PSB decide apoiar Aécio Neves no segundo turno
out08

PSB decide apoiar Aécio Neves no segundo turno

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 20h47 Mariana Jungmann – Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado A Executiva Nacional do PSB decidiu apoiar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) para a Presidência da República, no segundo turno. Após cerca de três horas de reunião, os 22 membros da executiva votaram pelo apoio a Aécio, 7 pela neutralidade e apenas o senador João Capiberibe (AP) votou pelo apoio a Dilma.     Os que votaram pela neutralidade foram a senadora Lídice da Mata (BA), o senador Antônio Carlos Valadares (SE), Katia Born, o secretário de Juventude, Bruno da Mata, o presidente do partido Roberto Amaral, a deputada Luiza Erundina (SP) e o secretário da Área Sindical, Joílson Cardoso. Ao tomar conhecimento da decisão, Aécio Neves foi até a sede do PSB, em Brasília, e ouviu dos pessebistas que a aliança será condicionada a acordos programáticos no plano de governo. “Esta indicação de apoio fica condicionada a acordo a ser discutido e firmado sob bases programáticas, considerando a urgência de se criar o ambiente necessário a um novo ciclo de desenvolvimento”, disse o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, ao anunciar a decisão. O candidato estava acompanhado do senador eleito Tasso Jereissati (PSDB-CE), que chefiará a equipe responsável pela formulação do plano de governo. Aécioo ressaltou que a aliança com o PSB será mantida pelos próximos quatro anos, caso seja eleito. “Este apoio que aqui recebo da direção nacional do PSB, de governadores, de senadores e deputados, fortalece muito a minha candidatura que, a partir deste instante, deixa de ser uma candidatura do meu partido e de um grupo de aliados, e passa a ser a candidatura do amplo sentimento de mudança que hoje permeia a sociedade brasileira”, disse. Ele também mencionou o ex-presidente do PSB e ex-candidato do partido à Presidência da República Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em agosto deste ano. Aécio destacou a honra de levar adiante os ideais de Campos de fazer “uma nova política”. “Os seus sonhos, Eduardo, passam a ser os meus sonhos. Os seus compromissos, meus compromissos. a partir de agora caminharemos juntos”, disse em discurso. Amanhã (9) os demais partidos que se coligaram com o PSB no primeiro turno – PPS, PSL, PHS, PPL e PRP – se reunirão para decidir se também apoiarão o candidato do...

Leia mais
Haddad está mudando o estilo da cidade e o Tatuapé faz parte
out08

Haddad está mudando o estilo da cidade e o Tatuapé faz parte

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 15h43 – Atualizado às 18h56 Gerson Soares O jeitão da cidade aos poucos vai mudando e parece ser esse o objetivo do prefeito Fernando Haddad. A impressão que fica é a de que será possível enxergar, dentro de pouco tempo, o horizonte de uma nova mentalidade administrativa. É o que se espera.     Faixas vermelhas com sinalização abundante já fazem parte da cidade, são as ciclovias. No lugar o cinza, palhaços e cadeiras de praia, crianças brincando. Ao invés de caminhos desviados pelas drogas, jovens se empenham nos esportes na virada esportiva e a cultura retoma o seu devido lugar. Será que São Paulo pode ficar mais colorida, iluminada e alegre? Claro que sim. Na agenda desta quarta-feira (8) do prefeito da cidade estava o Centro Esportivo e Recreativo dos Trabalhadores, mais conhecido como Ceret, que apesar da troca de nomenclatura – atualmente denomina-se Parque Esportivo dos Trabalhadores (PET) – continua sendo o lugar onde milhares de pessoas se exercitam, correm ou apenas caminham pelas alamedas, há poucos meses duramente criticadas pela falta de investimentos da prefeitura.     Segundo Haddad, a prefeitura recebeu o parque precariamente por 20 anos e devido à legislação não podia investir. “Então o que eu fiz, fui até o governador e ele cedeu a administração do parque à prefeitura por 99 anos. Com esse entendimento nós começamos a planejar os investimentos. Agora, por 99 anos, o parque é da cidade e isso nos permite planejá-lo por décadas”, explicou o prefeito. Lembrando a nova iluminação recém-inaugurada, Haddad disse que o Ceret vai estar no mesmo nível dos outros parques municipais, uma reivindicação mais do que antiga dos frequentadores e moradores. “Isto aqui não ficar devendo nada para Ibirapuera, Parque do Carmo e tudo o que está sendo feito nos parques municipais vai ser feito no Ceret”, afirmou comparando.     Haddad foi acolhido carinhosamente pelas moradoras que o abraçaram e pousaram para fotos. Uma das anciãs da qual não foi possível saber o nome, disse que veio só para vê-lo. “Já que não teve exercício eu vim só para cumprimentá-lo”. Os selfies também não faltaram. Foi registrada a presença do superintendente da Associação Comercial do Tatuapé, José Sampaio Teixeira que cumprimentou Haddad, além de outros moradores conhecidos do bairro e amigos das caminhadas matinais que prestigiaram a presença de Haddad e seus secretários. “Os equipamentos da terceira idade, o Celso já se comprometeu a multiplicar e reparar, porquê? Eu vim a saber que aqui a frequência é tão grande que chega a fazer fila para usar os equipamentos”. O prefeito afirmou que a cidade está sendo pensada...

