Reduções de velocidades máximas no trânsito continuam
out02

Reduções de velocidades máximas no trânsito continuam

A maioria dos motoristas está se adaptando e entendendo que os tempos mudaram. Acelerar de semáforo em semáforo ou a cada cruzamento para ganhar alguns segundos não adianta mais e só coloca a vida das pessoas em perigo.

Leia mais
Mortes no trânsito caem 18,5% na capital, para cada vida poupada uma árvore plantada
out02

Mortes no trânsito caem 18,5% na capital, para cada vida poupada uma árvore plantada

Dados da CET apontam que morreram 118 pessoas a menos em acidentes no primeiro semestre de 2015, comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com o prefeito Fernando Haddad, para cada vida que for poupada será plantada uma árvore na cidade.

Leia mais
CET reduz velocidades em mais vias na cidade, motoristas devem ficar atentos
set19

CET reduz velocidades em mais vias na cidade, motoristas devem ficar atentos

Até a próxima quarta-feira (23) mais cinco vias nos trajetos entre as zonas Sul e Oeste, terão a velocidade reduzida. Desde ontem (18), sete ruas e avenidas da zona Norte também passaram a ter os limites alterados.

Leia mais
Área 40 está na zona Leste, CET passa a fiscalizar velocidade das motos
set15

Área 40 está na zona Leste, CET passa a fiscalizar velocidade das motos

Medida será implantada nesta quarta-feira (16) em São Miguel e visa aumentar a segurança para usuários, especialmente pedestres e ciclistas. De acordo com o órgão da Prefeitura, incentivará o melhor compartilhamento do espaço urbano. Motos passam a ser fiscalizadas com mais rigor na cidade e terão de respeitar os limites de velocidade nas marginais. Conheça as estatísticas dos acidentes nestas seis semanas de...

Leia mais

Nota à imprensa – SEDERSP

NOTA À IMPRENSA Posicionamento SEDERSP sobre o anúncio da Prefeitura em reforçar a fiscalização de motociclistas nas marginais Pinheiros e Tietê com 10 radares móveis portáteis. Toda ação relacionada à redução de velocidade que tenha como objetivo diminuir o número de acidentes envolvendo motociclistas, o SEDERSP (Sindicato das Empresas de Distribuição das Entregas Rápidas do Estado de SP) apoia, porém quando o assunto em destaque são os radares e as multas, o que a entidade espera do poder público é que essa arrecadação seja revertida em benefícios para a categoria, com campanhas de educação e melhorias no trânsito de modo geral, o que, em prática, pouco...

Leia mais
Tatuapé também terá regulamentação de velocidade com “Área 40”
set14

Tatuapé também terá regulamentação de velocidade com “Área 40”

Ruas como a Tuiuti ou Visconde de Itaboraí que são coletoras do trânsito da via arterial, neste caso a Radial Leste, se enquadram nesse perfil e fazem parte de ações em nome da “Proteção à Vida”, programa da Prefeitura para o trânsito, que seguindo sua escalada poderá chegar ao bairro em breve. A Área 40, já foi implantada na zona Leste em ruas e avenidas da Penha, São Miguel e Brás.

Leia mais
Acidentes com vítimas caem 27% nas marginais Tietê e Pinheiros, diz Prefeitura
set05

Acidentes com vítimas caem 27% nas marginais Tietê e Pinheiros, diz Prefeitura

Dados foram consolidados após seis semanas de implementação da medida. Extensão da lentidão nas duas vias caiu 12% na média diária, em relação ao mesmo período de 2014.

Leia mais
CET implanta redução de velocidade máxima no Eixo Leste-Oeste
set05

CET implanta redução de velocidade máxima no Eixo Leste-Oeste

Dez vias que fazem a ligação entre as zonas Leste e Oeste terão limite reduzido de 60 km/h para 50 km/h a partir da próxima sexta-feira (11), completando a regularização de velocidade no eixo, entre elas a Radial Leste, que recebe também o trânsito do Tatuapé em direção ao Centro.

Leia mais
Atenção motoristas para novas reduções de velocidade feitas pela CET
ago28
Leia mais
CET implanta redução de velocidade máxima em mais seis vias da cidade
ago21
Leia mais
Lentidão cai 10% e acidentes caem 23% nas marginais Tietê e Pinheiros
ago21

Lentidão cai 10% e acidentes caem 23% nas marginais Tietê e Pinheiros

Dados preliminares das quatro primeiras semanas após a redução da velocidade máxima mostram que lentidão nas duas vias caiu 21% no horário de pico da tarde e 3% pela manhã. Acidentes com vítimas tiveram redução de 29%, e sem vítimas caíram 20%. As informações são da secretaria de Comunicação da Prefeitura da cidade de São Paulo.

Leia mais
Relatório da CPI da Sabesp é entregue ao prefeito Fernando Haddad
ago18
Leia mais
CET implanta redução de velocidade máxima em mais 11 vias da cidade
ago18
Leia mais
Ciclovia do Minhocão é inaugurada pela Prefeitura
ago10
Leia mais
Com redução na velocidade, trânsito nas marginais é normal, diz CET
ago06
Leia mais
Paulista ganhará mirantes com espaços para gastronomia, cultura e bicicletário
ago06
Leia mais
Redução da velocidade nas marginais: CET e Prefeitura na cruzada contra os carros
jul31
Leia mais
Justiça dá prazo de 72 para Prefeitura explicar redução de velocidade em SP
jul24
Leia mais
Velocidade é reduzida nas marginais e causa polêmica
jul20
Leia mais
Velocidade máxima das marginais será reduzida a partir do dia 20 de julho em SP
jul09
Leia mais
Compensação por construção em áreas de ZEIS é aprovada na Câmara Municipal de SP
jul03
Leia mais
Secretaria Municipal de Transportes está sempre com a razão, será?
jun26
Leia mais
Tatuapé terá operação cata-bagulho neste sábado
jun26
Leia mais
Voltar aos cavalos e carroças causaria menos problemas, mas é preciso evoluir
jun26
Leia mais
Mudança da CEAGESP vai muito além de encontrar um endereço novo
jun24
Leia mais
Prefeitura assina acordo para transferência da CEAGESP
jun24
Leia mais
Cidade terá ônibus mais modernos em corredores e faixas de ônibus
jun23
Leia mais
CET apresenta pesquisa sobre segurança no trânsito
jun19
Leia mais
Prefeitura concede 1,2 mil vagas remanescentes da Feira da Madrugada
jun10
Leia mais
Prefeitura revitaliza instalações esportivas do CERET
jun07
Leia mais
Lei de zoneamento chega dividida em três agrupamentos de zonas
jun06
Leia mais
Prefeito entrega à Câmara Projeto de Lei de Zoneamento
jun06
Leia mais
Parceria com a iniciativa privada revitalizará 40 campos de futebol na cidade
jun01
Leia mais
Novos equipamentos vão agilizar o trabalho de limpeza na capital
jun01
Leia mais
Campanha de Vacinação contra a gripe é prorrogada até 3 de junho em SP
maio23
Leia mais
Prefeito inaugura EMEF em São Mateus, na zona Leste
maio20
Leia mais
Pichar é considerado crime, lei obriga prestação de serviços comunitários
maio14
Leia mais
Police Neto quer fazer sucesso com Minhocão, construído por Maluf
maio14
Leia mais
Arena Corinthians sediará jogos da Olimpíada de 2016
maio04
Leia mais
Comissão de Trânsito faz balanço das ciclovias em São Paulo, no Tatuapé liga nada a lugar nenhum
maio01
Leia mais
Haddad aciona justiça para impedir venda de sacolas ambientais
abr29
Leia mais
Praça Sílvio Romero faz parte da rede de WiFi Livre SP, veja como funciona
abr27
Leia mais
Prefeitura sanciona lei que proíbe lavagem de calçadas
abr21
Leia mais
Muros do PET vão dando lugar a gradis na Rua Eleonora Cintra
abr13
Leia mais
Taxistas protestam em frente a Câmara Municipal de SP contra aplicativo Uber
abr08
Leia mais
Fiscalização da nova lei das sacolinhas começa no dia 5 de abril
mar31
Leia mais
‘Força tática’ contra dengue terá até PM de São Paulo
mar27

