Vereador Toninho Paiva é a favor da Subprefeitura do Tatuapé
mar25

Vereador Toninho Paiva é a favor da Subprefeitura do Tatuapé

Quarta-feira, 25 de março de 2015, às 16h22   Eleito para o 6º mandato, Toninho Paiva tem projeto aprovado para a criação da subprefeitura do bairro, mas diz que este governo não tem dinheiro para bancar estrutura. Gerson Soares Porém, não é só isso, falta levar a matéria para votação no plenário da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), onde o projeto já passou em primeira votação e obteve as aprovações necessárias. “Todas as comissões votaram a favor, agora precisamos de 28 votos para aprovar o projeto”, disse na tarde de hoje pelo telefone, durante a abertura da Sessão Plenária da CMSP.     A Subprefeitura do Tatuapé é hoje uma necessidade, para uma região com tamanha infraestrutura, ainda em expansão. “Tudo o que tem na cidade de São Paulo, tem no Tatuapé”, exagerou o vereador. Apesar disso, sua observação não fica distante da realidade. O bairro possui hospitais de ponta – algo que há dez anos não existia – universidades, rede escolar privada e pública, concessionárias de veículos, redes de restaurantes e fast foods, três shoppings centers e mais uma infinidade de empresas prestadoras de serviços, além do comércio. As maiores empresas da construção civil se voltaram para o crescimento do Tatuapé e Jardim Anália Franco, tomando parte do mercado das construtoras e imobiliárias locais. Juntando-se a estas, estão promovendo uma fabulosa migração populacional, transformando os retangulares quarteirões do bairro em rios de carros, a cada final de tarde. Tudo isso requer uma administração mais próxima, que possa atender às reivindicações imediatas da sociedade e tenha condições de preparar um planejamento a médio e longo prazos, especificamente para o Tatuapé e Jardim Anália Franco que apesar de toda a infraestrutura carecem de soluções para seus problemas mais prementes, como pavimentação, trânsito, combate às drogas, policiamento, iluminação, manutenção de ruas, praças, parques. São diversas as justificativas para que seja criada essa nova subprefeitura na administração municipal, há muito tempo reivindicada. “Os vereadores que tiveram votação expressiva na zona Leste, precisam nos ajudar a conseguir esses votos no plenário”, convoca Toninho Paiva. “Não me importo em dar autoria para todos os meus colegas que ajudarem, o importante é aprovar o projeto”, concluiu. Ressaltamos que com a criação da Subprefeitura do Tatuapé, haverá um alívio para as subprefeituras da Mooca e Aricanduva/Carrão que já atendem diversos bairros, podendo reinvestir tempo e recursos. Dentre as questões administrativas que envolvem essas subprefeituras estão o Brás e Pari – com seu movimento intenso – e as demandas do Aricanduva, Carrão e Manchester, apenas para citar os bairros conhecidos. Entre eles, o Tatuapé, mais uma administração complexa em meio às demais. Assuntos relacionados Sem exigência...

Leia mais
Sem exigência da população Subprefeitura do Tatuapé pode ser eternamente adiada
mar20
Leia mais
Subprefeitura do Tatuapé pode sair do papel
abr27

Subprefeitura do Tatuapé pode sair do papel

Gerson Soares “O Tatuapé mais do que nunca teria de ter sua subprefeitura. Meu projeto passou em todas as comissões e só precisa entrar em vigor”, relatou Toninho Paiva quando a entrevista tomou essa direção. O Projeto de Lei nº 01-0389 de sua autoria, tramita na CMSP desde 2004, tendo recebido pareceres favoráveis em todas as comissões. Porém, a morosidade, burocracia e as implicações legais, impediram até agora que o Tatuapé já tivesse a quem recorrer quanto a assuntos como manutenção de ruas, praças, avenidas, parques, documentações, dentre tantas outras necessidades. A Subprefeitura do bairro é uma reivindicação tão antiga que as subprefeituras ainda não haviam sido criadas quando a população pedia uma Administração Regional independente para o Tatuapé, devido aos cuidados que o bairro precisa ter conquanto seu crescimento se impunha e impõe-se dentre os maiores da cidade de São Paulo.   Saiba mais  Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população Subprefeitura do Tatuapé pode sair do papel Construções de prédios e a falta de planejamento Verticalização desenfreada e o fim da tradição do Tatuapé Torres de apartamentos no Tatuapé X Lei de contrapartida...

Leia mais
Tatuapé: Um parque abandonado pela Prefeitura e a sujeira por trás dos tapumes
dez21

Tatuapé: Um parque abandonado pela Prefeitura e a sujeira por trás dos tapumes

Dando a mínima atenção, não concedendo as respostas cabíveis às questões sobre o Centro Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes no Tatuapé, a Prefeitura nos inspirou esta reportagem especial que trata desse e de outros dois assuntos principais: Velocidade e congestionamentos na Radial Leste e o crescimento dos barracos ao lado do Viaduto Bresser que fica ao lado da Subprefeitura Mooca. Mas a questão do Centro Esportivo é urgente e requer a presença de agentes de saúde e vigilância...

Leia mais
Tatuapé: aqui a má administração do dinheiro público também desafia novo prefeito
out20

Tatuapé: aqui a má administração do dinheiro público também desafia novo prefeito

Há anos existem promessas de que o bairro terá sua própria Subprefeitura. Reeleito, o vereador Toninho Paiva é um dos que prometem e demonstra que está tudo aprovado na Câmara Municipal, mas cadê o órgão? O motivo maior deste artigo é demonstrar alguns fatos que ocorrem com frequência no Tatuapé é Jardim Anália Franco para que as autoridades, caso não saibam, tomem conhecimento e ajam em nome da comunidade. Estamos falando de uma área da cidade, mas basta uma conta simples para imaginarmos o tamanho da má administração nas demais...

Leia mais
Prevenção contra a dengue deve ser feita também nos canteiros de obras do bairro
mar27

Prevenção contra a dengue deve ser feita também nos canteiros de obras do bairro

Sexta-feira, 27 de março de 2015, às 16h30   Como todos sabem, o Tatuapé e Jardim Anália Franco, possuem canteiros de obras para a construção de edifícios por toda parte e eles também merecem atenção especial das autoridades. O morador do bairro, WGA, enviou na noite de ontem (26), a imagem que ilustra sua preocupação, onde pode ser vista uma poça d’água com grandes dimensões no interior de um canteiro de obras localizado à Rua Antonio Alves Barril, sem número, no Jardim Anália Franco – Tatuapé, um dos bairros apontados como focos do mosquito da dengue.     Segundo o leitor, o terreno fica próximo ao Shopping Anália Franco, está murado e pintado na cor preta. “Ao lado do St. Marchê”, informou o morador. “Essa ‘lagoa’ se encontra há semanas, e se não estiver enganado, um ‘poço’ de mosquito da ‘dengue’. Liguei para o 156 e me deram três telefones, dizendo que eram da secretaria da Saúde: 3066-8000/3397-8279/3397-8280…”, disse e completou dizendo que é impossível falar nesses números. Conseguimos contato com o telefone 3066-8000 que é da secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, porém os demais não atendem. Encaminhamos a denúncia a essa secretária e também à mesma pasta da Prefeitura que respondeu no início desta tarde. “A Prefeitura reforçou o trabalho de combate à dengue. São 2.500 agentes que atuam em toda cidade, com ações de visitas porta a porta, grupos de orientação e ações de combate nos locais de grande concentração de pessoas. As denúncias recebidas por meio dos canais da Prefeitura são encaminhadas à COVISA que enviam agentes após uma análise técnica baseada nos casos notificados e confirmados da região. Leia também: Pneu da Dengue no Tatuapé: atitude merece punição rigorosa ou um rádio Pneu da Dengue volta à árvore, Subprefeitura Aricanduva não responde questões Pneu da Dengue continua na árvore Fiocruz – Dengue: vírus e vetor ‘Força tática’ contra dengue terá até PM de São Paulo Quando um caso de dengue é confirmado e a Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) é notificada, uma equipe vai até o local para fazer um trabalho de bloqueio de criadouros. No caso de denúncia de terrenos particulares, a Vigilância notifica o proprietário e, caso não haja providências, é necessária ação judicial para entrar no local. O combate ao mosquito Aedes aegypti deve ser um compromisso de toda população. Cerca de 85% dos criadouros se encontram em residências.” É muito importante prevenir a dengue, uma epidemia que preocupa as autoridades, e os canteiros de obras também precisam ser inspecionados e os trabalhadores orientados. São Paulo, detém aproximadamente metade dos casos da doença. A melhor prevenção é feita...

Leia mais
Pneu da Dengue foi retirado pela Subprefeitura Aricanduva/Carrão
mar27

Pneu da Dengue foi retirado pela Subprefeitura Aricanduva/Carrão

Sexta-feira, 27 de março de 2015, às 18h48 Finalmente, o pneu que insistia em ir e vir pela Rua Antonio João Fiore no Tatuapé, foi retirado pela Subprefeitura Aricanduva/Carrão, no início da noite de hoje (27). Enquanto escrevemos, os mosquitos sobrevoam nossas cabeças diariamente, aqui no Tatuapé. Está difícil driblar o ardiloso mosquito, presente diariamente. Os cidadãos aliviados agradecerão a providência da subprefeitura, que cumpriu o prometido e deu um destino à obra irresponsável de algum cidadão sem nenhum compromisso com a...

Leia mais
Pneu da Dengue volta à árvore, Subprefeitura Aricanduva não responde questões
mar26

Pneu da Dengue volta à árvore, Subprefeitura Aricanduva não responde questões

Quinta-feira, 25 de março de 2015, às 08h42 Pode parecer incrível, mas o Pneu da Dengue voltou a ser colocado ao lado da árvore na Rua Antonio João Fiore, no Tatuapé.     Quando um barco segue à deriva, qualquer marola pode levá-lo a fazer água. Dengue, lixo, água, pneu, mas o que tem isso haver com a Subprefeitura Aricanduva/Carrão e o Tatuapé? Tudo. Sob a jurisdição dessa subprefeitura o bairro só pode lamentar a falta de atenção. Desde a semana passada, estamos mostrando as dificuldades dos moradores da Rua Antonio João Fiore, esquina com a Rua Henrique Dumont no Tatuapé, enviamos às questões à subprefeitura, mas até agora não recebemos resposta. Sendo assim, aqueles que promovem a limpeza em suas residências, evitam e se precavem contra a dengue, continuam suportando a falta de asseio de vizinhos que não respeitam os horários da coleta de lixo, nem muito menos possuem qualquer consciência quanto aos perigos da sujeira deixada na rua, o que seria admirável, com a abundância de avisos e campanhas de prevenção contra a dengue, ratos e pragas urbanas, que são vetores de doenças graves para os seres humanos. Depois de desaparecer no domingo, o pneumático que apelidamos de Pneu da Dengue, volta para a árvore pelas mãos irresponsáveis de algum morador dessa localidade. Enquanto aguardamos providências da Subprefeitura Aricanduva/Carrão, os mosquitos transmissores da dengue agradecem. Assuntos relacionados Subprefeitura instalada placa na Rua Antonio João Fiore, no Tatuapé Depósito de lixo no Tatuapé: sujeira aparece do nada e fica a céu aberto Pneu da Dengue volta à árvore, Subprefeitura Aricanduva não responde questões Pneu da Dengue no Tatuapé: atitude merece punição rigorosa ou um rádio Rua Antonio João Fiore esquina com Henrique Dumont: virou depósito de lixo...

Leia mais
Moradores do Tatuapé na Avenida Paulista, união traz conquistas
mar20

Moradores do Tatuapé na Avenida Paulista, união traz conquistas

Sexta-feira, 20 de março de 2015, às 20h34   Bairro também poderia unir-se para exigir a implantação urgente da Subprefeitura do Tatuapé, pressionando a própria Prefeitura e a Câmara Municipal. Gerson Soares Para melhorar, a política deve começar a ser fiscalizada onde passamos a maior parte da vida: o bairro que escolhemos para morar. A união das pessoas que desejam o bem para suas famílias, amigos e parentes só tende a trazer benefícios e organização. Foi o que aconteceu no domingo passado.     Uma semana conturbada se encerra nesta sexta-feira. O governo federal teve de correr para tomar medidas que atendam às exigências da população que foi às ruas de todo o país para protestar contra a corrupção e os maus serviços prestados, ou seja, o mau uso do dinheiro arrecado – na casa dos trilhões. Apesar da arrecadação gulosa do governo, que passa dos 35% do PIB, já beirando os 40%, casos de má conduta, desvios e superfaturamentos fazem com a vida dos brasileiros, seja muito pior do que poderia ser. Paga-se planos particulares de saúde, escolas privadas, segurança e mesmo assim, o governo quer mais. Para protestar contra tudo isso, milhões foram às ruas no último domingo, outra data histórica nos protestos, que estão virando moda. Tomara que pegue para valer! Os moradores do Tatuapé, que poderiam se unir em torno de uma subprefeitura própria para o bairro, também compareceram ao encontro na Avenida Paulista e deixaram seu recado....

Leia mais
Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé
out02

Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé

Quinta-feira, 2 de outubro de 2014, às 16h02 Os cruzamentos do bairro estão cada vez piores com o aumento do número de veículos. Disso todo mundo sabe, mas o objetivo desta obra inacabada ninguém explica.     Há pelo menos duas semanas, os motoristas que cruzam a esquina das ruas Francisco Marengo e Emílio Mallet se deparam com uma obra sem identificação, placa ou motivo. O aumento de carros e coletivos que percorrem esse perigoso cruzamento é notório. A cada manhã o número de veículos aumenta e as filas para percorrer os poucos metros entre as esquinas também. Apesar disso, a obra que apareceu numa determinada manhã sem nenhuma identificação e assim permanece, atrapalha e causa estranheza. Quem teria feito os buracos e para quê? Independentemente dos motivos, o problema é que o cercado pode causar acidentes com ciclistas, pedestres e carros que passam pelo local.       Estamos em contato com a Subprefeitura Mooca para saber do que se trata.   Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Privilégios e estação inacabada põe em dúvida ciclovias no bairro Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de...

Leia mais
Comandos para disciplinar a propaganda eleitoral
set29

Comandos para disciplinar a propaganda eleitoral

Segunda-feira, 28 de setembro de 2014, às 10h38 Fiscalização e apreensão foram feitas nos seis distritos da Subprefeitura Mooca. Em nota, enviada à imprensa na manhã desta segunda-feira (29), a Assessoria de Comunicação da Subprefeitura Mooca, advertiu que o órgão está realizando fiscalizações quanto aos abusos de propagandas eleitorais.       Durante quatro dias de comandos conjuntos, realizados entre os dias 22 e 25 de setembro, o órgão da Prefeitura da cidade de São Paulo, o Tribunal Regional Eleitoral e a Polícia Militar recolheram cerca de 300 placas, cartazes, faixas e cavaletes nos distritos da Mooca, Belém, Tatuapé, Água Rasa, Pari e Brás. De acordo com a assessoria, atendendo reclamações de moradores sobre desrespeito à lei eleitoral. O material que se encontrava irregular foi armazenado no depósito da Subprefeitura Mooca. Cavaletes amarrados em postes ou árvores, publicidade bloqueando o passeio e atrapalhando o tráfego de veículos constituíram a maioria dos problemas encontrados. A propaganda eleitoral pode ser colocada ao longo das vias públicas entre 6 e 22 horas, no entanto deve ser retirada...

