Sexta-feira | 25 de dezembro, 2020 | 18h45


BÍBLIA


Pequeno estudo sobre o nascimento de Jesus de acordo com os livros que compõem a Bíblia Sagrada. Entendendo os versículos 2 e 3 do capítulo 5 do livro de Miquéias.


Gerson Soares

É importante mencionar que a vinda de Jesus foi profetizada 700 antes do seu nascimento por Miquéias e outros profetas, como veremos. Ao publicarmos estes textos e comentários sobre as passagens não temos a intenção de que sejam as únicas versões ou a última palavra para os estudos bíblicos a respeito dos versículos 2 e 3 de Miquéias que constam no capítulo 5 do livro sobre o seu ministério. Este compendio baseado na obra de Charles C. Ryrie, a Bíblia anotada(1) traz aos interessados apenas uma versão sobre o assunto.

 

Histórias da vida e paixão de Cristo, 1513. Obra de Gaudenzio Ferrari (1475–1546), Igreja de Santa Maria delle Grazie, Varallo Sesia (VC), Itália. / Foto: Wikipedia

 

“2 E (c) tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de (d) ti me sairá o que há de (e) reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos (f) antigos, desde os dias da eternidade. 3 Portanto, o Senhor os (g) entregará até ao tempo em que a que está em dores tiver dado à luz; então, o (h) restante de seus irmãos voltará aos filhos de Israel. — Miquéias (794 – 701 a.C.)”

Destes versículos vamos compreender o que a Bíblia nos explica sobre o nascimento de Jesus e sua adoração pelos Reis Magos. Começamos pelo entendimento dos significados das palavras e formas da escrita antiga.

 


– Belém-Efrata. O antigo nome de Belém e, ao parece, do distrito em que a cidade ficava. Ambos os nomes indicam a fertilidade da região; Belém significa “casa do pão” e Efrata significa “frutífera”. Este foi o local de nascimento do rei Davi e de seu descendente mais ilustre, Jesus Cristo, o Messias.

Quando se refere a “milhares”, fala dos clãs ou talvez os distritos administrativos de Judá; ao que “me sairá” significa segundo minha vontade; origens, quer dizer literalmente, saídas, primeiramente uma referência às aparições pré-encarnadas de Cristo como o Anjo do Senhor, o que confirma a preexistência de Cristo ao seu nascimento em Belém; desde os tempos antigos, pode significar também “desde a eternidade”, indicando a existência eterna do Messias.

A “Estrela de Belém” anunciou ao Oriente a chegada do rei dos judeus aos Reis Magos que vieram a Jerusalém. Lá chegando foram primeiro ao rei Herodes e perguntavam onde estava o recém-nascido. Herodes, o governante romano, que via esse nascimento como uma ameaça também desejava saber onde estava o menino, todavia, para matá-lo. Convocando os sacerdotes e escribas indagaram aos Reis Magos onde nasceria o menino.

Conforme o livro de Mateus, na citação a seguir, os Reis Magos respondem a Herodes de acordo com Miquéias, a respeito do recém-nascido.

Mateus – Capítulo 2 (entre as décadas de 50 – 60 d.C.)

“5 Em (e)* Belém da Judéia, responderam eles, porque assim está escrito por intermédio do profeta:
(c) 6 E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel”.

(e)* João – 7:42
“Não diz a Escritura que o Cristo vem da (h)* descendência de Davi e da aldeia de Belém, donde era Davi?
(h)* Mateus – 1:1
“Livro da genealogia de Jesus Cristo, (a) filho de Davi, (b) filho de Abraão.
1:1 - Jesus Cristo. O nome “Jesus” vem da forma grega e latina do hebraico “Jeshua” (Josué), que significa “o Senhor é a salvação”. “Cristo” vem do grego para o hebreu Meshiah (Messias) que significa “ungido”. filho de Davi era um título messiânico bastante conhecido naquela época. Esta genealogia segue a linhagem de José, o pai legal (embora não natural) de Jesus, e comprova a validade de sua reivindicação e seu direito ao trono de Davi (v. 6).

