Ciclistas urbanos serão monitorados
set23

Ciclistas urbanos serão monitorados

Segunda-feira, 23 de setembro de 2014, às 18h47   Durante a atividade física o corpo necessita de uma maior oxigenação, ou seja, ser melhor ventilado. Entretanto, em locais com grande concentração de poluentes como os centros urbanos, ocorre, juntamente com o acréscimo de oxigênio, um aumento de poluentes inalados. Foi com esta preocupação que, durante pesquisa da fisioterapeuta Izabela Cozza sobre o papel da ventilação na inalação de poluentes, surgiu a ideia de monitorar os ciclistas urbanos. Leia amanhã, a reportagem completa de Juliana Pinheiro Prado   Leia a reportagem completa: Projeto Pedal vai monitorar a saúde de ciclistas...

Leia mais
Cúpula do Clima 2014 em NY
set23
Leia mais
Marina se recusa a atacar concorrentes e reafirma manutenção de programas sociais
set23

Marina se recusa a atacar concorrentes e reafirma manutenção de programas sociais

Segunda-feira, 23 de setembro de 2014, às 17h01 “Não podemos continuar com a cultura da polarização”, afirma em Brasília. Candidata à Presidência da República pela Coligação Unidos pelo Brasil, Marina Silva reafirmou nesta segunda-feira (22) a necessidade de um debate programático em torno dos problemas do Brasil e alertou para as distorções impostas pela tradicional polarização entre PT e PSDB. Para ela, a intolerância política já contamina outros aspectos da vida em sociedade, movimento que deve ser freado. “Nós não podemos continuar com a cultura da polarização. Tudo o que a gente vê é uma guerra entre o azul e o vermelho e nós não queríamos entrar num jogo de que, agora, seria uma guerra do azul com o vermelho, o verde e o amarelo”, afirmou. “Nós sempre tivemos uma convivência adequada na diversidade social, cultural e religiosa. Não podemos aprofundar a polarização, que acontece erradamente na política, na sociedade”, alertou. Na abertura da 5ª Assembleia Geral Eletiva da Associação Nacional de Educação Católica (Anec), Marina reafirmou sua determinação de não atacar seus adversários na disputa eleitoral e manter o debate do seu Programa de Governo. A candidata do PSB voltou a rejeitar a ideia de uma gestão fragmentada e disse que governará para todos os brasileiros. “Como presidente da República, serei a presidente de todos os brasileiros. Nosso Estado laico assegura o direito de quem crê, de quem não crê e assegura, sobretudo, que um Estado laico não é ateu, é Estado para defender os interesses de quem crê, de quem não crê, na sua diversidade social, cultural e religiosa”. A presidenciável foi categórica ao negar a extinção dos programas sociais em andamento e pediu respeito ao povo brasileiro. “Estão dizendo que eu vou acabar com tudo e mais um pouco”, brincou. “Contra o marketing selvagem, não valem argumentos. Eu peço a Deus pelo discernimento do povo brasileiro”, declarou, referindo-se à tática de seus oponentes, que partiram para a disseminação de mentiras para influenciar o eleitor. “Não é possível uma pessoa acabar com o pré-sal, Fies, Pronatec, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, transposição do Rio São Francisco, (ferrovia) Transnordestina, décimo terceiro salário, férias, Petrobras, Caixa Econômica, Banco do Brasil… Se uma pessoa pode fazer tudo isso é por nós termos um país que é o quê, de papel? Não é. Isso fere o bom senso e a inteligência dos brasileiros”, disse. Segundo ela, a sociedade brasileira deixou um recado claro, exigindo mudanças e mais qualidade na política: mudem, antes de serem mudados. “Nós queremos criar uma nova lógica e tomar posição. Não seremos nem oposição raivosa, nem situação cega, mas teremos compromisso com o Brasil”, afirmou. “Não...

