Votação do Plano Diretor é adiada
jun28

Votação do Plano Diretor é adiada

Sábado, 28 de junho de 2014 às 6h05 Com informações de Rodolfo Blancato Edição final: Alô São Paulo CMSP – A sexta-feira (27) amanheceu com a mesma face em frente a Câmara Municipal de São Paulo (CMSP). Se a ideia dos manifestantes do MTST é atormentar os trabalhadores e vereadores da CMSP, o objetivo está sendo alcançado. Porém, já se nota o desgaste da relação pacífica entre eles, onde a revolta manifestada pelos vereadores conta contra.     Segundo informou a assessoria da CMSP, os vereadores paulistanos encerraram durante a noite de quinta-feira (26) as discussões do projeto do novo PDE (Plano Diretor Estratégico) da cidade. O debate durou cerca de quatro horas – o dobro do exigido pelo Regimento Interno. A intenção da base de apoio ao governo era aprovar a proposta ontem (27). Para tanto, o presidente José Américo (PT) convocou sessões extraordinárias de manhã, à tarde e de madrugada – esta última para o caso de votação se estender além do planejado. O projeto já havia sido discutido por meia hora na tarde da quarta-feira (25), quando o relator do PDE na Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, Nabil Bonduki (PT), defendeu a aprovação. Ontem o primeiro a falar foi o presidente da comissão, Andrea Matarazzo (PSDB), que considera que o texto ainda não está maduro para ir a plenário. “O Plano Diretor evoluiu bastante, graças ao trabalho dos 55 vereadores. Esses são os pontos que eu entendo que precisam ser melhorados, e eu acho que não temos tempo para tratar esses assuntos e votar a proposta amanhã”, comentou Matarazzo. O tucano discorda de algumas medidas, como a limitação da altura dos prédios nos miolos dos bairros. Para ele, regras como essas deveriam ser estabelecidas em planos regionais, respeitando as particularidades de cada local. Em defesa do projeto, Paulo Frange (PTB) lembrou que ele está sendo debatido há quase um ano na Câmara, período no qual incorporou dezenas de contribuições dos vereadores e da sociedade em geral. “Eu estou em meu quinto mandato, e nunca vi nessa casa um processo de trabalho legislativo com essa intensidade, com tantas audiências públicas”, elogiou o petebista. “Tem artigos que precisam ser corrigidos sim, mas em sua maioria são correções técnicas, o que é natural em um projeto tão grande.” A primeira sessão foi convocada para as 11h desta sexta-feira e os debates se prolongaram durante o dia, porém a votação do PDE foi adiada novamente. Os vereadores mais atentos, chamaram a atenção para as emendas e substitutivos que estão sendo propostos, lembrando que uma vírgula pode alterar o texto original. Analisando o que disse Andrea Matarazzo, observamos...

Leia mais
Vereadores chegam a acordo com MTST
jun28

Vereadores chegam a acordo com MTST

Sábado, 28 de junho de 2014 às 8h56 Rodolfo Blancato CMSP – O líder do PT, Alfredinho, afirmou na noite desta sexta-feira (27/6) que o governo chegou a um acordo com o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) sobre o projeto que permite a construção de moradias populares da ocupação Copa do Povo, na Zona Leste. Atualmente, o local é uma zona predominantemente industrial, não podendo receber habitação de interesse social.     Anteontem já havia sido feito um acordo com o líder do PSD, José Police Neto, para que a alteração fosse incluída em um substitutivo para uma proposta de sua autoria, o Projeto de Lei (PL) 209/2011. Originalmente, o projeto tratava apenas da readequação de edifícios subutilizados para abrigar moradia popular, mas o autor aceitou protocolar um substitutivo para incluir a questão da Copa do Povo. Mais cedo, antes do início da sessão, a proposta foi debatida em uma audiência pública. Àquela altura, ainda existiam divergências em torno do texto. Guilherme Boulos, coordenador do MTST, questionou um dos artigos do texto, que não permitia que os imóveis erguidos no terreno fossem destinados para o programa federal Minha Casa, Minha Vida – Entidades, no qual os beneficiados são indicados por movimentos sociais. “Na medida em que o projeto coloca a restrição da demanda ao cadastro da Sehab, ele está restringido o empreendimento a uma única modalidade. Nós não achamos cabível nem que seja o escopo desse projeto”, afirmou o militante. “Nós não queremos furar fila. O que nós queremos é que seja resguardada também a possibilidade de se fazer pela modalidade entidades.” Segundo Alfredinho, será aprovada uma emenda extinguindo a restrição ao programa federal. Ele ressaltou, entretanto, que as moradias não serão destinadas apenas a membros do MTST. “O cálculo que se tem é que vamos conseguir construir mais unidades do que foi combinado com eles (MTST). Então, esse excedente será distribuído para outros movimentos da própria região”, disse o petista. No início da noite, o presidente da Câmara, vereador José Américo (PT), o líder do governo, Arselino Tatto (PT), e o líder do PT, Alfredinho, deixaram o plenário e foram explicar aos manifestantes acampados na porta do Palácio Anchieta que os projetos da Copa do Povo e do Plano Diretor não seriam votados nesta sexta-feira, como era esperado, já que haviam ainda trâmites formais a serem concluídos. Eles, porém, garantiram que ambos os projetos serão votados e aprovados na sessão da segunda-feira (30/6).   Saiba mais Votação do Plano Diretor é adiada Principais propostas do Plano Diretor Estratégico Líder do governo na Câmara diz que PDE será aprovado segunda-feira Vereadores chegam a acordo com MTST Vereadores se...

Leia mais
Líder do governo na Câmara diz que PDE será aprovado segunda-feira
jun28

Líder do governo na Câmara diz que PDE será aprovado segunda-feira

Sábado, 28 de junho de 2014 às 9h10 Rodolfo Blancato CMSP – O líder do governo na Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), Arselino Tatto (PT), foi à tribuna do plenário na noite desta sexta-feira (27/6) para afirmar que o Plano Diretor só será votado na próxima segunda-feira (30/6). Ontem, a expectativa da situação era aprovar o projeto hoje.     Segundo Tatto, não haveria tempo suficiente para analisar todas as emendas protocoladas pelos vereadores. “Não é falta de vontade política, é uma questão operacional. São muitas emendas, emendas importantes que precisam ser analisadas. Isso não dá pra fazer de afogadilho. Trata-se da lei mais importante que temos na cidade”, disse o petista. No entanto, ele garantiu que o governo terá os 33 votos necessários para aprovar o projeto na segunda. “Uma coisa eu posso garantir para vocês: o Plano Diretor será votado na segunda-feira!”, afirmou Tatto, se dirigindo às galerias, onde militantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) pressionavam pela votação ainda hoje. O movimento está acampado em frente à Câmara desde a última quarta-feira (25/6) e, segundo os líderes do grupo, só deixará o local quando o Plano Diretor for aprovado. Eles também pedem a mudança da legislação para permitir a construção de moradias populares no terreno da ocupação Copa do Povo, na zona leste.   Saiba mais Votação do Plano Diretor é adiada Principais propostas do Plano Diretor Estratégico Líder do governo na Câmara diz que PDE será aprovado segunda-feira Vereadores chegam a acordo com MTST Vereadores se dividem sobre acampamento do MTST em frente à...

Leia mais
Principais propostas do Plano Diretor Estratégico
jun28

Principais propostas do Plano Diretor Estratégico

Sábado, 28 de junho de 2014 às 7h24   CMSP – Em tramitação desde o ano passado, o novo Plano Diretor Estratégico de São Paulo (PDE) vai definir as diretrizes para o desenvolvimento urbano no município nos próximos 16 anos. Elaborado pela prefeitura e aperfeiçoado pela Câmara após nove meses de debates, o projeto tem o objetivo de criar uma cidade mais funcional e justa para seus moradores. Para isso, a proposta prevê uma série de medidas, como a aproximação da moradia e do emprego, a prioridade ao transporte público e a diminuição do déficit habitacional do município.   Os membros da Comissão de CPUMMA (Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente) responsáveis pela elaboração do PDE, estão assim definidos pelos vereadores: Presidente Andrea Matarazzo (PSDB) Vice-presidente Paulo Frange (PTB) Relator Nabil Bonduki (PT) Demais integrantes Dalton Silvano (PV) José Police Neto (PSD) Nelo Rodolfo (PMDB) Toninho Paiva (PR) Apenas o substitutivo do PDE, votado no último mês de abril, forma um caderno de 136 páginas. O que veremos aqui é um resumo das principais e mais polêmicas propostas debatidas com a sociedade e entre os vereadores. Leia a seguir: Cidade compacta A construção de prédios altos na cidade, hoje dispersa, será reordenada, concentrando o adensamento construtivo e populacional ao longo dos eixos de transporte de massa. O plano propõe tornar a cidade mais “compacta”, com mais pessoas morando em áreas já urbanizadas, reduzindo deste modo, os deslocamentos, e aproximando moradia e emprego. Ao mesmo tempo, áreas mais periféricas receberão maior infraestrutura e emprego, com a implantação dos Polos de Desenvolvimento Econômico, o que também contribuirá para reduzir os deslocamentos. O processo de adensamento ao longo dos eixos, somado ao desenho da malha de corredores de ônibus estruturados na cidade e a construção de ciclovias, contribuirá para a racionalização do uso do automóvel. Por outro lado, as zonas estritamente residenciais serão preservadas e haverá um limite de altura de 28 metros nos miolos dos bairros, evitando os espigões. Dessa forma, o plano regulará a atuação do mercado imobiliário, levando-o para onde a cidade deve crescer e restringindo onde não deve mais. Recriação da zona rural Após 12 anos de extinção, a zona rural, no extremo-sul da cidade, será recriada e abrangerá 25% do território paulistano. O objetivo é conter a expansão horizontal da cidade, proteger o que resta do cinturão verde e fazer essas áreas serem melhor utilizadas, criando emprego e renda com atividades que garantam a preservação do meio ambiente, como a agricultura orgânica e o ecoturismo. Limite de vagas de garagens Na construção de novos prédios, será permitida sem cobrança extra a construção de uma vaga...

Leia mais
Vereadores se dividem sobre acampamento do MTST em frente à Câmara
jun28

Vereadores se dividem sobre acampamento do MTST em frente à Câmara

  Vídeo publicado pela TV Câmara São Paulo, mostra integrantes do MTST acampados em frente à Câmara Municipal de São Paulo e as opiniões divergentes de vereadores. Publicado em 27/06/2014 Trabalhadores sem-teto acampam em frente à Câmara Municipal há três dias. É pressão para que a revisão do plano diretor da cidade seja votada, a manifestação divide os vereadores.   Sábado, 28 de junho de 2014 às 9h52 CMSP – Em entrevista à TV Câmara, os vereadores Coronel Telhada (PSDB) e Juliana Cardoso (PT) comentaram a decisão do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) de acampar em frente à Câmara para pressionar pela aprovação do Plano Diretor. Enquanto Telhada qualifica o ato como “uma afronta à democracia”, Juliana acredita que a ocupação é uma forma válida de protesto.   Saiba mais Votação do Plano Diretor é adiada Principais propostas do Plano Diretor Estratégico Líder do governo na Câmara diz que PDE será aprovado segunda-feira Vereadores chegam a acordo com MTST Vereadores se dividem sobre acampamento do MTST em frente à...

Leia mais
PDE, ZEIS e o Inferno de Dante
jun26

PDE, ZEIS e o Inferno de Dante

Quinta-feira, 26 de junho de 2014 às 8h07 – atualizado às 10h12 Gerson Soares CMSP – No final da sessão plenária de ontem (25), vereadores exaltados como José Police Neto (PSD), que tiveram problemas com integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) que continuam acampados em frente à Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), para defender seus interesses na votação das ZEIS. Os debates estiveram voltados para o projeto do Plano Diretor Estratégico da cidade de São Paulo (PDE). Segundo o líder do governo, vereador Arselino Tatto (PT), foi firmado acordo com as lideranças dos partidos para que as sessões desta quarta e quinta-feira fossem utilizadas exclusivamente para discussão do projeto. Segundo, informações da CMSP, até sexta-feira, o PDE deve ser colocado em pauta para votação final. O relator do projeto, vereador Nabil Bonduki (PT), ocupou a tribuna nesta quarta para defender o substitutivo do PDE. “O planejamento urbano serve para organizar a cidade, estabelecendo regras para o uso e ocupação de solo e os programas públicos para as próximas três gestões municipais. São Paulo não pode mais se expandir horizontalmente. Precisamos agora conter esse processo para evitar que haja mais degradação de áreas de proteção ambiental e estabelecer claramente para onde a cidade vai se desenvolver a partir de agora”, disse.       O presidente da Comissão de Política Urbana, vereador Andrea Matarazzo (PSDB), será o primeiro a discursar sobre o projeto. Em seguida, segundo promessa do presidente da CMSP, vereador José Américo (PT), será a vez de Gilberto Natalini (PV), seguido dos demais vereadores inscritos, na sessão desta quinta-feira. Para garantir que todos os vereadores tenham tempo para discutir o projeto, o presidente da Câmara convocou a sessão ordinária e mais três extraordinárias. O vereador Arselino Tatto (PT) usou o plenário para defender o vereador José Police Neto (PSD), duramente criticado por integrantes do MTST, que o acusam de ser o ‘vereador das empreiteiras’. “90% dos projetos do vereador Police são relacionados à moradia popular, por isso são injustas as críticas e acusações que foram feitas. Dialogamos com o movimento e eles entenderam que cometeram um erro. Quero dizer que o vereador tem a solidariedade de toda base do governo”, disse Tatto. Integrantes do MTST estão acampados e afirmam que ocuparão as imediações da CMSP até a votação do PDE, pressionando os vereadores. O líder do movimento, Guilherme Boulos acusa os vereadores, entre eles Police Neto, de estarem fazendo lobby nas aprovações de interesse das empreiteiras. Nesse sentido fica mesmo sem explicação a liberação para construção de edifícios no interior dos bairros, que antes era de proibição para construções acima de oito andares no interior...

Leia mais
Festa alemã é um dos destaques deste final de semana em SP
jun25

Festa alemã é um dos destaques deste final de semana em SP

Quarta-feira, 24 de junho de 2014 às 19h22 Saraus e feiras de artesanato também fazem parte das atrações Secretaria de Coordenação das Subprefeituras – A cidade de São Paulo tem diversos bairros com grande concentração de imigrantes, como acontece no bairro Colônia, em Parelheiros, que foi a primeira localidade do município que recebeu a comunidade alemã em 1829.       Neste final de semana, os moradores resgatam a cultura do povo alemã com a 9ª Colônia Fest. A festa típica é organizada pela A.C.C.A – Associação Cívica de Colônia Alemã e tem o apoio da Subprefeitura da região. O evento tem entrada gratuita e acontece a partir de sexta (27), às 18h, e no final de semana, 28 e 29, a partir das 10h, com danças e comidas típicas e ainda diversas apresentações musicais.     As famosas feiras de artesanato dos bairros acontecem neste final de semana, com diversos produtos especiais para o público. Em Parelheiros, a feira acontece no sábado (28) e domingo (29), a partir das 9h, na Praça Júlio César de Campos. No mesmo horário, sábado (28), os moradores da zona Leste, podem conferir as novidades na Feira de Artesanato da Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, conhecida como Praça do Forró. Ainda no sábado, às 15h, os moradores de São Miguel e região estão convidados para um encontro cultural e literário, no “Sarau debaixo d’árvore”. O evento acontece todo último sábado do mês na Praça do Casarão. Nesse clima literário, acontece no domingo (29), a partir das 10h, o “Circuler”, encontro para doação e troca de livros e às 17h, o público é convidado a participar do “Sarau na Praça”, que será na Praça Júlio César de Campos, em Parelheiros. O domingo termina clássico, com a apresentação do ballet “O Quebra Nozes”, às 18h, na Casa de Cultura Salvador Ligabue, na Freguesia do Ó. A apresentação celebra a formatura das alunas da Oficina de Ballet Infantil do local. Serviço: Subprefeitura Parelheiros 9ª Colônia Fest Data e Horário: 27/6, das 18h às 22h; 28 e 29/6, das 10h às 22h. Local: Rua Jackson Pollock, s/n – Largo da Igreja – Colônia. Fone: 5921-9808 Feira de Artesanato Quando? 28 e 29/6 Horário: 9h às 17h Local: Praça Júlio César de Campos em Parelheiros Circuler Data e horário: 29/6 das 10h às 17h Local: Praça Júlio César de Campos em Parelheiros Subprefeitura São Miguel Paulista Feira de Artesanato Quando? Todos os sábados Horário: 9h às 18h Local: Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra (Praça do Forró). Sarau debaixo D’árvore Quando? Todo último sábado do mês. Horário: às 15h Local: Praça do Casarão Endereço: Rua Conceição de Almeida, 170. Fone:...