Enviando-os a Belém, Herodes pediu que ao encontrá-lo o avisassem para que também pudesse ir e adorá-lo. Abaixo, Mateus continua sua narrativa:

“9 Depois de ouvirem o rei, partiram; e eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, até que, chegando, parou sobre onde estava o menino. 10 E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo.”

Ainda de acordo com o texto bíblico, os Reis Magos foram alertados em sonho por divina providência para não retornarem a Jerusalém a fim de informar Herodes sobre o paradeiro do menino Jesus. Ao descobrir que fora enganado, amedrontado pelo rei judeu que julgava lhe usurparia o trono, ele mandou matar todos os meninos com menos de dois anos de idade nascidos em Belém e arredores.

Isaías – Capítulo 11 (740 – 680 a.C.)
6. O reinado do rebento de Jessé, 11:1-16

(d) 1 Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo”.

Entendendo o versículo acima:

11:1-5 Embora a árvore de Davi tivesse sido derrubada (6:13), um rebento ou renovo (ramo) cresceria do tronco (a família de Davi, Jessé era o pai de Davi, 1Sm 17:12), na pessoa do Messias. Ele seria caracterizado pela plenitude do Espírito Santo (v. 2) e pela integridade absoluta (v. 3-5).

Lucas – Capítulo 2 (60 d.C.)
D. O advento do Filho do Homem, 2:1-20

(d) 4 José também subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, para a Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém, por ser ele da casa e família de Davi, 5 a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. 6 Estando eles ali, aconteceu completarem-se-lhe os dias, 7 e ela deu à luz o seu filho primogênito, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.”

A explicação sobre estes versículos de Lucas:

2:1 César Augusto reinou de 27 a.C. a 14 d.C.
2:2 Quirino era governador da Síria. Ao que parece, Quirino governou a Síria em duas ocasiões: de 4 a.C. até 1 d.C., quando foi feito este recenseamento, e mais uma vez em 6-10 d.C.
2:4 à cidade [...] chamada Belém (para cumprir a profecia de Miquéias 5:2)
2:7 enfaixou-o. Nos tempos bíblicos, era costume no Antigo Oriente Próximo enrolar os recém-nascidos em tiras ou faixas de pano. manjedoura. Um cocho onde é colocado o alimento para os animais, e uma baia ou estábulo. Diz a tradição que Jesus nasceu em uma gruta; nesse caso, é possível que a manjedoura tivesse sido escavada diretamente na rocha.

Jeremias – Capítulo 30 (627 – 585 a.C.)
P. A esperança de restauração para Judá, 30:1 – 33:26
1. A promessa é declarada: a restauração depois da tribulação, 30:1 – 31:26

(e) 21 O seu príncipe procederá deles, do meio deles sairá o que há de reinar; fa-lo-ei aproximar, e ele se chegará a mim; pois quem de si mesmo ousaria aproximar-se de mim? – diz o Senhor. 22 Vós sereis o meu povo, eu serei o vosso Deus.”

Explicação:

30:17-22 As futuras bênçãos divinas para Israel incluirão saúde (i.e., cura física e espiritual, v. 17), restauração do povo e de Jerusalém (v. 18) estabelecimento da linhagem davídica na pessoa do Rei Messias (v. 21) e comunhão com Deus (v. 22).

Zacarias – Capítulo 9 (520 – 518 a. C.)
2. A vinda do Rei, 9:9-10

(e) 9 Alegra-te muito, ó filha de Sião, exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria da jumenta. 10 Destruirei os carros de Efraim e os cavalos de Jerusalém, e o arco de guerra será destruído. Ele anunciará paz às nações; o seu domínio se estenderá de mar a mar e desde o Eufrates até às extremidades da terra.”

Comentário:

9:10 Uma vez que Israel rejeitou o Messias na sua primeira vinda, o cumprimento dessa profecia de paz universal aguarda a segunda vinda de Cristo.

Salmos – 102 (século X a.C.)
Arrependimento e esperança

A maioria dos Salmos foi escrita durante o tempo de Davi e Salomão no século X a.C. O Salmo 102 é atribuído a Davi e integra o Livro IV (Salmos 90 – 106).

