Como proteger seus filhos dos mosquitos


Terça-feira, 6 de outubro de 2015, às 17h05


À chegada dos meses mais quentes do ano, com temperaturas elevadas e chuvas intercaladas, configura as estações primavera e verão como as mais propícias à proliferação e multiplicação de mosquitos – bebês e crianças são os mais sensíveis às picadas desses insetos, principalmente pernilongos e borrachudos.

Medidas como dedetização, além de evitar água acumulada e parada nos ambientes da casa, evitam criadouros. Os repelentes podem ser físicos, químicos (sistêmicos, ambientais ou tópicos), eletrônicos, luminosos e aparelhos ultrassônicos que podem ter eficácias controversas.

saude mosquitosProteja-se

“Barreiras físicas, como mosquiteiros, ajudam a afastar os insetos. Porém, é necessário usá-lo com segurança, observando seu material, que deve ser com tramas finas, capazes de boa ventilação e impedir a passagem do inseto, assim como não ficar dentro do berço, para prevenir estrangulamentos, e estar a uma altura suficiente para que a criança/bebê não possa alcançá-lo”, informa dr. José Gabel, membro do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial e Primeiros Cuidados da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP).

A tradição popular contém algumas superstições também: ingestão de vitamina B, de alho e cebola, e a aplicação de fumo no corpo são tentativas de adquirir a proteção pelo odor. Todavia, nenhuma dessas fórmulas tem orientação para bebês e crianças.

Quanto aos repelentes, o médico alerta para nunca utilizar antes dos dois meses. “Após essa idade, os pais devem ler os rótulos e bulas dos produtos, a fim de saber o que estão aplicando em seus filhos”.

É importante, também, deixar longe do alcance das crianças, não deixá-las aplicar sozinhas, espalhar em toda a parte exposta do corpo e lavar bem as mãos após utilizar. “Não pode passar quando a pele estiver irritada ou infeccionada. Áreas próximas aos olhos, boca, narinas e genitais também não devem receber o repelente”, afirma Gabel.

saude mosquitFui picado, e agora?

Os principais cuidados são quanto à higiene, de tal forma a evitar que as picadas sejam contaminadas e levem a processos inflamatórios e infecciosos. Ou seja, deve-se lavar o local e não coçar. O que ocorre a partir da picada varia de pessoa para pessoa. Fora os incômodos, os mosquitos são vetores em potencial.

A picada do inseto pode causar desde um simples ponto avermelhado com discreta coceira, com duração de até dois dias, até levar a quadros de prurido intenso e se manifestar com placas de alergia e urticária que, eventualmente, poderá requerer atendimento hospitalar e internação.

“Os pais devem sempre ficar alertas para identificar o surgimento de secreção, ou se o local ficar muito extenso, avermelhado e inchado após a picada. O pediatra e o serviço de saúde devem sempre ser acionados em casos de dúvidas”, conclui.

Foto: divulgação / aloart+

Crianças e tecnologia: os problemas do uso exagerado. Foto: divulgação / aloart+

Leia mais sobre
SAÚDE

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo
3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo
Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo
Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro
Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo
Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro
Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo
  • Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo

  • 3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo

  • Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio

  • Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo

  • Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro

  • Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo

  • Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro

  • Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo

Categorias

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Share This