Memória: bairro do Tatuapé em três fases


Domingo, 30 de outubro de 2016, às 10h45


Os moradores do Tatuapé e menos ainda do Jardim Anália Franco não imaginariam o crescimento gigantesco pelo qual passariam quando estas imagens foram feitas.

Gerson Soares

Tatuapé, 1959 – A junção destas duas imagens nos permite observar o aspecto, naquela época, da Rua Serra de Juréa e o cruzamento desta com as ruas Emílio Mallet e Cantagalo, onde havia uma propriedade da família Bergamaschi – nesse mesmo quarteirão, atualmente encontra-se instalado um empreendimento de hotelaria, ocupando a antiga área deste terreno.

O bairro do Tatuapé teve o seu desenvolvimento caracterizado por diferentes fases, todavia, três delas merecem especial destaque quando o foco da nossa atenção se volta para a importância da urbanização da cidade.

 

Parte da propriedade dos Bergamaschi  (entre as ruas Cantagalo e Emílio Mallet) localizada ao longo da Rua Serra de Juréa em 1959. Foto: Acervo Alô Tatuapé / doada por Sidney Bergamaschi

Parte da propriedade dos Bergamaschi (entre as ruas Cantagalo e Emílio Mallet) localizada ao longo da Rua Serra de Juréa em 1959. Foto: © Acervo Alô Tatuapé / doada por Sidney Bergamaschi

 

A primeira delas, a das chácaras e quando as casas possuíam vastos quintais com pequenas hortas e árvores frutíferas. A segunda fase destaca-se com a instalação de indústrias e a construção de casas populares para estabelecer os empregados. Em seguida temos uma terceira fase – que ainda está sendo escrita pelos grandes empreendimentos imobiliários.

Essa fase descaracterizou o antigo bairro operário, colonizado por imigrantes e chacareiros, principalmente os portugueses, mas com grande afluxo de italianos e espanhóis. O urbanismo não deu importância ao antigo modo de vida das pessoas, fato que se repete em outras localidades.

O desenho da cidade se “ajeita” conforme os interesses econômicos e poucas vezes observou-se a qualidade de vida que havia outrora – uma mescla de ruralismo com um pujante centro financeiro e progressista.

Apesar dos estudos realizados e do desrespeito a estes, tanto São Paulo quanto o Tatuapé, ainda buscam uma maneira de conviver com seus próprios crescimentos, seja desde a época destas imagens – feitas há 57 anos num bairro considerado periférico – ou antes delas no final do século XIX, e até hoje quando passamos da segunda década do XXI.


Este texto e as imagens, integram a 2ª Edição História da Revista Alô Tatuapé da obra “A história contada por quem viveu”. © Direitos reservados – reprodução permitida para trabalhos escolares e pesquisas, desde que citada a fonte: www.alotatuape.com.br/tatuapeantigo
Clube Atlético Paulista em campo existente por volta de 1950, entre o final da Rua Tuiuti e Rua Coelho Lisboa, no bairro do Tatuapé. Foto: © Acervo Alô Tatuapé / doada pelo morador

Clube Atlético Paulista em campo existente por volta de 1950, entre o final da Rua Tuiuti e Rua Coelho Lisboa, no bairro do Tatuapé. Foto: © Acervo Alô Tatuapé / doada pelo morador

Leia mais sobre
TATUAPÉ ANTIGO MEMÓRIA

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo
Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar
Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime
Mensagem do Presidente ao Congresso Nacional
Veja como foi a festa e a distribuição do bolo dos 465 anos no Bixiga
Segundo dia do presidente no Fórum Econômico Mundial
  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

  • Paulo Guedes explica a reforma da Previdência, vídeo

  • Parceria entre Brasil e Inglaterra em alto mar

  • Ministro da Justiça e Segurança Pública apresenta projeto de Lei Anticrime

  • Mensagem do Presidente ao Congresso Nacional

  • Veja como foi a festa e a distribuição do bolo dos 465 anos no Bixiga

  • Segundo dia do presidente no Fórum Econômico Mundial

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*