Leia mais
Lobby de construtoras não é ilegal
jun25

Lobby de construtoras não é ilegal

Quarta-feira, 24 de junho de 2014 às 9h25 Gerson Soares Apesar do barulho que o MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) está fazendo em frente à Câmara Municipal e o acampamento no Viaduto Jacareí, no centro de São Paulo, o Projeto de Lei nº 688/2013 (PL) do Plano Diretor Estratégico (PDE) só será votado hoje se houver acordo entre as lideranças, apesar de constar na pauta de discussão, a partir das 15h no Plenário da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP).       Na semana passada o líder do MTST levantou a hipótese de lobby das construtoras junto aos vereadores da CMSP e até certo ponto isso não deixa de ser uma possibilidade. A votação das leis que irão reger as ZEIS (Zonas Especiais de Interesses Sociais), falam diretamente aos construtores de prédios e também ao MTST. A estes interessa a legalização da ocupação Copa do Povo, às empresas ligadas ao setor imobiliário e construção civil. a possibilidade construírem prédios no interior dos bairros com altura superior aos 25 metros, votados em abril último, que entrou no substitutivo publicado no último dia 17, e seguiu para ser sancionado pelo prefeito. Caso o texto seja aprovado, essas empresas multiplicarão as construções legalmente nos próximos 16 anos, levando ao falido sistema viário centenas de milhares de novas vagas de automóveis aos interiores dos bairros da capital, como o Tatuapé por exemplo. Segundo a assessoria do vereador Andrea Matarazzo (PSDB), a proposta dele é que essas construções sejam discutidas nos Planos Diretores Regionais e não inseridas no Plano Diretor Estratégico, “pois cada bairro tem a sua característica”. Outro detalhe surgido inesperadamente nos últimos tempos foi o de revisar o PDE somente a cada 16 anos. “O Estatuto da Cidade prevê essa revisão a cada 10 anos”, esclarece o gabinete do vereador. A possibilidade de lobby das construtoras na CMSP foi investigada pelo Ministério Público. A conclusão é de que, apesar de elas fornecerem verbas para as campanhas eleitorais dos vereadores, a troco logicamente de protegerem seus interesses futuros, esse aporte está dentro da legalidade, a legislação brasileira permite. E é também nesse ponto que temos debatido a política do país como um todo, não só em São Paulo. Os interesses nacionais ficam divididos com os setoriais que por possuírem maior poder de persuasão, traduza-se por poder financeiro, acabam sendo priorizados, em detrimento dos interesses sociais quando deveria ser o contrário. Como não financia campanhas, cabe à população ficar atenta e valorizar cada voto, discutindo o assunto em família antes de votar. O texto que libera as construtoras só foi brecado na CMSP porque não conseguiu quórum, caso contrário já teria sido aprovado...

Leia mais
Plano Diretor pode ser votado durante recesso parlamentar
jun25

Plano Diretor pode ser votado durante recesso parlamentar

Quarta-feira, 24 de junho de 2014 às 10h52 Rodolfo Blancato/CMSP Edição final: Alô São Paulo Caso o projeto do novo Plano Diretor não seja aprovado até o fim do mês, a Câmara Municipal de São Paulo (CMSP) poderá ter sessões durante o recesso parlamentar, que começa em primeiro de julho. A informação foi dada a jornalistas pelo líder do PT, vereador Alfredinho, durante a sessão plenária do dia 14. Naquela tarde, os vereadores da base de apoio ao prefeito Fernando Haddad tentaram iniciar a discussão do projeto, mas não conseguiram quórum para manter a sessão aberta.     Segundo o petista, o governo ainda não alcançou os 33 votos necessários para a aprovação do plano. “Todos os vereadores têm suas demandas, suas reivindicações, mas não é possível atender a todos. Então nós temos que conversar, construir um entendimento.” Alfredinho foi um dos parlamentares que receberam uma comitiva de manifestantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto), juntamente com o presidente José Américo (PT), Adilson Amadeu (PTB) e Juliana Cardoso (PT). O movimento reuniu milhares de manifestantes em frente ao Palácio Anchieta para pressionar pela aprovação do projeto e a inclusão da ocupação Copa do Povo, na zona leste, entre as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) previstas no plano. As ZEIS são áreas nas quais o poder público tem a obrigação de promover habitação de interesse social. Elas também possuem regras diferenciadas para a construção de novos edifícios, desincentivando empreendimentos de alto padrão.       No encontro, os vereadores reafirmaram o esforço de votar o projeto até o fim do mês. Por sua vez, os manifestantes informaram que permanecerão acampados em frente à Câmara até que o plano seja aprovado. “Serão por volta de 250 pessoas nesse primeiro momento, mas a ação será massificada conforme a necessidade”, afirmou a militante Jussara Basso, uma das coordenadoras do movimento. A pressão dos manifestantes, que chegaram a fechar os acessos ao edifício da Câmara durante a tarde, foi criticada pelos parlamentares da oposição, que qualificam a atitude do movimento como uma “chantagem”. “Acho que é um tipo de pressão inaceitável você acampar, fazer o que fizeram aqui hoje, que é fechar a Câmara, sitiar todas as entradas e saídas”, disse vereador Andrea Matarazzo (PSDB). A intenção do governo é aprovar o substitutivo protocolado na semana passada pelos vereadores da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente. A princípio, a transformação da Copa do Povo em Zeis seria realizada em um projeto separado, mas como a oposição está obstruindo a leitura do projeto, o presidente José Américo (PT) disse a jornalistas que cogita incluir a questão no próprio Plano Diretor através...

Leia mais
Prefeitura assina termo para novo Bicicletário 24h em Pinheiros
jun18

Prefeitura assina termo para novo Bicicletário 24h em Pinheiros

Quarta-feira, 18 de junho de 2014 às 19h41 Itaú Unibanco será responsável pela gestão do novo equipamento por 36 meses. A informação é da Secretaria de Comunicação da Prefeitura. A Prefeitura de São Paulo entregou hoje (16), ao Itaú Unibanco, as chaves para o início das obras de implantação do novo Bicicletário Municipal do Largo da Batata. O termo de cooperação foi publicado do Diário Oficial deste sábado, 14/06, e a partir desta segunda a empresa cooperante terá 10 dias úteis para dar início às obras de implementação do equipamento. A previsão é de que até o fim do mês de julho os munícipes possam começar a utilizar esse serviço que funcionará 24h. Além da implantação, o termo de cooperação prevê que o Itaú Unibanco seja responsável pela guarda e retirada de bicicletas e também pela manutenção e conservação dos equipamentos e das instalações. No local, também deverá ser construído um banheiro com estrutura compatível a de um vestiário, equipado com bancos, cadeiras e armários que possam ser utilizados pelos usuários do bicicletário, após cadastro prévio. Para auxiliar ainda mais os ciclistas, será instalada uma estação de manutenção básica com ferramentas apropriadas para que os usuários possam efetuar pequenos consertos ou ajustes em suas bicicletas. “A implantação junto ao Metrô Faria Lima será um ganho à população que utiliza a região e agora poderá se desviar do trânsito utilizando o equipamento a qualquer hora do dia. O bicicletário auxiliará também na interligação da ciclovia em construção com a rede metroviária.”, explicou Angelo Filardo, subprefeito de Pinheiros . Caberá à subprefeitura a fiscalização do espaço para verificar se o cooperante cumpre todas as determinações estabelecidas pelo...

Leia mais
Ocupação Copa do Povo fica fora do PDE
jun18

Ocupação Copa do Povo fica fora do PDE

Quarta-feira, 17 de junho de 2014 às 15h32 Rodolfo Blancato/CMSP – A ocupação conhecida como Copa do Povo, na zona Leste de São Paulo, não foi incluída entre as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) previstas no projeto do novo Plano Diretor da cidade. Nesta segunda-feira (16), os membros da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente protocolaram um novo substitutivo para a proposta, resultado de semanas de conversas com os demais vereadores e a prefeitura. Segundo Nabil Bonduki (PT), que foi o relator do projeto na comissão, a destinação da área para a construção de habitação de interesse social será contemplada em outro projeto de lei, que deverá ser protocolado. “Dessa maneira nós teremos condições de debater especificamente a situação da Copa do Povo, que não se confunde com o Plano Diretor”, declarou o vereador após a sessão prevendo o protocolo para o dia seguinte (terça-feira). A ocupação surgiu no início de maio, quando cerca de mil famílias ligadas ao MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) ergueram suas barracas em um terreno localizado a menos de 4 km da Arena Corinthians, palco dos jogos da Copa do Mundo em São Paulo. Desde então, militantes do MTST e outros movimentos de moradia têm pressionado a Câmara para incluir a Copa do Povo entre as ZEIS, áreas nas quais é prioritária a construção de habitação popular. O movimento também conseguiu a garantia do Governo Federal de que a ocupação será contemplada pelo programa Minha Casa, Minha Vida – Entidades. O texto foi fechado na tarde do dia 16, em reunião entre os membros da comissão e o prefeito Fernando Haddad. Segundo Bonduki, a retirada da Copa do Povo do texto tem o objetivo de estabelecer uma proposta de consenso. “Esse texto é o resultado de um amplo entendimento entre todos os vereadores da Câmara Municipal. Esperamos que ele possa contar com o apoio de todos, uma vez que todos os vereadores, de uma maneira ou de outra, tiveram as suas ideias contempladas nesse substitutivo”, repetiu Nabil.       Mudanças Entre as mudanças introduzidas está a flexibilização do limite de altura das novas construções no interior dos bairros. O texto aprovado pela Câmara em abril, em primeira discussão, previa a limitação do gabarito nessas áreas a 25 metros, cerca de oito andares. O novo texto acaba com a limitação nos quarteirões onde mais da metade dos prédios já construídos superarem essa altura. O substitutivo também garante a destinação de 30% dos recursos do Fundurb (Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano) para o sistema de mobilidade da cidade e a criação do Fundo Municipal dos Parques, que financiará a aquisição de...

Leia mais
Prefeitura lança projeto inédito de compostagem doméstica
jun16

Prefeitura lança projeto inédito de compostagem doméstica

Segunda-feira, 16 de junho de 2014 às 17h39 Fase inicial distribuirá 2.000 composteiras em toda a cidade. Processo permite reaproveitar resíduos orgânicos na forma de adubo. Objetivo é reduzir a quantidade de resíduos enviados aos aterros. SECOM – O prefeito Fernando Haddad lançou nesta segunda-feira (16) um projeto inédito de compostagem doméstica, que irá distribuir 2.000 composteiras para reutilização de resíduos orgânicos. O processo transforma restos de alimentos em adubo e reduz a quantidade de resíduos enviados aos aterros da cidade. O projeto integra a agenda ambiental da cidade de São Paulo, que inclui a criação de centrais mecanizadas de triagem de resíduos sólidos, a implantação de 400 quilômetros de ciclovias e a adoção das lâmpadas de LED para a iluminação pública. As informações são da secretária executiva de Comunicação da Prefeitura.     “Depois da entrega da central mecanizada de triagem, que vai cuidar dos resíduos secos, nós estamos iniciando um projeto em São Paulo para cuidar dos resíduos orgânicos, que pode ser aproveitado na forma de adubo orgânico, para hortas comunitárias, nos parques e nas praças. A nossa meta é diminuir em 20 anos 80% do resíduo que vai para aterro hoje e que ocupa espaço precioso na cidade, que deveria estar sendo usado para parques ou CEUs”, afirmou Haddad. Em 5 de junho, a Prefeitura inaugurou no bairro de Ponte Pequena a primeira central mecanizada de triagem da América Latina, que tem capacidade de processar 250 toneladas de resíduos sólidos por dia. Segundo o prefeito, nesta fase inicial, as composteiras serão distribuídas em caráter experimental, para avaliar os hábitos da população e formatar o melhor modelo para ampliação da escala do projeto. Durante o evento, realizado no Centro Educacional Unificado (CEU) Casablanca, zona sul, Haddad também afirmou que a ampliação da compostagem será realizada com o reaproveitamento dos resíduos orgânicos produzidos no preparo das mais de um milhão de refeições servidas na escolas municipais. O financiamento das iniciativas é realizado pelas empresas Loga e Ecourbis, concessionárias da coleta de lixo. “Nós não estamos colocando recursos orçamentários da Prefeitura para este programa. O contrato que nós temos com as empresas de coleta prevê que 0,5% do que é pago todo mês seja investido em educação ambiental. Este programa então está sendo financiado com os recursos das concessionárias”, explicou o secretário Simão Pedro da secretária de Serviços. Quando depositados nos aterros sanitários, os resíduos orgânicos resultam em problemas ambientais, como por exemplo a formação de chorume tóxico, que pode infiltrar-se no solo e contaminar a água subterrânea. Diariamente, são enviados para o aterro sanitário 18 mil toneladas de resíduos, sendo 10 mil toneladas de resíduos domésticos. Dos resíduos domésticos,...

Leia mais
Itaquera inaugura Casa da Memória
jun16

Itaquera inaugura Casa da Memória

Segunda-feira, 16 de junho de 2014 às 17h17 Exposições de fotos e oficinas culturais são algumas das atrações do local O Centro Cultural Casa da Memória será inaugurado hoje (16), com cerimônia de abertura agendada para às 18h. O espaço é destinado às lembranças dos moradores de Itaquera.     O projeto tem o objetivo de retratar as lembranças que os antigos moradores do bairro guardam, sendo em fotos, peças e nas diferentes formas de registro. A visitação poderá ser feita de segunda a sábado, das 10h às 18h, com algumas oficinas estendidas até as 22h. A primeira mostra de fotos é batizada de “Itaquera: dos aldeamentos à Copa” e estará em exposição até o dia 17 de julho. O espaço também será utilizado para diversas atividades gratuitas para toda a população, como oficinas de dança, aulas de inglês, capoeira, exercícios para a terceira idade e muito mais. História A conhecida Casa do Chefe da Estação, no Centro de Itaquera, é uma construção da década de 1930. Por muitos anos, o espaço abrigou o escritório do antigo encarregado da Estação de Trem. Com a desativação da estação, a Secretaria Estadual dos Transportes de São Paulo transferiu o imóvel para a Prefeitura. A partir do final de 2012, a subprefeitura restaurou o local e a “Casa do Chefe da Estação” passou a ser frequentada por artistas e moradores do entorno, iniciando às atividades culturais da região. Confira a programação das atividades no local: 16/6 às 18h: Cerimônia de Abertura Todas as terças-feiras Oficina de Samba Rock Das 19h às 22h Dançando a Vida – Aula de reflexão para deficientes Das 9h30 às 11h Todas às quartas-feiras Ensaio Aberto Instrumental e Percussão Das 7h30 às 22h De quarta a domingo Gibiteca Balão com quadrinhos, RPG, Animes e Seriados Das 10h às 17h Todas às quintas-feiras Dança Saudável – exercícios para o corpo e mente da Melhor Idade Das 10h às 12h Todos os sábados Aula de Inglês para todas as idades Das 9h às 11h Oficina de Capoeira Das 19h às 21h Serviço: Centro Cultural Casa da Memória Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 10h às 18h (exceto programações noturnas e aos domingos) Endereço: Rua Antônio Carlos de Oliveira Cesar, 97 – Centro de Itaquera. Telefone:...