Leia mais
Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé
out08

Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 14h56 – Atualizado às 18h39 A cidade está passando por mudanças promovidas pela Prefeitura. Mobilidade urbana ligada ao transporte público, iluminação, ocupação de ruas e praças com eventos, virada cultural e esportiva. Estes são alguns exemplos de ações interessantes e que merecem destaque positivo. Outra iniciativa em prol dos munícipes, mas que ainda tem opositores, até mesmo entre quem pratica exercícios regularmente são as ciclovias.     Em sua visita ao bairro, na manhã desta quarta-feira (8), o prefeito Fernando Haddad declarou que não há nada contra os carros, mas que é a favor de mudanças e demonstra entusiasmo quando fala da implantação das faixas exclusivas para bicicletas. Ao nos dirigirmos para o evento que ocorria na entrada do Parque Esportivo do Trabalhador (PET – muito mais lembrado pelo antigo nome Ceret), logo no início desta reportagem, encontramos Sueli que observadora não se conteve em dizer: “A ciclovia termina aqui. Quando vai ficar pronta?”, ao perceber que a lente de nossa câmera estava voltada para o final da faixa exclusiva das bikes, na esquina da Rua Nello Bini com a Rua Eleonora Cintra, em frente ao Ceret. Sueli disse mora no bairro desde que nasceu e contou sobre seu filho que precisa ir até a faculdade. “Existe uma faixa de ciclovia na Praça Ituzaingó, mas não tem continuidade. Precisaria descer pela Rua Coelho Lisboa, Rua Serra de Bragança”, exemplificou. Apesar da nova modalidade em transporte ser o assunto do momento, Sueli afirma que são necessárias outras linhas de ônibus para o centro. “Nós não temos como ir do Tatuapé para o Centro, só há uma linha de ônibus, que sai da Silvio Romero, e o Metrô. Meu filho estuda na Consolação e gostaria de usar a ciclovia como alternativa”. Sobre as ciclovias o Prefeito reafirmou nesta manhã no encontro com a imprensa e diversos usuários do parque que até o final de 2015 todas as estações e ciclovias estarão interligadas. “São 400 quilômetros. Essa distância dá para ir até o Rio de Janeiro”, exagerou ao perguntarmos sobre as estações que estão sendo instaladas no bairro. “Todas as estações serão interligadas”, disse ao questionarmos as obras nas ruas Emílio Mallet e Euclides Pacheco. Portanto, os adeptos ao uso da bicicleta como meio de transporte terão de aguardar mais um tempo. Mas, segundo nos informou Haddad, onde há estações também haverá ciclovias.   Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Haddad está mudando o estilo da cidade e o Tatuapé faz parte Prefeitura entregará nova iluminação no...

Leia mais
TJ cassa liminar que permitia sacolas plásticas no comércio de SP
out08

TJ cassa liminar que permitia sacolas plásticas no comércio de SP

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 20h28 Da redação – CMSP O Tribunal de Justiça de São Paulo cassou a liminar que permitia aos estabelecimentos comerciais de São Paulo fornecerem sacolas plásticas a seus clientes. A proibição às “sacolinhas” havia sido instituída pela Lei Municipal 15.374, sancionada em maio de 2011, mas foi suspensa por uma liminar obtida em junho daquele ano pelo Sindiplast (Sindicato da Indústria Material Plástico do Estado São Paulo). A Câmara Municipal é uma das rés da ação, juntamente com a prefeitura. Na ação, o Sindiplast alega que o município não teria competência para legislar sobre o assunto, argumento rejeitado pelo Órgão Especial do colegiado estadual, composto por 25 magistrados. Ainda cabe recurso ao sindicato, que pode tentar interpor embargos de declaração no próprio TJ ou derrubar a decisão no STF (Supremo Tribunal Federal). A proposta, de autoria do vereador Claudinho de Souza (PSDB), originalmente vedava o uso de quaisquer embalagens plásticas para o acondicionamento de produtos comercializados em São Paulo. No entanto, o substitutivo aprovado em plenário restringiu a proibição às sacolas...

