ONU elogia preparação do governo das Filipinas para lidar com Tufão Koppu


Quarta-feira, 21 de outubro de 2015, às 08h59


Mais de 55 mil pessoas e 12 mil famílias foram evacuadas de regiões vulneráveis. Alertas emitidos com antecedência contribuíram para redução da mortalidade da população afetada pelo ciclone tropical, o que mereceu elogios das agências da organização.

ONU Brasil

Em pronunciamento nesta segunda-feira (19), agências da ONU elogiaram a preparação do governo das Filipinas para lidar com o Tufão Koppu, que atingiu o país no domingo. De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), mais de 55 mil pessoas e 12 mil famílias foram evacuadas de regiões vulneráveis. O Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR) destacou os esforços das autoridades, que conseguiram reduzir a mortalidade entre a população afetada pelo fenômeno climático.

 

Um jovem cruza uma rua inundada após a passagem do tufão Koppu. Foto: UNICEF Filipinas

Um jovem cruza uma rua inundada após a passagem do tufão Koppu. Foto: UNICEF Filipinas

 

“A comunicação de alertas prévios nas Filipinas melhorou significativamente desde que o Tufão Haiyan provocou a perda de mais de 6 mil vidas em novembro de 2013. Em dezembro do ano passado, um grande número de mortes também foi evitado por evacuações em larga escala, tendo em vista o Tufão Hagupit”, afirmou a diretora do UNISDR, Margareta Wahlström.

Apesar dos avanços nos programas de prevenção, a representante do UNICEF, Lotta Sylwander, chamou atenção para a vulnerabilidade das crianças em situações de desastre natural. “Depois de um tufão, crianças enfrentam os riscos de fontes de água contaminadas, falta de comida, epidemias de cólera, hipotermia, diarreia e pneumonia”, explicou. A agência da ONU precisa 2,8 milhões para reabastecer suas provisões de assistência à população.

O Tufão Koppu é o décimo segundo ciclone tropical que atinge as Filipinas nesse ano. Em média, o país enfrenta 20 fenômenos do tipo por ano. ”As Filipinas são o país mais exposto a tempestades no mundo”, destacou Wahlström. Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), em 2015, os tufões têm apresentado uma intensidade maior por conta de outra manifestação climática, o El Niño.

60 milhões de pessoas teriam sido forçadas a abandonar seu lugar de origem. Guerra na Síria é uma das principais causas da crise de refugiados. Foto: ACNUR / Guarda costeira italiana / Massimo Sestini

60 milhões de pessoas teriam sido forçadas a abandonar seu lugar de origem. Guerra na Síria é uma das principais causas da crise de refugiados. Foto: ACNUR / Guarda costeira italiana / Massimo Sestini

Leia mais sobre
INTERNACIONAL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil
Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo
Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo
Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
  • Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil

  • Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo

  • Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo

  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*