Leia mais
Subprefeitura Sé leva arte à ligação Leste-Oeste
set23

Subprefeitura Sé leva arte à ligação Leste-Oeste

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 09h47 Trabalho se dá a partir de parceira com fabricante de tinta e coletivo de grafite; intervenção será concluída no final do mês. A Subprefeitura Sé realiza, por meio de parceria com artistas e uma fabricante de tintas (Coral), um novo grafite na ligação Leste-Oeste sob os viadutos Guilherme de Almeida, Cidade de Osaka e Mie Ken, no sentido Lapa/Penha. A ação visa a revitalizar o local por meio da promoção desta manifestação cultural paulistana.       O projeto teve início na noite do dia 15 e deve se estender até o final deste mês de setembro. Com temática livre, o projeto denominado Artépolis, liderado por Maxx Figueiredo, será feito pelo próprio Maxx e pelos artistas Julio de Deus, SAO, Jhoni Morgado, Sapiens, Tom Ray, Fernando Berg, Dimy Unclair, Sid, Thiago Ectoplasma, Cá Barbosa, Danilo, Marcelo Zuffo, Sipros, Thiago Bender, Duas+Consp, Esther, Janaina, Julê, Mônica Lisboa, Jocks, Monica Anacampi, Thiago Bob, MLOK, Moby, MEV, SED, MONO, André Mogle, LOWS, Lucho, Monica Lisboa e Izu. De acordo com Maxx Figueiredo, membro do coletivo, a ideia é “levar, por meio da cor, um pouco de beleza a São Paulo, elevar o espírito das pessoas, proporcionar alegria e disposição, enfim, entregar um ambiente inspirador e agradável para todos”. Outra questão destacada por Figueiredo é a importância de ampliar a interação entre artistas, poder público e empresa em favor da cidade. A empresa participante forneceu mais de 630 litros de tinta, além dos equipamentos de proteção individual (EPI ‘s) e vestuários adequados para pintura. Para os responsáveis pela parceria, esta revitalização de pintura permite que a população tenha interesse pela conservação de equipamentos públicos. A ação contribui, ainda, para a conservação de importantes patrimônios históricos, artísticos e culturais da cidade. “Esta iniciativa vai ao encontro de duas questões-chaves para a Subprefeitura Sé: a parceria com setores diversos da sociedade visando à coletividade e à valorização do grafite como importante expressão artística de nossa cidade”, declara Alcides Amazonas, subprefeito da...

Leia mais
Vizinhança cobra melhorias em praça abandonada na Vila Prudente
set19

Vizinhança cobra melhorias em praça abandonada na Vila Prudente

Sexta-feira, 19 de setembro de 2014, às 16h45 Rafael Carneiro da Cunha – Da redação da CMSP Cheia de lixo pelo chão de terra, com poucos brinquedos para a criançada e escura durante à noite. A praça situada entre as ruas Rio Laranjais e dos Pintores, na Vila Prudente, é alvo de reclamações de quem vive no bairro da zona Leste. Os moradores reclamam que ela está abandonada, sem manutenção. Michele da Silva vai de vez em quando com o filho Samuel, de apenas um ano, à praça. Ela diz que só não frequenta mais o espaço porque não vê muitos atrativos. Já Alisson Fernando prefere não ir com a filha ao local, que considera deplorável. Para ele, é preciso colocar lixeiras – um tonel enferrujado desempenha atualmente a função – e também um aviso para que as pessoas não destruam os brinquedos. Segundo Fernando, há cerca de três meses a prefeitura não faz a limpeza do local. A reportagem esteve duas vezes na praça. No dia 28/8, encontrou um brinquedo bastante deteriorado, além de sacolas plásticas, copos e outros objetos jogados no chão. Na ocasião, um gari do consórcio Soma, responsável pela varrição das ruas na região, afirmou que frequentemente algum morador pede para que ele também limpe a praça – o que não é responsabilidade dele. Situação semelhante foi verificada em 14/9, quando até um televisor figurava na paisagem. A mudança ficou por conta dos brinquedos. Na semana anterior, a subprefeitura removeu a casa do Tarzan e colocou dois escorregadores e uma gangorra. Poucos dias depois de instalados, eles já estavam com a pintura desgastada. Luciene Ferreira é comerciante e lamenta a má conservação dos brinquedos. “Tenho vergonha de dizer que isso é uma pracinha para criança brincar. De zero a dez, a nota é zero. A limpeza é outra vergonha”. Moradora há mais de 25 anos no bairro e dona de um bar, Maria José da Silva não vê muito futuro para a praça. Todos os dias, por volta das 20h, ela encerra as atividades do estabelecimento e se recolhe em sua casa. Enquanto isso, na praça, jovens do bairro e de lugares vizinho começam a chegar para mais uma “noitada” regada à música alta. “Fica cheio de gente. Aquele escuro, aquela moçada que usa droga… Eu fico em casa de tocaia, preocupada, esperando minha filha chegar do trabalho”, comenta. Maria José gostaria que fosse feito outra coisa do local. Sua sugestão é que seja construído um posto policial. Outro lado De acordo com a subprefeitura da Vila Prudente, o brinquedo removido e levado para a manutenção na semana passada foi instalado em 2011 e estava...

Leia mais
Virada esportiva começa neste sábado
set17

Virada esportiva começa neste sábado

  Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 20h19 Evento esportivo mobiliza diversos órgãos públicos Para que tudo funcione, um batalhão de servidores trabalha antes e durante a Virada PMSP – Agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Guarda Civil Metropolitana (GCM), da Polícia Militar, dos Bombeiros, funcionários das subprefeituras e agentes de limpeza urbana são alguns exemplos da importância do trabalho conjunto entre a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação (SEME) e diversos órgãos públicos para a realização da Virada Esportiva.     De acordo com a organização do evento, cinco meses antes têm início o “desenho” da programação que, na sequência, é apresentada às demais secretarias ou órgãos das administrações municipal e estadual para os possíveis esclarecimentos ou mudanças. Definida a programação, começam então as vistorias nos locais que receberão a Virada e reuniões específicas de acordo com o grau de complexidade da atividade. Para que os participantes possam aproveitar ao máximo, mas sem que isso prejudique as rotinas da cidade, ruas são fechadas, sinalização especial é colocada nos locais e equipes de apoio são especialmente orientadas para que tudo transcorra da melhor maneira possível. “Felizmente a Virada Esportiva, apesar de ser um evento bastante grande, tem transcorrido dentro da normalidade”, lembra o secretário de Esportes, Lazer e Recreação, Celso Jatene. “E isso só é possível com o planejamento antecipado e a dedicação das equipes”. Em alguns casos, por exemplo, linhas de ônibus têm os trajetos alterados, algumas regiões recebem iluminação especial e reforço na segurança, e rotas que garantem a manutenção de outros serviços públicos, como o acesso aos hospitais, são implantadas.   Clique, divirta-se conhecendo a programação completa e prepare o aquecimento!...

Leia mais
Debate avalia primeiro semestre do Conselho Participativo
ago22

Debate avalia primeiro semestre do Conselho Participativo

Sexta-feira, 22 de agosto de 2014 às 15h11 Por Roberto Vieira – CMSP A Câmara Municipal de São Paulo realizou na noite desta quinta-feira (21/8) debate para avaliar os primeiros seis meses de trabalho do Conselho Participativo da cidade. A reunião foi uma iniciativa do vereador José Police Neto (PSD), autor de uma emenda parlamentar que cria o Conselho por meio da Lei de Reforma Administrativa.     “Todos os conselheiros sabiam da dificuldade que existia em relação ao diálogo com a prefeitura. A partir da participação deles, hoje conseguimos levar ao poder público as opiniões de pessoas que estão envolvidas com as questões locais. Assim ocorreu com o Plano Diretor, os planos de bairros e orçamento regional”, analisou Cláudio Vieira, do projeto Adote um Vereador. Djair de Almeida, conselheiro em Jacanã/Tremembé, apontou as ocupações irregulares como um dos grandes desafios de sua região. “Nós estamos travando uma luta para conseguir a regularização e a urbanização de algumas áreas. A falta de moradia é um grande problema que temos que resolver”, destacou. Alguns conselheiros admitiram estar ainda em fase de aprendizagem. “Como o Conselho é uma coisa nova, nós estamos aprendendo muito e inicialmente procuramos nos interar mais sobre nossa atuação”, afirmou um dos conselheiros do distrito de Itaquera, João Estevam da Silva. “Eu não consigo analisar nosso trabalho neste primeiro semestre porque estamos ainda aprendendo”, completou Clara Politi, representante dos conselheiros imigrantes da subprefeitura de Pinheiros. Police Neto lembrou sobre os próximos desafios dos conselheiros neste segundo semestre de 2014. “Temos que analisar como o Conselho participará da elaboração do primeiro orçamento do município de sua gestão, fato que será discutido até o final deste ano”, pontuou. Sobre o Conselho Participativo Criado em 2013, o Conselho Participativo Municipal é um organismo da sociedade civil, reconhecido pelo Executivo, que visa assegurar a participação representativa e consultiva da população no planejamento e fiscalização das ações e gastos públicos nas regiões, como também sugerindo ações e políticas públicas nos territórios. Os conselheiros foram eleitos através do voto direto e representam todos os distritos da cidade de São Paulo. Cada Conselho possui um número de integrantes que varia entre 19 e 51 representantes, estabelecidos de acordo com a distribuição das subprefeituras e seus...

Leia mais
Praça Cel. Sandoval será revitalizada
ago21

Praça Cel. Sandoval será revitalizada

Quinta-feira, 21 de agosto de 2014 às 19h39 Vereador Toninho Paiva e engenheiros da Subprefeitura Mooca vistoriam obra de revitalização e manutenção da Praça Coronel Sandoval de Figueiredo no Tatuapé     Nesta quinta-feira (21) os engenheiros da Subprefeitura Mooca, Francisco Ricardo e Toshio, o coordenador de projetos Edélcio Meggiolaro e o vereador Toninho Paiva vistoriaram a obra iniciada há um mês, na praça que fica próxima à estação Tatuapé do Metrô e que serve como ponto final para diversas linhas de ônibus. A praça será totalmente reformada e revitalizada com recursos obtidos através de emenda parlamentar do Vereador Toninho Paiva, no valor de R$ 120.000,00. Segundo sua assessoria, serão utilizados 56 metros cúbicos de concreto para calçadas, guias, recuperação do piso em concreto estampado, colocação de grama nova, poda das árvores, colocação de bancos novos e remodelação de toda a iluminação do local. Além disso, o vereador vai solicitar a ampliação do policiamento desta área. A previsão de término da obra é de no máximo 30 dias, disse João Fernando Blumenschein, coordenador de obras da empreiteira responsável. Ele disse que falta pouco para concluir a primeira parte, pois a praça é dividida em dois espaços, sendo um deles terminal de...

Leia mais
Haddad pedala em ciclovia do Tatuapé
ago05

Haddad pedala em ciclovia do Tatuapé

Terça-feira, 5 de agosto de 2014 às 19h01   A Subprefeitura Mooca informa que foi inaugurado um trecho para ciclistas no Tatuapé.     Conforme informado pelo órgão, o objetivo da Prefeitura é alcançar a marca de 400 km de novas ciclovias na cidade, até 2015. Nesse sentido, o prefeito Fernando Haddad, o secretário municipal dos transportes Jilmar Tatto e o subprefeito da Mooca, Evando Reis, entregaram ontem (4) um trecho de 1,1 km de extensão, na Av. Vereador Abel Ferreira, no Tatuapé. O trajeto monodirecional ao lado do canteiro central, em ambos os sentidos da avenida, conecta a Av. Salim Farah Maluf à Av. Regente Feijó, atendendo estudantes e trabalhadores da região. Para a obra foram usados, aproximadamente, 3.500 m² de sinalização horizontal, 15 placas de trânsito indicando “Circulação exclusiva de bicicletas”, 45 placas de regulamentação e advertência, além de outros materiais. O novo percurso faz parte de um extenso projeto que pretende ampliar a malha cicloviária na região, ligando universidades e áreas de lazer como o Clube Escola Mooca, Clube Escola Tatuapé e...

Leia mais
Subprefeitura lança Butantur
jul02

Subprefeitura lança Butantur

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 às 18h11 – Atualizado às 20h40 Subprefeitura Butantã lança guia de pontos turísticos da região. Publicação pode ser retirada gratuitamente ou visualizada pela internet. SMSP – Depois do sucesso da primeira edição do Butantur, que ocorreu entre novembro e dezembro de 2013 em comemoração aos 114 anos do bairro, a Subprefeitura Butantã, com o apoio da iniciativa privada, lança o guia turístico que reúne as principais atrações da região. A publicação, de 24 páginas, apresenta opções de lazer, espaços museológicos, praças esportivas, parques, espaço gastronômico e marcos da história do bairro como o Instituto Butantan e a Universidade de São Paulo. O guia turístico mapeia também, com horário de funcionamento, telefones e sites para informações, destaques dos outros quatro distritos que compreendem a região: Morumbi, Vila Sonia, Raposo Tavares e Rio Pequeno.     Entre as casas famosas do Butantã, pode se conhecer um pouco mais sobre o Palácio dos Bandeirantes, a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, a Capela do Morumbi, Casa do Bandeirante, Casa de Vidro de Lina Bo Bardi, Casa da Fazenda e a Casa do Sertanista. Outra novidade do bairro, que pode ser encontrado no guia, é o espaço de alimentação a céu aberto Butantan Food Park. Inaugurado em maio, o local é uma opção de consumo de alimentos rápidos com toque requintado, preço acessível e muita variedade. “Nossa região é muito rica em atrações, mas mesmo quem mora aqui desconhece muitas delas. Ações como o roteiro e a Revista Butantur têm por objetivo tornar o nosso bairro mais conhecido pelos próprios moradores e por toda a cidade”, afirma o subprefeito do Butantã, Luiz Felippe de Moraes Neto. De acordo com a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, o guia pode ser visualizado através do símbolo QR Code – código de barras multidimensional que pode ser escaneado por aparelhos celulares – para facilitar a localização dos destinos aos leitores. Os exemplares do guia podem ser retirados gratuitamente na Subprefeitura Butantã ou nos principais pontos de informação turísticos da cidade. A versão digital do guia pode ser conferida em...

