Boa notícia: Brasil é o primeiro país fora do UK a testar vacina contra coronavírus


Quinta-feira | 4 de junho, 2020 | 16h44


A partir de um vetor modificado de vacina para adenovírus de chimpanzé – incapaz de causar doenças em humanos – e do sequenciamento genético do SARS-CoV-2, uma equipe da Universidade de Oxford, no Reino Unido (United Kingdom-UK), começou a trabalhar na concepção de uma vacina no início deste ano, mais exatamente no dia 10 de janeiro.

Gerson Soares

Na terça-feira (2), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANVISA) aprovou a inclusão de 2.000 brasileiros que serão testados com a vacina contra a COVID-19 que acaba de ingressar na Fase III, criada por essa equipe. Portanto, o Brasil será o primeiro país fora do Reino Unido a participar dos ensaios clínicos conduzidos pela Universidade de Oxford que tem o apoio do laboratório AstraZeneca. Esta é uma boa notícia e pode acelerar a imunização contra o coronavírus no País.

 

Dois mil brasileiros estão entre os primeiros a testarem a mais promissora vacina contra o coronavírus até agora. Foto: divulgação / University of Oxford

 

Nesta quarta-feira, em matéria divulgada pela University of Oxford, o professor Andrew Pollard, pesquisador chefe do Oxford Vaccine Group da mesma universidade, afirmou que “pesquisadores e cientistas de todo o mundo colaboram na urgência do desenvolvimento clínico para combater a ameaça global à saúde humana que é o coronavírus”. O Brasil é uma prioridade para o estudo devido à curva ascendente da COVID-19. “Estamos muito satisfeitos por trabalhar com a talentosa equipe de pesquisadores brasileiros no teste da vacina,” disse o cientista.

“A universidade está avançando rapidamente em sua resposta contínua para enfrentar os desafios sem precedentes da COVID-19 e está trabalhando com a AstraZeneca a fim de definir os próximos passos para o amplo fornecimento e acessibilidade da vacina ao redor do mundo de maneira equitativa. O acordo inclui o compromisso de disponibilizar a vacina sem fins lucrativos durante a pandemia. Para conseguir isso, a Universidade de Oxford e a AstraZeneca estão colaborando com vários países e organizações multilaterais, incluindo o Brasil, para atender às necessidades locais,” divulgou a Oxford na Inglaterra.

 

Infográfico (em inglês) mostra como a equipe de cientistas do Oxford Vaccine Centre desenvolveram e chegaram à vacina COVID-19 que entra na FASE III de testes. Imagem: divulgação / University of Oxford

 

Vacina COVID-19

O estranho nome ChAdOx1 nCoV-19, foi atribuído à vacina por ser produzida a partir de um vírus (ChAdOx1), que é uma versão enfraquecida de outro vírus do resfriado comum (adenovírus), causador de infecções em chimpanzés que foi geneticamente modificado para impedir o seu desenvolvimento em seres humanos. Leia sobre as primeira e segunda fases em “Universidade de Oxford começa testar vacina contra o coronavírus em humanos, vídeo”.

O teste de vacinas COVID-19 do Oxford Vaccine Centre está sendo conduzido pelo Jenner Institute e pelo Oxford Vaccine Group. A equipe que começou a trabalhar no desenvolvimento de uma vacina para prevenir a COVID-19 é liderada pelas professoras Sarah Gilbert, Andrew Pollard, Teresa Lambe, Sandy Douglas e Adrian Hill.

Destacando-se como a mais promissora entre as demais pesquisas em curso, a vacina ChAdOx1 nCoV-19, começou a ser desenvolvida pelos cientistas ingleses no dia 10 de janeiro de 2020, de acordo com a Oxford. Até o momento, a AstraZeneca – que está cadastrando 30.000 voluntários norte-americanos – celebrou acordos para pelo menos 400 milhões de doses e garantiu capacidade total de fabricação de 1 bilhão de doses da vacina, caso se confirme sua eficácia.

 


Sobre o coronavírus

O SARS-CoV-2 (novo coronavírus) foi detectado pela primeira vez na cidade de Wuhan na China em dezembro de 2019, depois que um grupo de pacientes com pneumonia de causa desconhecida foi relatado à Organização Mundial da Saúde (OMS). O surto foi declarado uma emergência de saúde pública de interesse internacional em 30 de janeiro de 2020 e a doença causada pela SARS-CoV-2 foi oficialmente denominada COVID-19 em 11 de fevereiro de 2020. Em 11 de março, após avaliar o surto e a transmissão do vírus em muitos outros países, a OMS declarou a COVID-19 uma pandemia.

Imagem: aloart

Leia mais sobre
CORONAVÍRUS: RESPOSTAS DE VALOR

Leia mais sobre
CORONAVÍRUS

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo
3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo
Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo
Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro
Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo
Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro
Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo
  • Pandemia não impede obras de infraestrutura no Brasil, vídeo

  • 3º Drive Thru Solidário acontece sábado (16) na Rua Emília Marengo

  • Governador João Doria confirma quarentena até 31 de maio

  • Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre saída de Sérgio Moro de seu governo

  • Coletiva de imprensa convocada por Sérgio Moro

  • Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo

  • Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro

  • Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Share This