Pazzuelo admite possibilidade para vacinação ainda em dezembro


Quinta-feira | 10 de dezembro, 2020 | 16h08


Ministro da Saúde afirma que se isso ocorrer, a vacinação será para grupos restritos, onde cada indivíduo terá de autorizar a aplicação e se responsabilizar por possíveis efeitos colaterais.

Gerson Soares

Com a movimentação mundial causada pela viabilidade das principais pesquisas de vacinas contra a COVID-19, sendo que algumas já estão sendo aplicadas em populações da Rússia e Inglaterra, por exemplo, o Ministério da Saúde (MS) do Brasil está tomando providências e acompanhando essa evolução de perto, segundo a pasta.

 

O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, durante declaração no Palácio do Planalto na terça-feira (8), a respeito dasvacinas contra a Covid-19. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

O MS divulgou ontem (9), o Plano de imunização contra a Covid-19 que segue para revisão técnica e em seguida para o STF (Supremo Tribunal Federal). De acordo com o documento existe a possibilidade de o país adotar a vacinação em caráter emergencial até o final de dezembro.

As vacinas de Oxford/AstraZeneca e Pfizer são as principais adesões até agora. Sobre a possibilidade de a vacinação começar ainda em dezembro no país, com a vacina da Pfizer, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, respondeu à Jovem Pan na manhã desta quinta-feira (10). “A realidade é que nós não temos ainda vacinas registradas no mundo. O que nós temos são situações emergenciais como as que estão sendo conduzidas na Inglaterra e que foi autorizado o uso da vacina Pfizer nos EUA”.

Segundo o ministro, a vacina da Pfizer é a mais avançada com a conclusão da fase III e o Brasil já tem negociações em andamento com a empresa. Isso irá garantir a aquisição de 70 milhões de doses para uso emergencial. Ele explicou que nesse tipo de ação as pessoas que desejarem receber a vacina terão de autorizar e “praticamente se responsabilizando com tudo que possa acontecer com elas”, alertou.

Pazuello admitiu que caso a aplicação viesse a ocorrer emergencialmente no final de dezembro ou início de janeiro “será para grupos restritos e com objetivos muito claros”, disse. “É possível que tenhamos o registro da vacina Pfizer pelo FDA nos EUA e isso pode acelerar o registro pela ANVISA no Brasil”, concluiu.

O FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos exerce um papel parecido com o da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) brasileira.


Com informações do Jornal da Manhã / Rádio Jovem Pan

Colocando o Brasil nos trilhos do progresso. Foto: divulgação / MInfra

Leia mais sobre
ALÔ BRASIL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Presépio e a magia da natividade
Exoesqueleto robótico para reabilitação humana
Covid-19: filme de PVC para alimentos inativa o SARS-CoV-2
Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo
3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo
Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo
Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro
  • Presépio e a magia da natividade

  • Exoesqueleto robótico para reabilitação humana

  • Covid-19: filme de PVC para alimentos inativa o SARS-CoV-2

  • Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo

  • 3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo

  • Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio

  • Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo

  • Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro

Categorias

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Share This