‘Força tática’ contra dengue terá até PM de São Paulo

Sexta-feira, 27 de março de 2015, às 17h31   500 novos agentes estaduais da Sucen e 30 médicos militares serão mobilizados para reforçar ações nos municípios com alta incidência de casos; Saúde firmou parcerias para ampliar o alcance das informações sobre prevenção, combate e sintomas da doença.     A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo criou uma “força tática” para reforçar ações de combate à dengue nos municípios paulistas, com ênfase naqueles que registram elevado número de casos. As operações especiais serão desenvolvidas por 500 novos agentes contratados pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), autarquia vinculada à pasta, e contarão com o apoio de 30 médicos militares, mobilizados em parceria com a Secretaria de Segurança Pública. No total, a Saúde investirá R$ 6 milhões para execução do plano, que, entre outros aspectos, irá duplicar o efetivo da Sucen, totalizando mil agentes de campo para apoio em ações como nebulização. O contrato dos novos profissionais terá vigência de três meses, período considerado estratégico para execução de medidas focadas no bloqueio da transmissão do vírus. Os recursos também foram aplicados para aquisição de 150 atomizadores costais para aplicação de inseticidas e de 450 kits de EPI (Equipamentos de Proteção Individual), que garantem a segurança dos funcionários. Contabiliza, ainda, a compra de sete vans para deslocamento das equipes e a manutenção de 50 caminhonetes utilizadas para transporte de máquinas, inseticidas e insumos. As equipes da Sucen têm fornecido apoio técnico, estrutural e prático aos municípios desde o ano passado. A autarquia já está operando com doze máquinas pesadas de “fumacê” e 550 nebulizadores costais, 200 dos quais foram emprestados às prefeituras. Devido à intensificação dos trabalhos, o consumo de inseticidas de janeiro a março foi 13 vezes maior, em comparação ao volume utilizado no último trimestre de 2014. Parceria com a iniciativa privada Com o intuito de ampliar o alcance de informações sobre prevenção, combate e sintomas da dengue, a Secretaria também firmou parcerias com instituições públicas e privadas, que auxiliarão na distribuição de mais de 15 milhões de materiais informativos, em diversos formatos. A operadora de telefonia móvel Claro vai disparar 10 milhões de torpedos com alertas sobre a dengue. Leia também: Fiocruz – Dengue: vírus e vetor Orientações serão transmitidas nos altos falantes e na TV Minuto, no Metrô. O assunto também ganhará visibilidade em rotas estratégicas do Estado, como a rodovia Nova Tamoios, Rodoanel e as Travessias Litorâneas de SP, por meio de peças e mensagens eletrônicas divulgadas pela Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) e pela Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo). Além disso, cinco milhões de newsletters...

Leia mais
Saúde divulga o quinto balanço de dengue e chikungunya na cidade
mar27

Saúde divulga o quinto balanço de dengue e chikungunya na cidade

Sexta-feira, 27 de março de 2015, às 18h44   Durante coletiva, secretário-adjunto Paulo Puccini apresentou dados consolidados até a décima semana epidemiológica, que registrou 15.789 notificações e 4.436 casos confirmados. SECOM / PMSP – O secretário-adjunto de saúde, Paulo Puccini, apresentou nesta quinta-feira (26) o quinto balanço do ano sobre a situação da dengue até a décima semana epidemiológica. No período de 4 de janeiro a 14 de março, 15.789 casos foram notificados e 4.436 foram confirmados autóctones (contraídos no município). No mesmo período de 2014, a cidade teve 4.326 casos notificados e, destes, 1.412 autóctones confirmados. Cerca de 47,5% dos casos estão concentrados na zona norte de São Paulo. Apesar do alto número de casos, a cidade de São Paulo e a própria zona norte tem taxa de incidência abaixo da média do Estado. Na capital paulista, a taxa de incidência até março era de 29,9 casos por cem mil habitantes, enquanto em todo o Estado, chegava 191,6, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Para se ter uma ideia, outras grandes cidades do Estado, como Campinas e Sorocaba tem taxas de incidência bem superiores a de São Paulo, com respectivamente, 477,4 casos para cada cem mil habitantes e 1.246,7 para cada grupo de cem mil. Em todo o Brasil, foram registrados 224.101 casos e a taxa de incidência é de 110,5. Somente o Estado de São Paulo é responsável por 55,2% dos casos. “Mesmo a região norte, está abaixo da incidência apresentada no Estado de São Paulo e isso não é menosprezar a importância de estarmos aqui e da dengue. Estou falando que a situação de São Paulo, apesar de tudo, com seus 12 milhões de habitantes, está em uma situação de risco menor hoje que o Estado pensado como um todo”, afirmou Puccini. Dois óbitos pela doença foram confirmados até agora na cidade de São Paulo. Um óbito de uma senhora de 84 anos, moradora da Brasilândia, ocorrido no dia 28 de janeiro, foi confirmado e de um garoto de 11 anos, morador do Jardim Ângela, ocorrido no dia 9 de março. Outro caso de um homem de 35 anos, que foi internado no Hospital São Lucas, em Diadema, divulgado erroneamente como óbito por dengue pelo Instituto Adolfo Lutz segue em investigação, com apoio do Instituto Médico Legal (IML). Já para a febre chikungunya, neste ano, não há registro de casos autóctones, mas foram registrados quatro casos importados, todos de fora do país. Durante todo o ano de 2014 a capital registrou 28.990 casos autóctones (97,7% ocorreram no primeiro semestre), com 14 óbitos ao longo do ano. Em 2015, a estimativa da Secretaria Municipal de...

Leia mais
Sem exigência da população Subprefeitura do Tatuapé pode ser eternamente adiada
mar20
Leia mais
Prefeitura busca parceiros privados para a construção de novas creches
mar11
Leia mais
Teatro Arthur Azevedo, na Mooca, sediará o Clube do Choro
mar06

Teatro Arthur Azevedo, na Mooca, sediará o Clube do Choro

Sexta-feira, 6 de março de 2015, às 17h15 Local funcionará como escola para a formação de músicos do gênero e será ainda utilizado para apresentações. Reforma do espaço deve acabar ainda neste semestre. SECOM – Atualmente em reforma, o Teatro Arthur Azevedo, na Mooca, zona leste da capital, sediará o Clube do Choro, espaço dedicado ao gênero musical que terá como intuito não só a formação de novos músicos, mas será ainda utilizado para apresentações dos artistas. O anúncio foi realizado pelo prefeito Fernando Haddad na manhã desta quinta-feira (5), durante sua visita às obras de modernização do teatro, informou a secretaria de Comunicação da Prefeitura. “Eu anunciei algum tempo atrás que nós estávamos pensando em resgatar essa tradição do choro em São Paulo, que se perdeu há muito tempo. Essa tradição, em ponto fixo, se perdeu nos anos 70 e não foi mais recuperada. Nós vamos fazer desse teatro a nossa escola de choro. O Clube do Choro vai nascer aqui. Enquanto o teatro fica pronto, a gente, com a comunidade do choro, vai organizar a escola, que será no [prédio] anexo, com as apresentações aqui no próprio teatro. Acho que essa é uma notícia boa não só para a Mooca, mas para toda a cidade. O choro dialoga com vários gêneros musicais e estabelece conexões que não podem se perder, porque dizem respeito à história musical brasileira”, disse. O teatro está sendo ampliado com a construção de um edifício anexo, onde funcionará a escola de choro e toda a área administrativa. O prédio terá ainda cozinha, refeitório, sanitários e um espaço multiuso, que poderá ser utilizado para a realização de ensaios, aulas de teatro e até mesmo para a apresentação de pequenas peças. Os espaços internos do prédio original poderão assim, ser melhor aproveitados, com aumento da área de manobras do palco, criação de camarins de trocas rápidas, camarim acessível e cabine de som. Após a conclusão da reforma, o teatro terá capacidade para 376 lugares, dos quais 8 serão reservados para cadeirantes, 4 equipados com poltronas para obesos e outras 4 para pessoas com mobilidade reduzida. As obras, orçadas em R$ 7,82 milhões, foram iniciadas em julho de 2012 e deverão ser entregues ainda neste semestre. Inaugurado em agosto de 1952, o edifício do teatro é tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). A visita de Haddad às obras foi acompanhada pelos secretários municipais Nabil Bonduki (Cultura), Roberto Garibe (Infraestrutura Urbana e Obras) e Nunzio Briguglio (Comunicação), além do Subprefeito da Mooca, Emgº Evandro...

