A greve geral dos contra tudo foi um fiasco


Sábado | 15 de junho, 2019 | 19h50 | atualizado domingo, 16 para correção (ver no final do artigo)


POLÍTICA

A fracassada greve geral orquestrada pela oposição ao governo não repercute a dimensão esperada. O que conseguiram foi promover uma arruaça e prejudicar ainda mais aqueles que dizem defender: os que realmente trabalham para sustentar suas famílias.

Gerson Soares

Esta foi uma greve que só serviu para azucrinar a vida das pessoas que realmente trabalham, produzem com seu esforço e querem um país melhor para viver. Solitários grupos de pelegos e pneus incendiados nas principais avenidas e rodovias de cidades como São Paulo, foram avaliados em 45 milhões por sindicalistas da CUT (Central Única dos Trabalhadores). O braço sindical do PT atribuiu esse número ao total de trabalhadores que aderiram à paralisação. Ninguém acredita.

Há controvérsias, falta-se com a verdade.

 

Greve orquestrada resulta em fiasco e arruaça, prejudicando os trabalhadores nas principais capitais do país. Ilustração: Greve Geral Fiasco / aloart

 

O resultado real é que ficou claramente demonstrada a intenção da oposição em atrapalhar ao máximo o andamento da pauta governamental, mas que atrapalha mesmo é a vida de quem não tem tempo para ficar parado. A greve dos contra tudo não atingiu apenas os trabalhadores que realmente trabalham e os cofres brasileiros, mais uma vez. Mostrou que a maioria da população está cansada dela, a oposição, e suas desastrosas façanhas – agora alçadas por uma parte da imprensa aderente às suas ideologias em proveito sabe-se lá de quem, mas que antes a execrava.

Vai entender!

Com relação a essa greve e o seu motivo, ou seja, a alegada contrariedade do partido que lidera o movimento oposicionista, o PT, à reforma da Previdência e outras metas governamentais, são muitos pontos negativos e pelo menos um positivo que aparecem. Quanto aos negativos, podemos nos concentrar em apenas dois neste momento.

O primeiro é que os partidos que hoje se opõe ao governo praticamente estiveram no poder durante as últimas duas décadas, para nos restringirmos a esse tempo. E o que fizeram? Fernando Henrique Cardoso tem o mérito de colocar um freio na inflação galopante. Lula distribuiu renda através de programas sociais como o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida. Por outro lado...

Um abismo que se aprofunda entre a velha política e a atualidade.

No entanto, principalmente os últimos 13 anos de governo foram desastrosos para a economia e a Previdência continuou em declínio no que tange à sua liquidez. Segundo levantamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento), os governos petistas, nesse período, enviaram quase 1 trilhão de reais para Cuba, Angola, Venezuela, Argentina. Praticamente a fundo perdido, pois não se sabe se aqueles países irão pagar a dívida. Bolsonaro, em sua live desta quinta-feira (13) direto de Belém-PA, convidou qualquer um que esteja disposto a receber essas dívidas para fazê-lo.

Esse é o valor que o atual governo quer economizar em 10 anos com medidas que cortam principalmente os privilégios do funcionalismo público defendido pelo PT e iguala a todos em patamares mais justos, mas encontra nessa liderança, que tem a convergência de partidos do chamado Centrão, ferrenha resistência nas comissões da Câmara que tratam do assunto, agora materializada nessa greve estapafúrdia, refletindo sua atuação diante das reais necessidades daqueles que diz representar e o aprofundamento do abismo que existe entre sua deturpada consciência e os verdadeiros anseios populares.

Um saldo social com mais de 13 milhões desempregados.

O segundo ponto negativo deixado pelos maestros dessa greve geral do dia 14 de junho – que na teoria foi a favor dos direitos dos trabalhadores brasileiros –, é o saldo administrativo de quem teve o controle total da economia nas mãos durante anos a fio, ou seja, os partidos que hoje fazem oposição e seus líderes congressistas que estão descontentes com o fim das barganhas – indicações para ministérios, cargos do primeiro e segundo escalões, etc., etc.

Esse saldo se traduz na decadência da indústria e do comércio, no declínio da qualidade do ensino, no péssimo aproveitamento da mão de obra e a qualificação dos jovens, na falta de desenvolvimento da infraestrutura, insegurança, falta de remédios, atendimento à saúde mais do que precário e poderia citar outros tantos setores prejudicados pela crescente corrupção e mau uso do dinheiro público. O exemplo de governo apoiado publicamente pelo PT e suas consequências pode ser visto na Venezuela – um país rico levado ao caos – ou na Argentina que agoniza – nação que já foi protagonista na América do Sul.

A greve foi um fiasco.

A liderança dessa oposição e seu braço sindical – entenda-se PT e CUT – deixaram ao atual governo uma dívida social sem precedentes na história do Brasil, algo que dizem defender a todo custo. Essa divida social esta traduzida diretamente nos 13 milhões de desempregados que povoam as mesmas capitais onde grevistas afirmaram que ali estavam nesta sexta-feira a lutar pela sociedade e por suas causas mais importantes. Para eles a proposta de reforma da Previdência vai prejudicar os mais pobres e os trabalhadores, pelos quais trabalham incessantemente.

Quanto antagonismo ao que afirmam.

O resultado positivo dessa greve geral é que ficou demonstrado o apoio maciço da população às metas e atos governamentais até agora. Quanto às ações da oposição, a impressão que fica é que só querem mesmo manter seus privilégios e mentiras. Que os opositores são contra o progresso do país num cenário liberal que os deixe a mercê das leis que regem a liberdade com responsabilidade. Que defendem a corrupção – escancarada pela Operação Lava Jato sob a batuta do hoje ministro Sérgio Moro outro alvo constante dos líderes oposicionistas. Que desejam a continuidade dos favorecimentos políticos de que tanto se aproveitaram, para viverem em um mundo distante onde só há belezas e mordomias. Que só aprovam as medidas que lhes interessam no Congresso Nacional mediante a submissão de líderes fracos e já atolados nos antigos esquemas da velha política. O resultado disso é vergonhoso e todos já conhecem: estagnação, insegurança econômica e outras tantas mazelas que travam o Brasil.

Se os interesses dessa oposição capitaneada pelo PT estão demonstrados nos resultados conhecidos, claramente eles na verdade trabalham contra o País. Um bando que se aparelhou para atravancar, são contra tudo e contra todos os brasileiros e isso tem que mudar.

 


Correção do valor enviado ao exterior pelo PT

De acordo com declaração do presidente Bolsonaro, em café da manhã com jornalistas no dia 14 de junho, a quantia enviada pelo PT ao exterior e emprestada a amigos foi de pouco mais de 400 bilhões e não quase 1 trilhão como foi escrito neste artigo. Portanto, onde se lê que o atual governo quer economizar esse valor com a reforma da Previdência, entenda-se que se trata de quase metade do valor.

Tapa na cara dos brasileiros. Ilustração: aloart

Leia mais sobre
OPINIÃO

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo
Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar
Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime
  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

  • Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo

  • Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar

  • Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*