Sonda Philae pousa com sucesso em cometa, anuncia ESA
nov12
Leia mais
Oposição acusa presidente da CPMI  de manobra para não votar convocações
nov12

Oposição acusa presidente da CPMI de manobra para não votar convocações

Quarta-feira, 12 de novembro de 2014, às 18h03 A oposição negou a existência de um acordo para evitar a convocação de políticos na comissão de inquérito. Reportagem – Thiago Marcel Edição – Regina Céli Assumpção Com informações da Agência Senado Agência Câmara – Parlamentares da oposição acusaram o presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), de montar “uma farsa para encerrar a reunião de hoje sem a votação de requerimentos que convocam autoridades ligadas às denúncias contra a estatal. O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), disse que Vital do Rêgo inverteu, propositalmente, a ordem dos trabalhos da comissão para permitir que a reunião fosse encerrada sem a análise dos requerimentos, depois do depoimento do gerente de Contratos da Petrobras, Edmar Diniz Figueiredo, que falou sobre o suposto esquema de pagamento de propina a funcionários da estatal pela companhia holandesa SMB Offshore. A reunião da CPMI foi encerrada após quatro blocos de perguntas sobre o suposto esquema. Segundo as denúncias, o pagamento seria para facilitar negócios com a SBM Offshore, empresa holandesa que fornece navios-plataformas. Os contratos da SBM com a Petrobras somam 27 bilhões de dólares. O presidente da CPMI disse que foi obrigado a encerrar os trabalhos da comissão após o início da Ordem do Dia no Plenário do Senado. “Eu fiz a minha obrigação, não houve manobra”, defendeu-se Vital do Rêgo, que convocou uma nova reunião para a próxima terça-feira (18). A oposição desejava aprovar requerimentos de convocação do presidente licenciado da Transpetro Sérgio Machado; do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque; do tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto; do empresário Leonardo Meirelles; da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR); e do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Questão de ordem Bueno afirmou que a CPMI deveria ter votado primeiramente alguns requerimentos, além da questão de ordem apresentada pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), para só então prosseguir com o depoimento de Figueiredo. “Mas houve uma manobra política do presidente para encerrar a reunião”, acusou. A questão de ordem pedia a convocação de uma reunião extraordinária da comissão ainda nesta terça-feira. A votação de requerimentos, que deveria ter ocorrido antes da audiência o gerente da Petrobras, acabou adiada por falta de quórum. Mas, segundo Lorenzoni, o Regimento do Senado Federal autoriza o presidente a convocar reuniões extraordinárias, de ofício ou a requerimento de qualquer de seus membros, desde que aprovado pela comissão. Após o anúncio do fim da reunião, o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) disse que “não houve qualquer acordo com a oposição [para o encerramento] e a base governista manipulou a comissão para colocar todos os partidos...

Leia mais
Gerente da Petrobras diz que providências para apurar denúncias foram tomadas
nov12

Gerente da Petrobras diz que providências para apurar denúncias foram tomadas

Quarta-feira, 12 de novembro de 2014, às 18h13 Em depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, o gerente de Contratos da Petrobras, Edmar Diniz de Figueiredo, disse que foram tomadas todas as providências internas sobre as denúncias de pagamento de propina a empregados da estatal pela companhia holandesa SMB Offshore, inclusive com a instauração de uma sindicância. Reportagem – Thiago Marcel Edição – Regina Céli Assumpção Com informações da Agência Senado Agência Câmara – Devido à ausência do relator da CPMI, deputado Marco Maia (PT-RS), o deputado Afonso Florence (PT-BA) o substituiu. Ele questionou Figueiredo sobre a importância de sua gerência dentro da estatal. O gerente disse que não há tanto poder decisório e que, atualmente, ocupa o quarto nível de decisões na Petrobras, de acordo com o organograma da empresa. Questionado sobre os resultados da apuração feita pela comissão de sindicância da Petrobras, Figueiredo disse que não tinha condições de responder, já que não participou dos trabalhos. “O resultado já foi divulgado, mas não tenho conhecimento. Segundo o que foi divulgado, oficialmente, não houve qualquer irregularidade em contratos investigados por essa comissão”, afirmou. Prorrogação da CPMI A CPMI já dispõe de assinaturas suficientes (de 27 senadores e 171 deputados) para prorrogar seus trabalhos de 23 deste mês até 22 de dezembro. Além disso, os líderes do PSDB, do DEM, do PPS e do Solidariedade (SD) anunciaram a coleta de assinaturas para criar uma nova CPMI da Petrobras, logo no início da próxima legislatura, em 2015. Ao final do depoimento, o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) encerrou os trabalhos e convocou uma nova reunião para a próxima terça-feira...

