ONU Mulheres lança programa de empoderamento de meninas por meio dos esportes


Sábado, 24 de outubro de 2015, às 13h26


“Uma Vitória leva à Outra” é o nome da parceria entre a ONU Mulheres e o Comitê Olímpico Internacional pela promoção da igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres através das práticas esportivas.

ONU Brasil

A representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, apresentou na sexta-feira (16), no Rio de Janeiro, o programa “Uma Vitória leva à Outra”, um projeto de empoderamento e liderança para meninas por meio dos esportes. O objetivo do programa é acelerar o alcance da igualdade de gênero no Brasil, bem como deixar um legado sustentável para a cidade do Rio de Janeiro pós-Olimpíadas.

 

Atletas observam painel da ONU sobre Igualdade. Jogos Escolares da Juventude, etapa 12 a 14 anos. Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

Atletas observam painel da ONU sobre Igualdade. Jogos Escolares da Juventude, etapa 12 a 14 anos. Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

 

Nos próximos dois anos, com uma série de oportunidades geradas pelos Jogos Escolares da Juventude e as Olimpíadas, a ONU Mulheres emprestará sua experiência no desenvolvimento de um currículo educativo de nove meses que aborda temas como saúde e higiene, empoderamento, confiança e autoestima e economia e finanças. O programa “Uma Vitória leva à Outra” integra um Memorando de Entendimento entre a ONU Mulheres e o Comitê Olímpico Internacional pela promoção da igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres através dos esportes.

“Investir na liderança de jovens mulheres e meninas por meio dos esportes é uma metodologia efetiva para acabar com a desigualdade de gênero e modificar percepções, atitudes e comportamentos que causam e justificam a violência. Quando as meninas praticam esportes, elas têm a oportunidade de desenvolver habilidades para a vida, como confiança e liderança”, disse a representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman.

No mundo, o programa formou 1 milhão de meninas usando este currículo. No Brasil, a iniciativa começa com um piloto para 2.500 meninas de 12 a 14 anos no Rio de Janeiro em 2016, com apoio do Comitê Olímpico Internacional e do Comitê Olímpico Brasileiro, e deve ser ampliado para outros Estados ao longo do ano. Além da formação curricular, o projeto conectará as comunidades e famílias dessas meninas, para que sejam agentes de prevenção da violência contra mulheres e meninas e promovam a liderança feminina.

Banner divulgado pelo INCA (D) e laço que simboliza a Outubro Rosa (E). Ilusração: aloart

Banner divulgado pelo INCA (D) e laço que simboliza a Outubro Rosa (E). Ilusração: aloart

Leia mais sobre
MULHER

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo
Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar
Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime
Mensagem do Presidente ao Congresso Nacional
Veja como foi a festa e a distribuição do bolo dos 465 anos no Bixiga
Segundo dia do presidente no Fórum Econômico Mundial
  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

  • Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo

  • Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar

  • Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime

  • Mensagem do Presidente ao Congresso Nacional

  • Veja como foi a festa e a distribuição do bolo dos 465 anos no Bixiga

  • Segundo dia do presidente no Fórum Econômico Mundial

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*