Leia mais
Iluminação vermelha chama a atenção para a importância da doação de sangue
jun13

Iluminação vermelha chama a atenção para a importância da doação de sangue

Sexta-feira, 13 junho de 2014 às 20h12 Neste sábado, 14 de junho, data em que se comemora o “Dia Mundial da Doação de Sangue”, quatro monumentos da cidade – Viaduto do Chá, Biblioteca Mário de Andrade, Ponte das Bandeiras e Ponte Estaiada do Tatuapé – serão iluminados na cor vermelha. A ideia é chamar a atenção da população para a importância dessa causa. A partir de domingo (15/6), esses monumentos voltam a exibir as cores verde e amarelho, em homenagem à realização da Copa do Mundo no Brasil.       Além desses quatro pontos, ainda no dia 14, as fontes do lago do Parque do Ibirapuera também estarão coloridas de vermelho das 19h às 20h e das 21h às 23h. A ação é uma iniciativa do Movimento “Eu Dou Sangue pelo Brasil” e da Prefeitura de São Paulo, por meio do Departamento de Iluminação Pública (Ilume). No Brasil, apenas 1,9% da população doa sangue, quando, de acordo com a Organização Mundial de Sáude (OMS), o recomendável é que esse percentual esteja entre 3 e 5%; O Movimento Eu dou Sangue Pelo Brasil é uma evolução da Campanha Eu Dou Sangue Por SP que desde 2011 busca incentivar a população a “dar sangue” no sentido literal, mas também fomentar o sentimento de solidariedade, frater Mais informações acesse:...

Leia mais
Nossa Rua na Copa divulga ganhadores
jun13

Nossa Rua na Copa divulga ganhadores

Sexta-feira 13 de junho de 2014 às 16h50 Concurso recebeu a inscrição de 36 vias da região da Freguesia do Ó A Subprefeitura Freguesia/Brasilândia realizou, nesta quinta feira (11), a apuração do concurso Nossa Rua na Copa. A grande campeã foi a rua Geraldo Alves de Carvalho, com 60 pontos, que acumulou nota dez em todos os quesitos e foi premiada com um kit churrasco para 100 pessoas e um telão para assistir à final da Copa. A segunda colocação do concurso foi para a rua Carlos Dias Fernandes, recebeu 58,5 pontos, faturando o kit churrasco para 70 pessoas, e a terceira, a rua Professor Albuquerque Gama, totalizou 57,5 pontos, que ficou com um kit para 50 pessoas.   O concurso, organizado pela Subprefeitura Freguesia/Brasilândia recebeu 36 vias inscritas concorrendo com a melhor decoração. A apuração, realizada no auditório da subprefeitura, avaliou os seguintes quesitos: 1) originalidade; 2) criatividade; 3) arte, estética e higiene; 4) harmonia; 5) conjunto e 6) dimensão. Os prêmios para as vencedoras foram doados pelo comércio local e a premiação ocorre no dia 12 de julho em cada uma das ruas vencedoras. As demais ruas participantes levarão um troféu simbólico, que será entregue a partir de 5 de julho. As informações são da secretaria da Coordenação de Subprefeituras de São...

Leia mais
Bairro: recapeamento parcial
jun12
Leia mais
Engenheiros e arquitetos mantêm greve na Prefeitura de SP
jun05

Engenheiros e arquitetos mantêm greve na Prefeitura de SP

5 de junho de 2014 às 17h50 – atualizado às 20h06 Deborah Moreira – SEESP Mais uma vez, com o auditório lotado, no Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), engenheiros e arquitetos da Prefeitura de São Paulo votaram pela manutenção da greve das categorias, que completa oito dias nesta quarta-feira (4/6). Para comportar a todos, foi necessário instalar caixas de som no andar térreo para que os que não conseguiram entrar pudessem acompanhar. Pouco antes da assembleia, o Executivo chamou representantes dos trabalhadores em reunião que, apesar de retomar a negociação, não ofereceu nenhuma nova proposta salarial. Entre as próximas ações definidas estão um protesto no vão livre do Masp, na quinta-feira (5), com concentração a partir das 10h; e uma nova reunião às 10h, na sexta (6), na sede do SEESP. A próxima assembleia da categoria está marcada para a quarta-feira (11), véspera da abertura da Copa do Mundo. “Quero ver cada companheiro aqui levar pelo menos mais um no ato desta quinta”, pediu o engenheiro Sérgio Souza, delegado sindical do SEESP na prefeitura. “Está rejeitado o projeto de lei nesses moldes e devemos também ficar de olho em outras duas instâncias que discutem atualmente o nosso plano de carreira e salário: no Supremo Tribunal Federal (SFT) e no Senado. Se essas instâncias acenarem positivamente já temos mais instrumentos para lutar”, lembrou o engenheiro João D’Amaro, vice-presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Municipais de São Paulo (Seam). Segundo a comissão de servidores recebida pelos representantes da prefeitura, será enviada até sexta-feira para os trabalhadores o projeto de lei (PL) que propõe uma reestruturação de carreiras, divididas em quatro faixas de analistas do município, que iguala diversas categorias em um mesmo nível salarial com remuneração a partir de subsídios que, de acordo com os servidores, só beneficiam engenheiros e arquitetos em início de carreira (quase 40% da categoria). Os cerca de 500 servidores presentes à assembleia, que representam um terço do quadro total do município, além de rejeitarem o PL nesses moldes, aceitaram fortalecer os grupos técnicos de estudos, formados nesta semana dentro do movimento grevista, para formular novas propostas para a reestruturação da carreira. Nos próximos dias os grupos deverão se reunir para aprofundar o trabalho. A decisão foi feita após a chegada de um outro grupo, vindo de uma reunião da Comissão de Administração Pública da Câmara Municipal onde formalizou o pedido de criação de um grupo de estudo na comissão para analisar a política salarial e estruturas das carreiras dos servidores. Na terça-feira (3), os servidores estiveram no Colégio de Líderes pela terceira vez. Na ocasião, o presidente da Câmara, José...

Leia mais
Finalistas do 5° Miss Cidade Tiradentes participam de ensaio fotográfico
jun05

Finalistas do 5° Miss Cidade Tiradentes participam de ensaio fotográfico

5 de junho de 2014 às 17h30 – atualizado 19h07   Desfile acontece no próximo sábado, dia 7 de junho, com a participação de 15 jovens da região. As finalistas do 5° Concurso Miss Cidade Tiradentes estão vivendo seus dias de princesas. Ontem as meninas participaram do ensaio geral para o grande desfile, que será realizado daqui a dois dias, no CEU Inácio Monteiro.   Além das dicas para o desfile, as candidatas posaram numa sessão especial de fotos para divulgação. O concurso é uma iniciativa que acontece desde 2006 e tem o objetivo de valorizar a autoestima das jovens moradoras do bairro Cidade Tiradentes. As finalistas foram escolhidas na primeira eliminatória que aconteceu em 16 de maio, e selecionou 15 das 34 inscritas. A premiação do 5º Miss Cidade Tiradentes será dividida em três categorias: • 1ª colocada/Miss – Um book fotográfico e um tablet; • 2ª colocada/Princesa – Um tablet e um celular; • 3ª colocada/Princesa – Um tablet e uma câmera fotográfica. Haverá ainda cestas de produtos de beleza para a Miss e Princesas, curso de informática e inglês para as princesas. O concurso é uma realização da Subprefeitura Cidade Tiradentes, em parceria com organizações sociais e instituições de ensino do bairro. Essa é uma excelente iniciativa para reconhecer o talento das jovens do bairro. A oportunidade de realização de um sonho ou de conquistas profissionais, afirma a subprefeita da Cidade Tiradentes, Andreia de Souza...

Leia mais
CET e Sindiviários não entram em acordo = Greve
jun05

CET e Sindiviários não entram em acordo = Greve

5 de junho de 2014 às 15h39   Leia as notas da CET sobre a greve dos sindiviários e a suspensão do rodízio, divulgadas na noite desta quarta-feira (4). Nota à imprensa – Greve A Companhia de Engenharia de Tráfego informa que começou a operar um plano de contingência na cidade para minimizar os efeitos da greve de funcionários deflagrada na noite desta quarta-feira, 04. Haverá remanejamento da equipe para reforçar o efetivo em campo conforme a dimensão e consequência do impacto do movimento na operação do trânsito. Causa estranheza a decisão tomada, pois a CET realizou uma série de reuniões com o Sindiviários, mas infelizmente, a entidade recusou a proposta apresentada e aceita pela direção do sindicato. Suspensão do Rodízio Municipal de Veículos nesta quinta-feira, dia 05 A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa que o Rodízio Municipal de Veículos será suspenso nesta quinta-feira (05), placas finais 7 e 8, em função da confirmação de paralisação dos metroviários decidida em assembleia da categoria na noite de hoje.   Sindiviários Apesar da estranheza da CET, o Sindiviários – órgão ligado à CUT – divulgou em maio que haveria uma paralisação de 24 horas da categoria entre os dias 2 e 6 de junho, em função de sentirem-se ofendidos pela proposta patronal. Ainda, segundo o sindicato, no dia 9 deste mês, a categoria poderá entrar em greve geral. A pauta de reivindicações da categoria é uma lista com 33 itens. Veja algumas deles: – 6,53% reajuste salarial; – 5,5% aumento real; – 5,0% aplicado no PCCS*, sendo 3,5% no processo de certificação e 1,5% na progressão por antiguidade; – Avaliação e revisão do Plano PCCS*; – R$ 4.200,00 de PPR** para 2015; – Vale Refeição: R$660,00; – Vale Alimentação: R$600,00 + 13º vale; – Auxílio Educação: R$ 725,00; – Auxílio Ensino Especial: R$1450,00. *Plano de cargos, carreiras e salários. **Programa de participação nos...

Leia mais
“De Braços Abertos”, de volta ao trabalho
jun04
Leia mais
Temperatura cai em São Paulo
jun04

Temperatura cai em São Paulo

Capital bateu recorde na madrugada de terça-feira (3). Parelheiros, na zona Sul, teve a menor baixa com 5,1ºC. A capital paulista amanheceu com novo recorde de frio ontem, informou a secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo. A temperatura média na cidade durante a madrugada alcançou 8,6ºC, mas alguns bairros registraram valores menores. Na região de Parelheiros e Capela do Socorro, na Zona Sul da Cidade, os termômetros aferiram 5,1ºC e 5,6ºC, respectivamente.     Segundo informações do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), no bairro de São Matheus, Zona Leste, o registro foi de 6,2ºC. Já em Jaçanã/Tremembé, Zona Norte, a temperatura foi de 6,3ºC durante a madrugada. Na região do Butantã, Zona Oeste, os termômetros marcaram 7,4ºC. “Essa queda brusca de temperatura ocorreu devido a chegada de uma forte massa de ar seco de origem polar sobre a região. Essa condição favorece o declínio dos índices de umidade relativa do ar nos próximos dias, principalmente no período da tarde”, explica o meteorologista do CGE Adilson Nazário. Desde o mês de abril a cidade registra temperaturas baixas. O primeiro, ocorreu no dia 29 de abril quando os termômetros marcaram 11,4ºC de temperatura média. No mesmo dia, o valor mais baixo do ano foi computado no bairro de Capela do Socorro, Zona Sul, com 6,9ºC. Já no dia 30 de abril, um novo recorde ocorreu quando a temperatura no bairro de Capela do Socorro, Zona Sul, ficou em 6,8ºC. Porém a média neste mesmo dia ficou um pouco acima do registrado no anterior, 11,6ºC. Previsão para hoje O dia terá predomínio de sol entre pouquíssimas nuvens. A temperatura máxima não deve superar os 18ºC. O tempo aberto e seco provoca a queda nas taxas de umidade relativa do ar. Os valores variam entre 40% e 90% e não há previsão de chuvas. “O frio continua sobre a Capital e Grande São Paulo pelo menos até quinta-feira (5). Neste período os termômetros ficarão abaixo dos 12ºC durante as madrugadas. Podem ocorrer novos recordes de temperatura mínima, especialmente nos bairros mais extremos da Cidade”, comenta...

Leia mais
Prefeito veta fim do rodízio em São Paulo
jun04

Prefeito veta fim do rodízio em São Paulo

4 de junho de 2014 às 10h40 Gerson Soares O prefeito Fernando Haddad vetou na última sexta-feira (30/5) o Projeto de Lei (PL) 15/2006, votado simbolicamente e aprovado na Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), que extinguiria o Rodízio de Veículos na cidade. A votação ocorreu no dia 28 de maio e pegou de surpresa vários vereadores, mesmo assim foi aprovado simbolicamente – quando não há contagem de votos. O PL é de autoria do vereador Adilson Amadeu (PTB), e alega que a lei que implementou o rodízio, foi criada para combater o problema de poluição ambiental na Capital, mas o crescimento da a utilização de carros bicombustíveis (flex) tornou a frota menos poluente. Segundo as informações da CMSP, o vereador argumenta também que a lei “incentivou” os paulistanos a adquirirem um segundo veículo, geralmente mais antigo e mais poluidor — para burlar o rodízio e a medida não tem mais efeito no trânsito em São Paulo. “Quando o rodízio foi implantado, não tinha o número de carros que tem hoje. A gente percebe que a classe média alta tem hoje dois, três carros na garagem para circular nos dias de rodízio. O reflexo do rodízio é zero”, afirmou. Por sua vez, o prefeito Fernando Haddad, justifica o veto argumentando que a medida afetaria diretamente a população da cidade e precisaria ser debatida antes de ser implantada. “O Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, instituído pelo Decreto nº 37.085, de 3 de outubro de 1997, tem se mostrado relevante para a redução do trânsito na Cidade de São Paulo. Dessa forma, qualquer modificação em seu escopo ou a própria revogação da lei que autorizou sua criação, como ora proposto, devem necessariamente estar respaldadas por estudos técnicos e associadas a outras políticas públicas”, afirma o veto.     Debate Um dia depois de aprovado, houve a manifestação contrária no plenário. O presidente da Comissão de Meio Ambiente, vereador Natalini (PV) expôs que o fim do rodízio não é a maioria na Câmara. “Nós temos em São Paulo dois problemas de uma grandeza imensa. Um é o da mobilidade urbana: as ruas estão entupidas de carros. E outro é a poluição do ar, que tira cinco mil vidas por ano na cidade”, enumerou. Em seu discurso, afirmou que se o prefeito não vetasse o PL, proporia às bancadas contrárias, um novo projeto “restituindo de novo o rodízio, e de maneira mais aprofundada, mais restritiva, que é o que a cidade precisa”, disse. Líder da bancada do PT na Câmara, o vereador Alfredinho estranhou a aprovação. “Aconteceu uma desatenção. Ninguém esperava que um projeto sem...

Leia mais
Vereadores debatem alargamentos de vias para ampliar corredores de ônibus
jun04

Vereadores debatem alargamentos de vias para ampliar corredores de ônibus

4 de junho de 2014 às 9h01 O Projeto de Lei (PL) 17/2014, que prevê o alargamento de diversas vias da cidade para a implantação de 17 corredores de ônibus, foi debatido em plenário nesta terça-feira pelos vereadores da Câmara Municipal. O PL do Executivo ainda precisa passar por uma segunda votação antes de ser levado à sanção do prefeito. Para o vereador Natalini (PV), falta um estudo de impacto ambiental para que o projeto seja aprovado. Ele destacou o fato de as alterações afetarem milhares de pessoas. Segundo o vereador, apenas na região de São Miguel Paulista, na zona leste da cidade, seriam necessárias 1.049 desapropriações. “É uma obra feita de cima para baixo. Embora tenha um conteúdo que eu concordo, mas, do jeito que está, vai passar por cima dos munícipes que estão nessa rota”. Segundo o vereador Alfredinho (PT), líder dos petistas na Câmara, não houve falta de diálogo com os moradores e comerciantes das áreas que serão afetadas. “Foram feitas várias audiências públicas e o projeto foi aprovado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O problema é que ninguém consegue contentar a todos. É um projeto importantíssimo para a cidade que precisa ser votado”. O vereador Nabil Bonduki (PT) disse que o alargamento das vias vai levar melhorias para os bairros da periferia. “Terão calçadas mais largas, será criada uma política de garagem diferenciada. A ideia é levar a qualidade urbanística que hoje existe nas áreas mais centrais para a periferia. Não é um prejuízo, mas um benefício para a população local”. Líder da bancada do PSDB na Câmara, Floriano Pesaro destacou que não houve um aumento significativo no número de pessoas transportadas pelos ônibus desde o início da implantação das faixas exclusivas e criticou o sistema de pagamento às empresas, que recebem por quilômetro rodado. “O governo está pagando mais para as empresas de ônibus, e não é porque elas estão transportando mais passageiros”, disse.   Mais notícias Outras notícias da CMSP publicadas hoje Câmara aprova aumento para professores municipais que encerram greve Prefeito veta fim do rodízio em São...

