WWF-Brasil leva para Austrália experiência brasileira com os parques nacionais
nov10

WWF-Brasil leva para Austrália experiência brasileira com os parques nacionais

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 20h03   WWF | Brasil – A cada dez anos, a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) reúne especialistas de todo o mundo para discutir a situação das áreas protegidas existentes ao redor do planeta. Este ano, o Congresso Mundial de Parques será realizado em Sydney, na Austrália, de 12 a 19 de novembro sob o lema: Parques, pessoas e planeta: inspirando soluções. Já estão confirmados participantes de 168 países em um evento preparado para quase cinco mil pessoas. A contribuição do WWF-Brasil será levar ao congresso reflexões sobre a experiência brasileira na gestão de áreas protegidas e a conexão entre conservação e economia. No Brasil, são mais de 2 mil áreas protegidas que abrigam uma extraordinária soma de biodiversidade, recursos hídricos e serviços ecossistêmicos, mas que ainda não entram nas contas públicas – e privadas – como um dos principais ativos econômicos de que a Nação dispõe. Sem contar que essas áreas são vistas por alguns setores políticos e econômicos como empecilhos ao desenvolvimento. “Os parques nacionais devem ser protegidos, não só pelos seus valores intrínsecos, mas pelo que podem contribuir à economia e à qualidade de vida de todos os brasileiros. Isso tem de estar internalizado nas políticas públicas e fazer parte da preocupação das empresas”, ressalta Jean François Timmers, superintendente de Políticas Públicas do WWF-Brasil. Por isso, uma das discussões que o WWF-Brasil levará ao Congresso Mundial de Parques é uma análise sobre os sistemas de áreas protegidas em economias emergentes e o papel do setor privado na criação e gestão dessas áreas protegidas. “O congresso será uma oportunidade para discutirmos com outros países os desafios comuns e soluções possíveis para que as áreas protegidas sejam consideradas e integradas na economia nacional a partir do reconhecimento de sua biodiversidade e demais serviços ambientais como importantes ativos econômicos”, ressalta Timmers. Segundo ele, o Brasil tem um dos maiores sistemas de áreas protegidas do mundo, mas seu potencial de contribuir para a economia nacional é pouco explorado. Durante o congresso, o WWF-Brasil irá promover eventos paralelos junto com outras organizações para discutir a integração entre economia e conservação e propor uma agenda mínima para fortalecimento dessas áreas nos próximos quatro anos. Também faz parte da programação do WWF-Brasil no evento discutir formas de favorecer ao cidadão o contato com os parques nacionais, mesmo que isso se dê virtualmente. Por isso, um dos eventos paralelos promovidos pela organização durante o congresso irá tratar de tecnologia e uso público como forma de aproximar a sociedade das áreas protegidas. No evento, será lançado o Movimento Caminhos da Mata Atlântica, que consiste em promover o...