“23 Ele me abateu a força no caminho e me abreviou os dias.
24 Dizia eu: Deus meu, não me leves na metade de minha vida; tu, cujos anos se estendem por todas as gerações.
(f) 25 Em tempos remotos, lançaste os fundamentos da terra; e os céus são obra das tuas mãos.
26 Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados.
27 Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.
28 Os filhos dos teus servos habitarão seguros, e diante de ti se estabelecerá a sua descendência.”

Comentário:

102:23-28 O salmista contrasta a brevidade da própria vida (v. 23-24) com a imutabilidade do Deus eterno (v. 25-27), atribuída a Jesus Cristo em Hebreus 1:1--12, asseverando a sua divindade.

Provérbios – 8
2. A origem da sabedoria, 8:22-31

(f) 22 O Senhor me possuía no início de sua obra, antes de suas obras mais antigas.
23 Desde a eternidade fui estabelecida, desde o princípio, antes do começo da terra.”

Explicação:

8:22 O senhor me possuía. I.e., a sabedoria pertence a Deus e dele se originou.

 


Este pequeno estudo nos proporciona entender melhor e conhecer um pouco mais sobre o nascimento de Jesus de acordo com os livros que compõem a Bíblia Sagrada. A mensagem de amor deixada por Jesus é imensurável, assim como sua própria existência, como vimos nos textos bíblicos aqui reproduzidos com a intenção de resgatar a memória daqueles dias.

A pandemia que se abateu sobre a Terra, de acordo com muitas vertentes religiosas não pode ser explicada apenas pela ciência. Segundo acreditam há um propósito maior, espiritual, que vem alertando e orientando a humanidade.

O futuro pode ser melhor se os sonhos de paz, respeito à natureza na forma mais abrangente da palavra – incluindo o homem – e às individualidades dos seres forem respeitadas, sem perdermos a noção da coletividade, pois habitamos o mesmo lugar.

A Terra está pedindo atenção aos seus mais inteligentes habitantes, os seres humanos, talvez as dificuldades nos ajudem a ouvi-la melhor e a nós mesmos.

 

Júpiter, à esquerda, e Saturno, à direita, são vistos após o pôr do sol acima do Lago Jordan durante a “grande conjunção” onde os dois planetas aparecem um décimo de grau um do outro. A foto foi tirada na segunda-feira, 21 de dezembro de 2020, perto de Chapel Hill, Carolina do Norte. A ciência levanta a hipótese que esta conjunção é a mesma que originou a história bíblica da “Estrela de Belém” que conduziu os Reis Magos a Belém onde nasceu o menino Jesus. A fé da cristandade acredita em um evento único que trouxe o Messias para curar a Terra. Foto: NASA / Bill Ingalls

 

 



(1) Ryrie, Charles C.
A Bíblia anotada : edição expandida / Charles C. Ryrie — Ed. rev. e expandida — São Paulo:
Mundo Cristão: Barueri, SP. Sociedade Bíblica do Brasil, 2007. 1504p.

Abreviaturas:

a.C. = antes de Cristo
d.C. = depois de Cristo
I.e. = id est (isto é)
Sm = Samuel
v. = versículos

Como ler:

O objetivo deste estudo foi analisar o nascimento de Jesus, através dos versículos 2 e 3 inscritos no capítulo 5 do livro que versa sobre ministério do profeta Miquéias.

A partir dos versículos 2 e 3 surgem as explicações e comentários, assinalados pelas notas (c), (d), (e) e (f) que nos remetem aos livros de outros profetas (Isaías, Jeremias e Zacarias), evangelistas (Mateus, Lucas e João) e aos livros dos Salmos (102) e Provérbios (8).

Da análise dessas notas somos levados a outros comentários e explicações que constam nos respectivos livros dos profetas, evangelistas, Salmos e Provérbios.

Foto: reprodução / VindeACristo

Leia mais sobre
HISTÓRIA GERAL

 

Leia as últimas publicações

Categorias