Leia mais
Noturno: rede de ônibus da madrugada começa a funcionar na cidade
mar02

Noturno: rede de ônibus da madrugada começa a funcionar na cidade

Segunda-feira, 2 de março de 2015, às 20h24   Da meia-noite às 4h, 151 linhas em rede atenderão toda a cidade. Serviço terá intervalo de 15 minutos em linhas estruturais e de 30 minutos para linhas locais. SECOM | Prefeitura SP – Começou a funcionar neste sábado (28/02) a nova rede de ônibus da madrugada da capital. Chamado de Noturno, o serviço funcionará da meia-noite às 4h, com 151 linhas que atendem os usuários do Metrô, passando junto ou próximo das estações. Com ele é possível, por exemplo, sair da zona sul e chegar aos bairros mais distantes de outras regiões da cidade, fazendo integrações preferencialmente em terminais e locais de conexão. O serviço noturno funcionará com 50 linhas estruturais, nos grandes corredores, e 101 linhas locais, nos bairros, que passarão por 32 terminais e 160 conexões. Nas linhas estruturais, o intervalo entre os ônibus será de 15 minutos, enquanto nas linhas locais será de 30 minutos. Todas as informações sobre as linhas estão disponíveis na página da SPTrans. Também serão disponibilizados nas estações de metrô e pontos atendidos painéis informativos. A implantação do Noturno atende à meta 95 do Programa de Metas 2013-2016. O garçom Fabiano de Moraes, morador do Grajaú, zona sul, ficou feliz com a novidade. “Perdi as contas de quantas vezes eu tive que fazer hora e até mesmo dormir nas cadeiras do restaurante por não ter como voltar para casa. Nem sempre eu tenho horário para sair do trabalho, principalmente sexta-feira, quando os clientes acabam saindo mais tarde. Para mim saber que não preciso mais sair correndo, que eu posso chegar no terminal depois da meia noite é um alívio tremendo. Dá até para atender melhor os clientes”, disse. Para a estudante de biologia, Nicole Nascimento, esse novo horário de atendimento irá contribuir com a sua diversão. “Quando eu soube fiquei muito contente, pois é uma coisa que esperava há anos. Era impossível entender que São Paulo, com toda a sua fama noturna, não tinha um sistema de transporte para dar suporte aos seus frequentadores. Eu realmente fico mais aliviada ao saber que agora eu tenho outra maneira de voltar para casa, uma maneira segura e bem mais barata”, afirmou. O funcionamento da nova rede foi apresentado na 11ª reunião do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, realizada na sede da Prefeitura na última terça-feira (24). Na ocasião, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou que o transporte noturno oferece garantia de direitos. “É uma medida simples que vai atender milhares de trabalhadores que dependem do transporte noturno para ir para suas casas. É um compromisso feito que estamos cumprindo. O fato de...

Leia mais
Ciclovias enfrentam críticas
fev26

Ciclovias enfrentam críticas

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 17h12 As ciclovias já enfrentam duras críticas sobre o alto custo e a verdadeira utilidade. Gerson Soares As manifestações contrárias que chegam dos moradores e comerciantes, referem-se ao estacionamento para os veículos – espaço em plena extinção na cidade – entre outras reclamações. Os custos também estão sendo questionados, já que o quilômetro das ciclovias paulistas chegam a custar o dobro de outros países e até mais. Quando se pensa na utilidade das ciclovias que estão sendo instaladas, como a extensão que acaba de ser inaugurada na Vila Carrão, vem a dúvida sobre o preparo físico dos usuários. O local é bastante acidentado e em relação a Avenida Conselheiro, está localizado em lugar alto com ladeiras que irão colocar qualquer usuário em boa forma, caso contrário terá de empurrar a sua bike em vários trechos. Quando o sentido é outro, a praticidade para quem vai ao trabalho, por exemplo, também não se pode esperar chegar impecável. As mulheres também reclamam, lembrando da vaidade. O fato é que as ciclovias vieram para ficar e na cidade não há mais espaço para estacionar os veículos. Com isso, os estacionamentos particulares cobram quanto querem, luxo reservado para quem pode pagar. A bike acaba sendo uma opção, mas ainda falta muito para estar entre a melhor. No Tatuapé, onde na prática a ciclovia inexiste, o ciclista precisa ficar atento, já que os motoristas disputam o mesmo espaço, e pior ainda, apostando corrida com as bikes (leia a matéria: Disputa de carros e bicicletas no bairro: isto é possível?), que pela melhor mobilidade e agilidade acabam chegando antes dos carros ao final de cada quarteirão, onde o trânsito é cada vez mais...

Leia mais
Ciclovia no Carrão, liga Rua Taubaté à Atucuri
fev26

Ciclovia no Carrão, liga Rua Taubaté à Atucuri

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 13h19 Atualmente a cidade possui 235,3 quilômetros de vias destinadas aos ciclistas. Meta é alcançar 400 quilômetros de ciclovias até o fim do ano. SECOM – A Vila Carrão, na zona Leste da cidade, ganhou nesta quarta-feira (25) uma ciclovia com 2,2 quilômetros de extensão e o prefeito Fernando Haddad visitou o novo trecho na companhia do secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. A via exclusiva para bicicleta passa pelas ruas Engenheiro Pegado, Rogério Giorgi e João Vieira Prioste, entre as ruas Atucuri e Taubaté, e é, em grande parte, paralela à Avenida Conselheiro Carrão, informa a secretaria executiva de Comunicação da Prefeitura da cidade de São Paulo (SECOM). “A ciclovia se integra a outros investimentos que estão sendo feitos na área da mobilidade, como expansão dos trilhos e a expansão dos corredores e faixas de ônibus. É um projeto difícil porque a malha cicloviária não existe na cidade de São Paulo, então ela não está conectada. Ela só estará plenamente conectada a partir do final do ano. Isso vai começar a sugerir que as pessoas possam pensar a mobilidade de uma maneira diferente”, afirmou Haddad. Atualmente a cidade possui 235,3 quilômetros de vias destinadas aos ciclistas. Desse total, 172,3 quilômetros foram inaugurados desde junho de 2014. Os demais 63 quilômetros foram herdados da gestão anterior. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha cicloviária de 400 quilômetros até o final deste ano. “Estamos ampliando nossa rede cicloviária nos mais diversos pontos da cidade. Trata-se da construção de uma malha que fará ligações com pontos estratégicos de mobilidade, como terminais de ônibus e estações do metrô, além de equipamentos como escolas, praças e bibliotecas”, disse o secretário. Segundo Tatto, o projeto de ciclovia para a região prevê que ela chegue até a Radial Leste. O novo percurso é bidirecional em toda a sua extensão, sempre ao lado da calçada. Em sua demarcação estão sendo utilizados, aproximadamente, 6.000 metros quadrados de sinalização horizontal, 48 placas de trânsito que indicam a circulação exclusiva de bicicletas e 133 placas de regulamentação e advertência. Avenida Paulista e Minhocão Em janeiro deste ano, começaram as obras das ciclovias na Avenida Paulista e sob o Elevado Presidente Costa e Silva (Minhocão). Juntas, as vias somarão quase nove quilômetros exclusivos para as bicicletas. As obras têm previsão de duração de aproximadamente 180 dias. Com quatro quilômetros de extensão, a ciclovia da Avenida Paulista fará conexão com 11 ciclovias ligando às regiões do Centro, Pacaembu, Ibirapuera e Vila Mariana, entre outras. Para o trecho da Avenida Bernardino de Campos, estão previstas ainda obras para aterramento da fiação elétrica. O projeto...

Leia mais
Novo semáforo na Rua Francisco Marengo deveria ter começado a funcionar ontem
fev12
Leia mais
Cratera da Rua Emílio Mallet é recapeada
fev12
Leia mais
Em três dias surgem duas crateras na Rua Emílio Mallet
fev11
Leia mais
Tapa-buracos na Rua Emílio Mallet expõe serviços mal feitos
fev09
Leia mais
“Embalagem verde” substituirá sacolinhas de supermercado, diz Prefeito
nov16
Leia mais
Grafiteiros levarão sua arte à Avenida 23 de Maio
nov09

