatro horas por semana. Em alguns itinerários, a vantagem é ainda maior. Mudança cultural Por conta do aumento das faixas exclusivas a partir do início de 2013, algumas pessoas optaram pelo ônibus como meio de transporte. A produtora de televisão, Marina Pereira, 24 anos, que mora na Vila Mariana e trabalha na região do Paraíso, foi uma das paulistanas que passou a utilizar os ônibus após a implementação das faixas exclusivas. “Depois das faixas, desisti do carro. Percebi que era mais rápido vir com o ônibus do que com o carro. É claro que tem problemas como a lotação, que é muito grande, principalmente, nos horários de pico, mas é uma opção mais rápida com certeza”, disse. Táxis nas faixas A Prefeitura liberou, no último dia 13, todos os 440 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus existentes na cidade e as que serão criadas pela Prefeitura aos mais de 33 mil táxis de São Paulo em qualquer...

Leia mais
Virada esportiva começa neste sábado
set17

Virada esportiva começa neste sábado

  Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 20h19 Evento esportivo mobiliza diversos órgãos públicos Para que tudo funcione, um batalhão de servidores trabalha antes e durante a Virada PMSP – Agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Guarda Civil Metropolitana (GCM), da Polícia Militar, dos Bombeiros, funcionários das subprefeituras e agentes de limpeza urbana são alguns exemplos da importância do trabalho conjunto entre a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação (SEME) e diversos órgãos públicos para a realização da Virada Esportiva.     De acordo com a organização do evento, cinco meses antes têm início o “desenho” da programação que, na sequência, é apresentada às demais secretarias ou órgãos das administrações municipal e estadual para os possíveis esclarecimentos ou mudanças. Definida a programação, começam então as vistorias nos locais que receberão a Virada e reuniões específicas de acordo com o grau de complexidade da atividade. Para que os participantes possam aproveitar ao máximo, mas sem que isso prejudique as rotinas da cidade, ruas são fechadas, sinalização especial é colocada nos locais e equipes de apoio são especialmente orientadas para que tudo transcorra da melhor maneira possível. “Felizmente a Virada Esportiva, apesar de ser um evento bastante grande, tem transcorrido dentro da normalidade”, lembra o secretário de Esportes, Lazer e Recreação, Celso Jatene. “E isso só é possível com o planejamento antecipado e a dedicação das equipes”. Em alguns casos, por exemplo, linhas de ônibus têm os trajetos alterados, algumas regiões recebem iluminação especial e reforço na segurança, e rotas que garantem a manutenção de outros serviços públicos, como o acesso aos hospitais, são implantadas.   Clique, divirta-se conhecendo a programação completa e prepare o aquecimento!...