Leia mais
Festa alemã é um dos destaques deste final de semana em SP
jun25

Festa alemã é um dos destaques deste final de semana em SP

Quarta-feira, 24 de junho de 2014 às 19h22 Saraus e feiras de artesanato também fazem parte das atrações Secretaria de Coordenação das Subprefeituras – A cidade de São Paulo tem diversos bairros com grande concentração de imigrantes, como acontece no bairro Colônia, em Parelheiros, que foi a primeira localidade do município que recebeu a comunidade alemã em 1829.       Neste final de semana, os moradores resgatam a cultura do povo alemã com a 9ª Colônia Fest. A festa típica é organizada pela A.C.C.A – Associação Cívica de Colônia Alemã e tem o apoio da Subprefeitura da região. O evento tem entrada gratuita e acontece a partir de sexta (27), às 18h, e no final de semana, 28 e 29, a partir das 10h, com danças e comidas típicas e ainda diversas apresentações musicais.     As famosas feiras de artesanato dos bairros acontecem neste final de semana, com diversos produtos especiais para o público. Em Parelheiros, a feira acontece no sábado (28) e domingo (29), a partir das 9h, na Praça Júlio César de Campos. No mesmo horário, sábado (28), os moradores da zona Leste, podem conferir as novidades na Feira de Artesanato da Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, conhecida como Praça do Forró. Ainda no sábado, às 15h, os moradores de São Miguel e região estão convidados para um encontro cultural e literário, no “Sarau debaixo d’árvore”. O evento acontece todo último sábado do mês na Praça do Casarão. Nesse clima literário, acontece no domingo (29), a partir das 10h, o “Circuler”, encontro para doação e troca de livros e às 17h, o público é convidado a participar do “Sarau na Praça”, que será na Praça Júlio César de Campos, em Parelheiros. O domingo termina clássico, com a apresentação do ballet “O Quebra Nozes”, às 18h, na Casa de Cultura Salvador Ligabue, na Freguesia do Ó. A apresentação celebra a formatura das alunas da Oficina de Ballet Infantil do local. Serviço: Subprefeitura Parelheiros 9ª Colônia Fest Data e Horário: 27/6, das 18h às 22h; 28 e 29/6, das 10h às 22h. Local: Rua Jackson Pollock, s/n – Largo da Igreja – Colônia. Fone: 5921-9808 Feira de Artesanato Quando? 28 e 29/6 Horário: 9h às 17h Local: Praça Júlio César de Campos em Parelheiros Circuler Data e horário: 29/6 das 10h às 17h Local: Praça Júlio César de Campos em Parelheiros Subprefeitura São Miguel Paulista Feira de Artesanato Quando? Todos os sábados Horário: 9h às 18h Local: Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra (Praça do Forró). Sarau debaixo D’árvore Quando? Todo último sábado do mês. Horário: às 15h Local: Praça do Casarão Endereço: Rua Conceição de Almeida, 170. Fone:...

Leia mais
Nossa Rua na Copa divulga ganhadores
jun13

Nossa Rua na Copa divulga ganhadores

Sexta-feira 13 de junho de 2014 às 16h50 Concurso recebeu a inscrição de 36 vias da região da Freguesia do Ó A Subprefeitura Freguesia/Brasilândia realizou, nesta quinta feira (11), a apuração do concurso Nossa Rua na Copa. A grande campeã foi a rua Geraldo Alves de Carvalho, com 60 pontos, que acumulou nota dez em todos os quesitos e foi premiada com um kit churrasco para 100 pessoas e um telão para assistir à final da Copa. A segunda colocação do concurso foi para a rua Carlos Dias Fernandes, recebeu 58,5 pontos, faturando o kit churrasco para 70 pessoas, e a terceira, a rua Professor Albuquerque Gama, totalizou 57,5 pontos, que ficou com um kit para 50 pessoas.   O concurso, organizado pela Subprefeitura Freguesia/Brasilândia recebeu 36 vias inscritas concorrendo com a melhor decoração. A apuração, realizada no auditório da subprefeitura, avaliou os seguintes quesitos: 1) originalidade; 2) criatividade; 3) arte, estética e higiene; 4) harmonia; 5) conjunto e 6) dimensão. Os prêmios para as vencedoras foram doados pelo comércio local e a premiação ocorre no dia 12 de julho em cada uma das ruas vencedoras. As demais ruas participantes levarão um troféu simbólico, que será entregue a partir de 5 de julho. As informações são da secretaria da Coordenação de Subprefeituras de São...

Leia mais
Finalistas do 5° Miss Cidade Tiradentes participam de ensaio fotográfico
jun05

Finalistas do 5° Miss Cidade Tiradentes participam de ensaio fotográfico

5 de junho de 2014 às 17h30 – atualizado 19h07   Desfile acontece no próximo sábado, dia 7 de junho, com a participação de 15 jovens da região. As finalistas do 5° Concurso Miss Cidade Tiradentes estão vivendo seus dias de princesas. Ontem as meninas participaram do ensaio geral para o grande desfile, que será realizado daqui a dois dias, no CEU Inácio Monteiro.   Além das dicas para o desfile, as candidatas posaram numa sessão especial de fotos para divulgação. O concurso é uma iniciativa que acontece desde 2006 e tem o objetivo de valorizar a autoestima das jovens moradoras do bairro Cidade Tiradentes. As finalistas foram escolhidas na primeira eliminatória que aconteceu em 16 de maio, e selecionou 15 das 34 inscritas. A premiação do 5º Miss Cidade Tiradentes será dividida em três categorias: • 1ª colocada/Miss – Um book fotográfico e um tablet; • 2ª colocada/Princesa – Um tablet e um celular; • 3ª colocada/Princesa – Um tablet e uma câmera fotográfica. Haverá ainda cestas de produtos de beleza para a Miss e Princesas, curso de informática e inglês para as princesas. O concurso é uma realização da Subprefeitura Cidade Tiradentes, em parceria com organizações sociais e instituições de ensino do bairro. Essa é uma excelente iniciativa para reconhecer o talento das jovens do bairro. A oportunidade de realização de um sonho ou de conquistas profissionais, afirma a subprefeita da Cidade Tiradentes, Andreia de Souza...

Leia mais
Subprefeituras comemoram o Dia do Meio Ambiente
jun04

Subprefeituras comemoram o Dia do Meio Ambiente

04 de junho de 2014 às 17h36 O Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado em 5 de junho, mas sua criação ocorreu na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1972, durante a Conferência de Estocolmo (Suécia). A data visa aumentar a conscientização e ação política aos povos e países na preservação ambiental. Neste ano, o foco da data serão as mudanças climáticas, com o tema Aumente sua voz, não o nível do mar. Em São Paulo, as subprefeituras celebram o Dia do Meio Ambiente com atividades gratuitas. Ações promovidas nos bairros são voltadas a públicos de todas as idades. Para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6), as subprefeituras promovem atividades de educação ambiental para todos os públicos. As comemorações iniciam às 9h30, desta quinta-feira, na Praça Santíssima Trindade, com atividades especiais para as crianças na região da Subprefeitura Casa Verde. A programação terá apresentação de coral, plantio de mudas e atividades recreativas para as crianças. Ainda na zona Norte, a partir das 14h, haverá roda de conversa sobre A Sustentabilidade na nossa região… É fato ou boato, no CEU Jaçanã. O encontro terá a presença de especialistas em meio ambiente, personalidades do setor público, privado e população local. Na zona Leste, acontecerá a 3ª edição do Canteiro não é lixeira, no CEE Centro Educacional Esportivo Vicente Ítalo Feola (Clube da Vila Manchester), no bairro Aricanduva. A partir das 10h, os moradores estão convidados a participar de diversas atividades, como: oficinas de hortas verticais, reaproveitamento de materiais recicláveis, distribuição de mudas e a exposição de tenda de zoonoses. A iniciativa quer conscientizar a população a não jogar lixo em calçadas, canteiros, ruas e terrenos baldios. Para os alunos da EMEF Prof. Carlos Rizzini, a atividade será o workshop Verde que te quero ver de perto, nas trilhas da centenária Praça Floriano Peixoto, em Santo Amaro, com a equipe de engenheiros agrônomos da subprefeitura da região. A ação terá início às 10h30 e ao final, os estudantes participarão de encontro com contadores de histórias do grupo Línguas Encantadas e Encantantes. Exposições Ainda no dia 5, às 19h, será realizada a abertura da exposição fotográfica Jardins Secretos, de Alexandre Ozório. O fotógrafo registra a força da natureza, em pleno centro de Santo Amaro. Com curadoria da Casa de Cultura Cora Coralina, a mostra ficará aberta ao público até 5 de julho no saguão do Paço Cultural Júlio Guerra. Para fechar as celebrações, no sábado (7), a partir das 10h, os moradores de Guaianases poderão retirar mudas de plantas ornamentais e sementes de cacto, camomila, couve, brócolis, alface e rúcula, no Parque Linear Guaratiba. A iniciativa é uma parceira entre...

Leia mais
Parque Dom Pedro II, hoje
jun02

Parque Dom Pedro II, hoje

02/06/2014 – 20h05 É inconcebível não valorizar os heróis da pátria. O Parque Dom Pedro II, que assim foi nomeado para homenagear este ilustre personagem da história brasileira, está relegado ao abandono. É mais uma obra medonha, do descaso, da insensatez, do desgoverno. Desde a ponta extrema onde se mantêm um quartel que até 1992 abrigou o 2º Batalhão de Guardas do II Exército Brasileiro, cercado por histórias de escravos, de soldados e dos Dragões da Independência até a obra magnífica do escritório do arquiteto Ramos de Azevedo na outra extremidade com o cruzamento da Av. Mercúrio, se perde a cada dia um pouco da dignidade e da honra, que cercaram tantos esses monumentos quanto todos os nomes aqui citados. Constrange-nos, ao seguirmos para outros países e vermos a organização dos poderes e regularidade das coisas. O constrangimento não é por sermos brasileiros, pois por essa pátria muitos dariam a vida hoje e novamente, mas por termos sido aviltados de nossa coragem e força de vontade, em mantermos desgovernos tão serenos. Desde as 8h30, desta segunda-feira, 2 de junho, procuramos a secretaria municipal da Saúde, a sempre rígida Vigilância Sanitária, órgão ligado a essa secretaria e também a secretaria de Abastecimento da Prefeitura da cidade de São Paulo, para obtermos simples respostas sobre se eles tinham conhecimento da situação descrita nesta reportagem, a região do Mercadão de São Paulo, e o que pretendiam fazer a respeito. Leia mais Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas História — Palácio das Indústrias e Parque Dom Pedro II Imperador Dom Pedro II A assessoria da secretaria municipal de Abastecimento, respondeu que iria encaminhar a demanda, às 12h39. Estamos aguardando a resposta e divulgaremos assim que a recebermos. Enquanto isso, esperamos que os estrangeiros não voltem para casa pensando que São Paulo pouco mudou em 105 anos, desde que um certo Emile, assim descrito no livro “Lembranças de São Paulo”, descreveu a cidade num cartão-postal enviado à França. (…) Assim sucede com uma série de cartões-postais coloridos, com vistas como a do Largo São Bento ou da Rua Boa Vista, enviados por um certo Emile, em 26 de junho de 1909, à Madame Socley, 17, Quai Gauthey à Dijon Côte d’Or, França, que, entre outras impressões, comenta: Já lhe falei que choveu durante seis dias seguidos, mas, agora, recomeçou a chover todos os dias. É o que chamam verão… No inverno, às vezes, não chove durante meses e o vento arrasta a poeira, mas há boa temperatura, quase nada de frio e nada de neve. A vegetação e os insetos continuam a prosperar: desde aqui vejo os beija-flores revoando de flor em flor à procura...

Leia mais
Entulhos podem ser descartados nos Ecopontos
maio22

Entulhos podem ser descartados nos Ecopontos

Atualizado 29/05/2014 às 11h31 Os Ecopontos aceitam certos tipos de entulhos, veja abaixo os endereços e o que pode ser entregue. Atualizado 25/05/2014 às 9h19 O Catabagulho aconteceu ontem no Tatuapé. Caso você tenha perdido a oportunidade de colocar seus materiais na porta de casa ou se o caminhão não passou na sua, comunique através do comentário deste post. Sempre é possível se livrar de alguns entulhos. Veja a nota da Prefeitura: “Se o munícipe quiser descartar algum item inservível, mas sua rua não foi contemplada na última operação Cata-Bagulho, é possível solicitar a Subprefeitura de sua região ou comparecer a um dos Ecopontos espalhados pela cidade”. Ecopontos: Veja o que está mais próximo de você. Ecopontos são locais de entrega voluntária de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, restos de poda de árvores etc.) e resíduos recicláveis. A população pode dispor o material gratuitamente em caçambas distintas para cada tipo de resíduo. A oferta destas áreas tem sido, gradativamente, ampliada em todas as regiões da cidade. O Horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 6h às 22h. Aos domingos e feriados, das 6h às 18h.   Postado em 22/05/2014 Próximo Catabagulho acontece no Tatuapé A ação contemplará todas as vias do destrito, no dia 24 de maio. A Subprefeitura Mooca, divulga em nota, que realizará mais uma operação Cata-Bagulho, desta vez no distrito do Tatuapé, no próximo sábado (24). Segundo a informação do órgão, os moradores poderão depositar colchões, móveis velhos, eletrodomésticos quebrados entre outros materiais na frente de suas residências no próprio sábado, entre 7h e 10h. Os funcionários começarão os trabalhos a partir das 10h30, percorrendo todas as vias do distrito. A Operação Cata-Bagulho contribui para evitar que o lixo seja jogado de forma irregular, prevenindo a obstrução do sistema de drenagem, alagamentos e outros problemas...

Leia mais
Engenheiro de carreira foi convidado para assumir a Subprefeitura Mooca
maio22

Engenheiro de carreira foi convidado para assumir a Subprefeitura Mooca

Gerson Soares Evando Reis, engenheiro elétrico com especialização em Meio Ambiente, funcionário de carreira da Prefeitura de São Paulo, assumiu a Subprefeitura Mooca no dia 09 de maio. A indicação foi concretizada após uma entrevista pessoal com o prefeito Fernando Haddad. “Ele mantém uma linha de indicar pessoas ligadas às estatais e de carreira pública”, revela. O novo Subprefeito da Mooca demonstra forte ligação com a zona Leste. Cresceu em Itaquera, morou na Avenida Pires do Rio, aos 14 anos disse que já trabalhava em frente sua casa. “E estou aqui, trabalhar com essa idade não me fez mal algum”, admite aos 57. Reis chegou com os pais de Fortaleza, CE, aos seis meses de idade, e tem mais cinco irmãos. “Cinco homens e uma mulher”. Segundo ele, acompanhou o crescimento da populosa região de São Paulo. Leia a entrevista “Estudei em colégio público (Grupo Engenheiro Alvares de Azevedo), depois fiz Eletrônica e Engenharia Elétrica”. Após concluir seus estudos especializou-se em Meio Ambiente pela Fundação Alvares Penteado, fazendo carreira desde auxiliar técnico na Eletropaulo. “Ainda trabalhei quatro anos na antiga Light”, disse referindo-se à empresa do Reino Unido, que supriu durante décadas a luz em São Paulo e Rio de Janeiro, onde ainda atua. Durante sua passagem pela Eletropaulo, foi presidente da Associação dos Engenheiros da empresa, onde 1.200 mil profissionais, a maioria com cargo de direção, recebiam informações sobre os interesses da comunidade. Sua carreira como funcionário público, passa ainda pela CETESB – onde permaneceu três anos. Em 2001, passou a ser chefe da Subprefeitura de São Miguel Paulista, onde permaneceu por duas gestões e mais uma como supervisor de Habitação no Itaim. Frase: “Eu quero a Mooca um brinco”. Leia mais  Obras no Tatuapé são largadas pela metade  Conservação de ruas do Jardim Anália Franco acontece após anos Depois de quase três meses de cobranças, calçada do João Borges está sendo...