Leia mais
Pesquisadores do IEA avaliam emprego formal agropecuário em SP
out08

Pesquisadores do IEA avaliam emprego formal agropecuário em SP

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 16h30 – Atualizado às 19h48 IEA – O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou em agosto de 2014 o desempenho do emprego formal brasileiro de 2013. Os dados são provenientes da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), que organiza as declarações prestadas por todos os estabelecimentos com vínculos ativos e carteira assinada, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Em 2013, constatou-se que o Brasil teve um crescimento de 3,1% na geração de empregos em comparação ao ano anterior. Os setores de serviços e comércio foram os que tiveram maior crescimento, 3,8% e 3,1%, respectivamente, e juntos concentraram 72,7% do total de empregos com carteira assinada. Já a agropecuária teve o menor desempenho dentre todos os setores, com aumento de 0,9% no número de postos de trabalho formais. O Estado de São Paulo tem importância significativa na geração de empregos com carteira assinada, afirmam Carlos Eduardo Fredo e Alceu de Arruda Veiga Filho, pesquisadores do IEA e Thiago Lisboa, assistente agropecuário da Codeagro (Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios), autores do artigo. São Paulo representa 28,7% do total de empregos formais e registrou crescimento de 1,7%. A geração de empregos foi impulsionada principalmente pelo setor de serviços, que teve um aumento de 130.476 vagas formais (+1,8%), e pelo de comércio, com 58.812 (+2,2%). “O setor agropecuário paulista foi o único que apresentou retração na geração de empregos, com perda de 15.620 postos de trabalho (-4,5%). Registre-se que foi o segundo ano consecutivo de queda no emprego formal neste setor”, esclarecem os autores. Estudo do Instituto de Economia Agrícola, publicado em abril de 2014, avaliou o desempenho mensal, a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) para o ano de 2013. Por meio desta base, é possível avaliar o número de admissões e desligamentos mensais em todos os setores econômicos, ou seja, a flutuação do emprego formal. Nesse estudo, constatou-se a perda de postos de trabalhos formais no setor agropecuário para o ano de 2013, diminuindo em 15.200 empregos. Verificou-se, também, que a atividade econômica responsável para essa perda tinha sido o cultivo de laranja. O custo com mão de obra nas etapas de colheita e tratos culturais bem como a saída de muitos produtores do setor citrícola foram alguns fatores influentes na perda de emprego do setor...

Leia mais
Modelo matemático para diluir agrotóxicos diminui risco de ambiental
out08

Modelo matemático para diluir agrotóxicos diminui risco de ambiental

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 10h – Atualizado às 19h36 Por Diego Freire Agência FAPESP – A mais recente edição da Spanish Journal of Agricultural Research, revista científica do Instituto Nacional de Investigación y Tecnologia Agraria y Alimentaria do Ministério de Economia e Competitividade espanhol, traz um modelo matemático capaz de estimar o volume de água cinza necessário para diluir misturas de agrotóxicos na água e minimizar os riscos ao ambiente aquático. A novidade foi desenvolvida por pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O termo “água cinza” é usado para se referir à água residual de diferentes processos, desde a que foi utilizada no banho até a da produção industrial. Na agricultura, é um dos componentes da pegada hídrica, a soma de todo o consumo de água envolvido na produção, incluindo a verde, vinda da chuva e contida no solo, a azul (da irrigação) e a cinza, que assimila a carga de pesticidas e fertilizantes. O artigo A mathematical model to estimate the volume of grey water of pesticide mixtures, de Lourival Paraíba, Ricardo Pazianotto, Alfredo Luiz, Aline Maia e Claudio Jonsson, da Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna (SP), apresenta cálculos com valores de concentrações letais de diversos agrotóxicos em organismos indicadores da qualidade hídrica, como algas, peixes e microcrustáceos, chegando aos volumes de água necessários para diluir a carga dos pesticidas e minimizar os riscos para a vida aquática e o homem. O desenvolvimento do modelo contou com apoio da FAPESP na pesquisa “Alterações Bioquímicas, Hematológicas e Acúmulo em Tilápia pela Exposição a Misturas de Herbicidas da Cultura Canavieira”, fornecendo subsídios teóricos para a estimativa da água cinza de herbicidas usados em cultivos de cana-de-açúcar para a produção de açúcar e álcool. Para os pesquisadores, a contaminação das fontes de água doce naturais está resultando em um passivo ambiental elevado que põe em perigo os ecossistemas terrestres. Além disso, o crescimento da produção agrícola por conta da expansão da produção global de recursos de energia biológica evidencia o risco de escassez de água. “Em qualquer sistema agrícola sustentável, para a manutenção da vida em todas as suas dimensões, é necessário manter a qualidade de água doce”, disse Paraíba. O modelo da Embrapa calcula os valores adequados para diluição de agrotóxicos sem prejuízo à água. Tradicionalmente, para fazer esses cálculos é necessário conhecer a carga de pesticidas usada no cultivo e os limites máximos de resíduos na água. Mas nos cultivos agrícolas brasileiros são utilizados vários pesticidas cujos limites permitidos em água não estão definidos. Além disso, o procedimento clássico não considera em seus cálculos o efeito dessa água residual em organismos aquáticos. O modelo...

