CEU Carrão não vinga e ainda prejudica atividades do Centro Esportivo


Quarta-feira, 30 de agosto de 2017 às 13h47 - atualizado em 7 de setembro às 6h50, para novas informações


Depois de uma ação notadamente eleitoreira do ex-prefeito Fernando Haddad (PT-SP), dois anos antes do final do seu mandato em 2014, ele deu início a uma obra que até agora só prejudicou a população do Tatuapé. Também é notória a falta de interesse da gestão Doria em finalizá-la. O “elefante branco” agora ficou para o bairro, cuja população perdeu sua área de lazer e esportes.

Gerson Soares

“Uma coisa leva a outra” e com as questões mais prementes relativas ao bairro não é diferente. Outros ditos populares pregam que “pior do que está não fica” ou “pula da panela para cair na frigideira”. Iludir-se com soluções paliativas e temporárias ou pior ainda, ilusórias, remetem-nos aos ditados populares citados que ao contrário destas têm muito de sabedoria.

Levamos ao prefeito regional da Mooca, Paulo Sergio, a dúvida sobre a reabertura do Centro Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes ou a inauguração do CEU Carrão – divulgado desde 2014 de forma vexatória pelos mais desavisados e inocentes, pouco nos convenceu. Por sua vez, o prefeito local explicou-nos, ser o assunto de competência das secretarias de Educação e de Esportes e Lazer. A não conclusão ou andamento da obra depois de tanto tempo já não causava espanto, já que nem o ex-prefeito Haddad ou o atual chefe da administração municipal João Doria, demonstraram interesse em terminá-la. O que nos alarmou foi a notícia veiculada há poucos dias em veículo do bairro do Tatuapé e zona Leste, afirmando que a “abertura está quase definida”, referindo-se ao local, extremamente degradado há pelo menos quatro anos.

 

Uma das últimas imagens feitas pelo Alô Tatuapé, antes da proibição da entrada nas dependências do Centro Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes. Foto: aloimage

 

Qualquer cidadão pode constatar, ao passar pela Rua Monte Serrat, a situação na qual se encontra o parque ou centro esportivo e o estágio da infeliz construção do CEU. Dizer então que falta pouco para definir uma data de reabertura é muito subjetivo, já que o parque foi fechado para a suposta obra, a fim de não colocar em perigo a segurança dos usuários. Estes, alheios a toda essa política, acabaram simplesmente perdendo a sua área de lazer e esportes. Fizemos contato com os órgãos competentes na manhã desta quarta-feira (30) e nem a Secretaria da Educação ou a Secretaria de Esportes e Lazer teve condições de fornecer de pronto a data subjetivamente veiculada, e ainda estamos aguardando as respostas oficiais.

Sobre as declarações publicadas nesse mesmo veículo, feitas pelo coordenador do governo local da Prefeitura Regional da Mooca, Walter Mezetti, a respeito de um documento expedido pela Secretaria de Obras autorizando a entrada da equipe da regional no centro esportivo para execução de serviços de zeladoria, Mezetti explicou também na manhã de hoje, que na verdade a regional está à disposição “para executar os serviços de zeladoria e colaborar”, esclareceu. No entanto, deve ficar claro que essa decisão não depende do governo local e sim das secretarias municipais envolvidas.

Assim que recebermos as respostas das mesmas publicaremos, com o objetivo de esclarecer devidamente o assunto.

Nota da redação:

Na manhã desta quinta-feira (31), a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação, entrou em contato conosco esclarecendo que não foi contactada pela nossa reportagem. O equívoco foi causado ontem (30), durante o nosso contato através do telefone 3396-0600. Ao sermos atendidos pedimos a transferência para o ramal da assessoria de imprensa, mas o interlocutor que nos atendeu a seguir, não fazia parte daquele setor e justamente não poderia fornecer informações sobre o CEU Carrão. No entanto, ao nos fornecer o email da assessoria e pedir para que as perguntas fossem formalmente enviadas, acreditamos que se tratasse de funcionário do setor e cometemos o engano de informar o que segue na matéria acima [(...) nem a Secretaria da Educação ou a Secretaria de Esportes e Lazer teve condições de fornecer de pronto a data (...)].