Leia mais
Depois de quase três meses de cobranças, calçada do João Borges está sendo consertada
maio22

Depois de quase três meses de cobranças, calçada do João Borges está sendo consertada

Desde o início deste ano, a calçada de um dos colégios mais tradicionais do bairro, a Escola Estadual Professor João Borges, estava precisando de consertos. A iniciativa foi tomada, assim como as obras que mostramos na Rua Emília Marengo e Praça General Costa Barreto. Porém, o conserto foi deixado de lado. Pedras, desnivelamentos, colocavam em risco os pedestres, bem em frente ao lugar onde eles devem aprender sobre cidadania e educação. Ontem (21), finalmente a calçada da escola estava sendo arrumada.     A falta de uma Subprefeitura específica para o Tatuapé e Jardim Anália Franco, leva a esses erros administrativos. É o que se pode concluir, já que as ruas do bairro, que é formado por um todo e tem delimitações próprias, foram subdividas por duas subprefeituras, como mostram as reportagens de hoje. Leia mais: Entrevista com o Subprefeito Evandro Reis Obras no Tatuapé são largadas pela metade Conservação de ruas do Jardim Anália Franco acontece após anos Estamos propondo a divulgação de um mapa que deixe claro a qual dessas duas subprefeituras, Mooca e Aricanduva/Formosa/Carrão, as ruas do bairro estão subordinadas, para que não haja mais o empurra-empurra, como acontece com a manutenção dos parques e tapa-buracos, por exemplo. Fomos informações hoje (22), pela subprefeitura Aricanduva que se o contribuinte quiser saber esse detalhe, sobre sua rua, deverá comparecer à Rua Atucuri, 699, Vila...

Leia mais
Verticalização desenfreada e o fim da tradição do Tatuapé
abr27

Verticalização desenfreada e o fim da tradição do Tatuapé

Gerson Soares Que não se iludam os futuros moradores que sonham em morar no Tatuapé ou no Jardim Anália Franco. Devido ao excesso de construções de prédios e de carros que se acumulam o bairro não é mais esse que as construtoras e empresas imobiliárias estão vendendo. O fim do Tatuapé bucólico foi determinado pelo próprio crescimento imobiliário e de demanda. Um sufocou o outro. Num determinado espaço demarcado por meia dúzia de casas, onde os terrenos são enormes, mas os moradores somariam 10 ou 12 carros, os empreendimentos multiplicam esses números até 30 vezes, no mesmo espaço. Uma verticalização desenfreada e irracional, já que nesse ritmo os próprios moradores não conseguiram mais sair de casa com seus automóveis e isso já está acontecendo. É notório que nos condomínios do bairro existe trânsito na garagem. As vagas em prédios onde o padrão não permite mais do que uma vaga por apartamento, precisam ter um serviço de manobrista e isso é pago pelos condôminos, além do desconforto de pedir o carro cada vez que desejar sair de casa. Para algumas pessoas isso não é problema, mas denota que a quantidade de carros está desproporcional à capacidade para comportá-los. O bairro não possui mais o ar interiorano de outrora, muito menos o bucolismo, declarados pelos corretores. Os sites das empresas anunciam tranquilidade e vendem problemas que só são descobertos quando o comprador passa a sair e voltar para casa. Não estamos falando da qualidade dos empreendimentos, não é esse o foco. A questão é até quando o bairro será vendido como um lugar com qualidade de vida e tranquilidade, que não existe mais devido aos próprios empreendimentos que se instalam a cada mês, a cada ano, ininterruptamente. Num frenesi construtivo de fazer inveja ao resto da cidade e talvez ao país. A porção mais central do Tatuapé, além dos valorizados prédios de apartamentos, foi tomada em grande parte pelo comércio, bares e restaurantes que geram uma população flutuante totalmente alheia às tradições dos antigos que gradativamente vai se perdendo, inclusive a de cidade do interior que já acabou. Para dar uma ideia, num final de tarde qualquer, leva-se até 40 minutos para percorrer os oito quarteirões da Rua Emílio Mallet. Esse tempo pode ser estendido às Ruas Cantagalo até a Antonio de Barros, Azevedo Soares e Serra de Bragança, todas as adjacentes também estão congestionadas, quase o dia inteiro, pois os moradores que já conhecem o bairro tentam escapar do trânsito caótico através delas. Não há mais lugares para estacionar o volume de automóveis que circulam diariamente pelo bairro. Pode-se andar por toda a extensão da Rua Emílio Mallet sem encontrar...

Leia mais
Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população
abr27

Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população

A cidade de São Paulo paga caro pelo mesmo erro, cometido há tempos, em nome do progresso. Gerson Soares São Paulo, Tatuapé – Nesta sexta-feira (25), conversamos com o vereador Antonio de Paiva Monteiro Filho, o Toninho Paiva (PR/SP). Na pauta, três assuntos principais: Subprefeitura do Tatuapé, Manutenção de Parques, Praças e Ruas do bairro e o crescente número de veículos da superpopulação trazida pelos inúmeros empreendimentos imobiliários. A cidade de São Paulo paga um alto preço pela falta de planejamento do passado e o bairro caminha para se tornar caótico.   Com 72 anos, vida agitada, atendendo ligações e dando ordens incessantemente, demonstrando sua boa saúde e disposição, Toninho Paiva nasceu no Tatuapé, mais exatamente na Rua Tuiuti, e conhece o bairro tão bem como os remanescentes de sua época. Jogou bola nos campos de terra e foi dirigente do XI Garotos – um time de futebol varzeano extinto, como tantos outros. A conversa com ele se deu justamente pelo seu conhecimento do bairro, além do que sua trajetória o levou à Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), onde ocupa o cargo de vereador em seu quinto mandato. Nossa conversa girou em torno do início das primeiras ações por um Tatuapé que aspirava melhorias e para tanto foi fundada a Sociedade Amigos do Tatuapé, em 1963. “A primeira sede ficava em frente ao número 930 da Rua Tuiuti”, lembrou-se. Hoje a entidade não tem tantas atribuições, mas continua fazendo um papel importante na prevenção da hipertensão e é da autoria do vereador a lei que trata do Dia do Hipertenso. Ao comentarmos sobre os antigos moradores, Paiva lembrou-se de um vereador do bairro, tão antigo quanto Alfredo Martins, que foi Corinto Balduíno. Seu nome está ligado ao Hospital do Tatuapé e a outras obras que beneficiam o bairro até hoje, assim como o próprio Alfredo, que permaneceu durante seis mandatos à frente da CMSP e deixou obras permanentes. Outro tatuapeense de primeira grandeza citado foi Carlos Pinto de Oliveira Sá. “A gente brigava muito, mas eu gostava dele”, falou o vereador. Não é para menos, Carlos era um expoente nas reivindicações pelo bem do bairro. “O Tatuapé é a minha vida”, disse um dia. Carlos está entre os que primeiro reivindicaram uma Administração Regional (nome antigo das atuais subprefeituras) para o Tatuapé. A conversa prosseguiu e as lembranças também, recordamos Paiva sobre a Bocha e seria impossível falar desse esporte sem citar José Ramos Pereira. Assim como, Ricardo Izar, quando se fala em política e benfeitorias para o bairro. Uma delas o Parque do Piqueri. E quando se pensa em plantas e árvores, atualmente se fala na Dengue....

Leia mais
Torres de apartamentos no Tatuapé X Lei de contrapartida
abr27

Torres de apartamentos no Tatuapé X Lei de contrapartida

Gerson Soares Quando há um impacto urbanístico, os empreendedores precisam investir em melhoramentos locais, mas cada um dos empreendimentos que pesquisamos está se beneficiando de leis que limitam em 500 ou 600 vagas de estacionamentos os condomínios residenciais, por exemplo, antes de lhes cobrar as devidas contrapartidas. A Tecnisa, uma das empresas que investem no Tatuapé, constrói na Barra Funda um mega empreendimento e para obter a aprovação deverá fazer melhorias no sistema viário e quanto ao urbanismo devido ao impacto que causará na vizinhança. Assim como esta, outras empresas da construção estão investindo no Tatuapé, um bairro fabril até 50, 60 anos. Portanto, com enormes galpões e terrenos que antes só abrigavam máquinas e operários. Esses galpões, os que ainda restam, estão com os dias contados, como acaba de acontecer com a Morbin na esquina das ruas Azevedo Soares e Francisco Marengo. As instalações da empresa, agora irão abrigar famílias e um número crescente de automóveis. A Adolpho Lindenberg, com 59 anos de mercado, acaba de lançar o empreendimento Aristo no Tatuapé, na esquina da Rua Cantagalo com a Praça Nicola Antonio Camardo. A área era ocupada por um posto de gasolina e um desses galpões fabris. São 130 apartamentos e 210 vagas daqui há 34 meses. A própria Tecnisa constrói duas torres próximas à Av. Celso Garcia, com 200 vagas. Numa rápida pesquisa fizemos um cálculo para descobrir quantos automóveis deverão estar circulando pelo Tatuapé diariamente nos próximos anos apenas com alguns dos lançamentos em vigor ou de prédios em obras. Os números devem ser considerados como amostragem, pois a conta exata é muito maior, já que não levamos em consideração todos os empreendimentos em construção ou lançamentos. A Eztec constrói duas torres, 108 apartamentos, com 3 a 4 vagas, num total de 400 carros. Na Rua Ulisses Cruz, outra construtora, tem 270 unidades em construção com 2 vagas cada, 540 carros. Três edifícios em construção, um deles comercial com 255 unidades, a Gafisa trará para o Tatuapé e Jardim Anália Franco, aproximadamente 750 carros. Só os lançamentos da Construtora Hernandez em construção irão gerar 1.732 vagas de veículos entre prédios residenciais e comerciais. É a líder no número de automóveis desta amostragem, seguida pela Porte que com os lançamentos a serem construídos ou em obras trará 952 carros para seus empreendimentos residenciais e comerciais, sem contar os anunciados residenciais na Rua Itapeti e comerciais na Rua Vilela. A Balbás anuncia cinco construções em pré-lançamentos, às duas obras em andamento da empresa irão somar mais 312 carros para as vagas anunciadas. A Pontual, outra construtora lança um prédio com 6 vagas de garagem por apartamento, o que...

Leia mais
Direto do Gabinete
out10

Direto do Gabinete

Quinta-feira, 10 de outubro de 2013 Nesta tarde de quinta-feira (10), conversamos com o Vereador Toninho Paiva, que em pouco mais de dez minutos traçou um ligeiro panorama sobre alguns assuntos relevantes. SUBPREFEITURA DO TATUAPÉ Não há novidades, segundo ele, no que diz respeito à criação de uma Subprefeitura para o Tatuapé. Tão almejada há quase duas décadas por líderes do bairro, como Carlos Pinto de Oliveira Sá e Antonio Giaquinto, estes já faleceram sem ver seu sonho realizado e parece que a situação não muda tão cedo. BURACOS (1) O Vereador criticou a situação das vias públicas, que julga ter piorado em um ano, assim como as praças de forma geral. “O que eu vejo é uma situação de abandono”. BURACOS (2) Alô Tatuapé chegou a fazer uma série de reportagens sobre o assunto, intituladas “A volta dos Tatus”, numa brincadeira com os pequenos animais que dão nome ao bairro, principalmente por terem sido abundantes na região. O trocadilho é alusivo ao fato de os tatus construírem tocas ou buracos e como a situação requeria providências rápidas naquele momento resolvemos criticar com bom humor. COSTELA DE BÚFALO Ainda sobre o assunto, deixamos para o Vereador a seguinte dica: Rua Azevedo Soares, altura da E. E. Ascendino Reis. Nesse local existe um costela de vaca (ou búfalo? como disse brincando o Vereador); a altura da deformidade no asfalto chega a assustar os motoristas, que para desviar precisam andar na contra mão, a fim de evitarem a colisão com o assoalho dos veículos ou coisa pior. HOSPITAL MUNICIPAL DO TATUAPÉ Quando se fala na história recente da instituição, devemos lembrar do médico Plínio Bertocco e a condução dos trabalhos que exerceu junto aos residentes, também em outras áreas do hospital, chegando ao cargo de diretor. Remontando a esse nome de alta estima entre os médicos, Toninho Paiva o citou, antes de concluir: “Acabei de vir da Secretaria da Saúde e a situação é difícil. A saúde está encolhendo ao invés de aumentar. Mas o Hospital do Tatuapé ainda é um dos que melhor atende a população comparado, por exemplo, com o da Cidade Tiradentes; faz operações de risco, profissionais que atendem no Einstein e outros hospitais de ponta trabalham lá”, disse. “Só não faz transplantes”, completou. AUMENTO DO IPTU Sobre o indigesto aumento do IPTU desejado pela Prefeitura de São Paulo para 2014: “Sobre esse percentual eu já falei que não voto”, revelou. O aumento pleiteado pode chegar até 26% em média para os imóveis de maior valor, ficando na casa dos 18% para as residências. “Esse valores podem atingir bairros como o Tatuapé”, diz. O aumento deverá ser votado até...

Leia mais
Parque do Piqueri
set30

Parque do Piqueri

Publicado em 30 de setembro de 2013 INFRAESTRUTURA Áreas de estar, pista de Cooper, bicicletário, campo de futebol de areia, quadra de campo, quadras poliesportivas, aparelhos de ginástica, playgrounds, lago, palco para apresentações, estacionamento, sanitários, conchas de bocha. Na área do parque funciona também o Ponto da Leitura (SMC). PARTICULARIDADES O nome Piqueri faz alusão à tribo indígena que habitava a área localizada na confluência do Ribeirão Tatuapé e do Rio Grande, atual Tietê. A área do parque corresponde à antiga Chácara do Piqueri que em 1976, que foi definitivamente incorporada ao patrimônio municipal.     Possui vegetação composta por eucaliptal, alameda de sibipirunas, bambuzal e bosques heterogêneos. Destacam-se alecrim-de-campinhas, casuarina, espatódea, faveira, grevílea-gigante, ingá-banana, jacarandá-mimoso, jatobá, jerivá, magnólia-branca, paineira, pau-ferro e pau-incenso. Foram registradas 152 espécies, das quais 5 estão ameaçadas como a grumixama, o pinheiro-do-paraná e a unha-de-vaca-do-campo. Conta com aproximadamente 90 espécies de fauna, incluindo peixes, sapo-cururu, tigres-d’água e cobra-de-duas-cabeças, que, na verdade, trata-se de um lagarto serpentiforme. Setenta e nove espécies de aves, com destaque para a família dos pica-paus, sabiás, papagaios e maracanãs, papa-moscas tiranídeos e, saíras e sanhaçus – traupídeos, que reúnem grande número de espécies. Há registros interessantes de anambé-branco-de-rabo-preto, sabiá-ferreiro, saíra-ferrugem, saí-azul e saí-andorinha que chamam atenção pela beleza da plumagem ou canto. Ouriço-cacheiro representa o mamífero do parque. PARQUE DO PIQUERI R. Tuiuti, 515 – Tatuapé Subprefeitura Mooca Área: 97.200 m² Funcionamento: diariamente das 6h às 18h / 6h às 19h (horário de verão) Fone: (11) 2097-2213 Informações da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente...