Grafiteiros levarão sua arte à Avenida 23 de Maio

Domingo, 9 de novembro de 2014, às 14h44 Avenida 23 de maio ganhará um dos maiores corredores de grafite da América Latina. Trabalho envolverá mais de 200 artistas na produção de 15 mil metros quadrados de arte em 70 muros, entre o Terminal Bandeira e o antigo Detran. Intervenção poderá ser expandida para outros locais da cidade. SECOM / PMSP – Mais de 70 muros da avenida 23 de maio, entre o Terminal Bandeira e a passarela Ciccilio Matarazzo, em frente ao Museu de Arte Contemporânea (MAC), antigo Detran, ganharão intervenções de grafite a partir da primeira semana dezembro. O projeto feito pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, reunirá mais de 200 artistas na produção de 15 mil metros quadrados de murais com a arte urbana. A ideia é que o projeto seja concluído entre o fim de janeiro e início de fevereiro, se tornando um dos maiores corredores de grafite da América Latina, a frente dos murais da Copa do Mundo, na zona leste, até então considerado o maior. O anúncio aconteceu na tarde desta sexta-feira (7) durante reunião entre o prefeito Fernando Haddad, o secretário Juca Ferreira (Cultura) e um grupo de artistas que participam da curadoria do projeto e ajudam a escolher grafiteiros que participarão da iniciativa. Além dos materiais para a produção do grafite, a Prefeitura auxiliará na segurança dos artistas com a Guarda Civil Metropolitana (GCM), na limpeza dos muros, ampliação da iluminação e corte de grama com a Coordenação das Subprefeituras e a Secretaria Municipal de Serviços. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) dará apoio na organização do trânsito durante o trabalho. “Esse tipo de arte existe no mundo inteiro, mas aqui em São Paulo, é um dos mais desenvolvidos, porque foi assimilada pela paisagem urbana. Essa arte tem a função de dialogar, colorindo o cinzento da cidade, substituindo muros frios e que dividem por muros artísticas que melhoram o padrão e humanizam a cidade”, afirmou Juca Ferreira. “A ideia é de trazer a arte para a rua, humanizar a cidade e democratizar o acesso a arte”, afirmou. Para se ter uma ideia do tamanho do projeto, o grafite nos muros da Linha-1 Vermelha do Metrô, no caminho da Arena Corinthians, em Itaquera, na zona leste, contava com menos de 10 mil metros quadrados e quatro quilômetros de extensão. O projeto da 23 de maio atingirá de 5,4 quilômetros de extensão de muros em 15 mil metros quadrados. “Estamos contentes com essa porta aberta, temos muita coisa para fazer e a 23 de maio é só o começo. Vamos apresentar projetos para as quebradas, a periferia...

Leia mais
Marginal do Tietê e Pinheiros, daqui alguns anos. Sonhar não custa nada
nov09

Marginal do Tietê e Pinheiros, daqui alguns anos. Sonhar não custa nada

Domingo, 9 de novembro de 2014, às 11h48 Gerson Soares Para um sistema totalitário e cruel, a queda do muro, erguido para separá-lo daqueles que discordavam de suas ideias e ideais, seria inimaginável à época do auge das suas convicções. Esta imagem também nos remete de certa forma, a um tempo utópico, futurista, para uma cidade massacrada pela ignorância e a ambição. Enquanto na distante Alemanha se erguia um muro a custa de vigilância pesada, tiros e mortes. Em São Paulo, erguia-se um monumento à falta de consciência ecológica, de desrespeito à natureza, aviltando a beleza e a história do Rio Tietê. Em troca disso, o ganho fácil e o distanciamento do trabalho difícil que levaria às soluções mais inteligentes para o crescimento da grande metrópole que fazia saltar os olhos dos mais adiantados países do mundo, inclusive dos alemães. “Sonhar não custa nada, e meu sonho é tão real”, dizem os versos do samba-enredo da escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel do Rio de Janeiro, vencedora do Carnaval de 1992. Com a reprodução desses versos, que ainda têm “não se paga pra sonhar”, fica o sonho de que um dia as novas gerações de paulistanos, possam se sentar tranquilamente às margens desse rio que somente pela sua trajetória – que da nascente segue para o interior ao invés de se dirigir ao mar –, já mereceria algum estudo antes de lhe impor um destino tão cruel. À comparação feita aqui, deve ser dada a devida proporção; quer ela ser apenas, a afirmação de que quando se tem vontade tudo é possível. Até mesmo que toda a poluição do Tietê e do Pinheiros, seja lembrada com singelos balões, daqui a algum tempo.   Assuntos relacionados Tietê na história paulista Tietê: o rio de São Paulo Rios despoluídos seriam alternativa para abastecimento...

Leia mais
SP Fashion Week vai ao CEU Vila Curuça na zona Leste
nov07
Leia mais

Salão do Automóvel e GP de F1, juntos até dia 9 na cidade

Quinta-feira, 30 de outubro de 2014, às 20h Salão do Automóvel e GP de Fórmula 1 gerarão mais de R$ 450 milhões para cidade. De acordo com prefeito, que participou da abertura do 28º Salão Internacional do Automóvel, a cidade se tornará o maior destino turístico da América Latina até 2017. Parceria Público-Privada será lançada para modernizar Complexo do Anhembi. Os dois grandes eventos internacionais que São Paulo receberá até o próximo dia 9 de novembro, o 28º Salão Internacional do Automóvel e o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, injetarão mais de R$ 450 milhões na economia da cidade. O Salão do Automóvel, aberto nesta quinta-feira (30), continuará até 9 de novembro no Complexo do Anhembi, na zona norte, e o GP Brasil de Fórmula 1 acontece entre os dias 7 e 9, no Autódromo de Interlagos, na zona sul. A geração da receita para o município foi anunciada pelo prefeito Fernando Haddad, durante a cerimônia de abertura do Salão do Automóvel, nesta quinta-feira (30). A feira receberá mais de 750 mil visitantes no período, de acordo com a organização. Já o GP Brasil de Fórmula 1 atraiu quase 130.000 turistas no ano passado. “Estamos falando de um impacto econômico na cidade de São Paulo da ordem de R$ 450 milhões. Essa é a nossa previsão em relação a que os turistas que moram fora da cidade vão trazer para São Paulo nos hotéis, restaurantes e serviços. É uma feliz coincidência que os dois eventos aconteçam simultaneamente”, afirmou Haddad. Segundo Haddad, estudos como o de uma rede internacional de cartões de crédito mostram que a cidade será o maior destino turístico da América Latina até 2017, superando a Buenos Aires e Cidade do México. Esse sucesso, de acordo com o prefeito, se deve em boa parte a eventos como o Salão do Automóvel e por isso, a ideia é lançar uma parceria público-privada para modernizar o entorno do Complexo do Anhembi. “A previsão é que até 2017, São Paulo seja o maior destino turístico da América Latina, muito por conta das atividades promovidas pelo setor privado que escolheu a cidade para desenvolver suas atividades”, afirmou o prefeito. “Temos aqui uma área de 300 mil metros quadrados, que é toda do município. Como vocês sabem, tenho um interesse particular pelo rio Tietê. Acho que as duas margens do rio Tietê são a fronteira que vão dar cara definitiva para a cidade, como as grandes cidades do mundo fizeram. Por isso, vamos lançar uma PPP para repensar essa área que é de propriedade da SPTuris”, disse Haddad. “É importante elogiar a iniciativa da Prefeitura de modernizar o Anhembi. Todos nós...

Leia mais
Córrego Rapadura finalmente vai ter mais uma passagem
out29

Córrego Rapadura finalmente vai ter mais uma passagem

Quarta-feira, 29 de outubro de 2014, às 19h33   Passagens sobre córregos terão investimentos de R$ 4,5 milhões. Projeto prevê intervenções em 89 pontos de 21 subprefeituras da cidade. O objetivo é garantir melhor acesso e maior segurança aos usuários, eliminando eventuais riscos em função das condições até precárias de algumas dessas travessias.   A Prefeitura de São Paulo deu início à reconstrução de pontes de pedestres que passam exclusivamente por córregos em 89 pontos de 21 subprefeituras da capital, com o investimento de R$ 4,5 milhões. O projeto começou com as intervenções no entorno do Córrego Rapadura, na Vila Carrão, zona leste da cidade. O prefeito Fernando Haddad visitou nesta terça-feira (28) as intervenções no Córrego Rapadura, que foi escolhido para ser o piloto deste projeto devido à necessidade viária local, além de ser uma antiga reivindicação da população. “Eu vim conhecer a tecnologia desta obra que, com um jeito simples, consegue resolver problema comum na cidade. Aqui vai ter a faixa do ciclista, o lugar do pedestre e a faixa do carro para atravessar com segurança”, afirmou o prefeito Haddad. A obra no córrego Rapadura, na Vila Carrão, teve custo de R$ 280 mil. Com o início das obras, as antigas “pinguelas” receberam uma nova estrutura chamada de aduelas – armações de concreto pré-fabricadas e hidraulicamente adequadas para garantir a fluidez do córrego e criar uma passagem segura aos pedestres. O objetivo dessas intervenções é garantir melhor acesso e maior segurança aos usuários, eliminando eventuais riscos em função das condições até precárias de algumas dessas travessias. Em algumas regiões, as estruturas comportarão a passagem de carros, como esta da rua Pero Nunes, na região da subprefeitura Aricanduva/Formosa, onde o prefeito esteve. “Faz muito que é pedido esta ponte. É uma região que não tem passagem. Então a pessoa tem que andar de oito a dez quarteirões até a Avenida Conselheiro Carrão porque não tem como atravessar. Agora, com a ponte, não precisa ir até a avenida, onde tem muita demanda de carros para ir ao outro lado do quarteirão”, disse o subprefeito de Aricanduva/Vila Formosa, Quintino Simões Pinto. Após a conclusão do projeto piloto, “pinguelas” de outras 20 subprefeituras receberão intervenções: Butantã, Campo Limpo, Capela do Socorro, Cidade Ademar, Ermelino Matarazzo, Freguesia/Brasilândia, Guainases, Ipiranga, Itaquera, Itaim Paulista, Jabaquara, Jaçanã/Tremembé, Parelheiros, Penha, Pirituba/Jaraguá, Perus, Santo Amaro, Santana/Tucuruvi e São Mateus, São Miguel. Cada um dos 89 locais que receberão intervenções foi indicado pela subprefeitura local. Além da instalação das aduelas, também é realizada a adequação das pistas nas extremidades dessas travessias e a adequação do sistema de drenagem do local e do leito carroçável, quando necessário. Da Secretaria...

