Buracos proliferam e quem padece são os motoristas


Quinta-feira | 23 de janeiro, 2019 | 20h48 – atualizado em 26/01, 29/01, 30/01 para novas informações


São inúmeros e se espalham por todo o bairro, alguns são capazes de engolir a roda inteira de um veículo. Não se pode descartar que o problema também afeta os pedestres. Em contato com a assessoria de imprensa da Subprefeitura Mooca, o órgão respondeu nesta terça-feira (29), veja no final desta matéria. Na Rua Emílio Mallet, com Itapura e mais à frente, buracos foram consertados.

O problema dos buracos em São Paulo é antigo. É possível afirmar até que em alguns pontos, os motoristas coexistem com eles há meses e anos fazendo desvios, invasão de faixas até na contramão e tantas outras manobras. O intuito é evitar a quebra da suspensão, estourar um pneu, danificar as rodas, sem falar do conforto dos passageiros e até de pessoas idosas e doentes que podem sofrer com os solavancos inevitáveis.

 

Rua Emílio Mallet, após o cruzamento com a Rua Antônio de Barros, sentido Carrão. Foto: aloimage

 

Os buracos danificam os itens citados e os sistemas de suspensão dos veículos sem que a Prefeitura seja responsabilizada por isso. O dinheiro da indústria de multas que se abastece diariamente na cidade, não se sabe bem ao certo para onde vai, principalmente os valores desviados para as máfias que orbitam o Detran de São Paulo, incentivadas por agentes públicos corruptos.

 

Rua Agostinho da Mota, quase em frente ao Teatro Eva Wilma. Foto: aloimage

 

Sejam eles de luxo ou populares, os automóveis, todos um dia caem na malha das crateras espalhas pela cidade. E, no Tatuapé, não é diferente. Nesta semana que se encerra antecipadamente para comemorar com feriado os 465 anos da cidade, nossa reportagem deparou-se com uma equipe do tapa-buracos que estava trabalhando na Rua Antônio de Barros, próximo à Rua Euclides Pacheco.

 

Buraco: Rua Emílio Mallet x Rua Itapura. Foto: aloimage


O trabalho não deve terminar tão cedo, vejam algumas crateras que fotografamos e que até hoje espreitam os carros que não têm mais para onde desviar, como por exemplo, no final da Rua Emílio Mallet, onde o buraco resolveu se instalar ao lado de outro ou na mesma rua esquina com a Itapura, onde é impossível desviar sem bater no carro ao lado ou invadir a faixa contrária.

 

Rua Emílio Mallet x Rua Itapura: Na sequência desta imagem, a roda do carro será engolida pela cratera. Foto: aloimage

 

Duas vias, duas obrigações diferentes

Enquanto os motoristas são tratados como fontes pagadoras sem direito a reclamação nem defesa – exemplo é a grande maioria das defesas de multas de trânsito que são incontestavelmente indeferidas e motivo de transtornos que poderiam ser evitados –, a Prefeitura firma contratos com empresas particulares, cujo teor  chega a espantar aos administradores mais sagazes. No que se refere à limpeza da cidade, por exemplo, à contratação dos serviços de varrição, consta que os garis devem varrer o meio fio, mas a conservação e limpeza das calçadas são por conta dos proprietários dos imóveis, cabendo-lhes ainda o pagamento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Esses prestadores de serviço são capazes de passar ao lado de um pedaço de papel levado até a calçada pelo vento e não o recolher. Afinal, sua obrigação é apenas varrer e recolher o que estiver no meio fio!

 

Conservação: buraco na faixa de pedestre na esquina das ruas Prof. Pedreira de Freitas e Monte Serrat, bem ao lado de uma padaria. Foto: aloimage

 

Os condutores pagam o caríssimo IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), mas não recebem de volta a conservação das vias por onde seus "veículos automotores" circulam. Temos aqui duas vias de obrigações: enquanto o cidadão contribui e paga caro, a Prefeitura arrecada e não presta os serviços que deveria prestar de maneira mais eficiente. Tapando um buraco aqui e fazendo outro remendo ali, a situação perdura. À lista de incongruências não faltariam itens que a população relacionaria, no que tange aos itens limpeza e conservação, sem contar os prejuízos que a falta de atuação condizente acarreta.

 

Buraco na Rua Prof. Pedreira de Freitas: a circunferência é maior do que a roda de um carro. Foto: aloimage

Em nota, o órgão da Prefeitura de São Paulo responsável pela manutenção local, respondeu sobre o assunto nesta terça-feira (29):

"A Subprefeitura Mooca informa que todos os locais mencionados na matéria serão vistoriados ainda esta semana".

 

 

Acesse o site do livro "Memórias do Tatuapé", clicando no link ou na imagem.

Leia mais sobre
TATUAPÉ

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil
Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo
Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo
Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
  • Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil

  • Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo

  • Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo

  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*