Geraldo Alckmin lidera em SP, com 49%
set20
Leia mais
Saiba o que cada candidato propõe sobre o tema moradia
set20
Leia mais
Poderoso e pulsante Núcleo de Estrela
set20
Leia mais
Nasa lança desafio para futuras missões em Marte
set20

Nasa lança desafio para futuras missões em Marte

  Sábado, 20 de setembro de 2014, às 19h22 Desafio Balanço de Massa da NASA: Usando o “Peso Morto” da nave espacial em Marte para o avanço da ciência e tecnologia. Edição: Alô São Paulo A Nasa lançou o desafio neste sábado (20) e seu objetivo é desenvolver ideias de como a agência aeroespacial americana pode tornar viável a entrada, descida e o balanço de massa de carga útil para pousos numa futura missão científica ou tecnológica a Marte.     A pergunta que a NASA pretende responder é: “Se você tivesse até 150 kg de massa ejetável antes da entrada e mais 150 kg na fase de entrada e desembarque de uma missão a Marte, o que você poderia fazer com ela de modo útil e que ampliasse o conhecimento em uma forma científica ou tecnológica?” Este é um desafio teórico que requer apenas uma proposta por escrito para ser apresentado. Ideias, desenhos e procedimentos detalhados também serão necessários. A NASA está à procura de conceitos que expandam o conhecimento científico ou capacidades tecnológicas e ao mesmo tempo possuam um alto grau de praticidade. As ideias são bem-vindas de todas as disciplinas. As inscrições estão abertas a partir de hoje e vão até o dia 21 de novembro de 2014. Com prêmios de US$ 20 mil, tem como patrocinador e organizador o programa de exploração de Marte (Office of the Chief Technologist and SMD Mars Exploration Program).   Para saber mais aperte o botão (informações em...

Leia mais
Cerrado: hotspot mundial de biodiversidade
set20
Leia mais
Campanha destaca papel do jornalismo científico no controle do ebola
set20
Leia mais
Pesquisas sobre Alzheimer em SP são internaciolizadas
set20

Pesquisas sobre Alzheimer em SP são internaciolizadas

Sábado, 20 de setembro de 2014, às 12h03 Pesquisas feitas em São Paulo sobre Alzheimer integram base de dados internacional. Por Diego Freire Agência FAPESP – Projetos de pesquisa com auxílio ou bolsa da FAPESP na área de Alzheimer passaram a integrar a base de dados do International Alzheimer’s Disease Research Portfolio (IADRP), desenvolvido pelos National Institutes of Health (NIH), dos Estados Unidos, em parceria com a organização não governamental norte-americana Alzheimer’s Association.     A inclusão ocorreu após convite da instituição norte-americana e envolveu a equipe da Biblioteca Virtual da FAPESP na organização dos dados das pesquisas seguindo os padrões da base internacional. “É uma maneira de levarmos a ciência do Estado de São Paulo para o mundo neste momento de internacionalização do conhecimento científico, apresentando a um público internacional o trabalho que nossos pesquisadores estão desenvolvendo com o apoio da FAPESP”, disse Rosaly Favero Krzyzanowski, coordenadora da BV-FAPESP. As informações de 246 projetos de pesquisa em São Paulo já estão disponíveis para acesso no IADRP. De acordo com Diego Ucha, analista de sistemas da BV-FAPESP, os dados serão continuamente atualizados. “Começamos com os projetos que possuíam informações em inglês, seguindo critérios estabelecidos pelo IADRP, e continuaremos alimentando a base de dados com novas pesquisas na área.” O IADRP reúne informações de 23 organizações sobre pesquisas na área. A FAPESP é a primeira instituição brasileira a participar, integrando o Brasil ao grupo de países com pesquisas indexadas na base internacional – composto por Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, Polônia e Itália. Os resultados de consultas feitas no IADRP apresentam os dados principais da pesquisa e encaminham o usuário à BV-FAPESP, onde é possível acessar a informação completa. “Trata-se de um apontamento vindo de um site governamental, o que aumenta a relevância dos resultados da BV-FAPESP nos sistemas de busca e dá maior visibilidade às pesquisas realizadas no Estado de São Paulo”, explicou Ucha. O sistema da BV-FAPESP facilitou a reunião dos dados e sua disponibilização na base internacional. “Isso só foi possível graças ao trabalho que precedeu o processo e à curadoria de metadados da BV, que levou ao refinamento do sistema e nos possibilitou identificar as informações com precisão”, disse Ucha. Após a identificação dos dados das pesquisas pela equipe da BV, o conteúdo selecionado passou pela supervisão de Carlos Eduardo Negrão, da Coordenação Adjunta de Ciências da Vida da FAPESP, e foi então ajustado pela equipe do IADRP para indexação. “As informações revelam a relevância que a FAPESP dá ao financiamento de pesquisas em uma área tão importante quanto a das doenças degenerativas, em especial o Alzheimer, e ampliam o alcance do conhecimento científico gerado...

Leia mais
SP tem 85 telecentros gratuitos, veja a lista
set20
Leia mais
Semana da Mobilidade vai até dia 25
set20
Leia mais