Sexta-feira, 8 de julho de 2016, às 19h16

Amanhã, 9 de julho, é feriado em São Paulo. Nessa data são lembrados os acontecimentos que culminaram com a Revolução de 1932, que ficou conhecida como “Guerra Paulista”. O leitor poderá ler esta e várias outras reportagens especiais sobre o assunto.

 

Manchete do jornal O Paiz, 15 de julho de 1924. Foto: Acervo FES

Manchete do jornal O Paiz, 15 de julho de 1924. Foto: Acervo FES

 

Neste sábado, também publicaremos outras duas matérias para homenagear esta data de incomparável civismo demonstrado pelo povo de São Paulo. A cada ano, o Alô Tatuapé soma novas informações e por esse motivo as datas que foram escritas devem ser relevadas, principalmente pelo motivo de que os fatos narrados serem históricos.

 

Área de bivaque (acampamento e abrigo, sem o uso de barracas) das tropas legalistas, no Parque D. Pedro II, julho de 1924. Foto: Acervo FES

Área de bivaque (acampamento e abrigo, sem o uso de barracas) das tropas legalistas, no Parque D. Pedro II, julho de 1924. Foto: Acervo FES

 

Uma das mais importantes memórias cívicas de São Paulo, a Revolução Constitucionalista foi deflagrada em 9 de julho de 1932. No entanto, o mês de julho também foi protagonista de outra insurgência paulista: a Revolução de 1924. Para relembrar estes dois conflitos, ocorridos em julho, a edição do boletim da Fundação Energia e Saneamento (FES) do dia 24 de julho de 2013 – em parte aqui reproduzido mediante autorização –, apresentava algumas das mais de 600 imagens do Acervo da FES que registraram estes eventos históricos.

 

Transeuntes perto de poste atingido por balas de fuzil, durante a Revolução de 1924. Foto: Acervo FES

Transeuntes perto de poste atingido por balas de fuzil, durante a Revolução de 1924. Foto: Acervo FES

 

 

Com a escassez de alimentos ocasionada pela Revolução de 1924, a população começou a saquear mercados e indústrias – neste caso, os armazéns da Companhia Puglisi. Foto: Acervo FES

Com a escassez de alimentos ocasionada pela Revolução de 1924,
a população começou a saquear mercados e indústrias – neste caso, os armazéns da Companhia Puglisi. Foto: Acervo FES

A Revolução Esquecida

Menos lembrada do que a Revolução de 1932, a Revolução de 1924, liderada por jovens oficiais do exercito brasileiro insatisfeitos com o sistema político, tinha como principal objetivo destituir o presidente Artur Bernardes do poder. Para os revoltosos, o presidente representava os vícios da política “café com leite” que havia levado as elites de Minas Gerais e de São Paulo a compartilhar o poder político do país desde o início do século XX. Lembrada como um dos levantes do chamado movimento tenentista, a Revolta de 1924 colocou São Paulo em um Estado de guerra civil por 23 dias, mas não resistiu ao cerco promovido pelas tropas governistas. No dia 27, as forças revolucionárias paulistas se retiraram para o interior de São Paulo, seguindo mais tarde para o sul do Brasil.

 

À direita, população reunida participando de um comício em protesto ao governo de Getúlio Vargas, na Praça da Sé, 1932. Foto: Acervo FES

População reunida participando de um comício em protesto ao governo de Getúlio Vargas, na Praça da Sé, 1932. Foto: Acervo FES

 

A Guerra Paulista

A Revolução Constitucionalista de 1932 começou a se materializar quando Getulio Vargas – que havia tomado o poder por meio de um golpe de estado em 1930 – nomeou um interventor federal que desagradou as forças políticas paulistas. O povo saiu às ruas e o estopim das manifestações contra o governo provisório ocorreu em 23 de maio, quando quatro estudantes foram mortos na Praça da República. A morte de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC) deu uma nova motivação aos manifestantes. Com amplo apoio da classe média, a luta estendeu–se por três meses. Apesar da rendição das forças revolucionárias em 2 de outubro, a principal reivindicação foi atendida por Vargas: a convocação de uma nova constituinte, que levaria à promulgação da Constituição de 1934. Além disso, a Revolução Constitucionalista tornou–se um dos símbolos da identidade paulista.