Leia mais
Câmara aprova aumento para professores municipais que encerram greve
jun04

Câmara aprova aumento para professores municipais que encerram greve

4 de junho de 2014 às 8h47 A Câmara de São Paulo informa que foi aprovado, na noite desta terça-feira (3), o texto substitutivo ao Projeto de Lei 235/2014, que prevê um reajuste de 15,38% ao abono complementar dos professores da rede municipal. O aumento valerá para todos os servidores, inclusive aposentados e será incorporado aos salários.     A categoria, que compareceu ao Palácio Anchieta para acompanhar a votação, decidiu hoje pôr fim à greve que já durava 42 dias. O acordo com o governo se deu após o novo texto do PL prever que o bônus seja incorporado ao salário. O aumento começará a valer a partir do ano que vem e será incorporado em três datas. O primeiro reajuste, de 5,54%, será feito em 1º de maio de 2015; o segundo, de 3,74%, em 1º de maio de 2016 e o terceiro, de 5,39%, em 1º de novembro de 2016. Para o líder do governo, vereador Arselino Tatto (PT), “todo mundo saiu ganhando com o acordo. O governo, que sempre esteve aberto, entendeu que era possível atender às reivindicações. Então agora as crianças voltam a ter aula. Isso que é mais importante”. O PL teve 39 votos favoráveis e nenhum contrário. O texto será encaminhado para o prefeito Fernando Haddad (PT) e deverá ser sancionado até o final desta semana, segundo Tatto.   Mais notícias Outras notícias da CMSP publicadas hoje Vereadores debatem alargamentos de vias para ampliar corredores de ônibus Prefeito veta fim do rodízio em São...

Leia mais
Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas
jun02

Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas

02/06/2014 – 19h26 Gerson Soares Repugnante, esta palavra seria amena, diante do cenário que pode ser visto neste sábado (31/05) no entorno do Mercado Municipal de São Paulo. A aparência da Avenida do Estado, sob o viaduto Diário Popular, na Rua Cavalheiro Basílio Jafete e nas duas esquinas que antecedem o Mercadão, como é conhecido, tinham um aspecto decadente. Nauseabundo, isto é o que se poderia falar sobre o odor na Rua Cavalheiro Basílio Jafete, ao lado do viaduto Diário Popular que faz a ligação entre a Avenida Mercúrio e o Parque Dom Pedro. A menos de 200 metros do maior entreposto municipal da cidade e em frente a diversos pontos de comércio de hortifrutis, esta palavra mal traduz a situação que se encontra ao lado de um dos pontos turísticos mais famosos de São Paulo, o Mercadão. Se não fosse com estes termos, deveríamos arranjar outros, para designar o odor das fezes a céu aberto, esgoto, galerias expostas, sujeira, poças de urina que formavam rios no último sábado. O caso se torna ainda mais extremo, quando a maior cidade do país e da América Latina recebe pessoas de vários países e aponta esse local para visitação turística durante a Copa do Mundo. Do outro lado do rio que separa as marginais da Avenida do Estado, está o Palácio das Indústrias, antiga sede da prefeitura da cidade. Ao chegarmos, por volta das 9h30, nos páteos internos do Mercadão não havia lugar para estacionar e a maioria dos estacionamentos do entorno já estavam lotados. Isso nos fez seguir em frente pela Rua Cantareira, já que um agente do CET impedia a conversão à esquerda contornando o Mercado pela Rua Com. Assad Abdala: “Só sei que estou mandando seguir em frente”, disse ele sem saber explicar o porquê. Seguindo o indicado, a cada momento diversos flanelinhas cercavam os carros tentando arranjar-lhes vagas e foi assim que tivemos de ceder àquela demanda, já que não havia onde estacionar. Fomos levados até a Rua Cavalheiro Basílio Jafete e ao chegarmos orientados a estacionar o carro em cima da calçada. Havia em torno de dez flanelinhas ou mais naquele local guardando vagas para vender. Com carros estacionados estrategicamente para garantir o acesso às calçadas e outros pontos embaixo do viaduto, além das ruas, demarcadas com zona azul, eles cobravam em torno de 20 reais adiantados. O cheiro de fezes que exalou ao abrirmos as portas do carro quase nos fez retroceder. Vimos um rapaz que andava com uma mulher, ambos caminhavam na ponta dos pés para não pisar nos dejetos e nas poças de urina. Lama, lixo, folhas de hortaliças, frutas estragadas e um...

Leia mais
História — Palácio das Indústrias e Parque Dom Pedro II
jun02

História — Palácio das Indústrias e Parque Dom Pedro II

02/06/2014 – 20h12 Leia algumas poucas linhas do já se escreveu sobre estes dois marcos da cidade, assim descritos no livro “Lembranças de São Paulo”, de João Emilio Gerodetti e Carlos Cornejo. A Várzea do Carmo, região alagada pelo Rio Tamanduateí, foi ajardinada e transformada no Parque Dom Pedro II, com lago, ilha e alamedas, para as celebrações do Centenário da Independência. Concluídaem 1925, assim o descreveu Gustavo Werner, em São Paulo, a nova metrópole sul-americana: “O Parque central mais lindo é o Dom Pedro II, que separa da city os bairros industriais. Daí se lobrigam as silhuetas dos arranha-céus, dos monumentos, o rendilhado do Palácio das Indústrias, o curso sinuoso do Tamanduateí, tudo envolto num ambiente de barulho decorrente dos veículos e das atividades da multidão que anima os seus arredores.” O Palácio das Indústrias, foi assim descrito com orgulho no Livro de Ouro do estado de São Paulo, 1889–1914: “Este monumento, cuja primeira pedra foi colocada em 1910, deve-se à iniciativa do Dr. Padua Salles, antigo Secretário da Agricultura, e é destinado à exposição permanente dos produtos agrícolas e de todas as indústrias do estado. Se ergue na Várzea do Carmo, mesmo à entrada do populoso bairro do Brás. Sua arquitetura é de muito bom gosto, num estilo um tanto rústico.” Leia mais Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas Imperador Dom Pedro II Parque Dom Pedro II,...

Leia mais
Imperador D. Pedro II
jun02

Imperador D. Pedro II

02/06/2014 – 20h Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga. Hoje um exagero, mas à sua época este é o nome completo do Imperador Dom Pedro II, alcunhado o Magnânimo, foi o segundo e último monarca do Império do Brasil, tendo reinado o país durante um período de 58 anos. Nascido no Rio de Janeiro, no dia 2 de dezembro de 1825, foi o filho mais novo do Imperador Dom Pedro I do Brasil e da Imperatriz Dona Maria Leopoldina de Áustria e, portanto, membro do ramo brasileiro da Casa de Bragança. A abrupta abdicação do pai e sua viagem para a Europa tornaram Pedro imperador com apenas cinco anos, resultando em uma infância e adolescência tristes e solitárias. Obrigado a passar a maior parte do seu tempo estudando em preparação para imperar, ele conheceu momentos breves de alegria e poucos amigos de sua idade. Suas experiências com intrigas palacianas e disputas políticas durante este período tiveram grande impacto na formação de seu caráter. Pedro II cresceu para se tornar um homem com forte senso de dever e devoção ao seu país e seu povo. Por outro lado, ele ressentiu-se cada vez mais de seu papel como monarca. Herdando um Império no limiar da desintegração, Pedro II transformou o Brasil numa potência emergente na arena internacional. A nação cresceu para distinguir-se de seus vizinhos hispano-americanos devido a sua estabilidade política, a liberdade de expressão zelosamente defendida, respeito aos direitos civis, a seu crescimento econômico vibrante e especialmente por sua forma de governo: uma funcional monarquia parlamentar constitucional. O Brasil também foi vitorioso em três conflitos internacionais (a Guerra do Prata, a Guerra do Uruguai e a Guerra do Paraguai) sob seu reinado, assim como prevaleceu em outras disputas internacionais e tensões domésticas. Pedro II impôs com firmeza a abolição da escravidão apesar da oposição poderosa de interesses políticos e econômicos. Um erudito, o Imperador estabeleceu uma reputação como um vigoroso patrocinador do conhecimento, cultura e ciências. A ele devemos o advento da fotografia e outros inúmeros avanços. Ganhou o respeito e admiração de estudiosos como Graham Bell, Charles Darwin, Victor Hugo e Friedrich Nietzsche, e foi amigo de Richard Wagner, Louis Pasteur e Henry Wadsworth Longfellow, dentre outros. Apesar de não haver desejo por uma mudança na forma de governo da maior parte dos brasileiros, o Imperador foi retirado do poder num súbito golpe de Estado que não tinha maior apoio fora de um pequeno grupo de líderes militares que desejavam uma república governada por um ditador. Pedro II havia se cansado da posição de Imperador e se tornado desiludido...

Leia mais
Parque Dom Pedro II, hoje
jun02

Parque Dom Pedro II, hoje

02/06/2014 – 20h05 É inconcebível não valorizar os heróis da pátria. O Parque Dom Pedro II, que assim foi nomeado para homenagear este ilustre personagem da história brasileira, está relegado ao abandono. É mais uma obra medonha, do descaso, da insensatez, do desgoverno. Desde a ponta extrema onde se mantêm um quartel que até 1992 abrigou o 2º Batalhão de Guardas do II Exército Brasileiro, cercado por histórias de escravos, de soldados e dos Dragões da Independência até a obra magnífica do escritório do arquiteto Ramos de Azevedo na outra extremidade com o cruzamento da Av. Mercúrio, se perde a cada dia um pouco da dignidade e da honra, que cercaram tantos esses monumentos quanto todos os nomes aqui citados. Constrange-nos, ao seguirmos para outros países e vermos a organização dos poderes e regularidade das coisas. O constrangimento não é por sermos brasileiros, pois por essa pátria muitos dariam a vida hoje e novamente, mas por termos sido aviltados de nossa coragem e força de vontade, em mantermos desgovernos tão serenos. Desde as 8h30, desta segunda-feira, 2 de junho, procuramos a secretaria municipal da Saúde, a sempre rígida Vigilância Sanitária, órgão ligado a essa secretaria e também a secretaria de Abastecimento da Prefeitura da cidade de São Paulo, para obtermos simples respostas sobre se eles tinham conhecimento da situação descrita nesta reportagem, a região do Mercadão de São Paulo, e o que pretendiam fazer a respeito. Leia mais Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas História — Palácio das Indústrias e Parque Dom Pedro II Imperador Dom Pedro II A assessoria da secretaria municipal de Abastecimento, respondeu que iria encaminhar a demanda, às 12h39. Estamos aguardando a resposta e divulgaremos assim que a recebermos. Enquanto isso, esperamos que os estrangeiros não voltem para casa pensando que São Paulo pouco mudou em 105 anos, desde que um certo Emile, assim descrito no livro “Lembranças de São Paulo”, descreveu a cidade num cartão-postal enviado à França. (…) Assim sucede com uma série de cartões-postais coloridos, com vistas como a do Largo São Bento ou da Rua Boa Vista, enviados por um certo Emile, em 26 de junho de 1909, à Madame Socley, 17, Quai Gauthey à Dijon Côte d’Or, França, que, entre outras impressões, comenta: Já lhe falei que choveu durante seis dias seguidos, mas, agora, recomeçou a chover todos os dias. É o que chamam verão… No inverno, às vezes, não chove durante meses e o vento arrasta a poeira, mas há boa temperatura, quase nada de frio e nada de neve. A vegetação e os insetos continuam a prosperar: desde aqui vejo os beija-flores revoando de flor em flor à procura...

Leia mais
Mercadão – Nota da Subprefeitura Sé
jun02

Mercadão – Nota da Subprefeitura Sé

20h48 NOTA DA SUBPREFEITURA SÉ A Subprefeitura Sé informa que o entorno do Mercado Municipal recebe, diariamente, dez varrições e duas lavagens. Para contribuir com o serviço de limpeza em decorrência de feira que acontece durante a madrugada no entorno do Mercado, o início do horário da varrição foi antecipado das 6h para as 5h da manhã, com a utilização da varrição mecanizada. Além disso, foram implantados equipamentos para descarte de lixo: 20 containeres de 1m3 cada e 11 caixas de 5 m3 cada. Com relação à feira realizada no local, a Subprefeitura Sé, em parceria com outras secretarias municipais (Serviços; Segurança Urbana; Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo; Transporte) está trabalhando pela regulamentação do comércio de hortifrutigranjeiros e pela implantação de ações de reestruturação urbana no local. O objetivo é orientar quanto ao uso do espaço público e garantir um ambiente harmonioso, organizado e limpo para toda a população, bem como para os...

Leia mais
Prefeito sanciona feriado em 12 de junho, dia da abertura da Copa em São Paulo
maio26

Prefeito sanciona feriado em 12 de junho, dia da abertura da Copa em São Paulo

O Diário Oficial do município publicou no último sábado (24), a sanção do prefeito Fernando Haddad ao projeto que declara feriado o dia 12 de junho, quando será realizada a abertura da Copa do Mundo na Arena Corinthians, em Itaquera. A informação é da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP). Aprovada pela Câmara Municipal na semana passada, a Lei Municipal 15.996 também declara ponto facultativo nos outros dias de jogo na cidade. Por pressão de entidades como a Associação Comercial, os vereadores alteraram o projeto original do Executivo para excluir do feriado as seguintes atividades: comércio de rua, bares, restaurantes, centros comerciais, shopping centers, galerias, estabelecimentos culturais, pontos turísticos, empresas na área de turismo, hotéis e empresas jornalísticas. Os trabalhadores desses estabelecimentos trabalharão normalmente. O PL também mantém o funcionamento das “unidades públicas municipais cujas atividades não possam sofrer solução de continuidade, podendo, nas demais, a critério dos titulares dos respectivos órgãos, ser instituído regime de plantão, nos casos julgados...

