Novidade para tratamento de diabetes


Domingo | 11 de agosto, 2019 | 13h45


Milhares de pessoas convivem com a diabetes no Brasil. Uma doença silenciosa e que, se não for tratada, pode acarretar consequências severas. São cerca de 13 milhões de brasileiros, número correspondente a 7% da população. Segundo o Ministério da Saúde, entre 2006 e 2016, os casos de diabetes aumentaram 61,8% no país e a tendência de crescimento não agrada os especialistas.

 

Especialista faz um alerta: a nova medicação tem limitações. Foto: divulgação / AN

 

Nesse contexto, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou a comercialização da primeira insulina inalável do país. A resolução, que permite o registro do novo produto, foi aprovada no dia 30 de maio e publicada no dia 3 de junho no Diário Oficial da União.

É uma aposta visando beneficiar quem apesenta o quadro de diabetes. Comercializada em pó, a insulina será vendida em cartuchos com três espécies de dosagens distintas, para o tratamento do tipo 1 e 2 da doença, e administrada por inalação após as refeições.

O endocrinologista Carlos Eduardo Barra Couri explica que “a utilização será feita por meio de um inalador, parecido com um apito. Porém, nele é encaixado um cartucho para que o pó seja aspirado”, pontua.

Essa nova maneira de tratamento é um grande passo para a medicina. Por ser uma tecnologia avançada, a ação da substância é considerada ultrarrápida. De acordo com Couri, a insulina é absorvida rapidamente pela corrente sanguínea, onde é responsável por diminuir os níveis de açúcar no sangue. O estudo revelou que ela começa a agir em dez minutos, com uma duração de duas a três horas.

Segundo o especialista, representa uma alternativa para os diabéticos. Atualmente, todas as insulinas disponíveis no mercado são injetáveis. Portanto, além de um ganho na qualidade de vida dos pacientes, é capaz de reduzir o número das injeções.

Entretanto, Couri faz um alerta: a nova medicação tem limitações. Ela não consegue substituir todas as aplicações diárias necessárias para paciente nessas circunstâncias. A insulina inalável possui ação rápida, sendo assim, deverá ser utilizada em situações como antes de cada refeição, quando o corpo necessita de uma quantidade maior da substância para compensar o açúcar consumido.

O endocrinologista ainda afirma que pacientes com problemas pulmonares como asma, fumantes, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e fibrose pulmonar, não podem utilizar essa forma de insulina. O uso também não é recomendado para menores de 18 anos, por testes nessa faixa etária não terem sido realizados.

Leia mais sobre
MEDICINA&SAÚDE

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil
Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo
Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo
Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
  • Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil

  • Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo

  • Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo

  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*