Leia mais
Construções de prédios e a falta de planejamento
abr27

Construções de prédios e a falta de planejamento

Gerson Soares “Há um crescimento desordenado na cidade. Por isso a Câmara está terminando a elaboração do Plano Diretor que vai organizar muita coisa”, concorda o Vereador, ao citarmos a falta de infraestrutura existente no bairro para a construção de tantos prédios. “Alargar as ruas é complicado, caro e precisa fazer desapropriações”, respondeu ele quando o assunto é o trânsito no Tatuapé. Uma das alternativas viáveis para melhorar o trânsito, concordou Paiva, seria o nivelamento dos sarjetões que existem em abundância nos cruzamentos do bairro. Esta seria uma boa contribuição das construtoras que enchem os cofres com a grande demanda por moradias e a decantada qualidade de vida no Tatuapé. Quanto a contrapartida de retribuírem pela infraestrutura existente no bairro que lhes serve como garota propaganda, o setor de construção civil fica no limite do enquadramento nas leis, por exemplo, que englobam pontos cruciais aos grandes empreendimentos e obrigações com a cidade. A quantidade de vagas de estacionamento e o impacto como polos geradores de tráfego está entre elas. Há ainda os estudos de Impacto de Vizinhança (EIV) e Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV) que devem ser avaliados. No Tatuapé as construções avançam num ritmo frenético, degradando ruas com a passagem de caminhões e máquinas pesadas. Há algum tempo mostramos a Rua Professor João de Oliveira Torres e a situação que se encontrava durante a construção de um empreendimento imobiliário. Imagina-se que o asfalto de ruas onde se constroem apartamentos de altíssimo padrão como esta devam melhorar, mas depois das obras concluídas continuam onduladas e esburacadas, como a Rua Maria Otília ou a Rua Marechal Barbacena, ambas conhecidas pelos moradores como tobogãs. O que se constata depois das obras terminadas ou durante elas são remendos muito mal acabados, como na Professor João de Oliveira Torres ou nunca realizados, Maria Otília. Numa rápida busca, as ofertas de apartamentos na primeira atingem valores que variam entre 1,5 a 8 milhões de reais. Esclarecemos que esta reportagem é de total responsabilidade do Alô Tatuapé e o vereador Toninho Paiva foi entrevistado para ouvirmos a opinião de uma autoridade municipal ligada diretamente ao bairro, já que o Subprefeito da Mooca ainda não marcou a audiência solicitada à sua assessoria. Ao contrário dele, Paiva prontamente nos atendeu e esclareceu algumas dúvidas. Para encerrar a entrevista sobre o crescimento desordenado, perguntamos ao vereador sobre a lei de contrapartida, se a construção civil está dando esse retorno ao Tatuapé e Jardim Anália Franco. “Para saber isso precisaria uma CPI sobre os empreendimentos”.   Saiba mais  Tatuapé: Crescimento desordenado terá alto custo para a população Subprefeitura do Tatuapé pode sair do papel Construções de prédios e...

Leia mais
Saúde divulga o quinto balanço de dengue e chikungunya na cidade
mar27

Saúde divulga o quinto balanço de dengue e chikungunya na cidade

Sexta-feira, 27 de março de 2015, às 18h44   Durante coletiva, secretário-adjunto Paulo Puccini apresentou dados consolidados até a décima semana epidemiológica, que registrou 15.789 notificações e 4.436 casos confirmados. SECOM / PMSP – O secretário-adjunto de saúde, Paulo Puccini, apresentou nesta quinta-feira (26) o quinto balanço do ano sobre a situação da dengue até a décima semana epidemiológica. No período de 4 de janeiro a 14 de março, 15.789 casos foram notificados e 4.436 foram confirmados autóctones (contraídos no município). No mesmo período de 2014, a cidade teve 4.326 casos notificados e, destes, 1.412 autóctones confirmados. Cerca de 47,5% dos casos estão concentrados na zona norte de São Paulo. Apesar do alto número de casos, a cidade de São Paulo e a própria zona norte tem taxa de incidência abaixo da média do Estado. Na capital paulista, a taxa de incidência até março era de 29,9 casos por cem mil habitantes, enquanto em todo o Estado, chegava 191,6, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Para se ter uma ideia, outras grandes cidades do Estado, como Campinas e Sorocaba tem taxas de incidência bem superiores a de São Paulo, com respectivamente, 477,4 casos para cada cem mil habitantes e 1.246,7 para cada grupo de cem mil. Em todo o Brasil, foram registrados 224.101 casos e a taxa de incidência é de 110,5. Somente o Estado de São Paulo é responsável por 55,2% dos casos. “Mesmo a região norte, está abaixo da incidência apresentada no Estado de São Paulo e isso não é menosprezar a importância de estarmos aqui e da dengue. Estou falando que a situação de São Paulo, apesar de tudo, com seus 12 milhões de habitantes, está em uma situação de risco menor hoje que o Estado pensado como um todo”, afirmou Puccini. Dois óbitos pela doença foram confirmados até agora na cidade de São Paulo. Um óbito de uma senhora de 84 anos, moradora da Brasilândia, ocorrido no dia 28 de janeiro, foi confirmado e de um garoto de 11 anos, morador do Jardim Ângela, ocorrido no dia 9 de março. Outro caso de um homem de 35 anos, que foi internado no Hospital São Lucas, em Diadema, divulgado erroneamente como óbito por dengue pelo Instituto Adolfo Lutz segue em investigação, com apoio do Instituto Médico Legal (IML). Já para a febre chikungunya, neste ano, não há registro de casos autóctones, mas foram registrados quatro casos importados, todos de fora do país. Durante todo o ano de 2014 a capital registrou 28.990 casos autóctones (97,7% ocorreram no primeiro semestre), com 14 óbitos ao longo do ano. Em 2015, a estimativa da Secretaria Municipal de...

Leia mais
Pneu da Dengue continua na árvore
mar27

Pneu da Dengue continua na árvore

Sexta-feira, 27 de março de 2015, às 15h35 – atualizado às 16h24 O pneu que foi posto, retirado e recolocado numa das árvores da Rua João Antonio Fiore, continua firme no lugar. A Subprefeitura Aricanduva/Carrão respondeu no final da tarde de ontem (26), que seria retirado, mas infelizmente não foi levado pela coleta seletiva de reciclados que passa pelo local às quintas-feiras.     A Climatempo prevê chuvas desde a noite de hoje até segunda-feira, o que leva à fácil conclusão de que diversos mosquitos poderão utilizar o pneu para depositar seus ovos, que como já dissemos, mesmo se a água secar e não eclodirem, aguardarão até um ano para se transformarem em larvas e mosquitos. Cada fêmea pode dar origem a 1.500 (leia a reportagem e veja o vídeo da Fiocruz) e as fêmeas já nascerão com a possibilidade de transmitir a doença. Leia também: Prevenção contra a dengue deve ser feita também nos canteiros de obras do bairro Pneu da Dengue no Tatuapé: atitude merece punição rigorosa ou um rádio Pneu da Dengue volta à árvore, Subprefeitura Aricanduva não responde questões Fiocruz – Dengue: vírus e vetor ‘Força tática’ contra dengue terá até PM de São Paulo A subprefeitura, respondeu novamente no início da tarde de hoje, quando enviamos outra imagem do local. “Foi dada a ordem para retirada no dia de ontem, mas a contratada acabou não fazendo. Está sendo retirado agora à tarde. Até às 16h, ainda não havia sido recolhido. A expectativa é que a coleta domiciliar da noite de hoje possa levá-lo. Enquanto governo, prefeituras, subprefeituras e cidadãos de São Paulo se esforçam para controlar essa epidemia que se alastra pelo estado, até mesmo deslocando equipe para resgatar um pneu, uma minoria insiste em não acatar cuidados mínimos e assumir compromissos com a higiene para evitar que a praga prolifere ainda mais. Segundo dados da Prefeitura de São Paulo e da Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde), 85% dos criadouros estão em residências. Especialistas concluem que depois de a expansão das cidades invadirem as matas e atingirem os habitats dos mosquitos, que migraram para os centros urbanos, a única forma de atacá-los é com a...

Leia mais
Rua Antonio João Fiore esquina com Henrique Dumont: virou depósito de lixo
mar22

Rua Antonio João Fiore esquina com Henrique Dumont: virou depósito de lixo

Domingo, 22 de março de 2015, às 12h13   O local está sub a jurisdição da Subprefeitura Aricanduva/Carrão. No dia 21 de maio do ano passado, antes de uma entrevista marcada com o Subprefeito da Mooca, Evandro Reis, para falar sobre sua posse – que aconteceu dias antes – e os problemas do Tatuapé, nossa reportagem levou imagens do lixo depositado na esquina das ruas Antonio João Fiore com Henrique Dumont, que ficam na divisa entre os bairros do Tatuapé e Carrão.     Tendo assumido o cargo no dia 9 de maio e ainda familiarizando-se com as delimitações dos bairros sob sua jurisdição, imaginou que aquelas ruas estivessem a cargo da Subprefeitura da Mooca. Antes mesmo de começarmos a entrevista, tomou o telefone e ligou para o encarregado daquele assunto. Momentos depois, recebeu o retorno da ligação, que dizia estar aquele logradouro sob jurisdição da Subprefeitura Aricanduva/Carrão. Os coletores de lixo fazem o seu trabalho às segundas, quartas e sextas-feiras, mas o lixo no local é depositado diariamente, seja sábado ou domingo. Hoje, entramos em contato com a subprefeitura que não atendeu a chamada. Nesta segunda-feira, faremos contato novamente para saber qual seria a solução para o problema. “Acho que isso é caso de polícia”, disse a moradora cansada de reclamar. “Já arranjei confusão com todo mundo, mas ninguém assume que joga o lixo aqui”, diz revoltada. Outro morador, afirmou que é preciso fazer alguma coisa para que a imundice tenha fim. “Precisa fazer alguma coisa de algum jeito”. A proliferação de pragas urbanas, como os ratos e os pernilongos, têm o agravante da dengue e chikungunya que também se alastram na sujeira. “Até rato já tive de tirar da minha casa”, reclama outra moradora. “Isso é falta de educação”, disse uma senhora com seus cabelos brancos, voltando do mercado. Gentil, talvez não encontrasse palavras para dar o seu parecer. Passando pelo local, outra moradora antiga, manifestou-se constrangida com as moscas, baratas e a sujeira gerada pelo lixo depositado na esquina. Os horários de coleta têm sido rigorosamente respeitados, portanto não há motivos para que o lixo não seja colocado na hora certa, como faz a grande maioria dos moradores. À minoria, que parece não ter compromisso com a limpeza, cabe seguir as...

Leia mais
Excesso de carrros provoca trânsito na porta de prédio
mar20

Excesso de carrros provoca trânsito na porta de prédio

O excesso de veículos sem que haja planejamento e investimentos de infraestrutura no Tatuapé, tem provocado situações intensas. Sem comando, bairro vive a mercê de subprefeituras distantes dos seus problemas.

Leia mais
Grafiteiros levarão sua arte à Avenida 23 de Maio
nov09

Grafiteiros levarão sua arte à Avenida 23 de Maio

Domingo, 9 de novembro de 2014, às 14h44 Avenida 23 de maio ganhará um dos maiores corredores de grafite da América Latina. Trabalho envolverá mais de 200 artistas na produção de 15 mil metros quadrados de arte em 70 muros, entre o Terminal Bandeira e o antigo Detran. Intervenção poderá ser expandida para outros locais da cidade. SECOM / PMSP – Mais de 70 muros da avenida 23 de maio, entre o Terminal Bandeira e a passarela Ciccilio Matarazzo, em frente ao Museu de Arte Contemporânea (MAC), antigo Detran, ganharão intervenções de grafite a partir da primeira semana dezembro. O projeto feito pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, reunirá mais de 200 artistas na produção de 15 mil metros quadrados de murais com a arte urbana. A ideia é que o projeto seja concluído entre o fim de janeiro e início de fevereiro, se tornando um dos maiores corredores de grafite da América Latina, a frente dos murais da Copa do Mundo, na zona leste, até então considerado o maior. O anúncio aconteceu na tarde desta sexta-feira (7) durante reunião entre o prefeito Fernando Haddad, o secretário Juca Ferreira (Cultura) e um grupo de artistas que participam da curadoria do projeto e ajudam a escolher grafiteiros que participarão da iniciativa. Além dos materiais para a produção do grafite, a Prefeitura auxiliará na segurança dos artistas com a Guarda Civil Metropolitana (GCM), na limpeza dos muros, ampliação da iluminação e corte de grama com a Coordenação das Subprefeituras e a Secretaria Municipal de Serviços. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) dará apoio na organização do trânsito durante o trabalho. “Esse tipo de arte existe no mundo inteiro, mas aqui em São Paulo, é um dos mais desenvolvidos, porque foi assimilada pela paisagem urbana. Essa arte tem a função de dialogar, colorindo o cinzento da cidade, substituindo muros frios e que dividem por muros artísticas que melhoram o padrão e humanizam a cidade”, afirmou Juca Ferreira. “A ideia é de trazer a arte para a rua, humanizar a cidade e democratizar o acesso a arte”, afirmou. Para se ter uma ideia do tamanho do projeto, o grafite nos muros da Linha-1 Vermelha do Metrô, no caminho da Arena Corinthians, em Itaquera, na zona leste, contava com menos de 10 mil metros quadrados e quatro quilômetros de extensão. O projeto da 23 de maio atingirá de 5,4 quilômetros de extensão de muros em 15 mil metros quadrados. “Estamos contentes com essa porta aberta, temos muita coisa para fazer e a 23 de maio é só o começo. Vamos apresentar projetos para as quebradas, a periferia...

Leia mais
Córrego Rapadura finalmente vai ter mais uma passagem
out29

Córrego Rapadura finalmente vai ter mais uma passagem

Quarta-feira, 29 de outubro de 2014, às 19h33   Passagens sobre córregos terão investimentos de R$ 4,5 milhões. Projeto prevê intervenções em 89 pontos de 21 subprefeituras da cidade. O objetivo é garantir melhor acesso e maior segurança aos usuários, eliminando eventuais riscos em função das condições até precárias de algumas dessas travessias.   A Prefeitura de São Paulo deu início à reconstrução de pontes de pedestres que passam exclusivamente por córregos em 89 pontos de 21 subprefeituras da capital, com o investimento de R$ 4,5 milhões. O projeto começou com as intervenções no entorno do Córrego Rapadura, na Vila Carrão, zona leste da cidade. O prefeito Fernando Haddad visitou nesta terça-feira (28) as intervenções no Córrego Rapadura, que foi escolhido para ser o piloto deste projeto devido à necessidade viária local, além de ser uma antiga reivindicação da população. “Eu vim conhecer a tecnologia desta obra que, com um jeito simples, consegue resolver problema comum na cidade. Aqui vai ter a faixa do ciclista, o lugar do pedestre e a faixa do carro para atravessar com segurança”, afirmou o prefeito Haddad. A obra no córrego Rapadura, na Vila Carrão, teve custo de R$ 280 mil. Com o início das obras, as antigas “pinguelas” receberam uma nova estrutura chamada de aduelas – armações de concreto pré-fabricadas e hidraulicamente adequadas para garantir a fluidez do córrego e criar uma passagem segura aos pedestres. O objetivo dessas intervenções é garantir melhor acesso e maior segurança aos usuários, eliminando eventuais riscos em função das condições até precárias de algumas dessas travessias. Em algumas regiões, as estruturas comportarão a passagem de carros, como esta da rua Pero Nunes, na região da subprefeitura Aricanduva/Formosa, onde o prefeito esteve. “Faz muito que é pedido esta ponte. É uma região que não tem passagem. Então a pessoa tem que andar de oito a dez quarteirões até a Avenida Conselheiro Carrão porque não tem como atravessar. Agora, com a ponte, não precisa ir até a avenida, onde tem muita demanda de carros para ir ao outro lado do quarteirão”, disse o subprefeito de Aricanduva/Vila Formosa, Quintino Simões Pinto. Após a conclusão do projeto piloto, “pinguelas” de outras 20 subprefeituras receberão intervenções: Butantã, Campo Limpo, Capela do Socorro, Cidade Ademar, Ermelino Matarazzo, Freguesia/Brasilândia, Guainases, Ipiranga, Itaquera, Itaim Paulista, Jabaquara, Jaçanã/Tremembé, Parelheiros, Penha, Pirituba/Jaraguá, Perus, Santo Amaro, Santana/Tucuruvi e São Mateus, São Miguel. Cada um dos 89 locais que receberão intervenções foi indicado pela subprefeitura local. Além da instalação das aduelas, também é realizada a adequação das pistas nas extremidades dessas travessias e a adequação do sistema de drenagem do local e do leito carroçável, quando necessário. Da Secretaria...