Leia mais
Obras no Tatuapé são largadas pela metade
maio22
Leia mais
Prefeitura notifica sindicatos e faz parceria com PM para garantir regularidade do transporte público
maio21

Prefeitura notifica sindicatos e faz parceria com PM para garantir regularidade do transporte público

Ministério Público abriu inquérito policial para apurar responsabilidades dos transtornos causados na cidade devido à paralisação de motoristas e cobradores. 20h39 | Da Secretaria Executiva de Comunicação da PMSP O prefeito Fernando Haddad informou em entrevista coletiva na noite desta quarta-feira (21) que a SPTrans (São Paulo Transporte) enviou uma notificação ao Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário e Urbano e ao SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo) exigindo que adotem medidas “imediatas e efetivas” para garantir o serviço de transporte público coletivo na cidade. Além das notificações, a SPTrans e a Polícia Militar passam a atuar juntas para garantir a regularidade do serviço público. O Ministério Público do Estado também abriu inquérito para apurar as responsabilidades dos transtornos. As ações têm início imediato.   “A prefeitura está absolutamente em dia com os seus contratos e tem que exigir, em nome da população, o cumprimento das obrigações da contraparte, empregados e empregadores. É isso que nós fizemos, nós notificamos os dois sindicatos para cumprirem as suas obrigações frente à Prefeitura para que o povo, que é representado nessa relação pela Prefeitura, não venha ser penalizado”, afirmou Fernando Haddad. Durante o dia de hoje foram feitas várias reuniões para soluções desse conflito, que atinge mais de 1 milhão de pessoas. “Depois de tudo que se apurou, é um conflito interno ao sindicato. Não é um conflito que envolve as empresas que fizeram as propostas e nem a Prefeitura, que cumpre diligentemente com as suas obrigações em relação ao sistema”, ressaltou Haddad. “Nós não vamos aceitar sabotagens de quem quer que seja na cidade de São Paulo. Nós vamos ser firmes no sentido de fazer com que o serviço seja prestado, porque a Prefeitura está cumprindo a sua parte, a população está pagando os seus impostos, pagando a passagem e ela quer e merece um transporte na cidade de São Paulo com qualidade”, afirmou o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto. Notificações Na notificação, Jilmar Tatto pede que o sindicato dos trabalhadores, como representante legal da categoria, adote medidas para acabar com a paralisação dos motoristas e cobradores das empresas. Caso os ônibus não voltem a circular, Tatto diz no documento que serão adotadas todas as medidas cíveis e penais para responsabilizar os diretores, inclusive pelos prejuízos decorrentes da omissão. Já ao sindicato patronal, Tatto pede que as empresas concessionárias do serviço de transporte cumpram “integralmente” os termos previstos nos contratos de concessão firmados com o município e colocem em operação a frota pré-estabelecida. O secretário também ressalta a possibilidade de responsabilizar civil e penalmente os diretores do sindicato por omissão. “Na...

Leia mais
Prefeitura suspende rodízio de veículos na tarde desta quarta-feira
maio21

Prefeitura suspende rodízio de veículos na tarde desta quarta-feira

Devido a paralisação dos ônibus no transporte público da Capital, os veículos com placas com finais 5 e 6 foram liberados para circular no horário de pico. O secretário Jilmar Tatto (Transportes) informou nesta quarta-feira (21) em coletiva de imprensa que a Prefeitura decidiu suspender o rodízio municipal de veículos desta tarde devido à paralisação dos motoristas dos ônibus do transporte público da Capital. Com esta decisão, os veículos com placas com finais 5 e 6 foram liberados para circular no horário de pico. A medida tem como objetivo amenizar os impactos da interrupção na circulação dos coletivos.   “É um transtorno na cidade. Nós estamos fazendo todos os esforços no sentido de acabar com este problema, envolvendo todos os órgãos governamentais, fazendo com que os empresários tomem medidas concretas no sentido de garantir a prestação de serviço e pedindo ao sindicato que assuma o controle da situação”, afirmou Tatto. Até o fim da manhã desta quarta-feira, as paralisações afetaram 350 mil passageiros do sistema de transporte público da Capital em 11 terminais de ônibus principalmente nas zonas norte e oeste, segundo a Prefeitura. Há também terminais fechados na zona sul e na região central. Às 12h, estavam fechados os terminais Capelinha, Jardim Angêla, João Dias, Pirituba, Lapa Cachoeirinha, Casa Verde, Santana, Princesa Isabel, D. Pedro II e parte do Mercado. Segundo informações do secretário Tatto, o sindicato das empresas de transporte coletivo de São Paulo, SPUrbanuss, irá entrar com uma ação junto ao Tribunal Regional de Trabalho para que seja decretada a ilegalidade do movimento de paralisação em andamento na Capital. “A Spurbanuss está entrando no TRT no sentido de verificar um mecanismo jurídico de decretar este movimento como ilegal, porque não tem interlocutor na cidade. Tivemos também atos de vandalismo”, disse o secretário. Por meio da Secretaria de Transportes, a Prefeitura está em contato direto tanto com o sindicato patronal quanto com o Sindicato dos Motoristas de São Paulo para que o serviço de transporte coletivo volte o mais rápido possível à normalidade. Nesta tarde, Luis Antonio Medeiros, Superintendente Regional do Trabalho e do Emprego, reúne-se com os trabalhadores da Viação Santa Brígida, empresa em que foi verificado o início do movimento. Às 15h30 desta terça-feira, o prefeito Fernando Haddad e o secretário Jilmar Tatto se reunirão com o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, para discutir ações em parceria com a Polícia Militar para desobstrução de vias e de terminais, além da prevenção de casos de vandalismo. “Se uma via está obstruída por um ônibus, caso não haja resistência, a CET, a SPTrans ou o guincho das próprias empresas retira o veículo. Se tiver...

Leia mais
Prefeito considera paralisação do transporte injustificável e inadmissível
maio21

Prefeito considera paralisação do transporte injustificável e inadmissível

Prefeitura pedirá providências ao Ministério Público Estadual (MPE) para que puna os responsáveis pelos atos de paralisação do transporte coletivo desta terça-feira (20). Em entrevista coletiva no início da noite desta terça-feira (20), o prefeito Fernando Haddad classificou como injustificável e inadmissível o ato de paralisação do transporte coletivo municipal que prejudicou a população desde o início da manhã até a noite de hoje. As paralisações dos ônibus não foram organizadas pela diretoria do Sindicato dos Motoristas de São Paulo e contrariou uma decisão tomada coletivamente em assembleia da categoria, na noite de segunda-feira (19), quando foi aprovada proposta de reajuste 10% no salário, além de inclusão de direitos como insalubridade e aposentadoria especial. A administração municipal está investigando junto as empresas e sindicato quem poderia ter organizado os atos e acionará o Ministério Público Estadual (MPE) para que tome providências e puna os responsáveis pela paralisação que prejudicou os usuários. A Secretaria Municipal de Transportes estima que o ato tenha prejudicado, em alguns momentos, cerca de 230 mil pessoas e atingiu 14 terminais urbanos. “Foi uma penalização para a população que foi injustificável e inadmissível. Somos todos trabalhadores. Como é que se toma uma atitude dessas sem sequer anunciar quem você é e qual sua motivação para tomar uma atitude tão radical como essa? Ainda mais contrariando a direção do sindicato, o que ainda é mais incomum”, disse Haddad. Para tentar amenizar os impactos da paralisação, o rodízio municipal de veículos foi suspenso no fim da tarde desta terça-feira (20), o Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (PAESE) foi acionado e guinchos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estão retirando os veículos das vias. “Esse tipo de atitude não tem precedentes na cidade de São Paulo. Já houve caso semelhante, mas era fácil identificar a motivação e a autoria. Nesse caso, a motivação não está clara e a autoria tão pouca. É muito incomum o que está acontecendo”, afirmou o prefeito. De acordo com o secretário Jilmar Tatto (Transportes), a CET e a SPTrans irão preparar um material com toda documentação e informações colhidas sobre o ato para instruir o processo e enviar para o Ministério Público. “Estamos verificando o ponto de vista jurídico e se esse tipo de ação tem envolvimento de parte do sindicato, o que tudo indica que tem, que é um problema de divergência política dentro da entidade e que agiram e extrapolaram as funções do próprio sindicato. Também poderá ser tomada medidas em relação a isso e em alguns casos até do ponto de vista penal”, afirmou Tatto. As polícias Civil Estadual e Federal também serão acionadas pela Prefeitura...

Leia mais
Exploração Sexual Infantil
maio20

Exploração Sexual Infantil

A 1ª Semana de Enfrentamento à Exploração Sexual Infantil, foi aberta com uma palestra sobre a ONG Makanudos de Javeh, que desenvolve trabalhos com jovens vindos de escolas públicas, levando orientações sobre sexualidade a eles. A apresentação aconteceu na manhã desta segunda-feira (19/5), no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo. Atuando há mais de nove anos, a ONG possui projetos em mais de dez cidades, alcançando cerca de 100 mil crianças e adolescentes. Um deles é o “Está Acontecendo Agora”, que promove o enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Por meio de aulas contextualizadas às necessidades de cada instituição, os educadores realizam até três palestras durante o ano letivo, desde o oitavo ano do ensino fundamental até o terceiro ano do ensino médio. “É muito difícil falar de sexualidade em um país como o Brasil, que exporta a sensualidade, mas é aí que entra o nosso trabalho de conscientização por meio de rodas de conversas e outras atividades”, afirma Thiago Torres, fundador e diretor da ONG. De acordo com dados da ONU (Organização das Nações Unidas), cerca de 2 milhões de crianças são abusadas sexualmente por ano no mundo. A Semana de Enfrentamento à Exploração Sexual Infantil foi instituída pela Lei Municipal 15.965, de autoria do vereador Eduardo Tuma (PSDB), sancionado em 22 de janeiro pelo prefeito Fernando Haddad (PT). “Esse evento é um marco importante para a cidade de São Paulo e a discussão sobre exploração sexual infantil não pode se resumir a apenas uma semana”, afirmou o tucano. Desafios Outro projeto que trabalha com o combate à exploração sexual infantil é o Quixote. Criado em 1996, desenvolve oficinas artísticas e faz o acompanhamento de jovens tanto no âmbito clínico quanto social. Maria Inês Rondello, uma das coordenadoras da ONG, acredita que a exploração sexual de crianças e adolescentes é uma das questões mais difíceis de trabalhar. “É complicado mostrar que a bolsa que o Quixote oferece vale mais a pena do que o que esse menor ganha em uma noite de programa”. De acordo com Maria Inês, a estratégia utilizada pelo Quixote se volta para as questões afetivas, para conscientização de que o ser é mais importante que o ter e, principalmente, para a questão do “pertencimento”, no sentido de se sentir acolhido em seu meio social, na sua comunidade, trabalho, escola. Entre outros. Para Carlos Alberto Pestana, membro do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e morador do Jardim Ângela, zona sul de São Paulo, o problema da exploração sexual infantil é algo que vai demorar ainda muito tempo para ser resolvido no Brasil, mas...

Leia mais
Contra a exploração sexual no Brasil
maio20

Contra a exploração sexual no Brasil

Iluminada de azul e rosa, Biblioteca Mário de Andrade apoia Semana contra exploração infanto-juvenil. Para apoiar a Semana contra o abuso e exploração infanto-juvenil em São Paulo, a Biblioteca Mário de Andrade ficará iluminada nas cores azul e rosa durante o período de 18 a 24 de maio. A semana é uma homenagem à menina Araceli, de 8 anos, vítima de estupro e depois assassinada por jovens de classe média em 1973, em Vitória, ES. Passados 35 anos, os culpados continuam impunes. A informação é da Secretaria Municipal de Serviços da Prefeitura e a campanha consiste em mobilizar a sociedade sobre a necessidade de educar, orientar e prevenir adequadamente as crianças e os adolescentes sobre o abuso e exploração...

Leia mais
Câmara tem até o dia 25 para apresentar documentos sobre PDE ao MP
maio20

Câmara tem até o dia 25 para apresentar documentos sobre PDE ao MP

A Câmara Municipal de São Paulo tem até o dia 25, para apresentar as solicitações do Ministério Público de São Paulo (MPSP), quanto ao Plano Diretor Estratégico. Documento recebido pelo presidente do legislativo municipal, vereador José Américo, na última quinta-feira (15) enfatiza a criação de novas ZEIS (Zonas Especiais de Interesse Social). Além disso, pede que sejam apresentadas todas as emendas feitas até agora e as futuras, na votação final. A investigação do MP, por meio da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da Capital, tem como objetivo apurar se as propostas foram discutidas pela Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente (CPUMMA), a fim de apurar eventuais irregularidades na tramitação das emendas apresentadas pelos Vereadores ao Projeto de Lei 688/13, que modifica o Plano Diretor Estratégico da Cidade de São Paulo. Na semana passada, os Promotores de Justiça José Carlos de Freitas, Carlos Alberto Amin Filho, Camila Mansour Magalhães da Silva e Marcus Vinícius Monteiro dos Santos encaminharam ofício à Presidência da Câmara solicitando que o Legislativo encaminhe cópias dessas emendas e esclareça se foram submetidas à análise da CPUMMA, assim como a discussão com a população, em regulares audiências públicas, na forma de devolutivas. Solicita, ainda, o encaminhamento de cópias dos respectivos pareceres, conclusões ou documentos emitidos pela comissão, relativamente às emendas apresentadas; cópias dos estudos e/ou pareceres que resultaram na criação de novas Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS); e cópias de todas as emendas que forem apresentadas até a votação final pela Câmara Municipal. Os Promotores também expediram Recomendação à Presidência do Legislativo no sentido de que todas as emendas existentes, e as que forem apresentadas até a votação final do Projeto do Plano Diretor sejam submetidas à análise da CPUMMA da Câmara Municipal e também à população, na forma de audiências públicas devolutivas, “garantindo o cumprimento dos princípios da transparência, da publicidade e da participação popular, visando evitar futuros e eventuais questionamentos na aprovação desse importante diploma...

Leia mais
CET no Seu Bairro 4ª edição
maio17
Leia mais
Parque do Carmo de cara nova
maio14

Parque do Carmo de cara nova

Revitalização da iluminação pública no Parque do Carmo, em Itaquera, com suas novas lâmpadas multivapores metálicos (luz branca) e LED, alimentadas por energia solar. Cada poste recebeu a bandeira de um dos países participantes da Copa. Segundo a Ilume, a região de Itaquera, inclusive a passarela do metrô Itaquera com a Radial Leste, também receberão melhorias e nova iluminação.

Leia mais
Prefeitura emite novos TPUs para a Feira da Madrugada
maio13

Prefeitura emite novos TPUs para a Feira da Madrugada

Publicado em 13 de maio de 2014   As inscrições serão realizadas pela Subprefeitura Mooca; objetivo é regularizar aproximadamente 4 mil boxes do espaço. A Prefeitura Municipal de São Paulo, após o cadastramento dos comerciantes que já atuavam no Pátio do Pari, concederá, por meio da subprefeitura Mooca, mais 1200 Termos de Permissão de Uso (TPUs) para que ambulantes que atuam em outras regiões da cidade possam trabalhar na Feira da Madrugada. A determinação foi publicada sábado (10/5), por meio de portaria, no Diário Oficial da Cidade. As informações são da Secretaria de Coordenação das Subprefeituras (SMSP), cujo objetivo é regularizar aproximadamente 4 mil boxes da Feira da Madrugada. Após a reforma concluída em 2013, a prioridade da concessão dos TPUs foi dada aos comerciantes que já ocupavam o local antes de seu fechamento. Com o cadastro e emissão destes termos, a Prefeitura agora convoca novos interessados, que estejam atuando nas ruas, para trabalhar no Pátio do Pari. As vagas remanescentes foram distribuídas distintamente. Cerca de 10% serão concedidas à ambulantes que já possuam TPU e sejam portadores de deficiência física. Outros 10% serão concedidos à ambulantes idosos. O restante, 80%, correspondente a mais de 950 vagas, será dos demais ambulantes que igualmente atuem em vias publicas, num total de 1.200 vagas. Os interessados devem procurar a Subprefeitura Mooca (veja o endereço abaixo) e preencher uma ficha de requerimento comprovando, entre outras coisas, que seu Termo de Permissão de Uso está em vigor. Caso o número de interessados em cada um dos grupos exceda o número de vagas disponíveis, a subprefeitura organizará um sorteio para definir quem ocupará as vagas e, caso seja necessário, realizará também sorteio para os ambulantes das categorias “deficiente físico” e “idoso”. Aqueles não contemplados com as vagas disponibilizadas dentro do percentual de 10% (dez por cento), concorrerão também com os demais interessados aos outros 80%. O sorteio deverá ser realizado em data e local previamente estipulados e divulgados no Diário Oficial da Cidade, aberto ao acompanhamento dos interessados. A Subprefeitura Mooca deixa claro que as vagas serão destinadas aos ambulantes que já possuem TPU. Após a acomodação e ocupação das vagas disponíveis, há informação de que a Prefeitura poderá iniciar inscrições para novos TPUs aos interessados em trabalhar como ambulantes. Apesar da nota emitida pela Prefeitura na sexta-feira (9) e publicada no Diário Oficial da Cidade um dia antes, através de liminar concedida pela Justiça, a Feira da Madrugada funcionou normalmente ontem. O endereço da Subprefeitura Mooca é R. Taquari, 549 – Telelfone: 2292-2122. Horário de Funcionamento é de 2ª a 6ª feira das 8h às...

