Medicamentos de alto custo podem ser retirados com tranquilidade, diz Germann
mar20

Medicamentos de alto custo podem ser retirados com tranquilidade, diz Germann

Medicamentos de alto custo serão entregues para um período de três meses nas farmácias de alto custo Maria Zélia, Várzea do Carmo e Vila Mariana. Mas secretário da Saúde de São Paulo faz apelo e diz que não é necessário ter pressa. Os medicamentos já estão estocados e a retirada pode ser feita com tranquilidade, até para não criar aglomerações desnecessárias.

Leia mais
Operação da PF investiga irregularidades na compra de medicamentos de alto custo
maio08

Operação da PF investiga irregularidades na compra de medicamentos de alto custo

Medicamentos de alto custo, finalmente vão para na Polícia Federal. A falta constante desses remédios tem causado enormes transtornos em São Paulo. Em um dos postos da Secretaria da Saúde que acompanhamos há anos, a falta de medicamentos é comum. Como isso é possível?

Leia mais
Sobre dispensação de medicamentos de alto custo
abr11
Leia mais
Remédios de alto custo: farmácia Vila Mariana e a falta de medicamentos
maio14

Remédios de alto custo: farmácia Vila Mariana e a falta de medicamentos

Os casos se repetem desde que iniciamos as reportagens em janeiro de 2014. São inúmeras explicações por parte da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES/SP) e Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), mas ainda não entenderam o objetivo daqueles que lhes são encaminhados pelo sistema ao qual estão subordinados.

Leia mais
Falta de remédios de alto custo gera visão negativa para o MS e SES/SP
ago13

Falta de remédios de alto custo gera visão negativa para o MS e SES/SP

Humilhações com exigências acima do normal, filas que podem passar de duas horas para atendimento e a sistemática falta de remédios; gastos para deslocamentos até três vezes ao mês e mesmo assim correndo risco de não receber os medicamentos, problemas no trabalho devido a essas saídas. Esses são alguns fatores que estão movendo entidades e o judiciário em torno da...

Leia mais
Cidadãos paulistas são humilhados no Posto Altino Arantes da SES/SP
out10

Cidadãos paulistas são humilhados no Posto Altino Arantes da SES/SP

A Farmácia de Alto Custo da Vila Mariana Posto Altino Arantes, continua humilhando pacientes e representantes destes que para lá se dirigem, a fim de retirar as doses de medicamentos de alto custo. Qualquer mínimo erro que fira os protocolos serve para mandá-los embora sem os remédios depois de serem humilhados com atos atrozes dos funcionários públicos, mesmo que esses erros só existam na imaginação desses atendentes.

Leia mais
Pesquisa sobre dispensação de remédios no Posto Altino Arantes. Você tem algo a dizer?
abr11

Pesquisa sobre dispensação de remédios no Posto Altino Arantes. Você tem algo a dizer?

Ajude a melhorar o atendimento participando da pesquisa do site Alô Tatuapé O jornalismo praticado por este site não tem nenhum tipo de vínculo com a Farmácia de Alto Custo Vila Mariana, ou quaisquer órgãos públicos, empresas ou pessoas. Nosso compromisso é com a verdade e com a justiça, com o respeito. Leias as reportagens: Secretaria da Saúde incentiva arbitrariedades de funcionários públicas Secretaria da Saúde incentiva arbitrariedades de funcionários públicas View More Cidadãos paulistas são humilhados no Posto Altino Arantes da SES/SP Cidadãos paulistas são humilhados no Posto Altino Arantes da SES/SP View More Falta de remédios de alto custo amedronta pacientes Falta de remédios de alto custo amedronta pacientes View More Farmácia de Alto Custo da V. Mariana recebeu o remédio Ciclosporina 50 mg Farmácia de Alto Custo da V. Mariana recebeu o remédio Ciclosporina 50 mg View More Falta de medicamento sob responsabilidade da SES/SP, põe em risco a vida de transplantados Falta de medicamento sob responsabilidade da SES/SP, põe em risco a vida de transplantados View More O dilema de quem faz transplante de órgãos no Brasil: burocracia O dilema de quem faz transplante de órgãos no Brasil: burocracia View More Desumanidade e burocracia revestem Saúde contra pacientes que precisam de remédios Desumanidade e burocracia revestem Saúde contra pacientes que precisam de remédios View More População exige respeito da Saúde – SES/SP População exige respeito da Saúde – SES/SP View More Remédios de alto custo: Tecnologia contra humilhações a médicos e pacientes Remédios de alto custo: Tecnologia contra humilhações a médicos e pacientes View More Viabilidade de um sistema informatizado para dispensação de medicamentos em SP Viabilidade de um sistema informatizado para dispensação de medicamentos em SP View More O dilema de quem faz transplante de órgãos no Brasil: +Respeito O dilema de quem faz transplante de órgãos no Brasil: +Respeito View More AME Maria Zélia melhorou depois de expor seus bastidores AME Maria Zélia melhorou depois de expor seus bastidores View More Remédios, doenças e transplantes: o inferno é logo ali, basta que cometa um erro Remédios, doenças e transplantes: o inferno é logo ali, basta que cometa um erro View More Farmácia de Alto Custo Vila Mariana – Posto Altino Arantes tem novo telefone Farmácia de Alto Custo Vila Mariana – Posto Altino Arantes tem novo telefone View More Posto da Altino Arantes inaugura com melhores condições aos usuários Posto da Altino Arantes inaugura com melhores condições aos usuários View More Unidade de Farmácia Vila Mariana Unidade de Farmácia Vila Mariana View More Secretaria da Saúde não respondeu perguntas da sua responsabilidade Secretaria da Saúde não respondeu perguntas da sua responsabilidade View More...

