Pesquisa APM: Os percalços do médico da linha de frente contra a COVID-19


Segunda-feira | 27 de abril, 2020 | 13h15


CORONAVÍRUS


Levantamento da Associação Paulista de Medicina registra como está o acesso aos EPIs, as dificuldades para o adequado exercício profissional e os problemas enfrentados em hospitais e unidades de saúde

Problemas como a falta de álcool em gel, de aventais, luvas, máscaras cirúrgicas, óculos e outros equipamentos básicos são apontados pelos médicos brasileiros da linha de frente do combate à COVID-19, conforme atesta pesquisa realizada pela Associação Paulista de Medicina (APM), de 9 a 17 de abril. A amostragem tem a participação de 2.312 profissionais de todo o País, que responderam espontaneamente questionário estruturado on-line, via plataforma Survey Monkey.

 

Foto: BBustos Fotografia

 

Os números, assim como a realidade, são impactantes. Mesmo lidando com situações perigosas à saúde diariamente, 90,5% desses médicos não se submeteram a qualquer teste para detectar a COVID-19 até o momento. Isso com o agravante de que 34,8% dos pesquisados pertencem ao grupo de risco, sofrendo de males como insuficiência renal, doença cardiovascular, obesidade, doença respiratória, hipertensão e/ou diabetes.

A falta de testagem entre os profissionais de Medicina pode ser uma evidência de que realmente há carências importantes para um atendimento seguro e para uma prestação de assistência adequada. Tanto é que somente 14% dizem que os locais em que atendem têm testes suficientes para todos os pacientes com sintomas de COVID-19.

A conjunção de carências e dificuldades explica o clima que parece reinar atualmente nos hospitais. A percepção de 86,6% dos médicos consultados pela Associação Paulista de Medicina é a de que seus colegas estão apreensivos, deprimidos, pessimistas, insatisfeitos e revoltados. Só 13,4% registram sentir tranquilidade ou otimismo.

Conjunturalmente, o enfrentamento é com um inimigo novo, desconhecido e que ainda não mostrou todas as suas armas. Isso talvez explique o motivo de apenas 15,5% registrarem que estão capacitados para atender casos suspeitos e confirmados de COVID-19 em qualquer fase da doença, inclusive quando graves, sob tratamento intensivo.

Quando do levantamento da APM, de 9 a 17 de abril, 65% trabalhavam em hospitais e prontos-socorros que recebem pacientes com COVID-19; enquanto 59% haviam atendido alguém desse grupo. Já 34% afirmaram haver assistido pessoas com confirmação da doença. E 13% relatam que acompanharam enfermo que veio a falecer.

Os médicos da linha de frente que responderam à pesquisa relatam que não há área dedicada especialmente a pacientes com COVID-19 em 30% de seus locais de ação.

A pandemia, com a consequente exposição ao contato com pacientes acometidos de COVID-19, vem mudando a rotina pessoal e profissional dos médicos do Brasil. O levantamento da APM mostra que 18,5% estão afastados de familiares, para não os expor a riscos. Na prática diária, 51% apontam usar a Telemedicina, fazendo teleconsulta, teleorientação, telemonitoramento etc.

A pesquisa da APM foi realizada na gestão de Luiz Henrique Mandetta no Ministério da Saúde. A avaliação do ex-titular da pasta entre os participantes tem 72% de ótimo e bom.

Vale destaque também que 61,8% dos médicos se opõem à Medida Provisória 934/2020, que possibilita, neste ano, a abreviação do curso para os alunos de Medicina que já tenham cumprido ao menos 75% da carga horária do internato.

Sobre isolamento, há opiniões distintas, mas apenas 0,2% são contrários a qualquer tipo.

Por fim, a pesquisa não mostra uma luz estável no fim do túnel. 74,5% acham também que faltarão médicos para o combate à COVID-19 e assistência aos brasileiros.


Fonte: APM

Leia mais sobre
MEDICINA&SAÚDE

Leia as últimas publicações

Recent Videos

3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo
Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo
Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro
Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo
Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro
Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo
Governo faz a atualização desta terça-feira, 31 de março – assista ao vivo
  • 3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo

  • Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio

  • Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo

  • Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro

  • Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo

  • Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro

  • Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo

  • Governo faz a atualização desta terça-feira, 31 de março – assista ao vivo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*