Leia mais
Sinalização nas estradas será dilema para motoristas estrangeiros
maio13

Sinalização nas estradas será dilema para motoristas estrangeiros

A sinalização nas estradas é confusa. Esta é a conclusão, quanto aos acessos às regiões compreendidas pelo Rodoanel Mário Covas na região Oeste. A dificuldade, também encontrada em outras regiões é apontada pelos usuários brasileiros, os turistas sofrerão mais. A falta de placas indicando, previa e corretamente, os pontos de conversão e roteiros para quem utiliza o Rodoanel em São Paulo, certamente trarão dificuldades aos turistas que resolverem alugar um automóvel e visitar os pontos turísticos da cidade e interior – como uma visita a Embu das Artes em Itapecerica da Serra, ainda na grande São Paulo, e dali à Estrada do Vinho em São Roque, por exemplo. O motorista pode ser desviado para uma cidade diferente e não terá muitas opções de retorno em diversos pontos das estradas paulistas como Bandeirantes, Anhanguera, Castelo Branco, Régis Bittencourt ou Raposo Tavares. O assunto é recorrente e essas rodovias são citadas como exemplo. Os investimentos estão voltados para o controle da velocidade e multas, esquecendo-se porém de sinalização adequada àqueles que nunca viajaram para Sorocaba, Bauru ou Jundiaí, dentre outras cidades abrangidas por essas rodovias e terão de cruzar as interligações do Rodoanel, que ao invés de facilitar acaba atrapalhando devido à falta de placas antecipando as rotas e conversões para que os motoristas possam chegar aos seus destinos com segurança. A Copa do Mundo pretende atrair turistas, esta é uma reafirmação contínua por parte dos envolvidos no evento. Mas, conforme destacou nesta manhã, o Bom Dia São Paulo, jornal diário da Rede Globo, falta placas de sinalização para chegar aos pontos turísticos da cidade. Por outro lado, existe um esforço da prefeitura e do governo paulista em produzir novas placas indicativas voltadas ao evento mundial que será realizado, visando os turistas que São Paulo receberá. Porém, como o programa mostrou, apesar de recém-instalados, vários painéis encontram-se pichados e depredados no centro velho da...

Leia mais
Parque do Carmo ganha nova iluminação
maio12

Parque do Carmo ganha nova iluminação

Revitalização faz parte das obras do entorno do Itaquerão, que receberá seis partidas da Copa do Mundo, entre elas a de abertura. Está programada para hoje (12) às 17h, a inauguração da revitalização da iluminação pública no Parque do Carmo, em Itaquera. Para a Secretaria de Serviços da Prefeitura , será um dos legados que a zona Leste receberá por conta da Copa do Mundo. Com uma área superior a 15 milhões de metros quadrados, o parque que, originalmente foi uma fazenda no século XIX e que concentra cerca de 6 mil árvores, lago natural e diversas espécies de animais, tem apenas 60 pontos de iluminação instalados. Com a revitalização, passará a ter 422 unidades equipadas com lâmpadas multivapores metálicos (luz branca) em suas vias internas, monumentos, áreas culturais e de equipamentos esportivos e de lazer. Segundo a programação Além disso, em frente ao lago, considerado o espaço central do parque, serão instaladas 32 unidades de iluminação em LED, alimentadas por energia solar. Em cada um dos postes será hasteada a bandeira de um país participante da Copa. Coordenada pelo Departamento de Iluminação Pública (Ilume), a revitalização tem um custo estimado em aproximadamente R$ 2,6 milhões e deverá estar concluída em 15 de maio. A nova iluminação faz parte do conjunto de obras do Itaquerão, estádio que abrigará seis partidas da competição, entre elas a de abertura. Os logradouros que compreendem o entorno do parque – Avenidas Rio das Pedras, Afonso de Sampaio e Souza, Aricanduva (parte), Osvaldo Pucci e Fernando do Espírito Santo Alves Mattos e Ruas Guilherme da Cruz e John Speers (parte) – também serão contemplados com 235 ampliações e 26 remodelações (substituição de lâmpadas de vapor de mercúrio por de vapor de sódio), segundo o serviço de comunicação da Secretaria Municipal de Serviços da Prefeitura de São Paulo. Ainda de acordo com a programação estabelecida, a região central de Itaquera ganhará 109 ampliações e 17 remodelações. A passarela do metrô Itaquera, que faz a ligação com a Avenida Radial Leste e a Passarela Nova, também receberá 28 pontos de iluminação. “Estamos trabalhando com afinco para tornar a região de Itaquera mais bela e confortável para os seus moradores e aos milhares de turistas que visitarão nossa cidade durante a Copa do Mundo”, enfatiza Simão Pedro, secretário de Serviços. “Melhor iluminação significa também contribuir para o desenvolvimento social e econômico do local. E isso, certamente, é a maior vitória que podemos oferecer àqueles moradores”, conclui...

Leia mais
Fechamento temporário da Feira da Madrugada
maio12

Fechamento temporário da Feira da Madrugada

A Prefeitura de São Paulo está organizando o fechamento temporário da Feira da Madrugada a partir desta segunda (12 de maio), conforme pactuado com os comerciantes do local, para não prejudicar as vendas do dia das mães. A medida se fez necessária a partir das fiscalizações realizadas nas últimas semanas, que constataram que um grande número de comerciantes irregulares se apropriou indevidamente de boxes. A administração municipal já informou os comerciantes sobre os procedimentos necessários para o fechamento temporário e atua agora para comunicar os usuários da feira, a fim de evitar prejuízos aos frequentadores. A previsão é de que a Feira da Madrugada permaneça fechada por três semanas. O fechamento foi publicado no Diário Oficial da Cidade na quinta-feira...

Leia mais
Prefeito assina decreto que define regras para comida nas ruas da cidade
maio07

Prefeito assina decreto que define regras para comida nas ruas da cidade

O documento estabelece quais tipos de alimentos que podem ser vendidos, os locais, o horário, o procedimento para conseguir a autorização e as obrigações e proibições dos comerciantes. O prefeito Fernando Haddad assinou ontem o decreto que define as regras para a venda de comida nas ruas da cidade. O documento regulamenta a Lei 15.947/2013, sobre a comercialização de alimentos em áreas públicas, como os tipos de alimentos que podem ser vendidos, os locais, o horário, o procedimento para conseguir a autorização e as obrigações e proibições dos comerciantes. O decreto foi publicado hoje (7) no Diário Oficial. A venda de bebidas alcoólicas está proibida, salvo em eventos públicos ou privados com a autorização da subprefeitura. Na assinatura do decreto, o prefeito disse que a regulamentação da lei de comida de rua foi feita depois de um intenso debate interno, entre governo e uma série de representantes das partes interessadas, sobretudo bares e restaurantes de um lado e as pessoas que estão envolvidas no debate de comida de rua em São Paulo. “É um primeiro decreto que nos parece uma boa largada para dar segurança de que será bem conduzido. Chegamos a uma primeira proposta de regulamentação da Lei de Comida de Rua em São Paulo. É uma regulamentação cuidadosa, parcimoniosa, que dá o poder para as subprefeituras organizarem essa primeira largada para que não haja nenhum tipo de conflito com o comércio estabelecido”, afirmou. Pelo decreto, pessoas jurídicas ou microempreendedores individuais (MEI) poderão vender alimentos perecíveis ou não, frescos, semi-preparados, industrializados ou prontos para o consumo. A comercialização poderá ser feita em furgões adaptados (tipo food trucks), em carrinhos ou tabuleiros ou em barracas desmontáveis nas ruas, praças e parques municipais, desde que obedecidos alguns limites. O ponto de venda deve ficar a uma distância mínima de 5 metros de cruzamentos, faixas de pedestres, pontos de ônibus e de táxis, hidrantes e válvulas de incêndio, orelhões e cabines telefônicas ou tampas de bueiros. Também deverá obedecer a distância mínima de 20 metros de estações de metrô, de trem, escolas, rodoviárias, aeroportos, ginásios esportivos, estádios de futebol, monumentos e bens tombados. Onde já existe comércio de alimentos, como padarias, restaurantes e lanchonetes, a distância mínima para instalar o ponto de venda é de 25 metros. Além disso, a barraca, carrinho ou furgão não pode estar em frente a guias rebaixadas, prédios públicos ou farmácias. A comercialização poderá ser feita durante um período mínimo de 4 horas e o máximo de 12 horas por dia. O prefeito também ressaltou que o objetivo da administração municipal é a requalificação do espaço público, por isso a necessidade de regulamentar a lei de...

Leia mais
Esperando pelo CEU
abr30

Esperando pelo CEU

Enquanto o CEU não chega, o C.E.E. Brigadeiro Eduardo Gomes cobre o sol com a peneira. Diretor tenta maquiar estado decadente em que se encontra o clube.

Leia mais
Verticalização desenfreada e o fim da tradição do Tatuapé
abr27

Verticalização desenfreada e o fim da tradição do Tatuapé

Gerson Soares Que não se iludam os futuros moradores que sonham em morar no Tatuapé ou no Jardim Anália Franco. Devido ao excesso de construções de prédios e de carros que se acumulam o bairro não é mais esse que as construtoras e empresas imobiliárias estão vendendo. O fim do Tatuapé bucólico foi determinado pelo próprio crescimento imobiliário e de demanda. Um sufocou o outro. Num determinado espaço demarcado por meia dúzia de casas, onde os terrenos são enormes, mas os moradores somariam 10 ou 12 carros, os empreendimentos multiplicam esses números até 30 vezes, no mesmo espaço. Uma verticalização desenfreada e irracional, já que nesse ritmo os próprios moradores não conseguiram mais sair de casa com seus automóveis e isso já está acontecendo. É notório que nos condomínios do bairro existe trânsito na garagem. As vagas em prédios onde o padrão não permite mais do que uma vaga por apartamento, precisam ter um serviço de manobrista e isso é pago pelos condôminos, além do desconforto de pedir o carro cada vez que desejar sair de casa. Para algumas pessoas isso não é problema, mas denota que a quantidade de carros está desproporcional à capacidade para comportá-los. O bairro não possui mais o ar interiorano de outrora, muito menos o bucolismo, declarados pelos corretores. Os sites das empresas anunciam tranquilidade e vendem problemas que só são descobertos quando o comprador passa a sair e voltar para casa. Não estamos falando da qualidade dos empreendimentos, não é esse o foco. A questão é até quando o bairro será vendido como um lugar com qualidade de vida e tranquilidade, que não existe mais devido aos próprios empreendimentos que se instalam a cada mês, a cada ano, ininterruptamente. Num frenesi construtivo de fazer inveja ao resto da cidade e talvez ao país. A porção mais central do Tatuapé, além dos valorizados prédios de apartamentos, foi tomada em grande parte pelo comércio, bares e restaurantes que geram uma população flutuante totalmente alheia às tradições dos antigos que gradativamente vai se perdendo, inclusive a de cidade do interior que já acabou. Para dar uma ideia, num final de tarde qualquer, leva-se até 40 minutos para percorrer os oito quarteirões da Rua Emílio Mallet. Esse tempo pode ser estendido às Ruas Cantagalo até a Antonio de Barros, Azevedo Soares e Serra de Bragança, todas as adjacentes também estão congestionadas, quase o dia inteiro, pois os moradores que já conhecem o bairro tentam escapar do trânsito caótico através delas. Não há mais lugares para estacionar o volume de automóveis que circulam diariamente pelo bairro. Pode-se andar por toda a extensão da Rua Emílio Mallet sem encontrar...

Leia mais
Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população
abr27

Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população

A cidade de São Paulo paga caro pelo mesmo erro, cometido há tempos, em nome do progresso. Gerson Soares São Paulo, Tatuapé – Nesta sexta-feira (25), conversamos com o vereador Antonio de Paiva Monteiro Filho, o Toninho Paiva (PR/SP). Na pauta, três assuntos principais: Subprefeitura do Tatuapé, Manutenção de Parques, Praças e Ruas do bairro e o crescente número de veículos da superpopulação trazida pelos inúmeros empreendimentos imobiliários. A cidade de São Paulo paga um alto preço pela falta de planejamento do passado e o bairro caminha para se tornar caótico.   Com 72 anos, vida agitada, atendendo ligações e dando ordens incessantemente, demonstrando sua boa saúde e disposição, Toninho Paiva nasceu no Tatuapé, mais exatamente na Rua Tuiuti, e conhece o bairro tão bem como os remanescentes de sua época. Jogou bola nos campos de terra e foi dirigente do XI Garotos – um time de futebol varzeano extinto, como tantos outros. A conversa com ele se deu justamente pelo seu conhecimento do bairro, além do que sua trajetória o levou à Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), onde ocupa o cargo de vereador em seu quinto mandato. Nossa conversa girou em torno do início das primeiras ações por um Tatuapé que aspirava melhorias e para tanto foi fundada a Sociedade Amigos do Tatuapé, em 1963. “A primeira sede ficava em frente ao número 930 da Rua Tuiuti”, lembrou-se. Hoje a entidade não tem tantas atribuições, mas continua fazendo um papel importante na prevenção da hipertensão e é da autoria do vereador a lei que trata do Dia do Hipertenso. Ao comentarmos sobre os antigos moradores, Paiva lembrou-se de um vereador do bairro, tão antigo quanto Alfredo Martins, que foi Corinto Balduíno. Seu nome está ligado ao Hospital do Tatuapé e a outras obras que beneficiam o bairro até hoje, assim como o próprio Alfredo, que permaneceu durante seis mandatos à frente da CMSP e deixou obras permanentes. Outro tatuapeense de primeira grandeza citado foi Carlos Pinto de Oliveira Sá. “A gente brigava muito, mas eu gostava dele”, falou o vereador. Não é para menos, Carlos era um expoente nas reivindicações pelo bem do bairro. “O Tatuapé é a minha vida”, disse um dia. Carlos está entre os que primeiro reivindicaram uma Administração Regional (nome antigo das atuais subprefeituras) para o Tatuapé. A conversa prosseguiu e as lembranças também, recordamos Paiva sobre a Bocha e seria impossível falar desse esporte sem citar José Ramos Pereira. Assim como, Ricardo Izar, quando se fala em política e benfeitorias para o bairro. Uma delas o Parque do Piqueri. E quando se pensa em plantas e árvores, atualmente se fala na Dengue....