Leia mais
Cidade ganhará mais 8.000 estacionamentos de bikes
out29

Cidade ganhará mais 8.000 estacionamentos de bikes

Quarta-feira, 29 de outubro de 2014, às 19h28   Cidade ganhará mais 8.000 paraciclos para estacionar as bicicletas em locais públicos. Atualmente, São Paulo conta com 4.606 vagas para bicicletas sendo 4.382 em bicicletários e outras 226 em paraciclos. Locais de grande circulação vem ganhando paraciclos e licitação servirá para adquirir mais 8.000 novos equipamentos. Atualmente, São Paulo conta com 4.606 vagas para bicicletas sendo 4.382 em bicicletários e outras 226 em paraciclos. Locais de grande circulação vem ganhando paraciclos e licitação servirá para adquirir mais 8.000 novos equipamentos. Além da criação de 100 quilômetros de ciclovias para dar segurança aos usuários de bicicletas, a Prefeitura de São Paulo também vem trabalhando para ampliar os locais de paradas, conhecidos como paraciclos. Após a inauguração do bicicletário municipal com 102 vagas no Largo da Batata, na zona oeste, realizada em agosto, o município está estruturando um processo licitatório para adquirir 8.000 novos paraciclos para se somarem aos 113 equipamentos existentes. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o Termo de Referência para aquisição dos paraciclos está sendo finalizado e o modelo de contratação será divulgado em breve. Com a medida, a cidade poderá saltar das atuais 4.606 vagas de paradas para mais de 20.000 vagas. Atualmente, existem 4.382 em bicicletários, a maioria ligado as estações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e outras 223 vagas em paraciclos instalados em toda a cidade. “Com a ampliação da malha cicloviária, existem mais pessoas pedalando e por isso, é importante ter mais paraciclos e bicicletários para que essas pessoas sejam estimuladas a usarem a bicicleta. Se o cidadão usa a bicicleta para a metade do caminho e não encontra um local de parada para seguir viagem com outro modal, acaba desistindo”, afirmou o diretor do Instituto Ciclo BR, Felipe Aragonez. Apesar do processo de aquisição dos 8.000 equipamentos, as opções de pontos de paradas para ciclistas já estão sendo ampliadas em todas as regiões pela Prefeitura. Com a intensificação do projeto SP 400 km, locais como os largos São Francisco e Paissandú, Vale do Anhangabaú, a Rua Doutor Falcão, na região central, a avenida Cruzeiro do Sul, na zona norte, e a praça Braúna, na zona leste, foram alguns que ganharam paraciclos. “Há um avanço, mas ainda é claro que a cidade ainda é carente de estruturas para ciclistas”, disse o diretor do Instituto Ciclo BR. De acordo com Aragonez, seria importante que a iniciativa privada também adotasse a implementação de paraciclos, em especial, em áreas de grandes circulações como shopping centers e regiões estritamente comerciais. Para ele, o papel das ciclovias e dos ciclistas é cultural, mas...

Leia mais
Túnel ligará Parque Dom Pedro à Alcântara Machado
out19
Leia mais
CET dá resposta desconexa sobre questões importantes para o bairro
out17
Leia mais
Privilégios e estação inacabada põe em dúvida ciclovias no bairro
out17
Leia mais
Zona Oeste inicia projeto piloto de entrega noturna de cargas
out14
Leia mais
Prefeitura estuda mudar Ceagesp da zona oeste
out14
Leia mais
Contribua com a reciclagem de lixo, é bacana e fará bem para a cidade
out14
Leia mais
Cidade de SP caminha para cumprir Agenda Ambiental
out14

Cidade de SP caminha para cumprir Agenda Ambiental

Terça-feira, 14 de outubro de 2014 às 12h54 Cidade de São Paulo ocupa posição pioneira em reciclagem de resíduos sólidos. Com a inauguração das duas primeiras centrais mecanizadas de triagem da América Latina e ampliação da coleta seletiva, cidade iniciou processo inédito. Meta é aumentar o percentual de reciclagem de 2% para 10%, até 2016. SECOM / PMSP – São Paulo iniciou um processo inédito na reciclagem de resíduos sólidos com a instalação das duas primeiras centrais mecanizadas de triagem da América Latina, que vão permitir triplicar a capacidade de processamento de recicláveis e a ampliação da coleta seletiva de lixo com a aquisição de 11 caminhões. A meta é aumentar o percentual de reciclagem em São Paulo de 2% para 10%, até 2016, conforme as informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura da cidade de São Paulo. De acordo com a secretaria, com a abertura das duas centrais mecanizadas, uma em Santo Amaro e outra em Ponte Pequena, e investimentos nas cooperativas, a capacidade de reciclagem chega a 7% dos resíduos gerados na cidade. Hoje a cidade produz, no total, 10,5 mil toneladas de resíduos por dia. Deste montante, os orgânicos são 50%, cerca de 35% é resíduo seco com possibilidade de ser reciclado e um porcentual de 18% é rejeito. Por isso, se considerarmos somente a porcentagem de resíduos secos, com as quatro centrais a cidade irá processar cerca de 45% dos recicláveis produzidos. Na agenda ambiental da cidade está ainda a reutilização dos resíduos orgânicos por compostagem, para redução da quantidade de materiais enviados aos aterros sanitários. Um projeto-piloto distribuirá 2.000 composteiras domésticas e levantará informações para a ampliação dessa política. Os avanços no manejo adequado do lixo integram um conjunto de melhorias do meio ambiente da cidade, que inclui ainda a implantação de 400 quilômetros de ciclovias até 2015, a qualificação do transporte público e a adoção das lâmpadas de LED para a iluminação pública.   Assuntos relacionados Cidade de SP caminha para cumprir Agenda Ambiental Contribua com a reciclagem de lixo, é bacana e fará bem para a cidade Prefeitura lança projeto inédito de compostagem doméstica...

Leia mais
Mais conforto para os frequentadores da Igreja do Divino
out11

Mais conforto para os frequentadores da Igreja do Divino

Sábado, 11 de outubro de 2014, às 07h30 O programa “São Paulo mais iluminada” implantou no acesso à Paróquia do Divino Espírito Santo, em Arthur Alvim (zona Leste), 24 pontos de iluminação que abrigam 28 lâmpadas de vapor metálico.     Parte integrante da história do bairro, a paróquia está localizada à Rua Andréa Feliciano, ao lado da Cohab 1. Geralmente usadas em grandes avenidas, praças e parques, as lâmpadas de vapor metálico duram, em média, 5 mil horas, emitem luz branca, proporcionam boa reprodução de cores e possuem maior luminância em comparação às de vapor de sódio. Entre os locais iluminados com esse tipo de lâmpada, destacam-se: Avenida Radial Leste e entorno da Arena Corinthians (cerca de 2 mil pontos), segundo trecho do Corredor Norte-Sul, que vai Anhangabaú a Praça Campos de Bagatelle (748 pontos), duplicação da Avenida Belmira Marin (634 pontos), Parque do Carmo (422 pontos), Praças do Forró e Mãe Preta (São Miguel...