Leia mais
Estação de São Miguel têm novo acesso e bicicletário
out23

Estação de São Miguel têm novo acesso e bicicletário

Quinta-feira, 23 de outubro de 2014 às 15h39 Entrada pelo lado norte facilita passagem ao polo comercial e a serviços públicos da região. O novo acesso à estação São Miguel Paulista da Linha 12-Safira foi entregue nesta terça-feira, 21, pelo governador Geraldo Alckmin. O lado norte vai interligar o bairro Jardim Lapenna à estação e aproximar o polo comercial e serviços públicos da região, como o Centro de Referência do Idoso, o Hospital e Maternidade São Miguel, a Subprefeitura, postos bancários e igrejas. “É uma estação novinha, com escadas rolantes, elevadores, toda acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida”, disse Alckmin, que também entregou um bicicletário para a estação com capacidade para 210 bicicletas. O governador ainda destacou o funcionamento da passarela 24 horas por dia, facilitando o trajeto da população. Atualmente, circulam pela São Miguel Paulista cerca de 30 mil pessoas por dia útil. Entregue em agosto de 2013, a estação valorizou a região e aumentou a atratividade para a instalação de equipamentos públicos, de prestação serviços e revitalização do comércio. “É uma grande ganho do ponto de vista urbano, do ponto de vista da integração das duas margens da ferrovia, para o comércio e para melhorar a qualidade de vida da população”, acrescentou o governador. Do Portal do...

Leia mais
Prefeitura entregará nova iluminação no Ceret
out08

Prefeitura entregará nova iluminação no Ceret

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 15h43 – Atualizado às 18h47 A coletiva de imprensa, com a participação de inúmeros usuários do parque já havia começado, quando uma senhora interrompeu o Prefeito: “Nós precisamos de mais equipamentos de ginástica”, causando ao mesmo tempo surpresa e risos. Não demorou muito e mais uma interrupção. “Eu estou aqui para falar por aqueles que não podem falar”, disse a mulher de cabelos grisalhos. “Mas aqui todo mundo pode falar”, brincou o prefeito. “É que eu quero falar pelos cachorrinhos…”.     Assim começou a manhã desta quarta-feira (8) do prefeito da cidade no Tatuapé, recebendo sugestões, sendo interrompido pelas senhores e senhores de cabelos brancos que lhe faziam pedidos, aos quais aderiu. “Bom, então nos vamos fazer uma comissão tripartite: eu quero WiFi livre para o parque, a senhora quer acesso aos cachorros e a senhora mais equipamentos de ginástica”, disse Haddad, pedindo providências ao seu secretariado, mas deixando claro que algumas precisavam seguir as normais existentes. Pouco antes o prefeito havia cobrado do secretário Simão Pedro, a instalação do WiFi livre no Ceret. “Não é possível que um parque como este não esteja na programação de WiFi da cidade”. De bom humor, disse que a internet é um vício e que então o internauta poderia ir ao parque e aproveitar para fazer exercícios, ver os amigos e sociabilizar saindo de casa.     O encontro com o Prefeito da cidade marcou a remodelação da iluminação do Ceret com lâmpadas de vapor de sódio (LPS) que faz parte do programa São Paulo Mais Iluminada. “Até o dia 30 de setembro nós trocamos 185 mil lâmpadas da iluminação pública da cidade de São Paulo. Agora o parque vai poder ficar aberto até mais tarde ou durante a noite porque vai receber mais de 600 lâmpadas novas em 300 pontos de iluminação, em substituição às cento e poucas lâmpadas que nós temos aqui hoje”, enfatizou o secretário de Serviços, Simão Pedro, durante sua fala. Pertencendo à Subprefeitura Aricanduva/Formosa/Carrão, o parque do Tatuapé – bairro que absurdamente não possui uma subprefeitura própria, estando subordinado também à Mooca – contou com a presença do subprefeito Quintino Simões Pinto. Entre os convidados estavam o vereador Paulo Frange (PTB-SP), o diretor da Ilume José Alberto Serra Almeida e o administrador do Ceret Mohamed Mourad e o engenheiro Marco Antonio Melro da Porte Construtora. “O Marco vai colocar, sem nenhuma contra-partida, todo o gradil de toda a Eleonora Cintra, vai dar mais ou menos um quilômetro de gradial para o parque ficar com cara de parque”, disse o secretário municipal de Esportes Celso Jatene, referindo-se ao empresário da construção,...

Leia mais
Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de bikes
out08

Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de bikes

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 15h29 – Atualizado às 18h32 Na última quinta-feira (2) resolvemos investigar do que se tratava a obra inacabada, deixada há mais de 15 dias (até aquela data) sem nenhuma sinalização e causando estranheza aos pedestres e motoristas que passavam pela esquina das ruas Francisco Marengo e Emílio Mallet e se deparavam com o fato. Em contato com a Subprefeitura Mooca, a assessoria de comunicação do órgão da Prefeitura, respondeu tratar-se da construção de uma estação de bicicletas – obra do Banco Itaú em parceria com a Secretaria Municipal de Transportes. Recomendando mais informações com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), órgão responsável pelo projeto. Alertada pela reportagem, a Subprefeitura Mooca enviou notificação à empresa contratada para regularização da sinalização e melhoria do isolamento. Nesta manhã (8), estivemos novamente no local para ver como estava uma semana depois da matéria e já constatamos a mobilização para finalizar a estação.           Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Privilégios e estação inacabada põe em dúvida ciclovias no bairro Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de bikes...

Leia mais
Vivências inusitadas em Música
set13

Vivências inusitadas em Música

Sábado, 13 de setembro de 2014, às 11h03 Iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura oferece orientações gratuitas em Bibliotecas. Se você tem mais de 14 anos e gosta de música não pode perder as oficinas para desenvolver criatividade e percepção sonora, que estão acontecendo na Biblioteca Adelpha Figueiredo, na Praça Ilo Ottani,146 – Pari. A informação é da assessoria da Subprefeitura Mooca. O professor Ronalde Monezzi, saxofonista e flautista, prepara e ministra vivências integrativas, divertidas e capazes de desenvolver habilidades e estimular talentos. Não é necessário ter iniciação musical para acompanhar os encontros. Basta ligar para o telefone 2292-3439 ou se dirigir à Biblioteca e fazer as inscrições. Mas corra, porque as vagas são limitadas e as aulas vão só até novembro. Ótima oportunidade para passar horas agradáveis, descobrir novas possibilidades e adquirir conhecimentos. As aulas acontecem às segundas feiras, das 14h às 17h, e aos sábados das 9 às 12h. Mais informações pelo e-mail ronalde.monezzi@gmail.com ou pelo telefone (11)...

Leia mais
Plano Centro Limpo contempla Bela Vista
set06

Plano Centro Limpo contempla Bela Vista

Sábado, 6 de setembro de 2014, às 12h22 Projeto começa no próximo dia 8 no distrito e inclui conscientização, mutirões de limpeza e fiscalização Combater o descarte irregular de resíduos na região central do município é um dos principais objetivos do Plano Centro Limpo, que chega ao distrito Bela Vista, incluindo o Bixiga, no próximo dia 8. Iniciado em agosto de 2013, na Vila Buarque, o projeto já foi realizado na Santa Ifigênia, Luz e 25 de Março. Trata-se de ação conjunta entre a Secretaria de Serviços, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), Subprefeitura Sé e empresas de varrição e coleta, com apoio da Guarda Civil Municipal e da Associação Viva o Centro. No próximo dia 8, e até o dia 20, ocorre a conscientização de moradores e comerciantes, com faixas orientativas e distribuição de panfletos sobre a frequência da coleta domiciliar, a maneira correta de descartar resíduos, os ecopontos disponíveis na região e a legislação municipal.     “Quando a população toma conhecimento e utiliza essas informações ajuda muito na manutenção e preservação da limpeza das áreas e vias públicas”, afirma o gerente do Departamento de Fiscalização de Amlurb, Evaldo de Freitas Gomes. Antes desta etapa, foi promovido levantamento sobre as especificidades e problemas das áreas que serão contempladas. Mutirão e Fiscalização A terceira ação do Plano começa no dia 15 e prossegue até o dia 29, com a realização de mutirões de serviços de limpeza como varrição, pintura de guias, manutenção de bocas de lobo, retirada de faixas e cartazes, coleta de entulho, resíduos e grandes objetos e troca de papeleiras e PEVs (Pontos de Entrega Voluntária). Durante o mutirão, a distribuição do material informativo também será realizada. No próximo dia 29, inicia-se a quarta ação do Plano, com a fiscalização, notificação e aplicação de multas para quem desrespeitar o horário, tipo e quantidade de resíduo descartado. Além disso, será feita verificação da situação dos grandes geradores de resíduos (estabelecimentos comerciais, industriais, de prestação de serviços, públicos e institucionais que geram acima de 200 litros de resíduos). “Eles devem, obrigatoriamente, estar cadastrados em Amlurb e contratar coleta particular. Caso contrário, ficarão passíveis de sansão”, ressalta Evaldo. Mais informações sobre o cadastramento no site da Amlurb. As penalidades serão aplicadas de acordo com a lei 13.478/02, que prevê multas de R$ 626,46 (descarte irregular até 50 quilos) a R$15.034,87 (acima de 50 quilos). O trabalho de conscientização será mantido também durante essa última...

Leia mais
WiFi Livre da prefeitura chega a São Miguel
ago22

WiFi Livre da prefeitura chega a São Miguel

Sexta-feira, 22 de agosto de 2014 às 14h49 Prefeito e secretário de Serviços inauguram WiFi Livre em São Miguel Paulista. Praça do Forró é a 31ª a democratizar acesso à internet para a população. Em visita à Subprefeitura de São Miguel Paulista nesta terça-feira (19), o Secretário de Serviços, Simão Pedro, acompanhado do prefeito Fernando Haddad e do subprefeito de São Miguel, Adalberto Dias de Souza, inaugurou o sinal WiFi Livre na Praça do Forró, 31ª em funcionamento na cidade de São Paulo.       “Você pode estudar, fazer o dever de casa, trabalhar e conversar. Esse acesso funciona por 24 horas por dia”, afirmou o prefeito referindo-se às utilidades que podem ser feitas na internet e a disponibilidade de 24 horas do sinal. Haddad citou a boa iluminação do local, que foi contemplada no ano passado com 35 pontos novos de iluminação e teve 18 pontos remodelados. “A nossa ideia é iluminar cada vez melhor a cidade de São Paulo, isso é importante”. Simão Pedro destacou alguns aspectos técnicos do WiFi Livre. “A qualidade do sinal é uma característica importante, a velocidade de conexão é de 512 Kbps por usuário. A Praça do Forró comporta 150 usuários navegando simultaneamente e possui capacidade de dobrar esse número com degradação proporcional da velocidade”. A Praça do Forró possui dentro de sua área a igreja mais antiga da capital paulista. A Catedral São Miguel Arcanjo tem 392 anos e foi inaugurada no ano de 1622. Segundo as informações da assessoria da Prefeitura da cidade de São Paulo, já são 4 locais com o sinal WiFi em funcionando na Zona Leste, são eles: Praça das Professoras (Itaquera), Praça Dilva Gomes (Penha), Parque Linear Tiquatira (Penha) e a Praça do Forró (São Miguel). Em toda a cidade, além dos locais que estão em operação, outras 24 praças estão com o serviço na etapa de implantação e outros pontos em 65 espaços públicos em fase de projetos, como a Praça Sílvio Romero, no Tatuapé. O Programa de Metas 2013-2016 prevê a instalação de internet livre em 120 praças e parques da capital paulista. O contrato firmado pela prefeitura prevê controle de qualidade, estabilidade de conexão e garantia de banda. Todos os dados que circularem na rede serão protegidos por confidencialidade e não haverá qualquer restrição no conteúdo acessado. O prestador de serviço não está autorizado a filtrar o tráfego por IP de origem ou de destino, por aplicação ou por conteúdo, exceto para cumprir legislação em vigor. As redes possuem um sistema de gestão que permite detectar e evitar possíveis incidentes e cumprir determinações legais e judiciais. Praça Santa Davina Ainda em São...

Leia mais
Prefeitura oferece curso para a melhor idade
jul23

Prefeitura oferece curso para a melhor idade

Quarta-feira, 23 de julho de 2014 às 20h55 Objetivo é formar pessoas idosas para liderança em movimentos sociais das comunidades A capital paulista está envelhecendo e o número de idosos – pessoas com mais de 60 anos – vem subindo rapidamente e já somam 11,89% de todos os habitantes da cidade. A longevidade em alta é um bom sinal, mas também traz grandes desafios aos administradores públicos nas questões de saúde e assistência social.     A informação é da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo que pensando nisso, em convênio com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, organizou um curso destinado à formação de líderes comunitários comprometidos com os movimentos sociais voltados ao direito da pessoa idosa, com objetivo de colocar esta população como protagonista na escolha de políticas mais adequadas a sua realidade. O curso terá duração de dois meses e meio com aulas duas vezes por semana, entre os dias 18 de agosto e 17 de outubro. Para os moradores de cinco subprefeituras, incluindo a da Mooca, o curso será ministrado na sede da Subprefeitura da Vila Prudente, na Avenida do Oratório, 172. Inscrições e informações através do email camilakanashiro@prefeitura.sp.br ou pelos telefones: 3113-9908/3113-9704. Cada subprefeitura terá dez vagas para interessados. Fonte: Subprefeitura...

Leia mais
Não esmoreça com prevenção à dengue
jul17

Não esmoreça com prevenção à dengue

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 12h54   Cerca de 70% dos 14.551 casos confirmados se concentram entre o fim de março e início de maio. Em relação à semana passada, o número de confirmações subiu 6,37%. As informações são da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo. Os dados foram publicados no último dia 10 deste mês. O levantamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde mostra que o total de casos de dengue confirmados na cidade de São Paulo neste ano chegou a 14.551. Esse número é 6,37% maior que na semana passada. Mais de dois terços dos casos acumulados do ano (68,35%) se concentra no período de seis semanas entre março e maio*. Com isso, a taxa de incidência (acumulada) da cidade é de 129,3 (casos para cada 100 mil habitantes), considerada média de acordo com o Ministério da Saúde. Como o número de notificações (registros não confirmados) já começa a apresentar queda, desde a semana passada a Secretaria Municipal de Saúde não está fazendo mais a classificação de distritos por estágio de transmissão de dengue. Esta classificação estava sendo feita a partir da incidência acumulada no ano, e não reflete mais a situação atual de baixa transmissão da doença no município. Os números consideram as notificações recebidas nas primeiras 27 semanas epidemiológicas e variam na medida em que os casos registrados pelas unidades de saúde públicas e privadas são confirmados. Apesar do crescimento de casos confirmados nas últimas semanas, o número de notificações começou a desacelerar, e já é possível concluir que o pior período da dengue neste ano já está superado. Isso de acordo com as informações da Prefeitura, porém fica difícil não contestá-lo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dez óbitos por dengue foram registrados na cidade neste ano (um em fevereiro e nove em abril). Conforme tabela fornecida pela SMS, para o cálculo que engloba as primeiras 27 semanas, a incidência da doença em 2010 foi de 5.799 casos, em 2011 de 4.090, 2012 com 1.066, 2013 foram 2.499 e em 2014 os números chegam a 14.551, até agora, beirando seis vezes mais doentes do que no ano passado. Ações de combate Até ontem (16 de julho), novas ações de combate à dengue estavam programadas nas regiões leste, centro-oeste e sul da cidade. Segundo a programação da SMS, na zona leste, mais de 200 agentes nas subprefeituras de Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo, Guaianases, Itaim Paulista, Itaquera, São Mateus e São Miguel Paulista visitarão imóveis para bloqueio de criadouros e nebulizações, além disso, eles também distribuirão toucas para caixas d’água. Na região centro-oeste, as ações serão nas subprefeituras da Lapa e Pinheiros,...