Leia mais
Torres de apartamentos no Tatuapé X Lei de contrapartida
abr27

Torres de apartamentos no Tatuapé X Lei de contrapartida

Gerson Soares Quando há um impacto urbanístico, os empreendedores precisam investir em melhoramentos locais, mas cada um dos empreendimentos que pesquisamos está se beneficiando de leis que limitam em 500 ou 600 vagas de estacionamentos os condomínios residenciais, por exemplo, antes de lhes cobrar as devidas contrapartidas. A Tecnisa, uma das empresas que investem no Tatuapé, constrói na Barra Funda um mega empreendimento e para obter a aprovação deverá fazer melhorias no sistema viário e quanto ao urbanismo devido ao impacto que causará na vizinhança. Assim como esta, outras empresas da construção estão investindo no Tatuapé, um bairro fabril até 50, 60 anos. Portanto, com enormes galpões e terrenos que antes só abrigavam máquinas e operários. Esses galpões, os que ainda restam, estão com os dias contados, como acaba de acontecer com a Morbin na esquina das ruas Azevedo Soares e Francisco Marengo. As instalações da empresa, agora irão abrigar famílias e um número crescente de automóveis. A Adolpho Lindenberg, com 59 anos de mercado, acaba de lançar o empreendimento Aristo no Tatuapé, na esquina da Rua Cantagalo com a Praça Nicola Antonio Camardo. A área era ocupada por um posto de gasolina e um desses galpões fabris. São 130 apartamentos e 210 vagas daqui há 34 meses. A própria Tecnisa constrói duas torres próximas à Av. Celso Garcia, com 200 vagas. Numa rápida pesquisa fizemos um cálculo para descobrir quantos automóveis deverão estar circulando pelo Tatuapé diariamente nos próximos anos apenas com alguns dos lançamentos em vigor ou de prédios em obras. Os números devem ser considerados como amostragem, pois a conta exata é muito maior, já que não levamos em consideração todos os empreendimentos em construção ou lançamentos. A Eztec constrói duas torres, 108 apartamentos, com 3 a 4 vagas, num total de 400 carros. Na Rua Ulisses Cruz, outra construtora, tem 270 unidades em construção com 2 vagas cada, 540 carros. Três edifícios em construção, um deles comercial com 255 unidades, a Gafisa trará para o Tatuapé e Jardim Anália Franco, aproximadamente 750 carros. Só os lançamentos da Construtora Hernandez em construção irão gerar 1.732 vagas de veículos entre prédios residenciais e comerciais. É a líder no número de automóveis desta amostragem, seguida pela Porte que com os lançamentos a serem construídos ou em obras trará 952 carros para seus empreendimentos residenciais e comerciais, sem contar os anunciados residenciais na Rua Itapeti e comerciais na Rua Vilela. A Balbás anuncia cinco construções em pré-lançamentos, às duas obras em andamento da empresa irão somar mais 312 carros para as vagas anunciadas. A Pontual, outra construtora lança um prédio com 6 vagas de garagem por apartamento, o que...

Leia mais
Construções de prédios e a falta de planejamento
abr27

Construções de prédios e a falta de planejamento

Gerson Soares “Há um crescimento desordenado na cidade. Por isso a Câmara está terminando a elaboração do Plano Diretor que vai organizar muita coisa”, concorda o Vereador, ao citarmos a falta de infraestrutura existente no bairro para a construção de tantos prédios. “Alargar as ruas é complicado, caro e precisa fazer desapropriações”, respondeu ele quando o assunto é o trânsito no Tatuapé. Uma das alternativas viáveis para melhorar o trânsito, concordou Paiva, seria o nivelamento dos sarjetões que existem em abundância nos cruzamentos do bairro. Esta seria uma boa contribuição das construtoras que enchem os cofres com a grande demanda por moradias e a decantada qualidade de vida no Tatuapé. Quanto a contrapartida de retribuírem pela infraestrutura existente no bairro que lhes serve como garota propaganda, o setor de construção civil fica no limite do enquadramento nas leis, por exemplo, que englobam pontos cruciais aos grandes empreendimentos e obrigações com a cidade. A quantidade de vagas de estacionamento e o impacto como polos geradores de tráfego está entre elas. Há ainda os estudos de Impacto de Vizinhança (EIV) e Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV) que devem ser avaliados. No Tatuapé as construções avançam num ritmo frenético, degradando ruas com a passagem de caminhões e máquinas pesadas. Há algum tempo mostramos a Rua Professor João de Oliveira Torres e a situação que se encontrava durante a construção de um empreendimento imobiliário. Imagina-se que o asfalto de ruas onde se constroem apartamentos de altíssimo padrão como esta devam melhorar, mas depois das obras concluídas continuam onduladas e esburacadas, como a Rua Maria Otília ou a Rua Marechal Barbacena, ambas conhecidas pelos moradores como tobogãs. O que se constata depois das obras terminadas ou durante elas são remendos muito mal acabados, como na Professor João de Oliveira Torres ou nunca realizados, Maria Otília. Numa rápida busca, as ofertas de apartamentos na primeira atingem valores que variam entre 1,5 a 8 milhões de reais. Esclarecemos que esta reportagem é de total responsabilidade do Alô Tatuapé e o vereador Toninho Paiva foi entrevistado para ouvirmos a opinião de uma autoridade municipal ligada diretamente ao bairro, já que o Subprefeito da Mooca ainda não marcou a audiência solicitada à sua assessoria. Ao contrário dele, Paiva prontamente nos atendeu e esclareceu algumas dúvidas. Para encerrar a entrevista sobre o crescimento desordenado, perguntamos ao vereador sobre a lei de contrapartida, se a construção civil está dando esse retorno ao Tatuapé e Jardim Anália Franco. “Para saber isso precisaria uma CPI sobre os empreendimentos”.   Saiba mais  Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população Subprefeitura do Tatuapé pode sair do papel Construções de prédios e...

Leia mais
CGM e MP de Contas do TCE-SP, juntos contra a corrupção
abr23

CGM e MP de Contas do TCE-SP, juntos contra a corrupção

Controladoria Geral do Município e Ministério Público de Contas do TCE-SP firmam parceria de combate à corrupção. Órgão terá acesso ao software de declaração patrimonial, sistemas de filtro e metodologia de análise desenvolvidos pela CGM para identificar suspeitos de enriquecimento ilícito. Procuradores querem fortalecer os controles internos dos 644 municípios. A Controladoria Geral do Município (CGM) e o Ministério Público de Contas, que atua junto ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, firmaram nesta terça-feira (22), na sede da Prefeitura, um termo de cooperação para o desenvolvimento de ações conjuntas para prevenir e combater a corrupção. “Essa parceria tem como objetivo o desenvolvimento de uma série de operações de interesse comum, com destaque para a questão da transferência do conhecimento relativo à metodologia da análise patrimonial como forma de combate à corrupção”, afirmou Mário Spinelli, secretário da Controladoria Geral do Município. Ele destacou ainda que hoje no país não existe uma cultura que utilize a análise patrimonial como ferramenta de combate à corrupção. “Muitas vezes, essas declarações de bens e rendas são entregues em envelopes lacrados e eles assim permanecem; às vezes nunca são abertos”, disse. Por meio da parceria, a CGM compartilhará com o Ministério Público de Contas não só a metodologia utilizada para a análise da evolução patrimonial, mas também ferramentas para a identificação de possíveis casos de enriquecimento ilícito, o que inclui a produção de informações estratégicas e de inteligência, a utilização de matrizes de risco, o cruzamento de dados e uso de processos de análise de fluxos de caixa. O Ministério Público de Contas também terá acesso ao código-fonte do Sistema de Registro de Bens dos Agentes Públicos, sistema desenvolvido pela Controladoria do Município – com colaboração da Prodam – com o objetivo de efetuar a análise da evolução patrimonial dos agentes públicos. “Acho que o grande fator deste termo de cooperação é que ele traz a experiência de controle interno (da Prefeitura), somada à vivência do controle externo no Ministério Público de Contas, com a identificação dos principais problemas que impedem a comunicação da transparência”, disse Celso Augusto Matuck Feres Júnior, procurador geral do TCE. O uso da metodologia de análise patrimonial dos servidores públicos permitiu à Controladoria do Município identificar, no ano passado, servidores municipais com patrimônio incompatível com a sua remuneração em decorrência de um esquema de cobrança de propina no ISS-Habite-se. O TCE pretende aplicar o modelo utilizado pela Prefeitura aos demais 644 municípios paulistas e a todos os órgãos do Estado que têm de prestar contas ao TCE. Entre as iniciativas previstas, estão a digitalização e regularização da declaração de bens dos servidores públicos de São Paulo. Ainda...

Leia mais
Conheça os parklets, os novos espaços da cidade
abr22
Leia mais
Tatuapé: Mato cresce e pode abrigar mosquito da dengue
abr21
Leia mais
Largo N. Sra. do Bom Parto: Lixo, drogas e pichações
abr19
Leia mais
Bom Parto: Reclamações que exigem atenção
abr19
Leia mais
Bom Parto tem ato de boa vontade contra a falta de cidadania
abr19
Leia mais
CET no Seu Bairro – 3ª edição irá ocorrer entre os dias 22 e 29 de abril
abr17

CET no Seu Bairro – 3ª edição irá ocorrer entre os dias 22 e 29 de abril

A CET avisa que devido aos feriados de Abril (nos dias 18 e 21), posto móvel do Programa visitará os sete bairros em período diferenciado neste mês: de 22 a 25/04 e nos dias 28 e 29/04, das 8 às 16 horas.   A terceira edição do programa CET no Seu Bairro está marcada para acontecer entre os dias 22 e 29 de abril. Em função dos feriados característicos desse mês (nos dias 18 – Sexta feira da Paixão e 21 – Dia de Tiradentes), foi preciso adequar o cronograma do projeto, de forma que a base itinerante esteja disponível para atendimento a demandas da população entre os dias 22 e 25/04 (terça a sexta-feira) bem como nos dias 28 e 29/04 (segunda e terça-feira), das 8 às 16 horas, nos seguintes locais: 1)   Jardim Peri/Vila Amália/Vila Dionísia – região Centro-Norte (Subprefeitura Casa Verde/Cachoeirinha) Posto móvel: Av. Mariana Caligiori Ronchetti , ao lado do Largo do Peri na lateral do AMA do Peri 2)   Parelheiros – região Sul (Subprefeitura Parelheiros) Posto móvel: Praça Julio Cezar de Campos 3)   Jardim D´Abril/Jardim Boa Vista/COHAB Raposo Tavares/COHAB Munck/Jardim do Lago – região Oeste (Subprefeitura Butantã) Posto móvel: Rua Dr. Virgílio Alvim Franco com Rua Eusébio de Paula Marcondes 4)   Vila Remo – região Sudoeste (Subprefeitura M´Boi Mirim) Posto móvel: Rua José Garcia Lopes Filho com Rua Antônio de Pina 5)   Vila Paranaguá/Parque Boturussu – região Leste (Subprefeitura Ermelino Matarazzo) Posto móvel: Praça Reverendo Mattathias Gomes dos Santos 6)   Vila Carmosina – região Sudeste (Subprefeitura Itaquera) Posto móvel: Rua Cachoeira de Itupanema 7)   Vila Jaguara – região Noroeste (Subprefeitura Lapa) Posto móvel: Praça Nair Zampiere Carbonaro Nestas sete regiões, entre os dias 22 e 29 de abril, serão feitas a manutenção/implantação de sinalização viária (vertical e horizontal), manutenção de semáforos e revitalização de abrigos/totens de ônibus, além de eventos gratuitos com ênfase na Educação de Trânsito. Balanço acumulado das Etapas 1 e 2 do CET no Seu Bairro  A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) concluiu o balanço provisório acumulado das melhorias viabilizadas nas primeiras duas etapas do CET no Seu Bairro. Em cada uma delas, para lembrar, o Programa chegou a sete regiões:   Região Etapa 1 – Fevereiro Etapa 2 – Março 1 CN Vila Ede Parque Novo Mundo 2 SU Jardim Myrna Vargem Grande 3 OE João XXIII/Jd. Educandário Jardim Macedônia 4 SO Monte Alegre/Capão Redondo Jardim Ibirapuera 5 LE Vila Mara José Bonifácio 6 SE Mascarenhas de Moraes Parque São Rafael 7 NO Vila Zatt Vila Brasilândia Etapa 1: de 17/02 a 21/02                  Etapa 2: 17/03 a 21/03 A seguir, veja o balanço acumulado das edições 1 e 2...

Leia mais
Haddad é convidado para o Fórum Urbano Mundial
abr09

Haddad é convidado para o Fórum Urbano Mundial

Em mesa-redonda realizada nesta quarta no Fórum Urbano Mundial, em Medellin, na Colômbia, o prefeito Fernando Haddad expôs a realidade do financiamento do transporte público da capital. O prefeito Fernando Haddad debateu nesta quarta-feira (9) a cooperação entre as cidades latino-americanas em busca do financiamento do transporte público durante mesa-redonda no 7º Fórum Urbano Mundial, em Medellin, na Colômbia. O encontro, realizado no Hotel San Fernando Plaza, reuniu mais de 50 prefeitos e dirigentes municipais da América Latina. Na abertura do debate, Haddad expôs a realidade do financiamento do transporte público em São Paulo e afirmou que todas as metrópoles latino-americanas vivem situação semelhante. “Com o desenvolvimento econômico de nossos países nos últimos dez anos, as frotas de veículos de transporte individual praticamente dobraram de tamanho. As vias são as mesmas, os viários são os mesmos e o número de veículos é muito maior”, disse. O prefeito afirmou ainda que a pressão sobre os custos e a qualidade dos transportes coletivos se contrapõem ao volume de subsídios, que a cada dia torna-se mais alto para as cidades. “As manifestações de junho passado em São Paulo tinham como programa máximo a tarifa zero. E como programa mínimo o congelamento indefinido da tarifa”. Haddad falou também como primeiro vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e sustentou que os recursos de uma majoração no imposto sobre a gasolina poderiam compor um fundo para o subsídio do transporte coletivo. “O transporte individual é uma espécie de privatização do espaço público e deveria pagar por isso”, afirmou o prefeito. Com a citação de um estudo da Fundação Getúlio Vargas, o prefeito reiterou que há elementos econômicos e ambientais associados ao modelo de subsídio cruzado. “O impacto seria deflacionário, porque o custo da gasolina pesa menos no índice inflacionário do que o de transporte. Há um impacto distributivo, uma vez que quem usa ônibus tem menos renda; há um impacto do ponto de vista ambiental, uma vez que o transporte individual é mais poluente do que o coletivo; promoção da produção de combustíveis menos poluentes como o etanol, que seria favorecido pelo aumento do preço da gasolina e, finalmente, uma maior mobilidade urbana, com a inibição do uso do carro e o desestímulo ao automóvel haveria uma maior fluência dos veículos coletivos”. O encontro terminou com a convergência dos dirigentes municipais para a necessidade de se encontrar uma nova forma de financiamento do transporte público e a convicção de que os subsídio cruzado com o consumo da gasolina, se não for o modelo ideal, é o que mais se aproxima da realidade das cidades latino-americanas. O secretário municipal de Relações Internacionais Leonardo Barchini convidou...

Leia mais
Os parques do Tatuapé: histórias de grupos e iniciativas
abr08
Leia mais
Parque do Piqueri
abr07
Leia mais
Clube C.E.E. Brigadeiro Eduardo Gomes
abr07
Leia mais
Parque Esportivo dos Trabalhadores (PET)
abr07
Leia mais
Parques do Tatuapé: Piqueri, Ceret e Municipal no Metrô Carrão
abr06
Leia mais
Prefeitura combate dengue em áreas críticas
abr04

Prefeitura combate dengue em áreas críticas

Prefeitura intensifica ações de combate à dengue em distritos considerados críticos. Na média, a capital tem taxa de incidência com média de 10,4 casos para cada 100 mil habitantes. Número de notificações disparou em distritos próximos a Osasco: Lapa, Jaguaré e Rio Pequeno, na zona oeste, além de Tremembé (norte) e Vila Jacuí (leste). O registro de casos de dengue neste ano em São Paulo aumentou em 15,4% na comparação com o mesmo período de 2013. A comparação é feita considerando as notificações recebidas nas primeiras 13 semanas epidemiológicas e pode variar na medida em que os casos são notificados pelas unidades de saúde. Até o momento, foram notificados 1166 casos de dengue em 2014, o que resulta em uma taxa de incidência de 10,4 (casos para cada 100 mil habitantes) considerada baixa, de acordo com o Ministério da Saúde. Em 2013, foram registrados 2.617 casos e índice 23,3. “São Paulo sempre teve a metade do índice que o Ministério preconiza como de baixa incidência. Mas temos que estar sempre com precaução para não deixar esse índice superar esse patamar baixo”, disse o secretário municipal da Saúde, José De Filippi Jr. “Nós estamos na semana de número 14 agora. Os dados são referentes a semana de número 13 e, por um acompanhamento epidemiológico de todos os últimos anos e da incidência da dengue, sabemos que a semana crítica é a 16, daqui duas semanas, portanto. É preciso essa ação preventiva desde já”. De acordo com o secretário, a ausência de chuvas neste Verão atrasou o aparecimento e transmissão da doença, já que as larvas do mosquito aedes aegypti dependem da água para chegarem na fase adulta, quando o mosquito se torna transmissor da doença. “O que identificamos é que existe uma defasagem em relação aos outros anos de duas a três semanas. Temos de nos preparar porque o pico que acontecia em março, vai acontecer em abril”, explicou o secretário. A Supervisão de Vigilância em Saúde (SUVIS) da região da Lapa e do Jaguaré vem realizando ações de prevenção e combate ao mosquito. Ao todo, já foram realizados 230 bloqueios de criadouros (cada bloqueio equivale em média a nove quarteirões e 500 imóveis) e 224 bloqueios de nebulização (aparelho costal). Além disso, três operações Cata-Bagulho foram realizadas em parceria com as subprefeituras para a retirada de lixos que possam acumular água. Na segunda (7), a COVISA, em parceria com a Subprefeitura Lapa/Pinheiros e Prefeitura de Osasco farão ação conjunta na mesma região. As ações realizadas de casa a casa e a nebulização serão ampliadas nos dois municípios. Durante as ações as equipes distribuem toucas para caixa d’água, uma tela...