Leia mais
Prefeitura entregará nova iluminação no Ceret
out08

Prefeitura entregará nova iluminação no Ceret

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 15h43 – Atualizado às 18h47 A coletiva de imprensa, com a participação de inúmeros usuários do parque já havia começado, quando uma senhora interrompeu o Prefeito: “Nós precisamos de mais equipamentos de ginástica”, causando ao mesmo tempo surpresa e risos. Não demorou muito e mais uma interrupção. “Eu estou aqui para falar por aqueles que não podem falar”, disse a mulher de cabelos grisalhos. “Mas aqui todo mundo pode falar”, brincou o prefeito. “É que eu quero falar pelos cachorrinhos…”.     Assim começou a manhã desta quarta-feira (8) do prefeito da cidade no Tatuapé, recebendo sugestões, sendo interrompido pelas senhores e senhores de cabelos brancos que lhe faziam pedidos, aos quais aderiu. “Bom, então nos vamos fazer uma comissão tripartite: eu quero WiFi livre para o parque, a senhora quer acesso aos cachorros e a senhora mais equipamentos de ginástica”, disse Haddad, pedindo providências ao seu secretariado, mas deixando claro que algumas precisavam seguir as normais existentes. Pouco antes o prefeito havia cobrado do secretário Simão Pedro, a instalação do WiFi livre no Ceret. “Não é possível que um parque como este não esteja na programação de WiFi da cidade”. De bom humor, disse que a internet é um vício e que então o internauta poderia ir ao parque e aproveitar para fazer exercícios, ver os amigos e sociabilizar saindo de casa.     O encontro com o Prefeito da cidade marcou a remodelação da iluminação do Ceret com lâmpadas de vapor de sódio (LPS) que faz parte do programa São Paulo Mais Iluminada. “Até o dia 30 de setembro nós trocamos 185 mil lâmpadas da iluminação pública da cidade de São Paulo. Agora o parque vai poder ficar aberto até mais tarde ou durante a noite porque vai receber mais de 600 lâmpadas novas em 300 pontos de iluminação, em substituição às cento e poucas lâmpadas que nós temos aqui hoje”, enfatizou o secretário de Serviços, Simão Pedro, durante sua fala. Pertencendo à Subprefeitura Aricanduva/Formosa/Carrão, o parque do Tatuapé – bairro que absurdamente não possui uma subprefeitura própria, estando subordinado também à Mooca – contou com a presença do subprefeito Quintino Simões Pinto. Entre os convidados estavam o vereador Paulo Frange (PTB-SP), o diretor da Ilume José Alberto Serra Almeida e o administrador do Ceret Mohamed Mourad e o engenheiro Marco Antonio Melro da Porte Construtora. “O Marco vai colocar, sem nenhuma contra-partida, todo o gradil de toda a Eleonora Cintra, vai dar mais ou menos um quilômetro de gradial para o parque ficar com cara de parque”, disse o secretário municipal de Esportes Celso Jatene, referindo-se ao empresário da construção,...

Leia mais
Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de bikes
out08

Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de bikes

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 15h29 – Atualizado às 18h32 Na última quinta-feira (2) resolvemos investigar do que se tratava a obra inacabada, deixada há mais de 15 dias (até aquela data) sem nenhuma sinalização e causando estranheza aos pedestres e motoristas que passavam pela esquina das ruas Francisco Marengo e Emílio Mallet e se deparavam com o fato. Em contato com a Subprefeitura Mooca, a assessoria de comunicação do órgão da Prefeitura, respondeu tratar-se da construção de uma estação de bicicletas – obra do Banco Itaú em parceria com a Secretaria Municipal de Transportes. Recomendando mais informações com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), órgão responsável pelo projeto. Alertada pela reportagem, a Subprefeitura Mooca enviou notificação à empresa contratada para regularização da sinalização e melhoria do isolamento. Nesta manhã (8), estivemos novamente no local para ver como estava uma semana depois da matéria e já constatamos a mobilização para finalizar a estação.           Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Privilégios e estação inacabada põe em dúvida ciclovias no bairro Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de bikes...

Leia mais