Telefonia: empresas também faturam pelas brechas da lei


Segunda-feira, 2 de novembro de 2015, às 12h34


Por falha na legislação, por conivência ou corrupção? Qual seria o motivo de as empresas de telefonia continuarem lesando os consumidores indefinidamente sem temer as pesadas multas que recebem? Compensa pagar X de multas e receber X+Y com os valores cobrados indevidamente? É isso que estamos perguntando ao Procon/SP e ao MP/SP, aguardando uma resposta desde o dia 21 de outubro.

Gerson Soares

As empresas de telefonia são as campeãs das reclamações nos Procons (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) em todo o país. A reportagem publicada em janeiro de 1999 pela revista Alô Tatuapé, mostra quando a primeira delas, a Telefônica da Espanha se expandiu no país, depois de comprar a Telesp, privatizada durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

 

A Telefonia deveria ser regulamentada pelas agências competentes, mas parece que não é isso o que acontece. Foto ilustrativa: Stock Photo

A Telefonia deveria ser regulamentada pelas agências competentes, mas parece que não é isso o que acontece. Foto ilustrativa: Stock Photo

 

As privatizações e diversas outras ações governamentais, abriram o mercado de telefonia – e por consequência criou as agências reguladoras e órgãos que deveriam fiscalizar esse setor – a diversos investidores que até hoje podem faturar muito dinheiro. Além disso, às custas de uma legislação capenga ou por conivência de quem deveria lhes regular o comportamento administrativo, enxergam a oportunidade para agir com má fé, protegidos por e alegando erros referentes ao sistema (programações de computadores que sempre os favorecem), atendimento eletrônico robotizado ou operadores de telemarketing que conduzem os consumidores à loucura.

A mesma companhia Telefônica da Espanha, citada na reportagem da revista Alô Tatuapé (jan/99) que pode ser vista aqui, recebeu multas impostas pelos órgãos reguladores que chegam a estratosféricos R$ 194.455.323,58* só em São Paulo, referentes a Vivo e Telefônica, em 2015.

São 16 anos cometendo infrações e ao mesmo tempo liderando o mercado de telefonia no Brasil. Como isso é possível? Até quando o consumidor será lesado? Cometer infrações e pagar multas na justiça depois de anos vale a pena? Afinal, o crime compensa no Brasil?

É isso que o Alô Tatuapé continua questionando. Enviamos essas questões e estamos aguardando desde o dia 21 de outubro, o posicionamento do Procon/SP e do Ministério Público de São Paulo (MP/SP) que ainda não se pronunciaram sobre o comportamento idêntico da empresa Nextel, no que diz respeito à cobrança indevida de valores nas contas dos consumidores.

Essa prática abusiva, de cobrar valores errados para depois tentar justificar e devolver (ou não), já é um costume conhecido dessas empresas e principal motivo de as multas chegarem aos valores mostrados.

Queremos saber até quando.

*Autuações até o dia 1º de novembro em razão de infração às normas de proteção e defesa do consumidor pelo Procon/SP. Fonte/acesse: Portal da Transparência.
Joaquim Levy disse que medidas em tramitação no Congresso podem ajudar na reestruturação fiscal do paísFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Joaquim Levy disse que medidas em tramitação no Congresso podem ajudar na reestruturação fiscal do paísFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Leia mais sobre
ECONOMIA

 

O jurista Miguel Reale Jr. e a filha do procurador aposentado, Hélio Bicudo, Maria Lucia Bicudo entregam ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef, na quinta-feira passada. Parecer ficará pronto amanhã (23) e será lido uma semana após a entrega, no dia 24.  Hélio Bicudo, 93 anos, foi um dos fundadores do PT, partido que, desiludido, abandonou. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O jurista Miguel Reale Jr. e a filha do procurador aposentado, Hélio Bicudo, Maria Lucia Bicudo entregam ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef, na quinta-feira passada. Parecer ficará pronto amanhã (23) e será lido uma semana após a entrega, no dia 24. Hélio Bicudo, 93 anos, foi um dos fundadores do PT, partido que, desiludido, abandonou. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Leia mais sobre
ALÔ BRASIL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil
Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo
Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo
Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
  • Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil

  • Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo

  • Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo

  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*