UNICEF: Caravanas chegam aos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas


Sexta-feira, 29 de outubro de 2015, às 12h43


Em Palmas, onde é realizado o evento internacional, meninos e meninas de comunidades indígenas, de áreas rurais próximas e também moradores da capital tocantinense brincam e aprendem juntos novos esportes, danças e músicas.

ONU Brasil

Entre os dias 26 a 28 de outubro, crianças participaram da Caravana do Esporte e da Caravana das Artes durante os I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, em Palmas (TO). Meninos e meninas de comunidades indígenas, de áreas rurais próximas e também moradores da capital tocantinense brincam e aprendem juntos novos esportes, danças e músicas.

 

Foto: UNICEF

Foto: UNICEF

 

Educadores, gestores públicos, universitários, lideranças indígenas e especialistas também foram convidados a debater estratégias e metodologias para garantir o direito ao esporte e às artes no dia a dia das escolas e comunidades.

As medalhistas olímpicas do vôlei Ana Moser e Érika Coimbra, a cantora Renata Jambeiro, o ator Josafá Filho, os atletas Zezé Sales e Diogo Silva, campeões pan-americanos de handebol e taekwondo respectivamente, foram para Palmas para participar das atividades.

Além das atividades desenvolvidas para as crianças, os educadores locais trocaram experiências e ampliaram conhecimentos sobre a aliança entre esporte, arte e educação. Durante as formações, os professores elaboraram uma “carta compromisso de continuidade” com o objetivo de fomentar as atividades esportivas e artísticas nas escolas.

“Vamos aproveitar o clima de integração cultural que este evento proporciona para produzir ações relacionadas aos direitos e proteção das crianças indígenas e não indígenas”, afirma a diretora da Caravana do Esporte e da Caravana das Artes, Adriana Saldanha.

Para o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a realização da Caravana durante os Jogos Mundiais Indígenas destaca a importância de se garantir o direito ao esporte de todas as crianças, sem exceção, valorizando as diferentes formas de brincar e jogar nas culturas indígenas.

Nesta quinta-feira (29), aconteceu também o seminário “Esporte e Arte Educacionais, Indígena e Não Indígena – Pela Identidade, Diversidade e União entre os povos”, no Auditório Ceulp da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Foram debatidos três temas principais: Esporte e cultura como direito; Escola indígena, saberes tradicionais e Políticas Públicas e Garantia de Direitos.

Os I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas estão sendo realizados entre os dias 23 de outubro a 1 de novembro e contam com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O site da iniciativa é o Caravana dos Esportes e das Artes

livro-educação-const-legisl-dest

Um caminho para que nosso Brasil não seja povoado por Macabeias e Fabianos. Foto: Divulgação

Leia mais sobre
EDUCAÇÃO

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo
Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar
Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime
Mensagem do Presidente ao Congresso Nacional
Veja como foi a festa e a distribuição do bolo dos 465 anos no Bixiga
Segundo dia do presidente no Fórum Econômico Mundial
Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d
Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro
  • Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo

  • Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar

  • Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime

  • Mensagem do Presidente ao Congresso Nacional

  • Veja como foi a festa e a distribuição do bolo dos 465 anos no Bixiga

  • Segundo dia do presidente no Fórum Econômico Mundial

  • Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d

  • Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*