Em conclusão, o estudo publicado no dia 7 de maio, fornece dados que associam a exposição às consequências que irão influenciar na saúde humana e contribui para o conhecimento de autoridades públicas interligadas ao tema. Apesar de ter sido realizado no Reino Unido, pode incentivar pesquisas devido às inundações no Rio Grande do Sul, no Brasil.


As inundações são o tipo mais frequente de desastre relacionado ao clima, representando cerca de 47% de todos os desastres relacionados ao clima de 1995 a 2015. Entre 1995 e 2015, mais de 2,3 mil milhões de pessoas foram afetadas por catástrofes causadas pelas cheias e diretamente mais de 157 mil pessoas morreram em consequência das cheias. Nos últimos anos, muitos eventos intensos de inundações urbanas foram registrados no Reino Unido, resultando em perda de vidas, danos a bens pessoais, infraestrutura de saúde pública e interrupção de serviços vitais, como água, comunicações, energia e transporte público. Aproximadamente 1,9 milhões de pessoas em todo o Reino Unido estão em áreas com risco de inundações, e este número duplicará já na década de 2050.

Danos à saúde

Além das mortes imediatas devido a afogamentos e traumas agudos, as inundações também podem causar impactos de curta duração (dias ou semanas) ou médios na saúde (várias semanas ou meses), incluindo a propagação de doenças transmitidas pela água e por vetores, como cólera, febre tifoide ou malária; ferimentos durante evacuações e limpeza de desastres; e exposição a perigos químicos. As doenças não transmissíveis (por exemplo, doenças cardiovasculares, neoplasias, doenças respiratórias crônicas e diabetes) que necessitam de tratamento e cuidados prolongados podem ser exacerbadas após as cheias devido a uma interrupção nos cuidados, tratamento, medicação, fornecimentos, equipamento e superlotação nos abrigos. Os problemas de saúde mental podem surgir de fatores de stress causados pelas inundações (por exemplo, danos materiais, perdas financeiras, perda de um ente querido) e ter efeitos duradouros na saúde sobre a mortalidade e a morbilidade. Essas consequências para a saúde a longo prazo podem surgir de vários caminhos, incluindo comprometimento do sistema imunológico, distúrbios do sono, abuso de substâncias e autocuidado inadequado.

Resultados

O risco de mortalidade por todas as causas aumentou 6,7% para cada aumento de unidade no índice de inundação após os fatores de confusão terem sido controlados. O risco de mortalidade por doenças neurológicas e mentais foi insignificante no ano corrente, mas foi maior nos anos 3 e 4. Em contrapartida, o risco de mortalidade por suicídio foi o mais forte no ano corrente, e atenuado para o ano 5. Os participantes com níveis mais elevados de educação e renda familiar tiveram um risco estimado mais alto de morte pela maioria das causas, enquanto o risco de mortalidade relacionada ao suicídio foi maior entre os participantes que eram obesos, tinham renda familiar mais baixa, praticavam menos atividade física e eram consumidores não moderados de álcool e aqueles que viviam em áreas mais desfavorecidas.

Conclusões

Em conclusão, este estudo fornece evidências epidemiológicas robustas para associações de exposição prolongada a inundações com aumento do risco de mortalidade. As consequências para a saúde da exposição às inundações podem variar em diferentes períodos após o evento, com diferentes perfis de populações vulneráveis identificados para diferentes causas de morte. Estas descobertas contribuem para uma melhor compreensão dos impactos a longo prazo da exposição às inundações e podem ajudar a melhorar as práticas de saúde pública para reduzir o fardo das doenças associadas às inundações.


Fonte: BMC Medicine
Citação: Wu, Y., Gasevic, D., Wen, B. et al. Floods and cause-specific mortality in the UK: a nested case-control study. BMC Med 22, 188 (2024). https://doi.org/10.1186/s12916-024-03412-0
Artigo completo: https://rdcu.be/dHPOi


Destaque – Em imagem de janeiro de 2021, as chuvas e o derretimento da neve aumentaram o nível do rio Ouse, em York, Inglaterra. Imagem: nudesignyork


Publicação:
Segunda-feira | 13 de maio, 2024


Leia outras matérias desta editoria

Inundações: estudo aponta riscos imediatos, a médio e longo prazos, leia

Em conclusão, o estudo publicado no dia 7 de maio, fornece dados que associam a exposição às consequências que irão influenciar na saúde humana e contribui para o conhecimento de autoridades públicas interligadas ao tema. Apesar de ter sido realizado no...

Qual a relação entre a obesidade e a depressão? Saiba mais

A depressão e a obesidade são duas patologias com impacto na saúde pública, já que ambas são causas conhecidas de incapacidade, a nível mundial. Ocorrem frequentemente em simultâneo e suas prevalências têm aumentado. Por Dra. Inês Caldas A relação entre a...

ABN promove Campanha de Conscientização sobre a Doença de Parkinson, acompanhe

Começa nesta segunda-feira (1º/04) a campanha de conscientização sobre a Doença de Parkinson da Academia Brasileira de Neurologia (ABN). Por meio do Departamento Científico de Transtornos do Movimento, ABN lançará, a partir de 1 de abril, por todo o mês,...

7 em cada 10 brasileiros sofrem riscos iminentes de vida devido a doenças do sono, entenda

O tema foi abordado por especialista da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), órgão que promove o desenvolvimento cientifico da neurologia no país. A medida que o mundo avança em ritmo acelerado, uma necessidade de todos nós passa, por vezes, a ser...

Nanoengenharia – Um passo à frente no reparo de lesões da medula espinhal, conheça

Projeto da UE pode mudar a reparação da medula espinhal lesionada com inovadores ‘andaimes’ (do inglês scaffold) de nanoengenharia estimulados. Usando grafeno, uma matriz extracelular e estimulação elétrica, os pesquisadores criaram uma solução baseada em...

Médicos de família e a saúde dos pacientes, avalie

MFCs detectam mais, solicitam menos exames e encontram seus pacientes com maior frequência, aponta pesquisador. O pesquisador e médico de família Adelson Guaraci Jantsch compartilhou os resultados de sua tese de doutorado em uma entrevista à Sociedade...

Doença de Alzheimer, o que se pode esperar – leia análise especializada

Médico do Hospital das Clínicas analisa esse mal que acomete pessoas ao redor do mundo, sobre o qual cientistas se debruçam em prol de alívio e cura para a enfermidade. “A doença de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa, que eventualmente causa a morte...