Leia mais
Centro de São Paulo está ficando mais bonito
out04
Leia mais
Ciclovias de SP ganham música do grupo Pequeno Cidadão
out03
Leia mais
Nadia Campeão faz visita pelo CIS
out02
Leia mais
Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé
out02

Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé

Quinta-feira, 2 de outubro de 2014, às 16h02 Os cruzamentos do bairro estão cada vez piores com o aumento do número de veículos. Disso todo mundo sabe, mas o objetivo desta obra inacabada ninguém explica.     Há pelo menos duas semanas, os motoristas que cruzam a esquina das ruas Francisco Marengo e Emílio Mallet se deparam com uma obra sem identificação, placa ou motivo. O aumento de carros e coletivos que percorrem esse perigoso cruzamento é notório. A cada manhã o número de veículos aumenta e as filas para percorrer os poucos metros entre as esquinas também. Apesar disso, a obra que apareceu numa determinada manhã sem nenhuma identificação e assim permanece, atrapalha e causa estranheza. Quem teria feito os buracos e para quê? Independentemente dos motivos, o problema é que o cercado pode causar acidentes com ciclistas, pedestres e carros que passam pelo local.       Estamos em contato com a Subprefeitura Mooca para saber do que se trata.   Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Privilégios e estação inacabada põe em dúvida ciclovias no bairro Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de...

Leia mais
Feiras orgânicas em São Paulo
set30
Leia mais
Coleta seletiva de lixo é ampliada em SP
set30
Leia mais
Projeto Pedal vai monitorar a saúde de ciclistas urbanos
set24
Leia mais
Praça Sílvio Romero: limpeza e asseio
set23
Leia mais
Subprefeitura Sé leva arte à ligação Leste-Oeste
set23

Subprefeitura Sé leva arte à ligação Leste-Oeste

Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 09h47 Trabalho se dá a partir de parceira com fabricante de tinta e coletivo de grafite; intervenção será concluída no final do mês. A Subprefeitura Sé realiza, por meio de parceria com artistas e uma fabricante de tintas (Coral), um novo grafite na ligação Leste-Oeste sob os viadutos Guilherme de Almeida, Cidade de Osaka e Mie Ken, no sentido Lapa/Penha. A ação visa a revitalizar o local por meio da promoção desta manifestação cultural paulistana.       O projeto teve início na noite do dia 15 e deve se estender até o final deste mês de setembro. Com temática livre, o projeto denominado Artépolis, liderado por Maxx Figueiredo, será feito pelo próprio Maxx e pelos artistas Julio de Deus, SAO, Jhoni Morgado, Sapiens, Tom Ray, Fernando Berg, Dimy Unclair, Sid, Thiago Ectoplasma, Cá Barbosa, Danilo, Marcelo Zuffo, Sipros, Thiago Bender, Duas+Consp, Esther, Janaina, Julê, Mônica Lisboa, Jocks, Monica Anacampi, Thiago Bob, MLOK, Moby, MEV, SED, MONO, André Mogle, LOWS, Lucho, Monica Lisboa e Izu. De acordo com Maxx Figueiredo, membro do coletivo, a ideia é “levar, por meio da cor, um pouco de beleza a São Paulo, elevar o espírito das pessoas, proporcionar alegria e disposição, enfim, entregar um ambiente inspirador e agradável para todos”. Outra questão destacada por Figueiredo é a importância de ampliar a interação entre artistas, poder público e empresa em favor da cidade. A empresa participante forneceu mais de 630 litros de tinta, além dos equipamentos de proteção individual (EPI ‘s) e vestuários adequados para pintura. Para os responsáveis pela parceria, esta revitalização de pintura permite que a população tenha interesse pela conservação de equipamentos públicos. A ação contribui, ainda, para a conservação de importantes patrimônios históricos, artísticos e culturais da cidade. “Esta iniciativa vai ao encontro de duas questões-chaves para a Subprefeitura Sé: a parceria com setores diversos da sociedade visando à coletividade e à valorização do grafite como importante expressão artística de nossa cidade”, declara Alcides Amazonas, subprefeito da...

Leia mais
Dia Mundial sem Carro, Haddad e Tatto vão trabalhar de bike
set22
Leia mais
Praça Sílvio Romero: horários de coleta e informações desencontradas
set22
Leia mais
Praça Silvio Romero: sujeira e lixo no coração do bairro
set22
Leia mais
SP tem 85 telecentros gratuitos, veja a lista
set20
Leia mais
88% dos paulistanos aprovam ampliação de ciclovias, revela pesquisa
set19

88% dos paulistanos aprovam ampliação de ciclovias, revela pesquisa

Sexta-feira, 19 de setembro de 2014, às 16h59 Segundo a pesquisa realizada pelo Ibope a pedido da Rede Nossa São Paulo, faixas exclusivas para ônibus tem apoio de 90% dos entrevistados. Desde janeiro de 2013, mais de 350 quilômetros de vias segregadas para ônibus foram construídas. PMSP / SECOM – Uma pesquisa sobre mobilidade urbana divulgada nesta quinta-feira (18) mostra que 88% dos entrevistados são a favor da construção e ampliação das ciclovias. O levantamento também mostra que 90% são favoráveis à ampliação das faixas exclusivas para ônibus. A pesquisa foi realizada pelo Ibope, a pedido da Rede Nossa São Paulo, e aborda os mais diversos aspectos da mobilidade na cidade. O instituto ouviu 700 pessoas entre os dias 29 de agosto e 3 de setembro. A margem de erro é de 4 pontos percentuais.     Após a apresentação dos dados da pesquisa, o prefeito Fernando Haddad defendeu o envolvimento da sociedade para adotar medidas que ampliem a mobilidade urbana. “Essa é uma agenda que os partidos não deveriam disputar, mas somar ao governo para construiremos até mais rápido tudo que vem sendo feito na cidade. E o apoio às ciclovias é de 88% – mesmo apoio às faixas de ônibus -, apesar de ser um modal que ainda carece de muitas políticas do ponto de vista educacional e pedagógico”, disse. A construção de 400 quilômetros de ciclovias até o fim de 2015 é uma das metas da Prefeitura de São Paulo. Somente neste ano, a capital já ganhou 58,3 quilômetros. Outras medidas de incentivo ao uso da bicicleta como transporte prioritário foram as inaugurações do bicicletário público no Largo da Batata e da ciclopassarela sobre a Marginal Pinheiros. A avenida Paulista também vai ganhar ciclovia no canteiro central. Já a criação de faixas exclusivas para ônibus aumentou a velocidade dos coletivos e causou economia de tempo para usuários do sistema de transporte coletivo da cidade de São Paulo, segundo estudos realizados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Atualmente, São Paulo conta com mais de 440 quilômetros de vias segregadas à direita, sendo que desde janeiro do ano passado, com a operação “Dá Licença para o Ônibus”, foram implantados 357,5 quilômetros. “Esse grande apoio dos paulistanos para a bicicleta e para a ciclovia é importante para a cidade porque é um serviço não motorizado. Isso ajuda quem precisa desse tipo de transporte, ajuda do ponto de vista ambiental e do ponto de vista da saúde. Portanto, ajuda a cidade. Isso é importante e só nos encoraja ainda mais a continuarmos nesse projeto de implantação dos 400 km de ciclovia na cidade de São Paulo”, afirmou o secretário...

Leia mais
Vizinhança cobra melhorias em praça abandonada na Vila Prudente
set19

Vizinhança cobra melhorias em praça abandonada na Vila Prudente

Sexta-feira, 19 de setembro de 2014, às 16h45 Rafael Carneiro da Cunha – Da redação da CMSP Cheia de lixo pelo chão de terra, com poucos brinquedos para a criançada e escura durante à noite. A praça situada entre as ruas Rio Laranjais e dos Pintores, na Vila Prudente, é alvo de reclamações de quem vive no bairro da zona Leste. Os moradores reclamam que ela está abandonada, sem manutenção. Michele da Silva vai de vez em quando com o filho Samuel, de apenas um ano, à praça. Ela diz que só não frequenta mais o espaço porque não vê muitos atrativos. Já Alisson Fernando prefere não ir com a filha ao local, que considera deplorável. Para ele, é preciso colocar lixeiras – um tonel enferrujado desempenha atualmente a função – e também um aviso para que as pessoas não destruam os brinquedos. Segundo Fernando, há cerca de três meses a prefeitura não faz a limpeza do local. A reportagem esteve duas vezes na praça. No dia 28/8, encontrou um brinquedo bastante deteriorado, além de sacolas plásticas, copos e outros objetos jogados no chão. Na ocasião, um gari do consórcio Soma, responsável pela varrição das ruas na região, afirmou que frequentemente algum morador pede para que ele também limpe a praça – o que não é responsabilidade dele. Situação semelhante foi verificada em 14/9, quando até um televisor figurava na paisagem. A mudança ficou por conta dos brinquedos. Na semana anterior, a subprefeitura removeu a casa do Tarzan e colocou dois escorregadores e uma gangorra. Poucos dias depois de instalados, eles já estavam com a pintura desgastada. Luciene Ferreira é comerciante e lamenta a má conservação dos brinquedos. “Tenho vergonha de dizer que isso é uma pracinha para criança brincar. De zero a dez, a nota é zero. A limpeza é outra vergonha”. Moradora há mais de 25 anos no bairro e dona de um bar, Maria José da Silva não vê muito futuro para a praça. Todos os dias, por volta das 20h, ela encerra as atividades do estabelecimento e se recolhe em sua casa. Enquanto isso, na praça, jovens do bairro e de lugares vizinho começam a chegar para mais uma “noitada” regada à música alta. “Fica cheio de gente. Aquele escuro, aquela moçada que usa droga… Eu fico em casa de tocaia, preocupada, esperando minha filha chegar do trabalho”, comenta. Maria José gostaria que fosse feito outra coisa do local. Sua sugestão é que seja construído um posto policial. Outro lado De acordo com a subprefeitura da Vila Prudente, o brinquedo removido e levado para a manutenção na semana passada foi instalado em 2011 e estava...