Leia mais
Paulo Roberto Costa depõe (silencia) na CPI
set17

Paulo Roberto Costa depõe (silencia) na CPI

  Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 19h59   Silêncio de Paulo Roberto Costa frustra CPI. Ex-contadora de doleiro vai depor. Agência Senado Por Anderson Vieira e Larissa Bortoni O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa não respondeu a uma única pergunta durante o depoimento à CPI Mista, nesta quarta-feira (17). O executivo, que deveria ter sido ouvido como investigado, fez uso do direito de não produzir provas contra ele. Nem ao menos confirmou se fechou um acordo com a justiça para dizer o que sabe sobre corrupção na Petrobras, lavagem de dinheiro e remessa ilegal de recursos ao exterior, em troca de redução de eventuais penas. O presidente da CPI Mista, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) considerou a reunião frustrante e lamentou que Paulo Roberto Costa tenha concordado em colaborar com a justiça, mas não com a comissão de inquérito. Segundo Vital, o próximo passo será sensibilizar o Supremo Tribunal Federal para que seja compartilhada toda a documentação resultante da delação premiada do ex-funcionário da Petrobras. O encontro com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, está previsto para a próxima terça-feira (23), às 18h. “Se a gente não trouxesse o Paulo Roberto, seríamos criticados por estarmos sendo omissos. Não admitimos nenhuma crítica à nossa posição. Nos posicionamos de forma muito presente e determinada em trazer aqui aquele que poderia colaborar com a CPI. Só que ele utilizou uma garantia constitucional, que todo acusado tem, de não produzir provas contra si”, resumiu Vital do Rêgo. O relator da comissão, deputado Marco Maia (PT-RS), esperava que Paulo Roberto Costa pudesse colaborar e considerou lamentável a opção pelo silêncio, inclusive em questões não relacionadas à delação premiada. “De qualquer forma, vamos continuar o trabalho. Temos muita informação. Todos os dias chegam novos documentos e nós vamos continuar trabalhando. Não descarto que o Paulo Roberto Costa, depois que nós tenhamos as informações da delação premiada, retorne a esta CPI para tratar sobre os temas da delação”, informou. Palanque político Diante do silêncio de Paulo Roberto Costa, a reunião da CPI Mista da Petrobras se transformou em um ringue verbal entre oposição e bancada governista. O deputado Antônio Imbassahy (PSDB-BA) disse que a presidente Dilma Rousseff foi um fracasso como presidente do Conselho de Administração da Petrobras, função que ela ocupou durante o governo Lula. “A presidente Dilma fracassou ao dirigir a Petrobras e, com isso, também demonstrou a sua incapacidade para presidir o Brasil. O que nós queremos é uma mudança na conduta e ética na política brasileira”, atacou. Em resposta, o deputado Afonso Florence (PT-BA), afirmou que o Partido dos Trabalhadores e o governo federal têm todo interesse...

Leia mais
Fermel é exemplo no PIPE
set17
Leia mais
Saldo da balança comercial atinge US$ 8,03 bilhões
set17

Saldo da balança comercial atinge US$ 8,03 bilhões

Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 19h18 De janeiro a agosto de 2014 as exportações do Estado de São Paulo somaram US$ 33,87 bilhões (22% do total nacional) e as importações, US$ 56,86 bilhões (37% do total nacional), registrando um déficit de US$ 22,99 bilhões, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O agronegócio apresentou exportações decrescentes (-14,2%), atingindo US$ 12,11 bilhões, enquanto as importações setoriais tiveram acréscimo (+1,2%), somando US$ 4,08 bilhões, resultando em diminuição de 20,4% no saldo comercial em relação aos oito primeiros meses de 2013, atingindo US$ 8,03 bilhões.     Há que se destacar que as importações paulistas nos demais setores, excluindo o agronegócio, somaram US$ 52,78 bilhões para exportações de US$ 21,76 bilhões, gerando um déficit externo desse agregado de US$ 31,02 bilhões. “Assim, podemos concluir que o déficit do comércio exterior paulista só não foi maior devido ao desempenho do agronegócio estadual, cujo saldo manteve-se positivo, embora decrescente”, afirma José Roberto Vicente, pesquisador do IEA. A participação das exportações do agronegócio paulista no total do Estado retrocedeu 2,4%, enquanto as importações apresentaram aumento de 0,5% na comparação do período janeiro-agosto de 2014 com o de 2013. A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 0,25 bilhão de janeiro a agosto de 2014, com exportações de US$ 154,02 bilhões e importações de US$ 153,77 bilhões. O superávit comercial ocorreu em função de queda nas exportações (-1,7%) inferior à das importações (-4,1%). Em relação ao agronegócio brasileiro, as exportações setoriais de São Paulo representaram 17,9%, ou seja, 2,6% a menos que nos oito primeiros meses de 2013, enquanto as importações representaram 36,3%, percentual superior ao verificado no ano passado...

Leia mais
O velho centro e a decadência em SP
set17
Leia mais
São Paulo é o Brasil, dos sem isso ou aquilo
set17
Leia mais