Leia mais
Governador de SP pede agilidade ao Governo Federal
nov10

Governador de SP pede agilidade ao Governo Federal

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 20h25 Alckmin pede agilidade na liberação de recursos federais para obras de mobilidade e solicita R$ 3,5 bi para investimentos no abastecimento de água no Estado de São Paulo. O governador Geraldo Alckmin esteve reunido com a presidente Dilma Roussef em Brasília nesta segunda-feira (10) e houve consenso para criação de um grupo de trabalho que vai se reunir no dia 17 para discutir os detalhes dos projetos apresentados pelo governador. Após a reunião, Alckmin falou sobre os investimentos que reforçarão o abastecimento de água no Estado. “Trouxemos uma relação de investimentos que somam R$ 3,5 bilhões. É um conjunto de obras que vêm sendo trabalhadas pelo Governo do Estado. Tivemos uma boa conversa sobre a possibilidade de recursos do Tesouro ou financiamento”, afirmou o governador. Garantindo não haver risco de desabastecimento de água a curto prazo, o governador de São Paulo disse que a proposta apresentada a Dilma é de novas obras. Segundo ele, várias obras para melhorar o abastecimento estão em andamento. “Nós temos repetido isso desde o início do ano. Nós temos em São Paulo um sistema extremamente forte, nem entramos na segunda reserva técnica do Cantareira. Então, não são obras para amanhã; as obras para amanhã estão sendo feitas. Nós vamos entregar neste mês de novembro mais um metro cúbico por segundo (m³/s) do Guarapiranga. Mais 300 mil pessoas saem do Cantareira”, informou. Obras sugeridas As oito obras sugeridas pelo Governo do Estado são: interligação dos reservatórios Atibainha e Jaguari, construção de dois grandes reservatórios na região de Campinas, adução desses reservatórios com os sistemas distribuidores, duas estações de produção de água de reúso em São Paulo, interligação do Jaguari com a região de Campinas, interligação do Rio Grande com a Billings e poços artesianos na região do Aquífero Guarani para a região de Campinas. “A presidente viu com bons olhos o conjunto das obras, mas nós vamos ter uma conversa mais aprofundada para que ela bata o martelo naquilo que o governo federal ajudará São Paulo”, disse a ministra Miriam Belquior, complementando que, do meio para o fim da semana que vem, poderá haver uma resposta do melhor formato de financiamento. “É comum a presidenta dizer que o montante de recursos, claro, depende da nossa capacidade, mas, fundamentalmente, depende da importância das obras a serem realizadas. Se durante o processo de discussão estiverem claras a importância das obras para o abastecimento da região, nós poderíamos até apoiar tudo”, disse. Rede paulista de transporte sobre trilhos Durante a reunião com Dilma Roussef, Alckmin também fez uma série de reivindicações para dar continuidade à expansão e qualificação da rede...

Leia mais
CPI Mista da Petrobras ouvirá gerente de Contratos
nov10

CPI Mista da Petrobras ouvirá gerente de Contratos

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 18h   Agência Senado – A CPI Mista da Petrobras volta a se reunir nesta terça-feira (11) para ouvir o gerente de Contratos da empresa, Edmar Diniz Figueiredo, que deve ser questionado a respeito de pagamento de propina a funcionários para facilitar negócios com a SBM Offshore, empresa holandesa que fornece navios-plataformas. Os contratos da SBM com a Petrobras somam US$ 27 bilhões. Em depoimento à CPI Mista em junho, a presidente da Petrobras, Graça Foster, afirmou que uma sindicância interna não encontrou evidência de pagamento de propina a funcionários da empresa. Na reunião de amanhã a comissão de inquérito deve definir também se convoca ou não o presidente licenciado da Transpetro, Sérgio Machado, e o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque. Os dois teriam sido citados por Paulo Roberto Costa como envolvidos no esquema de corrupção na companhia. Paulo Roberto Costa fez acordo de delação premiada com a Polícia Federal e o Ministério Público em troca de redução da pena. Existe a possibilidade de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot se manifeste sobre o acesso da CPI Mista à delação premiada de Paulo Roberto Costa. Havia a expectativa de a CPI Mista também ouvir na terça a diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Magda Chambriard. Ela, no entanto, pediu para depor em outra data, pois tem um compromisso no dia previsto. A audiência pode acontecer em 26 de novembro.   Assuntos relacionados CPI Mista da Petrobras ouvirá gerente de Contratos Vice-presidente eleito do país minimiza investigação do Petrolão, diz Estadão Apesar de se manter no poder, Petrolão é mácula no governo do PT...

