Levantamento inédito revela distritos de São Paulo com combustíveis mais baratos e mais caros em abril. No período, os bairros com combustíveis mais caros foram Morumbi, Consolação, Jardim Paulista, Itaim e Mooca. Veja quais foram os baratos mais e outros dados interessantes.


Em iniciativa inédita, o Panorama Veloe de Indicadores de Mobilidade – fruto da parceria da Veloe com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) – passa a divulgar mensalmente indicadores de preços dos combustíveis dentro das cidades monitoradas. Na primeira análise, foram mapeados os distritos de São Paulo (SP) com maiores e menores diferenças de preço da gasolina comum, etanol hidratado e diesel s-10 em relação aos valores médios cobrados no município.

O levantamento de abril de 2024 empregou informações amostrais dos preços de três combustíveis (gasolina comum, etanol hidratado e diesel S-10) ao longo dos últimos três meses. Os resultados apresentados revelam, para cada distrito e combustível o desvio (variação média) do preço médio cobrado em relação ao preço médio do município.

Fatores relevantes

Diversos fatores contribuem para a variabilidade existente nos preços cobrados pelo mesmo combustível entre postos do mesmo município, incluindo: (I) custo de aquisição, capacidade de armazenamento e margem de lucro; (II) características do mercado local, como nível e concentração de atividade econômica, população residente, renda média, perfil e hábitos do consumidor; (III) preços e impostos dos imóveis e terrenos; (IV) localização, proximidade e concorrência com outros estabelecimentos; (V) estratégias de comercialização e marketing, como bandeiras, franquias, descontos, programas de fidelidade, receitas de lojas de conveniência e de serviços acessórios; (VI) custos logísticos e operacionais (por exemplo, com pessoal e manutenção); (VII) investimento em tecnologia; entre outros.

Ao longo do tempo, as divergências existentes entre os preços cobrados podem aumentar ou diminuir em razão do comportamento dos postos locais diante de variações nos custos e custos de aquisição, diferenças nas políticas de armazenagem, de comercialização e reajustes de preço, entre outros.

Gasolina comum

Em abril de 2024, o preço médio cobrado nos postos da capital paulista para abastecimento com gasolina comum foi de R$ 5,90 por litro – valor que representou um incremento de 0,4% em relação a março e uma alta acumulada de 10,3% nos últimos 12 meses.

Com base no último levantamento (abril/2024), a diferença dos preços entre os distritos com maior e menor desvio médio foi de 15,9%, o equivalente a R$ 0,87 por litro ou R$ 48 para encher um tanque de 55 litros.

Os cinco distritos com preços relativamente mais elevados, em relação à média do município, foram: Morumbi (+7,9%); Consolação (+4,5%); Jardim Paulista (+4,5%); Itaim (+4,4%); e Mooca (+4,2%). Já os cinco distritos que apresentaram preços relativamente mais baixos na comparação com a média municipal, foram: Cidade Líder (-6,9%); Cangaíba (-6,4%); Ponte Rasa (-5,6%), José Bonifácio (-5,4%) e Vila Jacuí (-4,9%).

Etanol

O preço médio do etanol hidratado nos postos de São Paulo (SP) registrou alta de 5,4% em abril, para R$ 3,79 por litro. Por outro lado, o preço médio do biocombustível no último mês ainda estava 2,7% abaixo de abril de 2023 (últimos 12 meses).

Conforme informações do último levantamento (abril/2024), a diferença dos preços entre os distritos com maior e menor desvio foi de 25,5%, o que corresponde a R$ 0,89 por litro ou R$ 49,1 para encher um tanque de 55 litros.

Os cinco distritos com preços relativamente mais elevados, em relação à média do município, foram: Alto de Pinheiros (+15,8%); Liberdade (+12,8%); Morumbi (+9,4%); Vila Formosa (+8,5%) e Itaim Bibi (+6,8%). Comparativamente, os cinco distritos com preços relativamente mais baixos em relação à média municipal foram: República (-7,7%); Cursino (-6,9%); Ponte Rasa (-6,4%), Cidade Líder (-6,4%) e Cangaíba (-5,8%).

Diesel S-10

No mês de referência, o preço médio do diesel S-10 na capital foi de R$ 6,04 por litro. O valor registrou discreta queda no comparativo mensal (-0,1%), em contraste à sua valorização acumulada de 4,8% nos últimos 12 meses.

A partir de dados do último levantamento (abril/2024), a diferença dos preços entre os distritos com maior e menor desvio foi de 28,5%, o que corresponde a R$ 1,50 por litro ou uma diferença de R$ 224,4 para cada 150 litros de abastecimento.

Os cinco distritos com preços relativamente mais elevados, em relação à média do município, foram: Jardim Ângela (+12,2%); Pedreira (+12,1%); Mooca (+10,7%); Vila Prudente (+10,6%) e Cambuci (+9,6%). Em contraste, os cinco distritos com preços relativamente mais baixos em relação à média municipal envolveram: Pari (-12,7%), Cursino (-8,1%); Jaguara (-7,8%), Belém (-7,6%) e José Bonifácio (-7,3%).


Fontes: FIPE / VELOE


Destaque – Imagem: aloart


Publicação:
Terça-feira | 28 de maio, 2024


Leia outras matérias desta editoria

Festival Interlagos Suhai Motos movimenta 450 milhões de negócios em 4 dias

Megavento, realizado em quatro dias na capital paulista, reuniu as maiores e principais marcas e montadoras de motos do País e ofereceu 12.590 test rides nas pistas de Interlagos. A 6ª edição do Festival Interlagos | Suhai Motos 2024, realizada de 6 a 9 de...

Inédito: Bairros de São Paulo com combustíveis mais caros e mais baratos – fique de olho

Levantamento inédito revela distritos de São Paulo com combustíveis mais baratos e mais caros em abril. No período, os bairros com combustíveis mais caros foram Morumbi, Consolação, Jardim Paulista, Itaim e Mooca. Veja quais foram os baratos mais e outros...

A observação da Terra vai gerar valor em bilhões de dólares ainda nesta década, aponta estudo

Quarta Revolução Industrial – A observação da Terra é a oportunidade de um trilhão de dólares. :: Mais de mil satélites que orbitam o planeta coletam constantemente dados de observação da Terra. :: O potencial valor acrescentado acumulado dos dados da...

Conheça as seis indústrias que receberão valores econômicos e climáticos significativos até 2030

Quarta Revolução Industrial – As seis principais indústrias da observação da Terra. :: Essas indústrias-chave são responsáveis por 94% desse valor gerado. As aplicações em seis indústrias principais que são responsáveis por 94% do valor total da observação...

Confiança do Consumidor sobe pelo segundo mês consecutivo, veja por quê

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do FGV IBRE subiu 1,9 ponto em abril, para 93,2 pontos, retornando ao nível de dezembro de 2023 (93,2 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice avança em 0,8 ponto, para 91,4 pontos, após seis quedas...

Com primeiro trimestre positivo, confiança da indústria segue avançando – análise

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) do FGV IBRE subiu 0,3 ponto em abril, para 96,8 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice recuou 0,2 ponto, para 96,9 pontos. “Após um primeiro trimestre positivo, a confiança da indústria segue avançando, mas...

Índice de Confiança da Construção (ICST) cai 1,4 ponto em abril, indica FGV IBRE

O Índice de Confiança da Construção (ICST) do FGV IBRE caiu 1,4 ponto em abril, a segunda queda seguida, e atingiu 95,2 pontos. Na média móvel trimestral, o índice variou -0,2 ponto. “Nos últimos meses, diferentes forças afetaram negativamente a evolução...