A análise foi feita pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE com relação a abril/24, e o levantamento divulgado no último dia 12 de junho. Os consumidores de baixa renda são os mais afetados pelos aumentos de preços.


As cidades que registraram as maiores variações de preços foram Rio de Janeiro e São Paulo, da ordem de 6,5% e 3,7%, respectivamente. Belo Horizonte e Brasília foram as que apresentaram as menores variações nos preços médios, com -4,5% e -3,0%, respectivamente.

Rio de Janeiro continua sendo a cidade detentora da cesta básica mais cara (R$ 1.031,39), seguida por São Paulo (R$ 917,87) e Fortaleza (R$ 819,78). Em contrapartida, Belo Horizonte (R$ 639,97), Manaus (R$ 679,59) e Salvador (R$ 778,49) foram as capitais que registraram os menores custos de aquisição para maio.

 

 

Dos 18 gêneros alimentícios da cesta básica, legumes, manteiga, leite UHT e outras categorias registraram alta nos preços em sete das oito capitais abrangidas pela pesquisa.

 

 

Com o fim da safra de alguns gêneros alimentícios, somados às recentes variações climáticas nas regiões produtoras, houve a consequente redução na oferta de produtos como legumes e café para o varejo, fato que gerou pressão sobre os preços. Além disso, com a queda sistemática na produção de leite no Brasil, o preço para o consumidor tem sido onerado, refletindo, consequentemente, em toda a cadeia de derivados.

Com relação a carne bovina, feijão, ovos, dentre outros itens da cesta básica, para o mês de maio/2024, houve redução nos preços em boa parte das capitais compreendida pela pesquisa, conforme retratado na tabela a seguir.

 

 

A considerar os últimos seis meses, em maio/24, a variação acumulada nos preços médios da cesta básica nas capitais analisadas, foi acrescida por margens entre 1,5% e 15,1%, com percentuais distintos atribuídos à cada cidade, conforme demonstrado na tabela a seguir.

 

 

A Tabela 5, a seguir, retrata os gêneros alimentícios da cesta básica que registraram as maiores variações em seus preços médios, tendo como base o retrospecto de cada produto nos últimos seis meses pesquisados.

 

 

A considerar a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, em maio/24, houve aumento no preço médio da cesta em cinco das oito capitais analisadas, variando entre 1,0% e 7,6%. Rio de Janeiro (R$ 2.282,90) e São Paulo (R$ 2.068,00) continuam a ser as cidades que apresentam os preços médios de aquisição mais onerosos para a cesta ampliada. Já Manaus e Belo Horizonte foram as capitais que tiveram os menores preços da cesta ampliada, sendo R$ 1.459,94 e R$ 1.636,53 respectivamente.

O comportamento da cesta de consumo ampliada seguiu a tendência da cesta básica, sugerindo que o movimento nos preços afetou não somente os alimentos básicos, mas demais produtos frequentemente presentes nos carrinhos de compras do consumidor.

 

 

Dos 33 produtos da cesta ampliada, apenas azeite registrou aumento no preço em todas as capitais.

 

 

O aumento no preço médio da cesta básica na maioria das capitais em maio é reflexo das adversidades climáticas que afetam estados que são grandes produtores de legumes e grãos importantes na alimentação, afetando, especialmente, os consumidores de mais baixa renda, que gastam a maior parte de seu orçamento doméstico com alimentação.


Fonte: HORUS & FGV IBRE


Destaque – Imagem: aloart


Publicação:
Sexta-feira | 21 de junho, 2024


Leia outras matérias desta editoria

Cesta básica volta a subir em junho, mostram índices

Em junho, o valor médio da cesta básica subiu em cinco das oito cidades pesquisadas. No mês de maio, o preço havia aumentado em quatro. A análise, divulgada no dia 17 de julho, é feita mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE De...

Aposentadoria – especialistas apontam temas para discussão

Previdência: nova reforma deveria mexer em idade mínima, tempo de contribuição e reduzir exceções, afirma Luís Eduardo Afonso do FGV IBRE. A antecipação da necessidade de um novo ajuste no sistema previdenciário brasileiro – tema da revista Conjuntura...

Confiança fecha semestre em alta, mostra FGV IBRE

De acordo com as Sondagens do instituto econômico, consumidores e empresários, mostram-se otimistas. O primeiro semestre do ano fecha com alta de confiança dos consumidores e estabilidade no agregado das empresas, aponta a Síntese das Sondagens do FGV...

Em maio, o preço médio da cesta básica aumentou em quatro das oito cidades pesquisadas – entenda

A análise foi feita pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE com relação a abril/24, e o levantamento divulgado no último dia 12 de junho. Os consumidores de baixa renda são os mais afetados pelos aumentos de preços. As cidades que registraram...

Inédito: Bairros de São Paulo com combustíveis mais caros e mais baratos – fique de olho

Levantamento inédito revela distritos de São Paulo com combustíveis mais baratos e mais caros em abril. No período, os bairros com combustíveis mais caros foram Morumbi, Consolação, Jardim Paulista, Itaim e Mooca. Veja quais foram os baratos mais e outros...

A observação da Terra vai gerar valor em bilhões de dólares ainda nesta década, aponta estudo

Quarta Revolução Industrial – A observação da Terra é a oportunidade de um trilhão de dólares. :: Mais de mil satélites que orbitam o planeta coletam constantemente dados de observação da Terra. :: O potencial valor acrescentado acumulado dos dados da...

Conheça as seis indústrias que receberão valores econômicos e climáticos significativos até 2030

Quarta Revolução Industrial – As seis principais indústrias da observação da Terra. :: Essas indústrias-chave são responsáveis por 94% desse valor gerado. As aplicações em seis indústrias principais que são responsáveis por 94% do valor total da observação...

Confiança do Consumidor sobe pelo segundo mês consecutivo, veja por quê

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do FGV IBRE subiu 1,9 ponto em abril, para 93,2 pontos, retornando ao nível de dezembro de 2023 (93,2 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice avança em 0,8 ponto, para 91,4 pontos, após seis quedas...