Leia mais
Remédio fracionado gera economia de R$ 380 mi para o Estado de SP
abr23

Remédio fracionado gera economia de R$ 380 mi para o Estado de SP

Medida adotada em farmácias estaduais geridas pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) também proporcionou maior adesão de pacientes ao tratamento. Um modelo de gestão farmacêutica baseado no fracionamento de remédios de alto custo, distribuído na rede pública de Saúde de São Paulo, gerou economia de R$ 380 milhões nos últimos oito anos para os cofres públicos. O levantamento é da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), que administra quatro grandes farmácias de medicamentos especializados da Secretaria de Estado da Saúde, na capital paulista, Guarulhos e Campinas. A medida tem como objetivo fornecer aos pacientes a quantidade suficiente de remédios para o período de 30 dias, evitando desperdícios e garantindo a adesão ao tratamento. Antes da implantação do sistema, eram entregues à população caixas fechadas dos medicamentos, sem a quantidade exata para o tratamento. Na maioria das vezes, o número era maior do que o prescrito. Com o fracionamento, o paciente começou a receber a quantidade suficiente para o período de 30 dias. A economia gerada pela medida foi calculada com base no valor unitário dos produtos dispensados. Pelo sistema, os medicamentos são separados cuidadosamente, permanecendo na embalagem (blister), que não é violada, garantindo sua integridade. Logo após, são etiquetados com informações como data de validade e entregues para o paciente em uma embalagem especial. Segundo Nacime Salomão Mansur, superintendente de instituições afiliadas à SPDM, a segurança do paciente também aumenta com esse processo. “Com o fracionamento, temos a redução das perdas de medicamentos por mau armazenamento pelo paciente e também da automedicação, muito perigosa e que pode acontecer pelo fato da pessoa ter uma quantidade do remédio estocada. Outro dado que importante é que esse processo garante também o retorno do paciente à farmácia, fazendo com que ele dê continuidade ao tratamento”, diz Nacime, que reforça: “este é um exemplo de gestão, a serviço da saúde da população”. Sobre a SPDM Fundada em 1933, a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina) é uma das maiores entidades filantrópicas de saúde do Brasil, atuante em seis estados brasileiros, com aproximadamente 40 mil funcionários e com a vocação de contribuir para a melhoria dos serviços médicos prestados à população. Gerencia unidades hospitalares e ambulatoriais construídas e equipadas pelo Estado e por alguns municípios, tendo como objetivo levar o que há de mais avançado em conhecimento...

Leia mais
Secretaria da Saúde não respondeu perguntas da sua responsabilidade
mar11

Secretaria da Saúde não respondeu perguntas da sua responsabilidade

03 de março, 2014 | 13h27 – Atualizado no dia 11 de Março No dia 03 de janeiro, iniciamos uma reportagem especial sobre Transplantes de Órgãos. Após conclusão da reportagem especial realizada inicialmente naquele dia no Posto da Vila Mariana, relacionada à entrega de remédios a transplantados e as agruras dos pacientes ou seus representantes que tiveram de esperar de 7 a 8 horas nas piores condições para a retirada de remédios, algumas dúvidas ainda restavam. Conversas com médicos, pacientes e usuários do SUS, deixaram dúvidas quanto ao atendimento prestado no que diz respeito à entrega de remédios de alto custo, entre outras. No intuito de esclarecer essas questões, enviamos 12 perguntas à assessoria da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. O recebimento das questões foi no dia 04 de fevereiro, e a partir dessa data tentamos obter as respostas várias vezes sem sucesso. “Se estão com pressa deveriam ter enviado as perguntas antes”, disse uma estagiária no dia 10 de fevereiro. “Vou encaminhar vocês para a responsável”, disse outro representante da assessoria no final de fevereiro. “Estou confusa”, disse a responsável a quem fomos encaminhados por ele, que também não tomou providências para que as perguntas fossem respondidas, e quanto à entrevista solicitada com o secretário da Saúde, David Ewerson Uip, ou seu representante fosse agendada.   Depois de 35 dias aguardando as respostas, a maioria delas foram sendo respondidas de acordo com o andamento desta reportagem especial sobre Transplantes de Órgãos, iniciada em janeiro através dos medicamentos que esses pacientes receberão pelo resto de suas vidas, mas não pela pasta responsável que é a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. As perguntas enviadas estão no link: https://alotatuape.com.br/?p=2231 Saiba mais: remédios de alto custo – campanha + respeito Atualizando as questões necessárias para o entendimento desse assunto ficam ainda várias perguntas a serem respondidas: Mantivemos a numeração original enviada no dia 04 de fevereiro ao SES, há 35 dias. As perguntas retiradas foram sendo respondidas com a notícia da inauguração da Unidade de Farmácia na Rua Dr. Altino Arantes, através da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM). A questão número 3, continua sem resposta, assim como as questões 5, parte da 6, e quanto a 12ª concluímos que não houve interesse em falar desse assunto. 3) Como estava afixado na entrada do posto, o Decreto 59.843 de 28 de Novembro de 2013, atrapalhou ainda mais a burocrática e deficitária entrega dos remédios. Segundo constatamos no Posto da Vila Mariana chegou a levar 8 horas para a entrega de remédios no dia 03 de Janeiro. Haveria uma forma de escalonamento ou deslocamento de...

Leia mais