Leia mais
Semana da Mobilidade Urbana
set17

Semana da Mobilidade Urbana

  Quarta-feira, 17 de setembro de 2014, às 20h49 Faixas exclusivas aumentam velocidade dos ônibus e economizam tempo de usuários Desde o início do ano passado, a Prefeitura implementou 357,5 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus em toda a cidade. Dois estudos da CET apontam melhora significativa da velocidade dos coletivos e economia de tempo para os usuários. SECOM – A criação de faixas exclusivas para ônibus aumentaram a velocidade dos coletivos e economia de tempo para usuários do sistema na cidade de São Paulo, segundo estudos realizados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Atualmente, São Paulo conta com mais de 440 quilômetros de vias segregadas à direita, sendo que desde janeiro do ano passado, com a operação “Dá Licença para o Ônibus”, foram implantados 357,5 quilômetros. O transporte coletivo é um dos temas em discussão na Semana da Mobilidade 2014 Um estudo divulgado no início de dezembro do ano passado pela CET apontou que, em um universo de 291 quilômetros de faixas implementadas até então, a velocidade média dos ônibus havia crescido em 45,1%, saltando de 14,2 km/h para 20,6 Km/h. O segundo levantamento da CET divulgado no início de setembro mostrou que a velocidade média dos ônibus que circulam por 66 trechos de faixas exclusivas implantados neste ano aumentou em 68,7%, passando de 12,4 Km/h para 20,8 Km/h. O levantamento apontou melhora da velocidade em todos os trechos pesquisados. A menor alteração foi o aumento de 7,8% da velocidade na Avenida Orlando Garcia de Oliveira, na zona oeste, e as maiores na Rua Voluntários da Pátria, com melhora de 269,4%, e na ponte do Jaguaré, com 317,3%. A economia média é de 38 minutos por dia, chegando a mais de quatro horas por semana. Em alguns itinerários, a vantagem é ainda maior. Mudança cultural Por conta do aumento das faixas exclusivas a partir do início de 2013, algumas pessoas optaram pelo ônibus como meio de transporte. A produtora de televisão, Marina Pereira, 24 anos, que mora na Vila Mariana e trabalha na região do Paraíso, foi uma das paulistanas que passou a utilizar os ônibus após a implementação das faixas exclusivas. “Depois das faixas, desisti do carro. Percebi que era mais rápido vir com o ônibus do que com o carro. É claro que tem problemas como a lotação, que é muito grande, principalmente, nos horários de pico, mas é uma opção mais rápida com certeza”, disse. Táxis nas faixas A Prefeitura liberou, no último dia 13, todos os 440 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus existentes na cidade e as que serão criadas pela Prefeitura aos mais de 33 mil táxis de São Paulo em qualquer...

Leia mais
Táxis obtém liberação das faixas exclusivas
set13

Táxis obtém liberação das faixas exclusivas

Sábado, 13 de setembro de 2014, às 12h54 Prefeitura autoriza circulação de táxi em todas faixas exclusivas para ônibus implantadas à direita. Com a medida, que começa a vigorar neste sábado (13), taxistas terão 440 km de malha exclusiva compartilhada com o transporte coletivo, de acordo com a CET. O Prefeito Fernando Haddad e o Secretário Municipal dos Transportes Jilmar Tatto anunciaram na manhã desta sexta-feira (12), a autorização para circulação de táxis em todas as faixas exclusivas implantadas à direita nas vias da cidade. A medida, que começa a vigorar neste sábado, 13, é válida apenas quando estes veículos estiverem transportando passageiros.     Com esta mudança, os taxistas poderão circular livremente, sem restrição de horário, pelos 440 Km de faixas existentes e as que vierem a ser implantadas. A autorização será publicada no Diário Oficial deste sábado, 13, por meio da Portaria 071/14-SMT.GAB. A decisão foi tomada em razão de a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ter detectado que não houve uma redução de velocidade comercial dos ônibus nas vias que já tinham sido flexibilizadas. Desempenho no trânsito Em abril deste ano, a Secretaria de Transportes fez uma adequação sobre a circulação de taxis em corredores e faixas. A Portaria Nº 019/14-SMT.GAB permitiu a circulação de táxis com passageiro em qualquer horário e dia da semana em importantes faixas exclusivas, como as marginais Tietê e Pinheiros, e avenidas 23 de Maio e Washington Luís. Ao todo, foram liberados 18 ramais de faixas exclusivas, compreendendo 71 Km. Desde esta época a CET vem observando o desempenho dos coletivos nas faixas exclusivas e a conclusão é que o compartilhamento com os taxistas não impactou na fluidez dos ônibus nestes eixos. Esta constatação foi possível após análise da performance da velocidade dos coletivos em faixas exclusivas onde foi feita a flexibilização para táxis e também na análise da velocidade dos ônibus em todos os eixos de deslocamentos segregados à direita. A amostragem do estudo foi obtida a partir do banco de dados do Sistema SIM da SPTrans.     O principal estudo teve como enfoque a análise das variações de velocidade no período antes (de fevereiro e março/ 2014) e depois (de abril a agosto/2014) da vigência da medida, especificamente nas faixas à direita com liberação dos táxis. Ou seja, ainda com liberação da circulação dos táxis com passageiros houve uma pequena variação com aumento de velocidade operacional dos ônibus. Isto se deve ao fato da característica da operação nas faixas exclusivas de ônibus à direita ser bastante diferente das faixas exclusivas à esquerda, que compõem os chamados corredores de ônibus e onde não há interferências de outros veículos para...

Leia mais
Prefeitura retira famílias para revitalizar área do parque D. Pedro II
set12
Leia mais
Projeto inclui avenida Santo Amaro na Operação Urbana Faria Lima
set12

Projeto inclui avenida Santo Amaro na Operação Urbana Faria Lima

Sexta-feira, 12 de setembro de 2014, às 09h37 Ericka Perestrelo da Web Rádio Câmara A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa) da Câmara Municipal de São Paulo, debateu nesta quarta-feira (10) o Projeto de Lei (PL) 377/2014, do Executivo, que propõe a inclusão da avenida Santo Amaro no programa de investimentos da Operação Urbana Faria Lima. O colegiado realizou uma audiência pública para discutir a proposta com a população. De acordo com o diretor de desenvolvimento da São Paulo Urbanismo, Gustavo Partezani, a proposta prevê melhoramentos num trecho de 2.700 metros entre a avenida Juscelino Kubitschek e a avenida dos Bandeirantes, considerado o mais deteriorado. Saiba mais na reportagem da Web Rádio...

Leia mais
25 de março pode ser fechada para o trânsito
set10

25 de março pode ser fechada para o trânsito

Quarta-feira, 10 de setembro de 2014, às 12h52 A Prefeitura de São Paulo quer fechar para o trânsito a Rua 25 de Março, na região central, e outras vias no entorno, segundo o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto. Até o final deste mês, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ainda vai instalar um trecho de ciclovia em uma das principais ruas de comércio popular da América Latina, a Rua 25 de Março. Outra medida, a ser adotada em 2015, será a implantação de ciclovia na Avenida Paulista, que poderá ter um custo de 15 milhões de reais. Através do sistema o ciclismo poderá atingir vários pontos da cidade a partir da Paulista, tais como o Centro, Ibirapuera, Av. Brasil, Pacaembu ou Jabaquara. A imagem ao lado, mostra o movimento de consumidores na região da rua 25 de março, nesta segunda-feira...

