Domingo | 22 de março, 2020 | 19h


Autor do livro “Memórias do Tatuapé” libera leitura gratuita do primeiro capítulo para incentivar a cidadania e divulgar a história do bairro. Uma boa oportunidade para esses dias de recesso. Leia o rápido bate-papo com ele.

Por Verônica Franc
Especial para o Alô Tatuapé

A leitura de um bom livro pode ser uma opção para relaxar. Transportar os pensamentos para outros lugares é recomendável e faz com que a mente descanse, os músculos fiquem menos tensos e nos proporciona momentos de emoção e entretenimento.

 

Capa do livro "Memórias do Tatuapé". Imagem: aloimage

 

O autor do livro “Memórias do Tatuapé – Uma viagem às origens nos XV a XVII”, Gerson Soares, liberou a partir deste domingo, a introdução e o primeiro capítulo completo do livro para colaborar com quem está buscando formas alternativas de diversão, aproveitando para ampliar a cultura sobre o bairro.

Acesse: “Memórias do Tatuapé”Introdução e Capítulo I

A obra foi selecionada pela Biblioteca Mário de Andrade (Coleção São Paulo), pelo Centro de Memória da Câmara Municipal de São Paulo e consta em várias bibliotecas do Tatuapé.

 

Capas dos livros "Vila Maria Zélia - Uma ilha na Pauliceia" e "União dos Operários - Cem anos de história no Futebol". Imagem: aloimage

 

Outros livros do autor constam em coleções especiais, como no Museu Dr. Joaquim Manso em Nazaré – Portugal. Trata-se do livro “Vila Maria Zélia – Uma ilha na Pauliceia”, que retrata os 100 anos da vila operária construída por Jorge Street, médico que virou empresário do ramo têxtil. O livro “União dos Operários – Cem anos de história no Futebol”, que refaz o caminho do esporte bretão na várzea entre 1917 e 2017, através do time criado no Belenzinho, também está no acervo da Fundação Casper Líbero.

 

Museu em Nazaré, Portugal. Foto: MDJM / PO

 

“As histórias locais, contadas pelos remanescentes dos pioneiros ou através de documentos é um meio interessante de resgatarmos aquilo que não consta na maioria dos livros. ‘Memórias do Tatuapé’ é fruto do trabalho e pesquisas que envolveram minha experiência como jornalista e 27 anos como editor do Alô Tatuapé.”

“Memórias do Tatuapé” faz uma minuciosa apuração dos fatos que deram origem ao Tatuapé e revela a verdadeira origem da palavra indígena que o denomina. O autor fala sobre outro livro. Em sua segunda fase de vendas, agora pode ser adquirido pela internet.

Acesse o site www.memoriasdotatuape.com.br

“Tive, por exemplo, o ensejo de conhecer a obra do jogador Julinho Botelho deixada para a posteridade no bairro da Penha que também se transformou em um compêndio histórico. A história do Tatuapé, assim como da própria formação começa em Santos e pra lá que o leitor será levado, descobrindo os caminhos que o trarão de volta ao Tatuapé.”

 

Capa do comemorativo que traz a singular criação do União Rio Branco, pelo jogador Julinho Botelho, "o homem que calou o Maracanã". Imagem: aloimage

 

Designer gráfico e diagramador, o autor também criou e desenhou todas as ilustrações, logotipos comemorativos e as páginas dos seus livros. Com uma sólida base de conhecimentos locais da região que abrange os bairros da Penha, Tatuapé, Belenzinho e Mooca, assim como a vivência entre documentos e imagens da fascinante história da Cidade de São Paulo e adjacências, o segundo livro sobre a história do Tatuapé também já está pronto para ser publicado.


Serviço:

“Memórias do Tatuapé – Uma viagem às origens nos séculos XV a XVII”
Autor: Gerson Soares
Edição: Alô São Paulo
192 páginas
São Paulo, 2018.
Preço: R$ 19,95
Envio para todo o Brasil com frete grátis
Mais informações: www.memoriasdotatuape.com.br

Ceret na quarta-feira (18) por volta das 8h. Foto: aloimage

Leia mais sobre
TATUAPÉ

 

Leia as últimas publicações

Categorias