Entenda o transplante de medula óssea e seus mitos


Sexta-feira, 16 de setembro de 2016, às 12h12


O Dia Nacional do Doador de Medula Óssea é celebrado em 17 de setembro. Atualmente, o Brasil está em 3° lugar em número de cadastros no mundo no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). Uma série de mitos ronda o transplante de medula óssea, no entanto, o procedimento é mais simples do que aparenta: trata-se de uma transfusão de sangue que pode salvar muitas crianças na fila de espera.

De acordo com a dra. Adriana Seber, membro do Departamento de Hematologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), as chances de compatibilidade aumentam entre doadores como irmãos, pais ou haploidênticos (com 50% de compatibilidade). A possibilidade de encontrar semelhança em pessoas fora da família é mais rara - segundo dados da Associação de Medula Óssea (Ameo), seria algo em torno de um doador compatível a cada 100 mil.

 

O tratamento é indicado em casos de Leucemia, doenças que afetam a produção sanguínea ou que podem não produzir plaquetas. A imagem mostra um transplante de medula óssea sendo realizado. Foto: por beat_ranger (Private taken picture) via Wikimedia Commons

O tratamento é indicado em casos de Leucemia, doenças que afetam a produção sanguínea ou que podem não produzir plaquetas. A imagem mostra um transplante de medula óssea sendo realizado. Foto: por beat_ranger (Private taken picture) via Wikimedia Commons

 

“Existe um número muito grande de famílias cujos parentes necessitam de transplante e iniciam campanhas na mídia em busca de doador, pedindo que as pessoas se cadastrem. A impressão é de que quanto mais doar, mais chances de encontrar alguém compatível terão. Contudo, isso não é verdade, pois nosso tipo de medula HLA (histocompatibilidade) é muito misturado e depende da herança genética. Ou seja, cada tipo resulta em misturas muito singulares”, esclarece a dra. Adriana.

De acordo com a especialista, assim como o Departamento de Hematologia da SPSP, já existe um forte trabalho realizado de forma consciente, não apenas no Brasil, como no mundo, o que dispensa a necessidade desse tipo de ação individual.

“Não há sentido em campanhas individuais, uma vez que o gasto é muito alto. Já existem 29 milhões de doadores cadastrados no REDOME e cada registro tem um custo mínimo de US$ 100 dólares para o governo. Além de oneroso, as chances de localizar alguém compatível permanecem as mesmas“, frisa.

Há, ainda, a dificuldade em localizá-los. Existe uma campanha de fidelização para alertar os doadores já registrados a atualizarem seus dados, pois muitos se perdem quando mudam de endereço ou contatos.

“O Departamento de Hematologia considera imprescindível que não se faça campanhas, porque além de não ajudar a criança, acarreta em gastos que deixam de ser investidos na saúde. É preciso alertar as pessoas sobre a necessidade de atualização dos registros existentes, pois, este sim, é o maior problema que enfrentamos para localizar um doador”, conclui.

Sobre o transplante

O tratamento é indicado em casos de Leucemia, doenças que afetam a produção sanguínea ou que podem não produzir plaquetas, como anemias, imunodeficiências, aplasia, entre outras deficiências hematológicas hereditárias.

Existem dois tipos: os autólogos e os halogênios. No primeiro caso, a medula transplantada é do próprio paciente, enquanto na outra forma advém de um doador. A eficácia destes procedimentos depende do tipo de doença, seu estágio e às condições do paciente. Os autólogos, por exemplo, são mais recomendados em casos de doenças menos avançadas, cujas chances de recorrência são menores, como os linfomas.

Foto: Divulgação / ABN

Conheça a distonia e seus sintomas. Foto: Divulgação / ABN

Leia mais sobre
MEDICINA

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo
Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro
Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo
Governo faz a atualização desta terça-feira, 31 de março – assista ao vivo
Ministros de Estado falam sobre o coronavírus, assista ao vivo
Ministro Mandetta está ao vivo com atualizações sobre o coronavírus
Coronavírus: Ministério da Saúde atualiza os dados nesta sexta-feira (27), ao vivo
Governo de SP sobre o coronavírus direto do Estádio do Pacaembu, ao vivo
  • Conferência interministerial do governo Bolsonaro, assista ao vivo

  • Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro

  • Atualizações interministeriais do Governo Federal contra a COVID-19, ao vivo

  • Governo faz a atualização desta terça-feira, 31 de março – assista ao vivo

  • Ministros de Estado falam sobre o coronavírus, assista ao vivo

  • Ministro Mandetta está ao vivo com atualizações sobre o coronavírus

  • Coronavírus: Ministério da Saúde atualiza os dados nesta sexta-feira (27), ao vivo

  • Governo de SP sobre o coronavírus direto do Estádio do Pacaembu, ao vivo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*