Leia mais
Dilma exalta ações de seu governo e faz promessas
set23

Dilma exalta ações de seu governo e faz promessas

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 17h33 Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco A presidenta Dilma Rousseff, que disputa a reeleição pelo PT, visitou ontem (22) Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Em uma caminhonete, ao lado de candidatos locais, Dilma acenou para o público. Em seguida, durante entrevista, ela citou ações de seu governo para a mobilidade urbana e voltou a prometer maior integração das forças de segurança pública, em um eventual segundo mandato.     No Dia Mundial sem Carro, a candidata defendeu as ações que vem realizando no transporte público. Segundo ela, o governo federal já estudou a abertura de uma linha de financiamento específica para as bicicletas, além da isenção de tributos que já existe na Zona Franca de Manaus. Dilma voltou a mencionar que foram aplicados R$ 143 bilhões, como financiamento, e recursos do Orçamento para ações de mobilidade. Antes das manifestações de junho do ano passado, o aporte estava em torno de R$ 93 bilhões, porém, mais R$ 50 bilhões entraram na promessa, priorizando capitais e regiões metropolitanas. Antes de repetir que a participação dos bancos públicos é importante para que ações como as de mobilidade sejam viabilizadas, a candidata enumerou investimentos no transporte público, para a construção de metrôs, veículos leves sobre trilhos e corredores exclusivos de ônibus, citando obras que já foram construídas e outras ainda em construção. “O tempo é algo de que todos precisamos para viver com a família, com os amigos. Enfim, desfrutar da vida, e garantimos isso”, disse, na entrevista. Outra promessa reafirmada por Dilma foi a integração das forças de segurança pública de diferentes estados e a ampliação para todas as capitais dos centros integrados de Comando e Controle. “Nossa proposta é expandi-los para todo o Brasil, para os 27 estados. Além disso, o que consideramos fundamental é a ação conjunta de todos os estados. O Brasil é um país continental, então a mesma preocupação que temos nas fronteiras, precisamos ter nas [divisas] estaduais”, defendeu. A candidata participou nesta terça-feira, como atual presidente do Brasil, da Cúpula do Clima 2014. “Precisamos reverter lógica de que combater mudança do clima é danoso à economia”, afirmou seu...

Leia mais
Aécio tem reforma política como prioridade e quer refundar Federação
set23
Leia mais
Marina defende redução de impostos para bikes
set23

Marina defende redução de impostos para bikes

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 16h33 No Dia Mundial sem Carro, Marina defende ciclovias e redução de impostos na fabricação de bicicletas     No início da manhã desta segunda-feira (22), Marina Silva participou de um ato para marcar o Dia Mundial sem Carro, na região central de Brasília. Acompanhada pelo candidato do PSB ao governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, ela assinou uma carta reconhecendo as reivindicações da União Brasileira dos Ciclistas. A candidata à Presidência da República pela Coligação Unidos pelo Brasil defendeu a redução dos impostos na fabricação de bicicletas, a criação de ciclovias e o incremento do transporte público de qualidade como pontos importantes da agenda de mobilidade urbana. O Programa de Governo de Marina e Beto Albuquerque defende o incentivo à mobilidade não motorizada (a pé e de bicicleta) por ser o modo mais sustentável de começar a mudar a realidade nas cidades, em especial no sistema de intermodalidade. Depois do evento, Marina participou da abertura da V Assembleia Geral Eletiva da Associação Nacional de Educação Católica (Anec), onde defendeu hoje a adoção de políticas públicas que corrijam a remuneração do professor brasileiro e apóiem sua qualificação...

Leia mais
Pesquisador do IEA analisa a curva futura das cotações do café
set23

Pesquisador do IEA analisa a curva futura das cotações do café

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 13h11   Em agosto, os mercados de juros e dólar futuros na BM&F-Bovespa tiveram variações insuficientes para modificar a trajetória das cotações do café, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A conjuntura permanece pautada por forte incerteza entre os operadores do mercado quanto à ocorrência de eventual déficit no suprimento global para o período 2015/16, decorrente da prolongada anomalia climática que incide sobre os principais cinturões produtivos do país. Esse fenômeno climático conduziu o mercado de café para condição bastante adversa em que seus principais operadores se expõem a acentuado risco. Na Bolsa de Nova York, os contratos de café arábica (segunda posição) exibiram tendência de alta, porém, com dois momentos distintos, pois, enquanto as médias semanais para a primeira, segunda e terceira semanas foram declinantes, houve mudança de patamar para as cotações a partir da quarta do mês. “A média de preços recebidos pelos cafeicultores em agosto de 2014 na região de Franca, Estado de São Paulo (principal polo da cafeicultura paulista), foi de R$425,59/sc., segundo dados do IEA/CATI, representando incremento de 11,43% frente ao registrado no mês anterior” afirmam Celso Vegro, pesquisador do IEA e Félix Schouchana, consultor de Mercados Futuros. Convertendo-se para real, a cotação registrada na quarta semana do mês para a posição de março de 2015 alcança-se o valor de R$618,26/sc., ou seja, diferença de R$192,67/sc. frente à cotação praticada no mercado francano. Tal diferencial é suficientemente elevado para que legitime a estratégia de contratação do hedge para parcela da mercadoria produzida. Na Bolsa de Londres, acompanhando a aceleração nas cotações de arábica, a média dos contratos futuros de café robusta mudou de patamar na última semana do mês, ou seja, ainda mais expressiva que aquela exibida pelo arábica. O contexto de elevada incerteza ainda domina a formação dos preços do arábica e do robusta. Esse tipo de conjuntura de mercado tanto atrai uns (de menor aversão ao risco) quanto afasta outros investidores (de maior aversão ao risco). Com a safra 2015/16 de arábica recém-iniciada no país, torna-se possível estabelecer estratégia comercial favorável à captura de rentabilidade para a...