Leia mais
Música na Biblioteca Affonso Taunay
jul11

Música na Biblioteca Affonso Taunay

Sexta-feira, 11 de julho de 2014 às 20h29 Música na Mooca – Vivências para Desenvolver Criatividade e Percepção Musical. Através de práticas integrativas que utilizam a criatividade e a percepção musical, a Prefeitura – através da Secretaria Municipal de Cultura – oferece vivências musicais orientadas pelo músico LOOP B, percussionista e produtor com 20 anos de carreira.     De acordo com a assessoria da Subprefeitura Mooca, as atividades, gratuitas, acontecem até novembro na Biblioteca Affonso Taunay, sempre às quartas-feiras das 14h às 17h, e aos sábados das 13h às 16h, para interessados com mais de 14 anos. As inscrições estão abertas e podem ser feitas na própria Biblioteca, situada à Rua Taquari, 549, ao lado do prédio da Subprefeitura Mooca. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail loopbvocacional@gmail.com ou através do telefone...

Leia mais
Itaquera inaugura Casa da Memória
jun16

Itaquera inaugura Casa da Memória

Segunda-feira, 16 de junho de 2014 às 17h17 Exposições de fotos e oficinas culturais são algumas das atrações do local O Centro Cultural Casa da Memória será inaugurado hoje (16), com cerimônia de abertura agendada para às 18h. O espaço é destinado às lembranças dos moradores de Itaquera.     O projeto tem o objetivo de retratar as lembranças que os antigos moradores do bairro guardam, sendo em fotos, peças e nas diferentes formas de registro. A visitação poderá ser feita de segunda a sábado, das 10h às 18h, com algumas oficinas estendidas até as 22h. A primeira mostra de fotos é batizada de “Itaquera: dos aldeamentos à Copa” e estará em exposição até o dia 17 de julho. O espaço também será utilizado para diversas atividades gratuitas para toda a população, como oficinas de dança, aulas de inglês, capoeira, exercícios para a terceira idade e muito mais. História A conhecida Casa do Chefe da Estação, no Centro de Itaquera, é uma construção da década de 1930. Por muitos anos, o espaço abrigou o escritório do antigo encarregado da Estação de Trem. Com a desativação da estação, a Secretaria Estadual dos Transportes de São Paulo transferiu o imóvel para a Prefeitura. A partir do final de 2012, a subprefeitura restaurou o local e a “Casa do Chefe da Estação” passou a ser frequentada por artistas e moradores do entorno, iniciando às atividades culturais da região. Confira a programação das atividades no local: 16/6 às 18h: Cerimônia de Abertura Todas as terças-feiras Oficina de Samba Rock Das 19h às 22h Dançando a Vida – Aula de reflexão para deficientes Das 9h30 às 11h Todas às quartas-feiras Ensaio Aberto Instrumental e Percussão Das 7h30 às 22h De quarta a domingo Gibiteca Balão com quadrinhos, RPG, Animes e Seriados Das 10h às 17h Todas às quintas-feiras Dança Saudável – exercícios para o corpo e mente da Melhor Idade Das 10h às 12h Todos os sábados Aula de Inglês para todas as idades Das 9h às 11h Oficina de Capoeira Das 19h às 21h Serviço: Centro Cultural Casa da Memória Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 10h às 18h (exceto programações noturnas e aos domingos) Endereço: Rua Antônio Carlos de Oliveira Cesar, 97 – Centro de Itaquera. Telefone:...

Leia mais
Entrevista com o Subprefeito Evandro Reis
maio22

Entrevista com o Subprefeito Evandro Reis

Entrevista com o subprefeito Mooca, engenheiro Evando Reis, 57, realizada ontem (21/05), por volta das 11h30 na sede da Subprefeitura Mooca, acompanhado pela assessora, a jornalista Deborah Amoroso Gonçalves. Alô Tatuapé – O senhor está filiado a algum partido político? Engº Evando Reis – Não sou neutro. Alô Tatuapé – Qual o motivo de tantas trocas de subprefeitos na Mooca? O senhor é o terceiro na gestão Haddad. Engº Evando Reis – Francisco Carlos Ricardo saiu em fevereiro, ficou um ano. Entrou Valter Antonio da Rocha, como interino durante alguns meses para que o prefeito avaliasse quem colocaria em seu lugar, até que eu assumi. Alô Tatuapé – A Subprefeitura Mooca tem parcerias com construtoras? Engº Evando Reis – Temos parcerias de cooperação com empresas. Sobre construtoras não tem conhecimento. Alô Tatuapé – O Tatuapé (incluindo o Jardim Anália Franco) não consta no www.planejasampa/metas, nova maneira de acessar as ações da prefeitura. Portanto, significa que não há metas para o bairro? Engº Evando Reis – Pode estar no plano macro das metas. (Mas não soube dizer se há alguma meta para o bairro. A assessora ficou de averiguar para responder em seguida). Alô Tatuapé – Está confirmada a Operação Catabagulho dia 24, no Tatuapé? Engº Evando Reis – Sim. São todas as ruas, por volta de 300. Alô Tatuapé – Qual sua posição quanto às construções desenfreadas que ocorrem há pelo menos 10 anos num ritmo frenético no Tatuapé e Jardim Anália Franco? Engº Evandro Reis – Não está na minha competência, tem regulamentação, leis, plano diretor e secretarias específicas. Alô Tatuapé – Construtoras atingem lençóis freáticos e a água limpa jorra pelo bairro a céu aberto. O quem a dizer? Engº Evando Reis – É uma questão a ser averiguada. Alô Tatuapé – Casas apresentam rachaduras durante as construções e os terrenos sofrem avariações. O que tem a dizer? Engº Evando Reis – As construtoras são obrigadas a reparar todos os danos, deve haver acordo com as partes prejudicadas. Se não honrarem o acordo, o cidadão deve procurar os órgãos competentes. Alô Tatuapé – Os parques C.E.E. Brigadeiro Eduardo Gomes (Ceebeg) e Pet estão degradados. O senhor pretende fazer algo a respeito? Engº Evando Reis – Preciso de um prazo para conversar com a SEME (Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação). Alô Tatuapé – A população e os frequentadores do Largo Nossa Senhora do Bom Parto, afirmam que é necessária a presença da GCM (Guarda Civil Metropolitana) e da PM para fazer rondas no local nas noites e madrugadas das sextas-feiras e sábados. O que o senhor pretende fazer? Engº Evando Reis – Vou conversar com o inspetor...

Leia mais
Prefeito assina decreto que define regras para comida nas ruas da cidade
maio07

Prefeito assina decreto que define regras para comida nas ruas da cidade

O documento estabelece quais tipos de alimentos que podem ser vendidos, os locais, o horário, o procedimento para conseguir a autorização e as obrigações e proibições dos comerciantes. O prefeito Fernando Haddad assinou ontem o decreto que define as regras para a venda de comida nas ruas da cidade. O documento regulamenta a Lei 15.947/2013, sobre a comercialização de alimentos em áreas públicas, como os tipos de alimentos que podem ser vendidos, os locais, o horário, o procedimento para conseguir a autorização e as obrigações e proibições dos comerciantes. O decreto foi publicado hoje (7) no Diário Oficial. A venda de bebidas alcoólicas está proibida, salvo em eventos públicos ou privados com a autorização da subprefeitura. Na assinatura do decreto, o prefeito disse que a regulamentação da lei de comida de rua foi feita depois de um intenso debate interno, entre governo e uma série de representantes das partes interessadas, sobretudo bares e restaurantes de um lado e as pessoas que estão envolvidas no debate de comida de rua em São Paulo. “É um primeiro decreto que nos parece uma boa largada para dar segurança de que será bem conduzido. Chegamos a uma primeira proposta de regulamentação da Lei de Comida de Rua em São Paulo. É uma regulamentação cuidadosa, parcimoniosa, que dá o poder para as subprefeituras organizarem essa primeira largada para que não haja nenhum tipo de conflito com o comércio estabelecido”, afirmou. Pelo decreto, pessoas jurídicas ou microempreendedores individuais (MEI) poderão vender alimentos perecíveis ou não, frescos, semi-preparados, industrializados ou prontos para o consumo. A comercialização poderá ser feita em furgões adaptados (tipo food trucks), em carrinhos ou tabuleiros ou em barracas desmontáveis nas ruas, praças e parques municipais, desde que obedecidos alguns limites. O ponto de venda deve ficar a uma distância mínima de 5 metros de cruzamentos, faixas de pedestres, pontos de ônibus e de táxis, hidrantes e válvulas de incêndio, orelhões e cabines telefônicas ou tampas de bueiros. Também deverá obedecer a distância mínima de 20 metros de estações de metrô, de trem, escolas, rodoviárias, aeroportos, ginásios esportivos, estádios de futebol, monumentos e bens tombados. Onde já existe comércio de alimentos, como padarias, restaurantes e lanchonetes, a distância mínima para instalar o ponto de venda é de 25 metros. Além disso, a barraca, carrinho ou furgão não pode estar em frente a guias rebaixadas, prédios públicos ou farmácias. A comercialização poderá ser feita durante um período mínimo de 4 horas e o máximo de 12 horas por dia. O prefeito também ressaltou que o objetivo da administração municipal é a requalificação do espaço público, por isso a necessidade de regulamentar a lei de...

Leia mais
CET no Seu Bairro – 3ª edição irá ocorrer entre os dias 22 e 29 de abril
abr17

CET no Seu Bairro – 3ª edição irá ocorrer entre os dias 22 e 29 de abril

A CET avisa que devido aos feriados de Abril (nos dias 18 e 21), posto móvel do Programa visitará os sete bairros em período diferenciado neste mês: de 22 a 25/04 e nos dias 28 e 29/04, das 8 às 16 horas.   A terceira edição do programa CET no Seu Bairro está marcada para acontecer entre os dias 22 e 29 de abril. Em função dos feriados característicos desse mês (nos dias 18 – Sexta feira da Paixão e 21 – Dia de Tiradentes), foi preciso adequar o cronograma do projeto, de forma que a base itinerante esteja disponível para atendimento a demandas da população entre os dias 22 e 25/04 (terça a sexta-feira) bem como nos dias 28 e 29/04 (segunda e terça-feira), das 8 às 16 horas, nos seguintes locais: 1)   Jardim Peri/Vila Amália/Vila Dionísia – região Centro-Norte (Subprefeitura Casa Verde/Cachoeirinha) Posto móvel: Av. Mariana Caligiori Ronchetti , ao lado do Largo do Peri na lateral do AMA do Peri 2)   Parelheiros – região Sul (Subprefeitura Parelheiros) Posto móvel: Praça Julio Cezar de Campos 3)   Jardim D´Abril/Jardim Boa Vista/COHAB Raposo Tavares/COHAB Munck/Jardim do Lago – região Oeste (Subprefeitura Butantã) Posto móvel: Rua Dr. Virgílio Alvim Franco com Rua Eusébio de Paula Marcondes 4)   Vila Remo – região Sudoeste (Subprefeitura M´Boi Mirim) Posto móvel: Rua José Garcia Lopes Filho com Rua Antônio de Pina 5)   Vila Paranaguá/Parque Boturussu – região Leste (Subprefeitura Ermelino Matarazzo) Posto móvel: Praça Reverendo Mattathias Gomes dos Santos 6)   Vila Carmosina – região Sudeste (Subprefeitura Itaquera) Posto móvel: Rua Cachoeira de Itupanema 7)   Vila Jaguara – região Noroeste (Subprefeitura Lapa) Posto móvel: Praça Nair Zampiere Carbonaro Nestas sete regiões, entre os dias 22 e 29 de abril, serão feitas a manutenção/implantação de sinalização viária (vertical e horizontal), manutenção de semáforos e revitalização de abrigos/totens de ônibus, além de eventos gratuitos com ênfase na Educação de Trânsito. Balanço acumulado das Etapas 1 e 2 do CET no Seu Bairro  A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) concluiu o balanço provisório acumulado das melhorias viabilizadas nas primeiras duas etapas do CET no Seu Bairro. Em cada uma delas, para lembrar, o Programa chegou a sete regiões:   Região Etapa 1 – Fevereiro Etapa 2 – Março 1 CN Vila Ede Parque Novo Mundo 2 SU Jardim Myrna Vargem Grande 3 OE João XXIII/Jd. Educandário Jardim Macedônia 4 SO Monte Alegre/Capão Redondo Jardim Ibirapuera 5 LE Vila Mara José Bonifácio 6 SE Mascarenhas de Moraes Parque São Rafael 7 NO Vila Zatt Vila Brasilândia Etapa 1: de 17/02 a 21/02                  Etapa 2: 17/03 a 21/03 A seguir, veja o balanço acumulado das edições 1 e 2...

Leia mais
Pronto-socorro para animais
abr10

Pronto-socorro para animais

Projeto cria pronto-socorro gratuito para animais de estimação Uma proposição em tramitação na Câmara quer criar uma rede de prontos-socorros veterinários para oferecer atendimento gratuito aos animais de estimação da população paulistana. O Projeto de Lei (PL 121/2014), de autoria do vereador Orlando Silva (PCdoB), prevê a instalação de uma UPAV (Unidade de Pronto Atendimento Veterinário) em cada subprefeitura da cidade. Na justificativa do projeto, Silva aponta que apenas 20,2% dos animais comparecem pelo menos uma vez ao ano ao veterinário. “Esta reivindicação é um antigo desejo da proteção animal, dada a importância e a necessidade nos trabalhos de atendimento veterinário, tanto por parte dos Protetores quantos aos munícipes de baixa renda.”, afirma o comunista no texto. Outro objetivo da propositura é diminuir o número de animais perambulando nas ruas de São Paulo. Segundo pesquisa da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (Universidade de São Paulo), existe um cão para cada 4,5 moradores na capital paulista. O Campo Belo, na zona sul, tem a maior proporção do município, com um cachorro para cada 1,5 morador. Fonte: Câmara Municipal de São...