Leia mais
Apesar de se manter no poder, Petrolão é mácula no governo do PT
nov10

Apesar de se manter no poder, Petrolão é mácula no governo do PT

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 17h46 Mesmo conseguindo a proeza de se manter no poder com os votos do Norte e Nordeste do país, antes mesmo de iniciar o novo mandato o partido da presidente Dilma Roussef (PT) deixa outra mácula na história da corrupção no país, conforme o que foi apurado até agora sobre o escândalo da Petrobras na operação Lava-Jato da Polícia Federal. Gerson Soares As denúncias de gastos e superfaturamento da Copa do Mundo ficaram para trás. O Mensalão é fichinha, mas espalha seus tentáculos. Já o escândalo da Petrobrás, nessas proporções é inédito e gigantesco. Segundo o comentarista Reinaldo Azevedo da rádio Jovem Pan, divulgou hoje, os “peixes médios” envolvidos querem devolver a quantia de 500 milhões de reais para amenizarem suas penas. “Imaginem os peixes grandes”. O comentarista ainda lembrou que os políticos envolvidos no Mensalão já cumprem penas domiciliares, enquanto os demais envolvidos estão na cadeia. O caso já está sendo investigado criminalmente pelo departamento de Justiça dos EUA para saber se houve alguma violação da lei anticorrupção americana e no âmbito civil pelo Securities and Exchange Comission (SEC – órgão do governo norte-americano que regula o mercado de capitais), divulgou O Estado de São Paulo, com reportagem do jornal britânico Financial Times. Até dezembro, o PSDB do candidato derrotado à presidência Aécio Neves, poderá apresentar um relatório paralelo ao da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) da Petrobras. A informação foi dada nesta sexta-feira (7) pelo deputado Izalci (PSDB-DF), vice-líder do partido, informou a Agência Câmara. “Já sabemos que houve cartel, superfaturamentos, vários aditivos maiores do que os contratos originais, notas emitidas por empresas fantasmas e desvios”, disse Izalci. Ele afirmou que ainda falta saber, no entanto, para onde foi o dinheiro e quais autoridades foram beneficiadas. Existem coisas na política brasileira das quais qualquer um duvida. Como por exemplo, o relatório oficial da CPMI da Petrobras a ser votado em dezembro. O documento deverá ser elaborado pelo deputado Marco Maia do PT-RS, o partido sob o qual recaem as luzes da investigação. O relator disse na semana passada ter feito um acordo para focar o período restante de trabalho nas irregularidades da Petrobras relacionadas ao esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas investigado na Operação Lava-Jato, da Polícia Federal. Isso exclui depoimentos de políticos, tesoureiros e dirigentes partidários que possam estar citados nas delações premiadas de Costa e Youssef. “Foi um acordo político feito por todos os presentes, de todos os partidos”, disse Marco Maia ao repórter José Carlos Oliveira da Agência Câmara. Segundo essa mesma reportagem, os líderes do PSDB, do DEM, do PPS e do...

Leia mais
Vice-presidente eleito do país minimiza investigação do Petrolão, diz Estadão
nov10

Vice-presidente eleito do país minimiza investigação do Petrolão, diz Estadão

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 16h30   O vice-presidente Michel Temer, minimizou na manhã de hoje (10), a investigação que está sendo realizado pelos Estados Unidos, a respeito dos desvios de verbas da Petrobras, divulgou O Estado de São Paulo. Segundo o jornal, Temer, afirmou que “o Brasil já investiga o caso”. Repercutindo mundialmente, o escândalo que envolve o PT, partido da presidente reeleita Dilma Roussef, pode levá-la ao impeachment. Nesse caso, assumiria o vice-presidente Michel Temer, que usou o chavão da presidente durante o 66ª reunião da Frente Nacional de Prefeitos em Campinas: “doa a quem doer”, referindo-se aos investigados e envolvidos e às punições que lhes possam ser imputadas.   Assuntos relacionados Dilma e Lula sabiam de tudo sobre o Petrolão, diz Yussef É a lama, é a lama, é a lama…...

Leia mais
Estiagem marca a agricultura paulista
nov10
Leia mais
Gabaritos do Enem devem sair até quarta-feira
nov10

Gabaritos do Enem devem sair até quarta-feira

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 12h43 Da Agência Brasil | Edição: Marcos Chagas Os gabaritos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devem ser divulgados até quarta-feira (12) no site inep Já os resultados individuais da avaliação, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), serão disponibilizados em janeiro, mediante inserção do número de inscrição ou CPF e senha do candidato. As provas foram aplicadas no fim de semana em 1,7 mil cidades brasileiras. Mais de 8,7 milhões de pessoas se inscreveram para o exame. O segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ontem (9), foi marcado por provas mais cansativas, na avaliação de professores ouvidos pela Agência Brasil. Apesar de seguir o padrão de provas anteriores e abordar temas atuais com o mesmo número de questões, o teste deste ano foi considerado mais longo e exigente. “A prova foi muito longa e a sensação era que não dava tempo para o aluno fazer todas as questões, precisava fazer escolhas”, avaliou o professor do Sistema Elite de Ensino, Rafael Coelho. Segundo ele, o exame trouxe textos de autores nacionais, o que é positivo por valorizar a língua e a cultura brasileira. Questões como a exploração sexual, o selfie e o consumo de água foram abordadas no exame. Para ele, é interessante a “busca de conscientizar os candidatos sobre problemas que o país...

Leia mais