Leia mais
Plano Centro Limpo contempla Bela Vista
set06

Plano Centro Limpo contempla Bela Vista

Sábado, 6 de setembro de 2014, às 12h22 Projeto começa no próximo dia 8 no distrito e inclui conscientização, mutirões de limpeza e fiscalização Combater o descarte irregular de resíduos na região central do município é um dos principais objetivos do Plano Centro Limpo, que chega ao distrito Bela Vista, incluindo o Bixiga, no próximo dia 8. Iniciado em agosto de 2013, na Vila Buarque, o projeto já foi realizado na Santa Ifigênia, Luz e 25 de Março. Trata-se de ação conjunta entre a Secretaria de Serviços, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), Subprefeitura Sé e empresas de varrição e coleta, com apoio da Guarda Civil Municipal e da Associação Viva o Centro. No próximo dia 8, e até o dia 20, ocorre a conscientização de moradores e comerciantes, com faixas orientativas e distribuição de panfletos sobre a frequência da coleta domiciliar, a maneira correta de descartar resíduos, os ecopontos disponíveis na região e a legislação municipal.     “Quando a população toma conhecimento e utiliza essas informações ajuda muito na manutenção e preservação da limpeza das áreas e vias públicas”, afirma o gerente do Departamento de Fiscalização de Amlurb, Evaldo de Freitas Gomes. Antes desta etapa, foi promovido levantamento sobre as especificidades e problemas das áreas que serão contempladas. Mutirão e Fiscalização A terceira ação do Plano começa no dia 15 e prossegue até o dia 29, com a realização de mutirões de serviços de limpeza como varrição, pintura de guias, manutenção de bocas de lobo, retirada de faixas e cartazes, coleta de entulho, resíduos e grandes objetos e troca de papeleiras e PEVs (Pontos de Entrega Voluntária). Durante o mutirão, a distribuição do material informativo também será realizada. No próximo dia 29, inicia-se a quarta ação do Plano, com a fiscalização, notificação e aplicação de multas para quem desrespeitar o horário, tipo e quantidade de resíduo descartado. Além disso, será feita verificação da situação dos grandes geradores de resíduos (estabelecimentos comerciais, industriais, de prestação de serviços, públicos e institucionais que geram acima de 200 litros de resíduos). “Eles devem, obrigatoriamente, estar cadastrados em Amlurb e contratar coleta particular. Caso contrário, ficarão passíveis de sansão”, ressalta Evaldo. Mais informações sobre o cadastramento no site da Amlurb. As penalidades serão aplicadas de acordo com a lei 13.478/02, que prevê multas de R$ 626,46 (descarte irregular até 50 quilos) a R$15.034,87 (acima de 50 quilos). O trabalho de conscientização será mantido também durante essa última...

Leia mais
Radio Taissô na Vila Alpina
set05
Leia mais
Mooca faz 458 anos
set01
Leia mais
Conheça o plano de Ciclovias da cidade de SP
ago29

Conheça o plano de Ciclovias da cidade de SP

Sexta-feira, 29 de agosto de 2014 às 16h31 São Paulo terá 400 quilômetros de ciclovias até o final de 2015. Conheça o projeto divulgado pela Prefeitura, que segundo o órgão vai estimular o uso de bicicleta na capital paulista.     A Prefeitura de São Paulo pretende implementar 400 quilômetros de ciclovias até o final de 2015. De acordo com a SECOM (Secretaria de Comunicação da Prefeitura) esta é a Meta 97, do Programa de Metas, que será realizada a partir do projeto SP 400km. Este ano, a capital já ganhou 11,6 quilômetros; a meta é fechar 2014 com 200 quilômetros implementados. Ciclovias da cidade de São Paulo Conheça o plano completo Atualmente, a cidade conta com 82,41 quilômetros de vias segregadas exclusivamente para o deslocamento de ciclistas. Nesta semana, a região do Tatuapé, Zona Leste, recebeu o primeiro trecho de ciclovia. Em julho deste ano, a cidade ganhou mais 10 quilômetros na avenida Cruzeiro do Sul e no centro da cidade. Outras medidas de incentivo à bicicleta como transporte prioritário foram as inaugurações do do bicicletário público no Largo da Batata e da ciclopassarela sobre a Marginal Pinheiros. Para estimular o uso da bicicleta como meio de transporte na cidade, o projeto SP 400km realizará as intervenções com um custo reduzido, articulado com o transporte público e também visando reduzir acidentes em vias de circulação de ciclistas....

Leia mais
Software gratuito para pessoas com deficiência
ago28
Leia mais
WiFi Livre da prefeitura chega a São Miguel
ago22

WiFi Livre da prefeitura chega a São Miguel

Sexta-feira, 22 de agosto de 2014 às 14h49 Prefeito e secretário de Serviços inauguram WiFi Livre em São Miguel Paulista. Praça do Forró é a 31ª a democratizar acesso à internet para a população. Em visita à Subprefeitura de São Miguel Paulista nesta terça-feira (19), o Secretário de Serviços, Simão Pedro, acompanhado do prefeito Fernando Haddad e do subprefeito de São Miguel, Adalberto Dias de Souza, inaugurou o sinal WiFi Livre na Praça do Forró, 31ª em funcionamento na cidade de São Paulo.       “Você pode estudar, fazer o dever de casa, trabalhar e conversar. Esse acesso funciona por 24 horas por dia”, afirmou o prefeito referindo-se às utilidades que podem ser feitas na internet e a disponibilidade de 24 horas do sinal. Haddad citou a boa iluminação do local, que foi contemplada no ano passado com 35 pontos novos de iluminação e teve 18 pontos remodelados. “A nossa ideia é iluminar cada vez melhor a cidade de São Paulo, isso é importante”. Simão Pedro destacou alguns aspectos técnicos do WiFi Livre. “A qualidade do sinal é uma característica importante, a velocidade de conexão é de 512 Kbps por usuário. A Praça do Forró comporta 150 usuários navegando simultaneamente e possui capacidade de dobrar esse número com degradação proporcional da velocidade”. A Praça do Forró possui dentro de sua área a igreja mais antiga da capital paulista. A Catedral São Miguel Arcanjo tem 392 anos e foi inaugurada no ano de 1622. Segundo as informações da assessoria da Prefeitura da cidade de São Paulo, já são 4 locais com o sinal WiFi em funcionando na Zona Leste, são eles: Praça das Professoras (Itaquera), Praça Dilva Gomes (Penha), Parque Linear Tiquatira (Penha) e a Praça do Forró (São Miguel). Em toda a cidade, além dos locais que estão em operação, outras 24 praças estão com o serviço na etapa de implantação e outros pontos em 65 espaços públicos em fase de projetos, como a Praça Sílvio Romero, no Tatuapé. O Programa de Metas 2013-2016 prevê a instalação de internet livre em 120 praças e parques da capital paulista. O contrato firmado pela prefeitura prevê controle de qualidade, estabilidade de conexão e garantia de banda. Todos os dados que circularem na rede serão protegidos por confidencialidade e não haverá qualquer restrição no conteúdo acessado. O prestador de serviço não está autorizado a filtrar o tráfego por IP de origem ou de destino, por aplicação ou por conteúdo, exceto para cumprir legislação em vigor. As redes possuem um sistema de gestão que permite detectar e evitar possíveis incidentes e cumprir determinações legais e judiciais. Praça Santa Davina Ainda em São...

Leia mais
Cidade iluminada e colorida
ago19

Cidade iluminada e colorida

Terça-feira, 19 de agosto de 2014 às 17h34 Principais vias e monumentos da cidade ganham iluminação por meio de LEDs.Um dos objetivos é tornar a cidade mais atrativa, diz Simão Pedro, secretário de Serviços. Dona de um dos maiores parques luminotécnicos do mundo, com cerca de 580 mil pontos, São Paulo é a primeira cidade brasileira a ter uma especificação de luminárias LED homologada para uso na iluminação pública. Nos monumentos em que as fachadas são destacadas pela iluminação, as lâmpadas de LED também estão presentes. O sistema instalado durante o mês de maio em lugares como o Monumento às Bandeiras, Biblioteca Mário de Andrade, Viaduto do Chá, Pátio do Colégio, pontes do Tatuapé, das Bandeiras e Estaiada Otávio Frias permite a alternância de cores. Assim, as cores verde e amarela que homenagearam a Copa podem dar lugar para outras que simbolizem diversas causas sociais. O caso mais recente é o da Biblioteca Mário de Andrade que, até o final de agosto, terá sua fachada iluminada nas cores da bandeira palestina. De acordo com o secretário de Serviços, Simão Pedro, a adoção de novas tecnologias reforça o compromisso da cidade em oferecer mais qualidade de vida aos cidadãos e torná-la mais atrativa para os turistas. Fonte: Ilume / Secretária de...

Leia mais