Leia mais
Visitantes podem reviver “7 de setembro” no Parque Caminhos do Mar
set23

Visitantes podem reviver “7 de setembro” no Parque Caminhos do Mar

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 12h57 A Independência do Brasil – um dos episódios mais importantes da história do país – pode ser revivida no Parque Caminhos do Mar. O roteiro turístico, que está localizado dentro de uma Unidade de Conservação Estadual entre as cidades de Cubatão e São Bernardo do Campo, em São Paulo, abrange, além da Estrada Velha de Santos, trechos da Calçada do Lorena, inaugurada em 1792. Construída com a intenção de regular e incrementar a movimentação de cargas e pessoas entre o planalto e o litoral paulista, a Calçada do Lorena foi a primeira estrada pavimentada (com pedras) do Estado de São Paulo. No dia 7 de setembro de 1822, antes de Dom Pedro I ecoar o famoso grito de “Independência ou Morte” às margens do Ipiranga, o Imperador percorreria a trilha ao voltar a São Paulo após uma visita à cidade de Santos. Para conhecer o roteiro Caminhos do Mar – que é gerenciado pela Fundação Energia e Saneamento – é necessário agendar visitas pelo telefone (013) 3372-3307 ou pelo e-mail caminhosdomar@caminhosdomar.org.br. O Parque fica aberto de terça a domingo, das 9 às 16 horas e conta com monitores para acompanhar os visitantes no percurso.   Assunto relacionado: Pelos velhos caminhos da...

Leia mais
Praça Sílvio Romero: limpeza e asseio
set23
Leia mais
Subprefeitura Sé leva arte à ligação Leste-Oeste
set23

Subprefeitura Sé leva arte à ligação Leste-Oeste

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 09h47 Trabalho se dá a partir de parceira com fabricante de tinta e coletivo de grafite; intervenção será concluída no final do mês. A Subprefeitura Sé realiza, por meio de parceria com artistas e uma fabricante de tintas (Coral), um novo grafite na ligação Leste-Oeste sob os viadutos Guilherme de Almeida, Cidade de Osaka e Mie Ken, no sentido Lapa/Penha. A ação visa a revitalizar o local por meio da promoção desta manifestação cultural paulistana.       O projeto teve início na noite do dia 15 e deve se estender até o final deste mês de setembro. Com temática livre, o projeto denominado Artépolis, liderado por Maxx Figueiredo, será feito pelo próprio Maxx e pelos artistas Julio de Deus, SAO, Jhoni Morgado, Sapiens, Tom Ray, Fernando Berg, Dimy Unclair, Sid, Thiago Ectoplasma, Cá Barbosa, Danilo, Marcelo Zuffo, Sipros, Thiago Bender, Duas+Consp, Esther, Janaina, Julê, Mônica Lisboa, Jocks, Monica Anacampi, Thiago Bob, MLOK, Moby, MEV, SED, MONO, André Mogle, LOWS, Lucho, Monica Lisboa e Izu. De acordo com Maxx Figueiredo, membro do coletivo, a ideia é “levar, por meio da cor, um pouco de beleza a São Paulo, elevar o espírito das pessoas, proporcionar alegria e disposição, enfim, entregar um ambiente inspirador e agradável para todos”. Outra questão destacada por Figueiredo é a importância de ampliar a interação entre artistas, poder público e empresa em favor da cidade. A empresa participante forneceu mais de 630 litros de tinta, além dos equipamentos de proteção individual (EPI ‘s) e vestuários adequados para pintura. Para os responsáveis pela parceria, esta revitalização de pintura permite que a população tenha interesse pela conservação de equipamentos públicos. A ação contribui, ainda, para a conservação de importantes patrimônios históricos, artísticos e culturais da cidade. “Esta iniciativa vai ao encontro de duas questões-chaves para a Subprefeitura Sé: a parceria com setores diversos da sociedade visando à coletividade e à valorização do grafite como importante expressão artística de nossa cidade”, declara Alcides Amazonas, subprefeito da...

Leia mais