Leia mais
Prefeitura combate dengue em áreas críticas
abr04

Prefeitura combate dengue em áreas críticas

Prefeitura intensifica ações de combate à dengue em distritos considerados críticos. Na média, a capital tem taxa de incidência com média de 10,4 casos para cada 100 mil habitantes. Número de notificações disparou em distritos próximos a Osasco: Lapa, Jaguaré e Rio Pequeno, na zona oeste, além de Tremembé (norte) e Vila Jacuí (leste). O registro de casos de dengue neste ano em São Paulo aumentou em 15,4% na comparação com o mesmo período de 2013. A comparação é feita considerando as notificações recebidas nas primeiras 13 semanas epidemiológicas e pode variar na medida em que os casos são notificados pelas unidades de saúde. Até o momento, foram notificados 1166 casos de dengue em 2014, o que resulta em uma taxa de incidência de 10,4 (casos para cada 100 mil habitantes) considerada baixa, de acordo com o Ministério da Saúde. Em 2013, foram registrados 2.617 casos e índice 23,3. “São Paulo sempre teve a metade do índice que o Ministério preconiza como de baixa incidência. Mas temos que estar sempre com precaução para não deixar esse índice superar esse patamar baixo”, disse o secretário municipal da Saúde, José De Filippi Jr. “Nós estamos na semana de número 14 agora. Os dados são referentes a semana de número 13 e, por um acompanhamento epidemiológico de todos os últimos anos e da incidência da dengue, sabemos que a semana crítica é a 16, daqui duas semanas, portanto. É preciso essa ação preventiva desde já”. De acordo com o secretário, a ausência de chuvas neste Verão atrasou o aparecimento e transmissão da doença, já que as larvas do mosquito aedes aegypti dependem da água para chegarem na fase adulta, quando o mosquito se torna transmissor da doença. “O que identificamos é que existe uma defasagem em relação aos outros anos de duas a três semanas. Temos de nos preparar porque o pico que acontecia em março, vai acontecer em abril”, explicou o secretário. A Supervisão de Vigilância em Saúde (SUVIS) da região da Lapa e do Jaguaré vem realizando ações de prevenção e combate ao mosquito. Ao todo, já foram realizados 230 bloqueios de criadouros (cada bloqueio equivale em média a nove quarteirões e 500 imóveis) e 224 bloqueios de nebulização (aparelho costal). Além disso, três operações Cata-Bagulho foram realizadas em parceria com as subprefeituras para a retirada de lixos que possam acumular água. Na segunda (7), a COVISA, em parceria com a Subprefeitura Lapa/Pinheiros e Prefeitura de Osasco farão ação conjunta na mesma região. As ações realizadas de casa a casa e a nebulização serão ampliadas nos dois municípios. Durante as ações as equipes distribuem toucas para caixa d’água, uma tela...

Leia mais
Chuvas
mar20

Chuvas

Termina estado de atenção para alagamentos, informou a Secretaria de Comunicação da Prefeitura da cidade. Chuva da tarde de hoje deixou em atenção regiões de Santana, Sé, Jaçanã, Vila Maria, Mooca, Penha, Aricanduva, Vila Prudente e Marginal Tietê. Por conta das chuvas que atingiram a cidade na tarde desta quinta-feira (20), o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) decretou às 15h57 estado de atenção para alagamentos para as subprefeituras da Sé, Santana, Jaçanã, Vila Maria/Vila Guilherme, Mooca, Penha, Aricanduva/Vila Formosa, Vila Prudente e para a Marginal Tietê. As regiões permaneceram em atenção até às 16h30. Não foram registrados pontos de alagamentos transitáveis ou intransitáveis. Segundo a CET, às 16h50, a cidade possuía 41 semáforos desligados e 39 quedas de árvores. De acordo com os meteorologistas do CGE, durante o final da tarde e início da noite novas áreas de instabilidade podem voltar a atingir a cidade com pontos de maior intensidade e rajadas de vento. As chuvas formadas pela combinação do calor e da entrada da brisa marítima que atingiram algumas subprefeituras e regiões da capital paulista já perderam força. Imagens do radar meteorológico mostram precipitação fraca apenas no extremo Leste, no bairro de São Mateus. Já na Grande São Paulo, no município de Mauá a chuva é forte. Durante as chuvas, às 16h07 no aeroporto de Congonhas, zona Sul, houve registro de rajada de vento 50km/h. Estado de atenção para deslizamentos: A Defesa Civil decretou estado de atenção para deslizamentos nas subprefeituras de Penha, Ermelino Matarazzo, Aricanduva/Formosa, na Zona Leste; e M’Boi Mirim, na Zona Sul. A medida é preventiva e é tomada quando a região tem chuva acumulada em 72 horas e previsão de continuidade. Tendência para os próximos dias: A propagação do sistema frontal pelo litoral paulista muda o tempo nos próximos dias, provocando declínio das temperaturas e chuvas mais generalizadas. A sexta-feira (21) deve apresentar muita nebulosidade e chuvas, alternadas com períodos de melhoria ao longo do dia. Os termômetros devem variar entre mínimas de 20ºC e máximas de 28ºC. A continuidade das chuvas eleva o risco para formação de alagamentos e deslizamentos de terra na Capital paulista. No sábado (22) o tempo segue nublado e chuvoso ao longo do dia na Grande São Paulo. Os termômetros devem variar entre mínimas de 19ºC e máximas de 25ºC. Estas condições mantêm elevado o risco para alagamentos e deslizamentos de terra na Capital...

Leia mais
Copa SP 14 incentiva prática esportiva
fev26

Copa SP 14 incentiva prática esportiva

A posição da revista e do site Alô Tatuapé não mudou quanto à realização da Copa Mundial de Futebol no Brasil, somos contra até que diversas questões ligadas à qualidade de vida dos brasileiros sejam resolvidas e os gastos com o evento tivessem sido organizadamente distribuídos para tanto. Mas uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo ligada a Copa 2014, mostra o quanto é possível fazer com tão pouco, usando apenas o que há disponível no aparato esportivo público. Acompanhe a notícia. Copa do Mundo: 572 garotos já estão em campo Cada subprefeitura montou uma seleção para disputar o campeonato que fará homenagem aos países que estarão na Copa do Mundo A partir desta semana, 572 garotos de 13 e 14 anos estarão no clima da Copa do Mundo. Organizada pela Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, a copa de futebol entre subprefeituras receberá até sexta-feira (28) as inscrições dos atletas, selecionados desde o início de janeiro em peneiras e jogos preparatórios nos campos de várzea cidade. Projeto inscrito no comitê oficial da cidade para a Copa do Mundo (SPCopa), o campeonato será disputado entre 15 de março e 3 de maio. Cada uma das 32 subprefeituras representará um dos 32 países que disputarão o mundial de futebol a partir de 12 de junho. O campeonato, apelidado como Copa SP14, tem por objetivo unir a prática esportiva, o bom desempenho escolar — todos os jogadores devem estar regularmente matriculados e terem frequência comprovada em alguma instituição de ensino — e o aspecto cultural, já que cada subprefeitura terá o envolvimento com uma nação. Dois critérios foram utilizados para definir qual subprefeitura iria representar cada país: afinidade com a colônia e sorteio. A Mooca, tradicional bairro italiano, por exemplo, vai jogar com a camisa da Squadra Azzurra. A Sub Santo Amaro, que vai defender as cores da camisa alemã, também tem relações históricas com imigrantes alemães. No final do século 19, germânicos e escandinavos se instalaram no Alto da Boa Vista, bairro de Santo Amaro. Nas demais situações, os atletas e a população local terão a oportunidade de conhecer mais sobre a cultura de outros países. Os jovens de São Miguel Paulista, por exemplo, serão informados sobre as peculiaridades do Uruguai, campeão mundial que já mandou uma série de materiais informativos sobre o turismo e a cultura locais. Já os meninos de Santana/Tucuruvi vão receber os folhetos enviados pelo Consulado da Bélgica. Locais dos Jogos — Cada subprefeitura utilizou uma forma diferente para montar sua seleção. Em Ermelino Matarazzo, zona leste, os garotos interessados em defender a Holanda participaram de peneiras. No Campo Limpo foram promovidas eliminatórias entre as equipes...

Leia mais

Toninho Paiva homenageia Confrade Braz

No dia 15 de fevereiro, foi oficializada a denominação da Passarela Confrade Antonio Castelão Braz, situado sobre Avenida Aricanduva, na Zona Leste de São Paulo, conforme a Lei nº 15.696, de 15 de abril de 2013, de autoria do vereador Toninho Paiva (PR). As informações são da assessoria do Vereador. A cerimônia aconteceu, conforme o pedido da família, na data do aniversário do homenageado que completaria 80 anos de idade na data. Destacado empreendedor do ramo de contabilidade e integrante da Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) ou ‘Vicentinos‘, movimento católico dedicada à caridade e justiça fraterna, o Confrade Braz – como era conhecido, muito se dedicou em favor das pessoas necessitadas. Cerca de 100 pessoas participaram do ato solene que contou com a presença dos familiares do homenageado: a viúva Maria Helena Nogueira Braz e suas irmãs Avanir Nogueira Moisés e Luci Nogueira Paulilo, os dois filhos, o desembargador Dr. Afonso Celso Nogueira Braz e Ana Lúcia Nogueira Braz, os netos André Braz e Noeli Godinho Nogueira Braz, e Maria Conceição Braz, uma das irmãs do prestigiado; também participaram do evento o Subprefeito de São Mateus, Fernando Elias Alves de Melo, os confrades e consócias da SSVP, o Padre César Gobbo da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, da Vila Diva, na Zona Leste, e moradores da região. A passarela que homenageia o Confrade Braz, falecido em 2011, está localizada na altura do número 6750 da Avenida Aricanduva, entre os Bairros de Cidade Líder e São Mateus, pertencente às Subprefeituras de Itaquera e São Mateus, na Zona Leste da cidade. Carinhosa homenagem Durante a inauguração, o vereador Toninho Paiva (PR), emocionado, afirmou ser um momento de perpetuar o nome do ‘amigo e confrade’ por sua dedicação ao próximo como um homem da comunidade. “Poucos conheceram o trabalho e a dedicação aos mais necessitados do meu amigo, confrade, conhecido como nosso general Braz que hoje completaria 80 anos e nos deixou saudade. Por tudo que fez merece ter sua história e o nome perpetuados nesta região como uma carinhosa homenagem”, ressaltou. Para simbolizar a homenagem, o vereador Toninho Paiva entregou a cada um dos familiares presentes, ao Pe. César Gobbo e a amigos vicentinos um fac-símile com o texto da Lei que denomina a passarela. Após a entrega dos fac-símiles, Pe. César ministrou a bênção ao logradouro seguida de uma oração e do descerramento da fita pelo vereador junto com os familiares, oficializando o nome da passarela. Ao final da cerimônia, todos cantaram parabéns ao Confrade Braz seguido de um momento coletivo de oração. Biografia Confrade Braz: pai de família, empreendedor e homem de religião dedicado aos necessitados Antonio C....

Leia mais
CET no seu bairro
fev13

CET no seu bairro

O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (13), na sede da Secretaria Municipal de Transportes (SMT), situada na Rua Barão de Itapetininga, 18, no Centro de São Paulo, e será posto em prática a partir desta segunda-feira (17). O programa CET no seu bairro – Melhorando a Mobilidade, irá abranger 70 bairros da capital, sendo que a cada mês serão sete bairros – divididos na hierarquia do órgão através da GETs (Gerência de Engenharia de Tráfego) que receberam a visita de um posto móvel ao lado do qual será montada uma tenda para a ouvidoria dos pedidos e também das reclamações, a partir desta segunda-feira (17). “A ideia é abrir um canal direto com os munícipes e ouvir suas questões e nenhuma reclamação vai ficar sem resposta”, afirmou o secretário Jilmar Tatto. “Esta é uma situação inédita para o CET”, frisou. Ele explanou sobre várias situações e disse que haverá a participação de outros órgãos como as Subprefeituras e a Ilume, além de setores educacionais da CET. A cada mês a SMT irá divulgar os próximos bairros a serem visitados, abrangendo todas as regiões Norte, Sul, Leste e Oeste. Ainda não foi divulgado quando o Tatuapé e Jardim Anália Franco receberão a visita da Unidade Móvel, mas os primeiros bairros serão, os seguintes: – Capão Redondo/Monte Alegre; – Vila Ede; – Vila Zatt; – João XXIII/Jardim Educandário; – Jardim Myrna; – Mascarenhas de Morais; – Parque Paulistano/Vila Mara. “Vamos fazer intervenções simples que acabam facilitando a vida das pessoas que estão nos bairros visitados. Projetos mais complexos ficarão para intervenções mais demoradas”, alertou, dizendo que muitas vezes um obstáculo pode atrapalhar a manobra de um ônibus numa rua estreita causando transtornos. Também avisou que a CET está tentando diminuir os acessos à esquerda. “O motorista que vai entrar à esquerda num semáforo, por exemplo, acaba atrapalhando todo o tráfego e estamos diminuindo isso ao máximo”. Sobre a reportagem do Alô Tatuapé (leia em https://alotatuape.com.br/?p=2190), o Secretário Municipal dos Transportes concordou com a proposta do site/revista, no sentido de que poderia haver demarcações nas ruas onde existem duas faixas de rolamento que nas esquinas se transformam em três, indicando com setas a direção a seguir, à direita ou esquerda. “Mas precisar mandar alguém nos locais, caso a caso”. Este já será um bom começo. Quanto às valetas, Tatto mencionou o engajamento das Subprefeituras no programa CET no seu bairro. “Vamos pedir às Subprefeituras para analisar e alterar a geometria das valetas”, explicou. Referindo-se a outro fato citado pelo Alô Tatuapé, quanto às dificuldades que as valetas causam e o atraso para avançar na maioria dos cruzamentos do bairro. Sobre as...

Leia mais
Carlos Pinto de Oliveira Sá
out26

Carlos Pinto de Oliveira Sá

Publicado em 26 de outubro de 2013 A primeira entrevista concedida por ele a Alô Tatuapé, foi em meio ao Parque do Piqueri, em 1997, quando o senhor Carlos (ou Carlinhos como era conhecido pelos amigos mais antigos) nos recebeu com um sorriso franco aos 73 anos de idade. Dentre outras ocupações que teve no bairro foi Presidente da Sociedade Amigos do Tatuapé, fundada em 1963, e trabalhou por uma Administração Regional, colhendo mais de 30 mil assinaturas. “Vamos conseguir essa Regional. Não só a Regional, mas outros trabalhos que a Sociedade Amigos do Tatuapé vem fazendo. Não importa quem faça, o que interessa é que o Tatuapé, um bairro grande, gigante, precisa de uma Regional”, disse Carlos Sá à nossa reportagem naquele dia. Infelizmente seu sonho não se realizou, não por falta de trabalho ou vontade, mas por interesses políticos dos mais sinistros, deixando de lado essa reivindicação do bairro, que hoje depende de outras Subprefeituras (nome que substituiu as antigas Administrações Regionais).     FALANDO SOBRE O BAIRRO Carlos Sá, que participou do primeiro trabalho detalhado sobre a história do bairro, com o apoio da Sociedade Amigos do Tatuapé e impressão pela IMESP (Imprensa Oficial do Estado de São Paulo) em 1987, conhecia bem o Tatuapé que hoje seria quase impossível imaginar. Ainda em 1997, o ancião nos contava: “Aqui no fim da Rua Ulisses Cruz, havia um estaleiro, onde eram construídos barcos e batelões. Estes eram para o carregamento de areia, pedregulhos e tijolos. Um dos que fabricavam esses barcos era o senhor Lavínio Frasse. Dois filhos dele aindo estão vivos. Um é o Dante e outro é o Mário, que passeia aqui no Piqueri. O Mario está com 80 anos mais ou menos. Um dos barqueiros que também faziam essas travessias era João caiado, que está com 93 ou 94 anos, e também passeia aqui no Piqueri. Eles faziam os batelões para o transporte de tijolos e areia, para construir São Paulo”....

Leia mais