Leia mais
Começa a 3ª etapa do CET no seu bairro
abr02
Leia mais
Equipe da UBS Sé oferece tratamento odontológico diferenciado e conquista prêmio
abr01
Leia mais
Apesar de você é tema de show na Cassiano Ricardo
abr01
Leia mais
Mobilidade Urbana na cidade de São Paulo – CMTT
mar31

Mobilidade Urbana na cidade de São Paulo – CMTT

Veja o vídeo publicado em 19/12/2013 no Youtube pelo SPUrbanuss Jaime Lerner apresenta proposta de Eixos de Transportes para a cidade de São Paulo O ex-governador do estado do Paraná Jaime Lerner participou, neste dia 19 de dezembro, quarta-feira, da 4ª Reunião do Conselho Municipal de Transportes e Trânsito da cidade de São Paulo. Durante sua primeira gestão como prefeito de Curitiba, no período 1971 a 1975, consolidou as transformações da cidade e implantou o Sistema Integrado de Transporte Coletivo, reconhecido internacionalmente pela sua eficiência, qualidade e baixo custo. Em março deste ano, a convite do SPURBANUSS (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo), o arquiteto e urbanista elaborou o Estudo Preliminar de Eixos de Transportes de Passageiros, que analisa a alternativa de se criar uma rede expressa de corredores, capaz de multiplicar as possibilidades de trajetos, com enorme ganho de tempo para os clientes do transporte urbano. Leia a reportagem...

Leia mais
Mobilidade Urbana na cidade de São Paulo – CMTT
mar31
Leia mais
Corredor Norte-Sul e Radial Leste têm iluminação revitalizada
mar28

Corredor Norte-Sul e Radial Leste têm iluminação revitalizada

Além de tornar a cidade mais bela, nova iluminação quer garantir mais qualidade de vida ao cidadão paulistano. Principal ligação viária entre as regiões Norte e Sul da cidade, o trecho compreendido entre a Praça Campo de Bagatelle e o Aeroporto de Congonhas, que engloba vias como Avenidas Santos Dumont, Tiradentes, 23 de maio e Washington Luiz, além do Vale do Anhangabaú, terá a iluminação pública remodelada até 15 de maio. Dividida em duas partes, a obra, que está sendo coordenada pelo Departamento de Iluminação Pública (Ilume), faz parte das metas do Programa de Iluminação traçado para 2014, que tem como objetivo aumentar os níveis de iluminação da cidade. No primeiro trecho, de 17 quilômetros, que vai do Aeroporto ao Vale do Anhangabaú, serão substituídos 453 postes, que receberão 688 luminárias com tecnologia LED 280 Watts no lugar das atuais lâmpadas de vapor de sódio de 400 Watts. No segundo, os 3,5 quilômetros que fazem a ligação do Vale do Anhangabaú à Praça Campo de Bagatelle, 500 lâmpadas de vapor de sódio 400 Watts serão substituídas por de vapor metálico (luz branca) de igual potência. Outro importante corredor que está sendo revitalizado é a Radial Leste, que cruza todo o eixo leste da cidade até o centro (Parque Dom Pedro II). Em uma extensão de 24 quilômetros, que compreende trecho da Avenida Alcântara Machado, Rua Melo Freire e as Avenidas Conde de Frontin, Antônio Estevão de Carvalho, Luís Ayres e José Pinheiro Borges, 1.289 lâmpadas de vapor de sódio serão trocadas por de vapor metálico.Além disso, a via será contemplada com a instalação de outros 24 pontos de iluminação, que abrigarão 35 luminárias com lâmpadas de vapor metálico. “A iluminação dos principais corredores faz parte do compromisso de tornar a nossa cidade mais iluminada e, por conseguinte, mais bela, contribuindo, dessa maneira, para a ampliação da qualidade de vida de seus habitantes”, afirma Simão Pedro, secretário de...

Leia mais
São Paulo na TV – Ciclovidas
mar28

São Paulo na TV – Ciclovidas

Assista o vídeo postado pela Prefeitura de São Paulo no Youtube. Você também pode enviar a sua história.

Leia mais
Parcerias público-privadas para iluminar melhor a cidade de São Paulo
mar27

Parcerias público-privadas para iluminar melhor a cidade de São Paulo

Empresas interessadas em melhorar iluminação da cidade entregam estudos de viabilidade técnica e econômica. Propostas serão analisadas por uma comissão nos próximos 60 dias e deverão estar alinhadas com as necessidades do mercado. A Secretaria de Serviços recebeu, até o final do prazo em 14 de março, 11 estudos de viabilidade técnica e econômica de empresas autorizadas a apresentar estudos de modernização, otimização, expansão, operação e manutenção da infraestrutura da rede de iluminação pública, de acordo com Chamamento Público 01/2013, que prevê a participação da iniciativa privada, por meio de parcerias, em projetos de melhorias do parque luminotécnico da cidade, composto por mais de 560 mil lâmpadas. Com foco na qualidade do serviço a ser prestado, os estudos serão analisados, nos próximos 60 dias, por uma Comissão Especial de Avaliação que, além de parecer, emitirá um edital de consulta pública, uma espécie de “tira-dúvidas” aberta à sociedade e setores especializados. A partir dos dados coletados será feita uma licitação para escolher os vencedores. De acordo com o chamamento, os estudos deverão promover, entre outros pontos, a melhoria do índice ou grau de luminância implantado para níveis adequados ao tipo da via, a redução do consumo de energia elétrica, a viabilização do uso de ferramentas de Tecnologia da Informação no controle efetivo e em tempo real do comportamento da rede de iluminação pública, o controle e a medição da eficiência do serviço prestado pela luminosidade entregue e a garantia da transparência da informação e da gestão. As propostas deverão estar alinhadas para atender ao interesse público. Espera-se também que promovam estudos de atualização e expansão dos ativos, englobando todos os serviços a eles agregados, como a criação de um centro de controle operacional com a função de monitorar os incidentes registrados com a iluminação na hora em que eles acontecem. Para o secretário de Serviços, Simão Pedro, a iluminação de São Paulo registrou um salto de qualidade no ano passado ao remodelar cerca de 125 mil pontos de Iluminação (substituição de lâmpadas de vapor de mercúrio por de vapor de sódio), além da implantação de 18 mil novos pontos. “No entanto, é preciso fazer mais. Chegamos à conclusão de que podemos ir mais longe se utilizarmos a experiência e o conhecimento da iniciativa privada”, afirma. Pela parceria a ser firmada, os vencedores da licitação ficarão com a arrecadação da Contribuição para custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip), estimado para 2013 em R$ 271 milhões. Esse valor é pago pelo contribuinte na conta de luz – R$ 4,44 por residência e R$ 13,99 para imóveis não...

Leia mais
Unidade móvel para atender mulheres em situação de violência começa a circular em abril
mar26

Unidade móvel para atender mulheres em situação de violência começa a circular em abril

Ônibus recebido nesta segunda-feira (24) pela Prefeitura de São Paulo faz parte das ações do programa “Mulher, Viver sem Violência”, do Governo Federal, e circulará na primeira quinzena de abril, prioritariamente nos bairros com mais ocorrências de violência, como Parelheiros e Marsilac, no extremo Sul da cidade. A informação foi dada pela Secretaria Executiva de Comunicação da Prefeitura de São Paulo, que recebeu uma unidade móvel de atendimento às mulheres em situação de violência. O ônibus itinerante foi cedido pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM) para a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres. O atendimento na unidade móvel será multidisciplinar e será feito em parceria com as secretarias de Assistência Social, Transportes, Saúde e Segurança Urbana. Durante a solenidade de entrega na sede da Prefeitura, que marcou também o lançamento da nova edição da campanha “Quem ama abraça nas escolas”, o prefeito Fernando Haddad destacou o papel do equipamento na redução da violência contra a mulher e citou uma experiência no Rio Grande do Sul, onde o acompanhamento de lares que tiveram casos de violência reduziu em 80% a reincidência das agressões e ameaças. “A vantagem de ser uma unidade móvel é que você pode levar as autoridades até onde a violência ocorre. Você não fica, passivamente, em uma delegacia da mulher ou no equipamento público, aguardando que a denúncia chegue. Você vai ao encontro do problema para superá-lo. Você vai onde ele está e coloca as autoridades competentes para resolver aquela situação”, afirmou Haddad. A ministra Eleonora Menicucci afirmou que a entrega da unidade móvel faz parte de uma política de universalização de serviços e ações contra a violência. De acordo com a ministra, 54 unidades foram entregues em todo o País e outras duas serão entregues ao Governo do Estado para atender o interior e territórios mais afastados. “Quando as mulheres sobem os degraus desses ônibus, sem dúvida elas estão deixando para trás o medo, o pacto do silêncio. Estão rompendo um dos maiores paradigmas e uma das maiores muralhas, que é o medo de denunciar o homem que ela escolheu para viver. Ela se torna um sujeito de direitos”, afirmou a ministra. “A produção do ônibus é uma iniciativa inédita, que também vai valorizar as trabalhadoras da agricultura urbana e o conjunto de mulheres que residem nas regiões mais distantes do Centro e que têm mais dificuldade de acesso aos serviços disponibilizados a elas”, disse a secretária municipal de Políticas para Mulheres, Denise Motta Dau. Além de São Paulo, a unidade circulará pelos municípios de Carapicuíba, Cotia, Diadema, Embu das Artes, Franco da Rocha, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jandira, Osasco,...

Leia mais
Chuvas
mar20

Chuvas

Termina estado de atenção para alagamentos, informou a Secretaria de Comunicação da Prefeitura da cidade. Chuva da tarde de hoje deixou em atenção regiões de Santana, Sé, Jaçanã, Vila Maria, Mooca, Penha, Aricanduva, Vila Prudente e Marginal Tietê. Por conta das chuvas que atingiram a cidade na tarde desta quinta-feira (20), o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) decretou às 15h57 estado de atenção para alagamentos para as subprefeituras da Sé, Santana, Jaçanã, Vila Maria/Vila Guilherme, Mooca, Penha, Aricanduva/Vila Formosa, Vila Prudente e para a Marginal Tietê. As regiões permaneceram em atenção até às 16h30. Não foram registrados pontos de alagamentos transitáveis ou intransitáveis. Segundo a CET, às 16h50, a cidade possuía 41 semáforos desligados e 39 quedas de árvores. De acordo com os meteorologistas do CGE, durante o final da tarde e início da noite novas áreas de instabilidade podem voltar a atingir a cidade com pontos de maior intensidade e rajadas de vento. As chuvas formadas pela combinação do calor e da entrada da brisa marítima que atingiram algumas subprefeituras e regiões da capital paulista já perderam força. Imagens do radar meteorológico mostram precipitação fraca apenas no extremo Leste, no bairro de São Mateus. Já na Grande São Paulo, no município de Mauá a chuva é forte. Durante as chuvas, às 16h07 no aeroporto de Congonhas, zona Sul, houve registro de rajada de vento 50km/h. Estado de atenção para deslizamentos: A Defesa Civil decretou estado de atenção para deslizamentos nas subprefeituras de Penha, Ermelino Matarazzo, Aricanduva/Formosa, na Zona Leste; e M’Boi Mirim, na Zona Sul. A medida é preventiva e é tomada quando a região tem chuva acumulada em 72 horas e previsão de continuidade. Tendência para os próximos dias: A propagação do sistema frontal pelo litoral paulista muda o tempo nos próximos dias, provocando declínio das temperaturas e chuvas mais generalizadas. A sexta-feira (21) deve apresentar muita nebulosidade e chuvas, alternadas com períodos de melhoria ao longo do dia. Os termômetros devem variar entre mínimas de 20ºC e máximas de 28ºC. A continuidade das chuvas eleva o risco para formação de alagamentos e deslizamentos de terra na Capital paulista. No sábado (22) o tempo segue nublado e chuvoso ao longo do dia na Grande São Paulo. Os termômetros devem variar entre mínimas de 19ºC e máximas de 25ºC. Estas condições mantêm elevado o risco para alagamentos e deslizamentos de terra na Capital...

Leia mais
CET no seu bairro – 2ª etapa
mar14
Leia mais
CET no seu bairro – 1ª etapa
mar14
Leia mais
CET no seu bairro
fev13

CET no seu bairro

O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (13), na sede da Secretaria Municipal de Transportes (SMT), situada na Rua Barão de Itapetininga, 18, no Centro de São Paulo, e será posto em prática a partir desta segunda-feira (17). O programa CET no seu bairro – Melhorando a Mobilidade, irá abranger 70 bairros da capital, sendo que a cada mês serão sete bairros – divididos na hierarquia do órgão através da GETs (Gerência de Engenharia de Tráfego) que receberam a visita de um posto móvel ao lado do qual será montada uma tenda para a ouvidoria dos pedidos e também das reclamações, a partir desta segunda-feira (17). “A ideia é abrir um canal direto com os munícipes e ouvir suas questões e nenhuma reclamação vai ficar sem resposta”, afirmou o secretário Jilmar Tatto. “Esta é uma situação inédita para o CET”, frisou. Ele explanou sobre várias situações e disse que haverá a participação de outros órgãos como as Subprefeituras e a Ilume, além de setores educacionais da CET. A cada mês a SMT irá divulgar os próximos bairros a serem visitados, abrangendo todas as regiões Norte, Sul, Leste e Oeste. Ainda não foi divulgado quando o Tatuapé e Jardim Anália Franco receberão a visita da Unidade Móvel, mas os primeiros bairros serão, os seguintes: – Capão Redondo/Monte Alegre; – Vila Ede; – Vila Zatt; – João XXIII/Jardim Educandário; – Jardim Myrna; – Mascarenhas de Morais; – Parque Paulistano/Vila Mara. “Vamos fazer intervenções simples que acabam facilitando a vida das pessoas que estão nos bairros visitados. Projetos mais complexos ficarão para intervenções mais demoradas”, alertou, dizendo que muitas vezes um obstáculo pode atrapalhar a manobra de um ônibus numa rua estreita causando transtornos. Também avisou que a CET está tentando diminuir os acessos à esquerda. “O motorista que vai entrar à esquerda num semáforo, por exemplo, acaba atrapalhando todo o tráfego e estamos diminuindo isso ao máximo”. Sobre a reportagem do Alô Tatuapé (leia em https://alotatuape.com.br/?p=2190), o Secretário Municipal dos Transportes concordou com a proposta do site/revista, no sentido de que poderia haver demarcações nas ruas onde existem duas faixas de rolamento que nas esquinas se transformam em três, indicando com setas a direção a seguir, à direita ou esquerda. “Mas precisar mandar alguém nos locais, caso a caso”. Este já será um bom começo. Quanto às valetas, Tatto mencionou o engajamento das Subprefeituras no programa CET no seu bairro. “Vamos pedir às Subprefeituras para analisar e alterar a geometria das valetas”, explicou. Referindo-se a outro fato citado pelo Alô Tatuapé, quanto às dificuldades que as valetas causam e o atraso para avançar na maioria dos cruzamentos do bairro. Sobre as...

Leia mais