Eleições presidenciais: Temer admite apoio a Alckmin em aliança centro política


Domingo, 6 de maio de 2018 às 13h29


O presidente Michel Temer (MDB) admite abrir mão de sua candidatura e ensaia apoio a Alckmin (PSDB), enquanto seu partido lança pré-candidatura de Skaf.

Gerson Soares

Temer diz que “ser negro ou ser pobre” não é condição para candidatar-se ou vencer a eleição presidencial, referindo-se a Joaquim Barbosa. Em entrevista ao programa Poder em Foco do SBT, que vai ao ar neste domingo à meia-noite, disse que também foi pobre e andava “6 km para ir e voltar da escola” quando pequeno. Especula-se que possa abrir mão de sua candidatura por uma aliança de Centro.

 

Presidente Michel Temer com Henrique Meirelles ("inseparáveis" até agora) e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin: Emedebista admite abrir mão de sua candidatura para uma coligação de Centro. Foto: Alan Santos/ PR)

 

O presidente brasileiro Michel Temer, pré-candidato pelo MDB à reeleição, também deixou claro - admitindo-se que clareza em política é algo muito duvidoso - que o principal nome que encabeçaria uma aliança de Centro, seria o candidato do PSDB, o ex-governador Geraldo Alckmin.

De acordo com pesquisa do Ibope Inteligência, realizada entre os dias 20 e 23 de abril no Estado de São Paulo e divulgada no dia 25, Temer chega a 2% das intenções de voto quando o cenário não traz Lula, e seu maior aliado, “em qualquer situação inseparáveis”, o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vai a 1%.

Num cenário onde Lula aparece, Temer fica com 1% e Meirelles com 0% das intenções de voto. Mas em matéria de influência e trânsito entre os parlamentares do Congresso e diversos partidos, sem dúvida o presidente ocupa posição de destaque. Mesmo com baixíssimos índices de popularidade, seu nome ainda é capaz de aglutinar forças políticas que levaram Alckmin a buscar seu apoio - apesar de não admitirem isso publicamente.

De acordo com o Ibope, a corrida presidencial (veja os quadros abaixo) destaca entre os primeiros colocados Geraldo Alckmin, Jair Bolsonaro, Marina Silva e Joaquim Barbosa. Quando admite-se a presença de Lula, o ex-presidente ainda ocupa a primeira colocação. Sem ele, Alckmin pula para o primeiro lugar seguido de Bolsonaro, ambos se equiparam.

clique para ampliar

clique para ampliar

clique para ampliar

clique para ampliar

O ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, que filiou-se ao PSB na última sexta-feira (6). Foto: Emília Silberstein/UnB / PSB

Leia mais sobre
ALÔ BRASIL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo
Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar
Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime
  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

  • Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo

  • Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar

  • Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*