Etiópia enfrenta a pior seca dos últimos 30 anos, alerta escritório humanitário da ONU


Sexta-feira, 29 de outubro de 2015, às 12h32


Condições climáticas do país foram alteradas pelo fenômeno ‘El Niño’, que reduziu volume de chuvas no verão, quando as precipitações chegam a abastecer 85% do território. Estiagem agrava a insegurança alimentar.

ONU Brasil

A Etiópia enfrenta a pior seca dos últimos 30 anos, segundo relatório publicado nesta segunda-feira (26) pelo Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

 

Faixa de terras secas na região desértica da depressão de Danakil, no norte da Etiópia. Foto: IRIN / Siegfried Modola

Faixa de terras secas na região desértica da depressão de Danakil, no norte da Etiópia. Foto: IRIN / Siegfried Modola

 

De acordo com a agência da ONU, as condições climáticas do país foram alteradas pelo fenômeno ‘El Niño’, que provocou a escassez das chuvas de verão, responsáveis pelo abastecimento de até 85% do território do país. Previsões para 2016 indicam que a situação tende a piorar.

Somada aos baixos volumes de precipitações durante a primavera, a atual estiagem tem consequências significativa para a população. “Isso expandiu enormemente a insegurança alimentar e a má nutrição e devastou meios de subsistência por seis regiões afetadas do país”, afirmou o OCHA.

A ONU, em conjunto com o governo etíope, tem realizado reuniões com doadores e nações parceiras a fim de solicitar mais contribuições para lidar com a crise.

Apesar da seca em grande parte da Etiópia, o escritório das Nações Unidas alertou também para as enchentes recorrentes na região somali, onde o nível do rio Wabishabelle tem aumentado por conta de chuvas pesadas provocadas pelo mesmo fenômeno climático que está causando a estiagem, o El Niño.

Na semana passada, esse rio transbordou e inundou comunidades à margem do curso d’água, no distrito de Imy, forçando 700 famílias a buscar refúgio nas áreas urbanas. Os distritos de Mustahil e Kelafo, divisões administrativas afetadas comumente pelas secas, também correm o risco de serem alagados pelo Wabishabelle.

A Força-Tarefa Nacional para Enchentes está preparando planos de contingência para reduzir e mitigar os impactos das possíveis cheias.

60 milhões de pessoas teriam sido forçadas a abandonar seu lugar de origem. Guerra na Síria é uma das principais causas da crise de refugiados. Foto: ACNUR / Guarda costeira italiana / Massimo Sestini

60 milhões de pessoas teriam sido forçadas a abandonar seu lugar de origem. Guerra na Síria é uma das principais causas da crise de refugiados. Foto: ACNUR / Guarda costeira italiana / Massimo Sestini

Leia mais sobre
INTERNACIONAL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo
3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo
Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo
Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro
Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo
Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro
Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo
  • Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo

  • 3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo

  • Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio

  • Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo

  • Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro

  • Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo

  • Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro

  • Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Share This