Cabe ainda informar ao leitor que a afirmação "fornecer de pronto a data subjetivamente veiculada", refere-se unicamente à obviedade de que no atual estágio das obras, baseando-nos no descumprimento do prazo anterior para a inauguração, previsto para o final de 2016, fica difícil acreditar em uma quase data definida de inauguração, seja do CEU Carrão ou reabertura do parque. Caso este venha a ser reaberto em breve, dificilmente será o mesmo. Desde 2014, quando foi feito o anúncio estamos acompanhando as obras. Em 2016, fomos proibidos de entrar para acompanharmos, atualmente o parque está todo cercado por tapumes de zinco.

A assessoria nos informou que responderia ainda hoje às perguntas enviadas à pasta:

Quando será a inauguração do CEU Carrão?
Como está o andamento das obras?

 

Enviamos, em resumo, duas básicas perguntas a Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, no dia 30 de agosto:

Como estão as obras do CEU Carrão?
Quando será a inauguração do CEU Carrão?

Eis as curtas respostas para questões tão graves:

Em 1º de setembro – Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME)

O Centro Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes foi cedido para a Secretaria Municipal de Educação em 2015 para a construção do CEU Vila Carrão.

As Secretarias Municipais de Educação, Obras e Serviços e Esportes e Lazer reuniram esforços para disponibilizar parte do CEU provisoriamente para uso da população (área do campo de futebol, pistas e ginásio) como Clube da Comunidade (CDC), recebendo manifestação de entidades que tenham o perfil adequado para tal, até a retomada das obras. Serão colocados tapumes, isolando a área em obras, o que garantirá a segurança dos frequentadores.

Enfatizamos que, imediatamente sejam retomadas as obras, a área deverá retornar à SME/SMSO para conclusão do CEU Vila Carrão.

Nota da redação: 
Ao recebermos a nota acima, questionamos sobre o trâmite para a criação do CDC:

Esclarecemos que a formação de um CDC depende de um trâmite burocrático a ser respeitado e que desejamos concluir o mais rápido possível.

Em 5 de setembro – Secretaria Municipal de Educação (SME)

O CEU em questão está com as obras paralisadas diante do rombo orçamentário de R$ 7,5 bilhões deixado pela gestão passada e do desafio de atender à demanda por vagas em creches. Por conta disto, a secretaria de Educação priorizou a retomada de obras de CEIs. A obra foi abandonada pela gestão anterior com apenas 27% dos serviços concluídos e está localizado em uma região onde não há demanda reprimida por Educação Infantil. Com o mesmo orçamento de uma obra desse porte seria possível construir 10 creches em regiões prioritárias da cidade. A Prefeitura estuda o uso do espaço e reavalia quando será possível retomar os investimentos no local. A criação de vagas em creche é prioridade da atual gestão. O plano para a retomada das obras deixadas inacabadas pela gestão anterior foi colocado em ação e 13 unidades estão em andamento.

Buracos estão se transformando em crateras na esquina das ruas Emílio Mallet e Antonio de Barros: justificativas e empurra-empurra. Foto: aloimage

Leia mais sobre
TATUAPÉ/BAIRRO

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil
Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo
Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo
Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo
Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores
Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo
Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo
Itália em São Paulo
  • Bolsonaro lança partido Aliança pelo Brasil

  • Nota de repúdio da Associação Nacional dos Procuradores da República, vídeo

  • Pátria Amada Brasil: 300 dias de Governo

  • Alexandre Garcia: visão de mais de 50 anos de jornalismo

  • Plano Safra é lançado com R$ 225,59 bilhões para produtores

  • Presidente pede confiança para mudar o Brasil, vídeo

  • Presidente Bolsonaro concede entrevista à Jovem Pan: balanço dos 100 dias de governo

  • Itália em São Paulo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

2 Comentários

  1. Esta obra é uma vergonha. Destruíram o parque onde meu cunhado fazia caminhadas após sair do escritório e meu filho usava a piscina e fazia aula de capoeira. A EMEI Quintino Bocaiúva perdeu o espaço onde fazia atividades lúdicas como “Caça ao Saci”, piqueniques, projeto horta… além do estacionamento de seus funcionário.
    E o quê ganhamos com isso? Derrubaram árvores, aumentou o número de ratos e focos de mosquito da dengue, o carro de uma professora foi furtado, perdemos um parque e ganhamos um cenário feio e sujo. E tudo isso num local onde não há demanda para um CEU.
    Estou indignada!!!!

    Envie uma Resposta
    • alotatuape

      Wilza, seja bem-vinda. Suas observações são importantes e poderão ser úteis ao senhor Prefeito da cidade de São Paulo, responsável direto pela situação do parque.

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*