 

Acima, soldados despedem–se de suas famílias para irem lutar na Revolução de 1932. Foto: Acervo FES

Soldados despedem–se de suas famílias para irem lutar na Revolução de 1932. Foto: Acervo FES

 

Para saber mais: Em parceria com a Imprensa Oficial, a Fundação publicou, em 2010, o livro–reportagem “1924 – O Diário da Revolução: os 23 dias que abalaram São Paulo”. Sobre a Revolução Constitucionalista, a Fundação tem levado à itinerância a exposição “1932: O Ano da Revolução Paulista”.

Leia a reportagem especial: Revolução Constitucionalista de 1932

Clique na imagem para visualizar e selecionar todas as matérias ou selecione sua preferência no slider abaixo.

São Paulo contra a ditadura pela Liberdade

Revolução Constitucionalista de 1932, também conhecida como Guerra Paulista. Uma luta por justiça edificada por pessoas que amaram sua terra e o Brasil. Os heróis estão sepultados sob o Obelisco do Ibirapuera em glória eterna. As matérias desta reportagem...

Revolução de 1932: São Paulo lutou pela lei

Conheça algumas histórias sobre a Revolução de 1932 e um relato que ficou esquecido até 2014.

São Paulo de todas as Nações

Da simples cabana de barro e palha ao uso do concreto armado, uma cidade muito além de suas fronteiras. Do progresso notório à pausa para reivindicar a Constituição, uma guerra contra as injustiças. A Revolução de 1932 é um marco na história de São Paulo e...

1932: Um relato inédito

9 de Julho – A mulher na Revolução de 32

Sábado, 9 de julho de 2016, às 06h40 Anos atrás, quando Mario Covas, então Governador de São Paulo, havia decretado feriado o dia 9 de julho, em comemoração da Revolução de 32, fiquei tentando imaginar qual a motivação de tal ato. por Neide Lopes...

Revolução de 1932: Obelisco do Ibirapuera

Reportagem especial sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 O Obelisco aos Heróis de 32, também conhecido como Obelisco do Ibirapuera ou Obelisco de São Paulo, é um monumento funerário erguido para homenagear e preservar a memória da Revolução de...

Julho: o mês das revoluções paulistas

Sexta-feira, 8 de julho de 2016, às 19h16 Amanhã, 9 de julho, é feriado em São Paulo. Nessa data são lembrados os acontecimentos que culminaram com a Revolução de 1932, que ficou conhecida como “Guerra Paulista”. O leitor poderá ler esta e várias outras...

A Legião Negra na Revolução Constitucionalista

Por volta desta data, há 84 anos, São Paulo fervia com a opressão do governo Vargas e exigiu uma nova Constituição. Hoje, quando o país inteiro já decorou a palavra e percebeu a importância do “livrinho”, vale recordar um pouco da história do Estado onde a liberdade...

Revolução de 1932: críticas

Reportagem especial sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 Gerson Soares Alguns críticos ainda tentam subtrair o valor do intento paulista, mas mesmo derrotado, São Paulo venceu. A despeito das críticas sobre os erros militares que geraram a derrota...

Revolução de 32 — “Exemplos para os dias de hoje”

Quarta-feira, 9 de julho de 2014 às 16h20 – Atualizado às 21h39 Reportagem especial sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 O título “Exemplos para os dias de hoje”, mais acima, foi usado por Ruy Martins Altenfelder Silva, num brilhante artigo para a...

Revolução de 32 — Os heróis e o exílio

Quarta-feira, 9 de julho de 2014 às 16h40 – Atualizado às 21h43 Reportagem especial sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 Gerson Soares Campanha do Ouro, os heróis, o slogan dos Batalhões Infantis, os capacetes de aço, as indústrias que se...

Revolução de 32 — A História faz parte da Nação

Quarta-feira, 9 de julho de 2014 às 16h45 – Atualizado às 21h44 Reportagem especial sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 Célio Debes Trecho do Digesto Econômico da ACSP, escrito em 2002. Essa demonstração de grandeza moral, de amor a terra, às suas...

A mulher na Revolução de 32 – Lucilla Novaes Prado

Reportagem especial sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 Gerson Soares | publicado em 8 de julho de 2014 Costurando, alimentando e cuidando dos feridos a mulher paulista marcou sua presença na revolução. Em todo fato grandioso, nos ensina a...

9 de julho é dia de lembrar do Patriotismo

25 de Janeiro de 1932: Liberdade

Nove de Julho de 1932 – Guerra paulista

Paulo Virgínio, herói paulista, exemplo de civismo

Versos da guerra