Usina Salto Grande, no Rio Paranapanema, completa 60 anos


Sexta-feira, 1º de junho de 2018 às 18h43


Fundação Energia e Saneamento de São Paulo

Nesta quinta-feira, 31 de maio, a Usina Salto Grande, hidrelétrica mais antiga em funcionamento no Rio Paranapanema, completou 60 anos. Localizada na divisa dos Estados de São Paulo e do Paraná, entre as cidades Salto Grande (SP) e Cambará (PR), a usina é operada pela CTG Brasil. De forma a celebrar a data, a hidrelétrica passa a contar com uma exposição, produzida pela Fundação Energia e Saneamento, que apresenta a história de sua construção, seus trabalhadores e a relação da usina com o Rio Paranapanema.

 

Vista aérea da Usina Hidrelétrica Salto Grande, no Rio Paranapanema. Década de 1960. Foto: acervo FES

 

Operador no painel de comando de Salto Grande, nos anos 1960. Hoje, os processos são automatizados e gerenciáveis por meio de computadores. Uma central na Usina Chavantes também tem a capacidade de comandar Salto Grande remotamente. Foto: acervo FES

Salto Grande foi a primeira hidrelétrica projetada pelo poder público de São Paulo, nos anos 1950, e abriu caminho para a implantação de outras geradoras no rio. A construção da usina marcou o fortalecimento, no Brasil, da presença direta do Estado e da União no setor energético. Com o crescimento das cidades e da industrialização, o governo passou a investir na construção de usinas hidrelétricas, de forma a atender à crescente demanda por eletricidade. À época, a usina tornou-se a segunda maior do Estado e atendia a 89 municípios de São Paulo e Paraná.

A região do “Salto Grande” do Paranapanema tornou-se mais conhecida por meio das expedições da Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo, no final do século 19. Na foto, um membro da CGG no Salto Grande. Foto: acervo Instituto Geológico/SMA

Para a produção da exposição, foi consultada vasta documentação conservada no acervo da Fundação, que inclui plantas, relatórios, arquivos, livros e fotografias. A preservação do material textual sobre Salto Grande, assim como de outras usinas projetadas pelo poder público estadual nos anos 1950 e 1960, está sendo viabilizada por meio do projeto “Digitalização e difusão de documentação textual do Fundo CESP – Acervo Fundação Energia e Saneamento - PROAC”.

Vista de São Paulo registrada da torre da estação da Luz, 1913. Em primeiro plano, o Jardim da Luz. Foto: Acervo Fundação Energia e Saneamento

Leia mais sobre
HISTÓRIA DE SÃO PAULO

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo
3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo
Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo
Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro
Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo
Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro
Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo
  • Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo

  • 3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo

  • Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio

  • Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo

  • Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro

  • Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo

  • Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro

  • Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo

Categorias

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Share This