Leia mais
MEC divulga gabaritos das provas do ENEM 2014
nov12

MEC divulga gabaritos das provas do ENEM 2014

Quarta-feira, 12 de novembro de 2014, às 17h34   Gabaritos das provas objetivas já podem ser consultados pelos participantes do exame. Os gabaritos das provas objetivas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 estão disponíveis e podem ser consultados on-line pelos participantes. Por meio da internet, é possível verificar as respostas das provas aplicadas no sábado, 8, e no domingo, 9. A divulgação dos resultados individuais está prevista para o início de janeiro de 2015, em data a ser definida. Quatro provas objetivas foram aplicadas (ciências humanas e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias), além da redação, que teve como tema Publicidade infantil em questão no Brasil.   enem 2014 – gabaritos   O desempenho dos participantes no Enem é usado como critério de acesso a programas oferecidos pelo governo federal, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o programa Ciência sem Fronteiras, além do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Os participantes desta edição do exame podem consultar o gabarito na página do Enem na internet. As informações são da Assessoria de Comunicação Social do MEC, com o Inep...

Leia mais
Greenpeace: Fechando o cerco contra a madeira ilegal
nov12

Greenpeace: Fechando o cerco contra a madeira ilegal

Quarta-feira, 12 de novembro de 2014, às 15h53 Carregamento surpreendido pelo Greenpeace na Holanda na semana passada deve ser investigado pelas autoridades belgas. Na quinta-feira passada (6), ativistas do Greenpeace surpreenderam um navio que se aproximava do Porto de Roterdã, na Holanda, com madeira exportada pela serraria Rainbow Trading, denunciada por receber e comercializar madeira ilegal, informa a ONG. A madeira será inspecionada pela alfândega de acordo com a Cites (Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção), que controla o comércio de espécies ameaçadas entre países signatários, como o Mogno e algumas espécies de Cedro. No entanto, não é competência da alfândega avaliar a origem da madeira. Como o destino final dessa madeira é Antuérpia, na Bélgica, as autoridades competentes holandesas alegam não ser de sua responsabilidade realizar uma investigação, mas garantiram ao Greenpeace que irão entrar em contato com as autoridades belgas para assegurar que elas obtenham as informações necessárias sobre o carregamento para que possam acompanhar a chegada da madeira e aplicar a EUTR (European Union Timber Regulation) – legislação que proíbe a importação de madeira ilegal para o mercado europeu. As autoridades competentes holandesas disseram também que irão colaborar com as autoridades brasileiras para que tomem atitudes. Ainda não foi possível confirmar os resultados sobre a inspeção da alfândega no Porto de Roterdã. No entanto, ela não traduz toda a preocupação do Greenpeace em relação à origem da madeira, mesmo esta não sendo espécie ameaçada. Apenas uma verificação no âmbito da EUTR poderia ter algum efeito para apreensão e investigação dessa madeira. Segundo nossas investigações, o navio carregava containers com Ipê, madeira nobre da Amazônia, para ser descarregada na Bélgica. Esse foi o terceiro carregamento indo da Rainbow para a Europa no ultimo mês. “As empresas são obrigadas por lei a manter a madeira de alto risco fora do mercado da União Europeia. Comprar madeira de serrarias como a Rainbow Trading é o mesmo que descumprir a lei, já que sua origem foi contaminada por madeira ilegal. Essa madeira deve ser apreendida e investigada, e não vendida direto no mercado. As autoridades belgas devem assumir as suas responsabilidades e as empresas devem ter pleno controle de suas cadeias de abastecimento”, afirma Marina Lacôrte, da Campanha da Amazônia do Greenpeace. As empresas europeias que estão comprando madeira amazônica da Rainbow Trading foram avisadas pelo Greenpeace de que estavam arriscando comprar madeira ilegal – independentemente da pilha de documentação oficial e papelada que acompanha essa madeira. Como o Greenpeace tem mostrado desde maio na Campanha Chega de Madeira Ilegal, a documentação oficial usada por madeireiros na Amazônia não serve...

Leia mais
Novas estações do Bike Sampa estão prestes a inaugurar no bairro
nov12
Leia mais